25 dezembro 2014

«Merry Christmas everybody» (recordar Slade)

Do bom rock, simples, despretensioso, divertido, fashion, crazy sem ser maluco, contemporâneo do nascimento dos Queen, os Slade eram um grupo porreiro que só os de meia idade conheceram e raramente foram publicitados na rádio em que hoje os tuguinhas amestrados que repetem músicas banais da modernidade jamais ouviram falar.
 
video
Tem a pureza dos originais, e um som muito suave, de resto com as cabeleiras - os fatos eram menos vistosos na tv a preto e branco da altura em Portugal, tal como os Abba apareceram a ganhar o Eurofestival em 1974 com algo similar vestido - como eu gostava de ver nos jogadores ingleses da época.
 
Oriundos de Wolverhampton, quando o clube de Molineux era ainda importante, além de histórico, e que foi despachado pelo FC Porto na Taça UEFA de 1974 em que Gomes se estreou a marcar na Europa, os Slade tiveram canções de top (17 em 20 êxitos notáveis à época) e cedo ganharam a minha simpatia juvenil, depois dos Beatles já extintos na altura. O que de bom, descontraído, próximo, amigável até, havia na pureza do rock estava com os Slade. Uma das músicas da época para esta época e para recordar uma banda, julgo eu, inimitável, cujos My oh My e Come Feel the Noise são lendários e podem ouvir graças à internet, sempre mais democrática do que o gosto discutível de quem hoje passa música na rádio elitista-pimba.

2 comentários:

  1. Não posso deixar de comentar - como bom metaleiro que sou - que os SLADE foram de certa maneira os "pais" do glam rock ou hair rock, em conjunto com o desgraçadamente pedófilo Gary Glitter....
    "My Oh My" é para mim uma das 3 mais belas baladas de sempre (Love Hurts e San Francisco são as outras duas...).
    Ouvi-os pela 1ª vez tinha 11 anos e foi em França, país que me fez descobrir o rock 'n' roll!!!!
    Até nisso Somos PORTO, carago!!

    ResponderEliminar
  2. Bom Natal, Grande Abraço e um óptimo 2015, Bluesky!

    ResponderEliminar