19 setembro 2012

Castigo a Luisão (obviamente): abençoada Troika II - e outra crise nacional

De há muito identifico o benfas com a mentalidade tuga, a imoralidade reinante no umbigo do Império falido, o chico-espertismo upgrade do desenrascanço inato, informalidade e economia-visão paralela, enfim um atraso de vida. Ultimamente identifiquei o benfas com o chuchialismo que pegou de estaca com o 25 de Abril (do qual só agora descobriram desigualdades, tendo vivido num mundo à parte e ao qual o comum dos cidadãos não acedia, crescendo o número de dependentes do Estado à custa do trabalhador geral e em geral do privado para manutenção de vícios privados em públicas tarefas). Da mesma forma, vivendo escondido, sem comunicação eficaz, isolado no seu casulo, desligado da realidade a que não deve voltar costas, o FC Porto viveu sempre como o PSD, ciente de se fazer valer só pela sua força mas sem dar expressão à sua marca - e este Governo, sem desculpar os excessos recentes e a gritante falta de capacidade para lidar com "isto" e mostrar transparência ao ritmo do trabalho feito, é um fracasso na área comunicacional, de imagem e de marca, como se, à maneira portista, não haja gente capacitada para potenciar e elevar o que tem de melhor. O FC Porto julga que só convence a maioria dos oponentes com os resultados em campo, dispensando-se de tarefas fora do palco competitivo e de ligação ao mundo associativo (já nem falo do adepto em geral), tal como o PSD, por ter ganho as eleições e manter uma irrenunciável legitimidade para governar, por estar até em maioria (mas eu olharia sempre por cima do ombro para o parceiro de coligação, como está a demonstrar-se pela enésima vez) e ter de cumprir a Legislatura, julga que só anuncia medidas e o povo que se amanhe. Não é assim, nada disto pode ser assim mas tem sido assim. Infelizmente. A marca Portugal tem este ferrete do quero, posso e mando e da inveja, idioticie e maledicência a que uma Informação bovina, sectária e indigente de cultura e conteúdo ajuda a compor o ramalhete da desinformação, da intoxicação e do erguer de pedestais a papagaios e trolórós que fazem a cacofonia reinante.
 
Vem isto a propósito de ter-se andado a fazer de conta que Luisão não seria castigado cá e, depois da pena mínima aplicada, o seu castigo poder passar impune lá fora. É como contestar a Troika que paga salários da FP e pensões e reformas para os quais o Governo anterior só tinha saldo para um mês, autodenúncia do próprio Sinistro dos Santos e perante a rejeição cega e estúpida do Primeiro-Sinistro só cretino que deixou o País defronte da Bancarrota.
A gentinha desportivamente reles, em geral identificada com a civicamente indigente e ignara massa ululante do emprego para a vidinha e regalias inalienáveis, julgava que o caso Luisão passaria subtilmente pelos pingos da chuva em que teve de ser molhado pela porcalhota CD cá da terrinha entregue ao povo que lavas no rio e às saloiices da gente assim habituada na capital a esperar o proteccionismo do Estado. E se teve de ser molhado, foi porque acima da pobre e triste CD da FPF estar a Troika da FIFA, UEFA e DFB (federação alemã), que têm a faca e o queijo na mão.
 
Para ajudar à missa, o presidente federativo mostrou a prostituição em que vive depois de ascender ao galarim com o apoio do benfas. Vende-se por pouco, uma viagem apenas, mas de efeito nulo. Fernando Gomes pode ser mais voluntaqrioso do que o preguiçoso Madaíl, mas tá visto que percebe pouco do que se passa lá fora - e logiamente não tem estaleca funcional para melhorar cá dentro (nove meses na Liga deram um aborto) e moralmente está associado aos sacanas. Já se percebia, com a frágil punição da CD, quanto custou a viagem de Fernando Gomes a Dusseldorf, ele mais do que o Vieira com a corda ao pescoço para aplacar a ira do Fortuna. Was ist das? (o que é isto?).
 
Os deuses nem sempre protegem os audazes, mas acima de tudo a impunidade caseira não passa na Europa. A Troika empresta dinheiro e, apesar dos ingratos que dele dependem mas cospem no prato onde comem, impõe regras que uns assinam e depois assobiam para o lado. A idiosincrasia tuga mostra-nos os chucialistas com o maior despautério e hipocrisia só cretina, os mesmos de sempre, a portarem-se como se não tivessem nada a ver com isto. A Troika do futebol não admite batoteiros e caceteiros na Europa. Os tugas estão avisados, mas no primeiro caso atiram pedras aos escritórios da Troika e no segundo têm de meter o rabo entre as pernas, senão mesmo outra coisa para além de engolirem elefantes.
 
Os idiotas úteis da Imprensa tuga não estão formatados para verem mais do que a "alegada agressão" que, apesar da sentença paroquial da CD na 6ª feira, o JN online relatava. Da mesma forma, a Judite de Sousa que 2ª feira ouvia estarrecida o professor Paulo Morais e o rezingão Medina Carreira porta-se como ignorante, a 14 ou 15 mil euros mensais, como se nunca tivesse ouvido falar de um gajo, ó Judite, ó Judite, que entrevistou com o inenarrável Zé Alberto, ó Zé Alberto, Carvalho, convencidos de que o cabrão não tirara um diploma ao domingo e que não engavana o País e a FP em 2009 com o aumento de 2,9% quando o País já pedia emprestado para sustentar a chulice do Estado e a farsa chuchialista de enganar para se manter no Poder. Depois é só abrir a cloaca do Chulares, o maior beneficiário da democracia de merda que apoia quando no poleiro, ou a sua família de penduras, com a sua excelsa mulher também senhora de uma Fundação para sacar algum que só descobrimos agora e por isso o Governo é uma merda: a cara de cu do regime sempre exposto pelos maiores vigaristas pós-revolucionários! A cair de velho, dizem que voltamos a ser como crianças e o Mário Chulares revive os fanáticos momentos de esquerdista extremo ansioso por se aliar ao PCP apesar do emblema da rosa na lapela, mas o pós 25/4 e o PREC parecem estar de volta com o libertinismo desregulado e as meninas ardentes por terem um fósforo e um bidão de gasolina. Pobres almas, sempre as mesmas. A Troika também havia de cortar os apoios às fundações dos afundanços Soares, mas deve ter sido por isso que o caquético não saiu à rua no sábado, instiga nos corredores e gabinetes enquanto deu folga ao motorista e poupou gsolina no popó de luxo cujas multas por andar a 200Km/h deixa para "outros pagarem" (como na ida à Católica no Porto, no início do ano)...
 
Não aprenderam e vamos continuar a ter mais do mesmo. Na Política e no Futebol. É o Portugal moderno, imbecil e perdido que os nostálgicos do tachismo estatal e subsidiadismo-pedinchice salazarento de outros tempos, de gente de outrora e do venha a mim o vosso Reino e o Diabo para os outros. Os burros nunca mudam, não é?
 
Não li nada em concreto sobre a extensão do castigo a Luisão, do qual nunca duvidei por muitos artefactos informativos usados como no velho regime que quer sempre esconder os vícios privados para usufruir das públicas regalias que todos pagam. Mas ainda espero que a FIFA agrave em 50% a sanção, para voltar a cobrir de merda os justiceiros tugas, a opinadeirice paneleira e o bafiento sentir lusitano circunscrito a Lisboa e saloiice adjacente. Este País mete nojo porque, apesar do esforço de muitos, ainda é dominado pelos pobres de espírito, vigaristas no fazer e canalhas no sentir e que continuam a ver o resto como paisagem.
Que a FIFA viesse a estender, natural, funcional, regular e racionalmente, a suspensão de Luisão à cena internacional andou aí escondido, apesar de admitido, entre o wishful thinking da mentalidade serôdia e a crescente razão da impunidade em que vive o clube do regime patente no atirar do lixo para debaixo do tapete tuga.
 
O que quer dizer que, além da crise que se sabe, temos crise porque o Sporting não ganha e culpa o árbitro por uma falta que por acaso deu golo, crise porque o Luisão não escapa às malhas da Justiça que em Portugal se diz serem largas para os "poderosos" e não acabou num espúrio "serviço comunitário" - mas, felizmente, crise porque o FC Porto ganha.
 
O resto é para parolos se entreterem, como têm feito, nas pantalhas e na blogosfera.

Chamaram-me a atenção para a forma de três medíocres se chamarem por si mesmos.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. "A verdade é como o Sol. Ela permite-nos ver tudo, mas não deixa que a olhemos."

    Victor Hugo

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar