08 abril 2012

Masoquismo, ou acham-se todos Jesus...

Limito-me a escrever o que vou vendo, há muito deixei de replicar ao que vou lendo ainda que lendo só por alto e em diagonal. Para sentir a aragem.
Consta-me que os aziados não são só vermelhos, parece que muitos azul-broncos encaixam mal certas vitórias do FC Porto, com aquela epístola sacramental de terem atravessado o Vítor Pereira. O pior é se Pinto da Costa acha mesmo que o homem deve continuar, estribado não só pelo ano de contrato restante mas também pela capacidade de levar o barco ao bom porto do título. Sem um ponta-de-lança de jeito, como mais ou menos todos já perceberam ao fim de não sei quantos meses.
Das reacções dos adeptos contrários já nem espero nada, de muitos portistas não espero, ponto, especialmente em vitórias como esta. Ainda há quem teime em ver Vítor Pereira pelas costas, constatação. Ponto. Desses também nada a esperar.

video
Doutros, do que leio por alto e em diagonal, vejo até quem aponte o golo falhado por Hugo Viana, como se antes não tivesse sido Quim e brilhar e, para mim, a fazer a defesa mais extraordinária de todo o campeonato - algo que ficará na memória como aquela do Banks a negar um cabeceamento de Pelé de cima para baixo, imortalizada até pelos personagens que foram, como Quim ficará por ter sido com Hulk, não seria o mesmo se fosse com Melgarejo ou Edinho...
Parece que o Porto se arriscou a perder na única clara e bem construída ocasião de golo do Braga ante Helton. O golo falhado por James, um cabeceamento de Maicon (ou Otamendi) a cruzar a baliza e a sair junto ao poste distante, a última ocasião de Alexa Sandro que com ressalto quase marcava mas tinha Defour, salvo erro, para servir de baliza escancarada. Nada disso parece ter-se passado, nem o facto de o FC Porto ter assumido as despesas do jogo, chegou, impôs-se e venceu num campo difícil um adversário muito forte.
Então, se Hugo Viana falhou um golo, também Hugo Viana falhou um passe. Sim, o FC Porto CONTROLOU Hugo Viana, mas isso não parece ter mérito. Sim, o FC Porto fez pressão alta e, assim, POTENCIOU o erro do adversário. Foi o caso, não foi o acaso, não foi acidental, não foi uma vez, foi a estratégia do treinador e a aplicação dos jogadores. Creio que foi Defour (ou Moutinho) a pressionar Viana, James a interceptar um passe de risco, depois este a lançar Hulk que, INCRÍVEL, até marcou de pé direito.
Não se faz, não estava no cardápio e surpreendeu toda a gente. Mesmo depois de visto e revisto o lance, a culpa é do Viana, só lhe faltou marcar na própria baliza.
Como é que alegados portistas não vêem isso?`É difícil, a tv falhou, o comentário distorcido ouvido falou mais alto?
Devem estar todos solidários com Jesus nesta hora pascal. Até na beatitude do momento o grunho diz que os árbitros portugueses nem são maus. O Capela, já beatificado, até teve razão em expulsar o Caimar. O Skomina fez o mesmo com Maxi Pereira. Não se percebe é a diferença da crítica a uns e ilibando outros. Ou o comprido não funciona ou até Benquerença retirou queixas em potência e o Hugo Viana é que sai sacrificado no altar da parvalheira.
Perdoai-lhes, Senhor, porque são tão feios, porcos e maus.

4 comentários:

  1. Na minha opinião um dos aziados é o Carlos Amorim.

    Saudações


    PORTO PORTO PORTO

    ResponderEliminar
  2. Maria da Fonte (da P. Lanhoso mesmo?),
    não leio futebol escrito por intelectuais ou dessa ordem de grandeza. Nenhum deles. Estou imune. Mas imbecis há muitos. E o FC Porto tem os seus grunhos.

    ResponderEliminar
  3. Zé Luís, sou do Porto,nascido na Sé rua do Sol.
    Se citei o grunho foi porque ele disse que tinha 30 anos de sócio e que se o nosso treinador continuasse
    deixaria de ser .
    Disse isto antes do Braga PORTO ,ora se isto é ser portista PQOP.
    ps:
    Tenho mais anos de sócio que o grunho
    Por motivos profissionais resido em Lisboa e infelizmente não posso ver ou ir ver ao Dragão tantos jogos como gostaria .
    Ps 2:
    Eu e os meus filhos não perdemos
    um Portista de Bancada.
    Bem haja.

    PORTO PORTO PORTO

    ResponderEliminar
  4. Amigo, eu cresci na Sé/Batalha/R. Chã, calcorreei a Rua do Sol, fiz a 1ª classe na escola lá, antes de me mudar para a Lapa (QG).

    Sou de 62, andei por ali a partir dos 4 até aos 8 anos, o meu mundo, familiar e não só, era ali da Batalha a S. Bento, da Sé e R. Escura às Fontainhas. Na verdade, eu vivia na R. Alexandre Herculano mesmo em frente (215) onde existia um antigo pavilhão do FC Porto. Passava o tempo na R. Chã porque ali vivia a minha avó e ali todos me conheciam, aí até 1969/70.

    ResponderEliminar