07 agosto 2013

Quem se arrependeu? Só um castigado, de joelhos outra vez...

No ano passado foi o Ilusão na peitaça ao alemão que me fez reabrir o blog.








 
Agora, a peitaça é do presidente ao treinador. Está em jogo outro Óscar para filme de série D, de derrotados. Todos. Um clube ridículo, pessoas abstrusas, comunicação de pressão a fazer as vezes da antiga forma de apertar os colarinhos a alguém. Coisas da agremiação.
A pusilanimidade de 2012 com Luisão é a mesma de agora com Cardozão.
Vieira já se arrependeu de ter renovado, guloso e obcecado, com o treinador a quem "comprometeu" quando via os troféus ao longe e não imaginava os percalços e a falta de força e categoria na recta da meta.
Cardozo não foi castigado. O castigado é quem se ajoelha outra vez.
Espero que, também de novo, "isto é só o começo".
Uma triste novela de Verão com um fim previsto. O da cláusula de 60ME que só ia vendido por 1/4 do valor, regateado pelo vendedor, é o prenúncio de "vamos ter uma época de sucessos".
Aliás, o FC Porto vencer a Supertaça já no sábado a abrir a temporada será mais um empurrão para o clube ridículo de gente que não sabe estar e se atraiçoa e tropeça em si mesma para o mais grande maior, daqui a um ano, ficar mais pequenino. Só pode. Entre o apoio "irrevogável" ao treinador pós-Jamor e os gritos de "Tacuara" pela voz dos sócios que mandam efectivamente, o presidente borrou-se. Mais arrependido do que Cardozo, este só forçado a um golpe de teatro depois da cena de Maio, e mais fraco do que o fraco treinador, que engole um sapo de quase 1,90m, Vieira é o gestor rasteiro certo para tamanha grandeza nas ruas da amargura em que a passada "época de sonho" se transformou.
Enfim, como Ilusão ao árbitro alemão, tudo estendido ao comprido.
Mas que dá ânimo e risos, isso é um bálsamo para tugas tão deprimidos ultimamente e que engolem suópes e grupes de qualquer jeito.
Vou ver se não recomeço de novo também aqui. É uma chatice, afinal, andarmos sempre neste caminho tão mal acompanhados e acicatados apenas por coisas tristes.

Sem comentários:

Publicar um comentário