16 abril 2015

Global e com recordes vários

O Barça vencer em Paris não é nem novidade nem surpresa: grande jogo de uma equipa que está em alta e, quando leva os jogos a sério até ao fim, ao contrário do sucedido em Sevilha no sábado, é imparável.
Pelo que o 3-1 do Porto ao Bayern é que tem dimensão mundial. E em Portugal, portistas, desfrutem das capas dos pasquins desportivos... O tom monocolor habitual não é esse...

Tem estrelinha mas também é para criancinhas vibrarem
 
A vitória de Viena em 1987 era a única que equipas portuguesas registaram alguma vez com o Bayern, fossem Benfica ou Sporting, Belenenses, Setúbal, Braga e Boavista já o tentaram sem sucesso, alguns mais de uma vez. Esta é, pois, uma vitória para recordar e já gravada a ouro. Porque ainda da última vez que o Bayern visitou Portugal correu Alvalade a 5.0 e fez o upgrade que se sabe com 7.1 em Munique, cortesia de um golo de notável remate de longe de João Moutinho...
 
Se Viena foi campo neutro, e ainda assim a 400kms de Munique, o Dragão foi um vulcão.  O Bayern deu-se mal com a pressão portista e já nem adianta lembrar que nem em dois jogos de alguma eliminatória europeia uma equipa portuguesa, mesmo o FC Porto, logrou marcar 3 golos ao Bayern sequer!

Uma curiosidade do jogo que releva da táctica de pressão alta a sério do FC Porto, em UEFA.com:
Statistics don't tell the whole story
Alonso had a 100% pass completion rate with Dante (93%) and Jérôme Boateng (88%) close behind. Yet it was an unhappy evening for all three players as they were implicated in Porto goals one, two and three respectively. One of the images of the night was Alonso beating the ground in frustration in the second period as Martínez almost managed to rob him again
 
Mas não só. Onze anos depois da conquista de Gelsenkirchen, consegue-se um registo de invencibilidade que só Mourinho, foi capaz de 11 jogos sem perder entre a recepção (1-3) ao Real Madrid (então com Carlos Queiroz ao comando), em Outubro de 2003, e a final com o Mónaco (3-0), passando por M. United, Lyon e Corunha nas eliminatórias e ainda deslocações a Marselha e ao Bernabéu na fase de grupos.
 
Lopetegui leva 11 jogos nesta Champions desde a pré-eliminatória com o Lille. Não perder em Munique valerá não só a eliminatória e as semifinais, como igualar o recorde de imbatibilidade portista e de qualquer equipa portuguesa na Europa (o Benfica conseguiu 10 jogos), pois ao registo de Mourinho houve só mais um resultado positivo a acrescentar, o 0-0 com o CSKA de Moscovo na estreia europeia de Victor Fernandez pelo FC Porto - tendo sido Mourinho, já no Chelsea, com 3-1, a quebrar a imbatibilidade que ele mesmo iniciara (12 jogos no total).
 
Isto na época seguinte ao desastre que foi a campanha na Champions com o pior registo de sempre: 5 pontos, nem atenuado por uma transição para a Liga Europa interrompida em Sevilha de forma deplorável.
 
E, entretanto, na Europa o FC Porto já superou a % de vitórias do Benfica. Já com mais jogos disputados na Champions do que o Benfica (208-203), o FC Porto conta 47,8% de vitórias pelas 165 em 347 jogos no total das presenças europeias. O Benfica reteve-se nos 47,5%, de 171 vitórias em 360 jogos da UEFA muitos graças às repescagens recentes que transitaram os encarnados da Champions para a Liga Europa.
 
Mesmo que estes recordes passem despercebidos em Portugal até na Imprensa dita Desportiva e alegadamente especializada, certo é que ganhou ressonância mundial o 3-1 portista mais do que o 3-1 catalão na noite retumbante de ontem. O site da FIFA não o fez por menos. A foto acima tirei-a de lá, mesmo que a Champions não lhe diga respeito.

Sem comentários:

Publicar um comentário