24 março 2010

O ogre*


A TSF noticiou, em directo da sede da FPF, que as penas a Hulk e Sapunaru mantinham-se. Foi em directo, pelas 2 e pouco da tarde, ouvi no rádio do carro e a reunião do CJ tinha terminado havia uns minutos. Só pelas 15.30h, ainda na TSF, voltei a ouvir novas sobre o assunto, já com a despenalização muito severa (passe o paradoxo) que passou um castigo de 4 meses para 3 jogos e outro de 6 meses para 4 jogos.


É tão boa altura para, quem quiser, se questionar sobre isto das fontes inquinadas que traem mais depressa o jornalismo feito em directo, como perguntar-se como, com base na Lusa citando uma fonte portista, a rádio corrigiu a informação, sendo que o FC Porto, apesar de um director de comunicação e um administrador formado em Direito e responsável pelo Contencioso do clube, nem uma notícia pequenina deu ainda, às 18h, no seu site oficial.

Para quem não tem reparado, consulte (perdendo tempo) ou não o site do FC Porto, a Lusa tem veiculado as principais notícias do futebol portista, além de outras de grande relevo como nunca a agência teve em matéria desportiva. A agência noticiosa tem feito um trabalho extraordinário de decência informativa e independência editorial pelo menos no Desporto, que nem o Benfica (cedo com ameaças, retaliações no Seixal e até individualizadas num novo editor em Lisboa cuja redacção chegou a ser invadida por duas dezenas de "apoiantes do líder" à procura do homem a quem bater) conseguiu, desta vez, minar.


O grande Eça pedia umas bengaladas como correctivo social e o Manuel Machado usaria o pau de marmeleiro, mas esta, 36 anos depois do 25/4/74, transformou-se na República dos Filhos da Puta, dos políticos de merda em maioria absoluta no Parlamento aos directores de jornais, rádio e tv's nas comissões de ética que lá foram mentir (ver http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1526505) com todos os dentes, já nem vale a pena explicar a noção de justiça que ainda devia residir no espírito do homem comum e, tragicamente, abandonou as alegadas elites que atingiram cargos de topo, da justiça à economia, do futebol à política.

Querer comentar a espantosa transfiguração das penas a Hulk e Sapunaru não é mais uma "questão de semântica" como a alegada pelo ministro das Finanças para contrapor se há ou não aumento de impostos. Mencionar, como fez a Liga através de uma fonte não identificada, que a justiça desportiva funcionou , com vencimento na instância de recurso à sua decisão de primeira instância, enferma do mesmo mal que afecta o País: não ter noção de decência, de justiça nem de Estado. E não é questão de semântica considerar os ARD's elementos do jogo ou não, o que transfigura o crime em causa e justifica a sanção virada do avesso, como não é dignamente considerado um campeonato viciado desde a 1ª jornada por casos de arbitragem favorecendo um só clube e aviltado por decisões disciplinares que arrasaram os principais concorrentes desse clube "eleito" para ganhar a prova com o desplante de permitir-se o mesmo patrocinador à competição e ao putativo "campeão".

Obviamente, ficam as palavras sábias e o exemplo triunfador que aqui respiguei do Público no dia 4, há 20 dias portanto, em que o professor Costa Andrade arrasava de novo o aprendiz de feiticeiro da CD da Liga assistente de Direito em Coimbra:

"Não acordaria o panglóssico presidente da Liga do seu sonho de acreditar que deixa atrás de si um futebol credibilizado. Um dia esse sonho há-de converter-se em pesadelo. Será no dia em que as intempéries vindas dos tribunais desabarem sobre as primícias acrisoladas da credibilização devidas à sua CD. Até lá, há direito ao sonho. De mais a mais, quando o pesadelo chegar, já lá estarão outros a enfrentá-lo".

Mas isto acontece, já com Hulk a cumprir 6 vezes mais jogos de suspensão do que devia, na altura de fim de ciclo desta malfadada Direcção da Liga, em que o taberneiro desta tasca mal frequentada voltou, a propósito de terceiro final no Algarve não obstante reclamar falta de apoios de entidades locais que afirmaram nunca terem sido solicitadas para tal, a auto-elogiar-se, como fazem os cabeças-de-cartaz desses tentáculos do polvo na Arbitragem e na Disciplina, acreditando ir deixar a presidência com o futebol "mais transparente e credibilizado". Como se não bastasse o fracasso total da taça da treta que ainda perdeu espectadores de uma época para a outra e mais um ano de regulamentos estapafúrdios também só resolvidos em sede de recurso na FPF (a questão das idades entre Portimonense e Académica).

Este ogre, que como secretário de Estado do Desporto não resolveu um mero diferendo entre a FPA e a Liga de andebol, tem o prémio de credibilidade que merece, atestado por mais esta pantufada na seriedade e competência de todo um elenco que, como só um clube beneficiado o fez, mereceu amparos e elogios de quadrantes mediáticos identificados com o regime. Não faltaram, nos últimos tempos, mensagens em notícias ou sem nome ou com os de directores de merda na Imprensa lisbonense, sobre uma vaga de fundo para a recandidatura do tasqueiro. Alardeou-se, na propaganda, que uma maioria de clubes, nunca vislumbrados, apostava na recondução do taberneiro desta espelunca com shrecks e figurantes mais estrambólicas do que num bar intergaláctico de "Star Wars", com as formas mais esquisitas, hediondas ou simplesmente cómicas que George Lucas imaginou.
Afinal,
- o Governo andou de PScândalo em PScândalo (este é só o último no http://www.ionline.pt/conteudo/52304-viagens-ines-medeiros-eu-e-que-nao-as-pago), manipulando a informação com os "comissários políticos" face a jornalistas de pacotilha, da mesma forma despudorada como revirou as leis penais e amordaçou a Justiça politizando cargos com bananas como o PGR: e apertar o cinto aos tugas distraídos com as merdas dos futebóis até dar o aumento eleitoral da praxe que ainda lhe garantiu a reeleição; também já não escapa ao detector de mentiras em que uma pleîade de opinadores de merda arregimentados (especialmente na RTP que não pode ser privatizada porque dá prejuízo e ninguém se incomoda com a contribuição para essa institucional fraude) lhe faz a corte aparando os enganos.
- um presidente da República temente de extravasar alegadas limitações de competências tanto como receoso de, para além da cara de vómito, exercer a sua "magistratura de influência" acima dos discursos politicamente correctos de circunstância.
- a Liga a "fazer as coisas por outro lado" como era suposto também em fim de regime só a tempo, agora, de queimar as provas comprometedoras, está para perder a Disciplina e a Arbitragem pelo Novo Regime Jurídico das Federações Desportivas e é o legado fantasmagórico que deixa, não a credibilidade apregoada e só defendida pelos basbaques e pascácios antiportistas primários, com um tasqueiro do alto do seu cadeirão e uma tosca coroa de alhos em vez de ramos de oliveira, igualmente incapaz de pôr ordem e impôr decência a tal espelunca.

- no clube de quem se fala mas nestas coisas nunca se fala, bem vistas as coisas, diz tudo com a declaração do ex-condenado "por furto ou instigação ao furto": quer perpetuar-se no clube enquanto critica que outros o façam há décadas; acaba de impor fortes limitações a candidatos a presidente no clube que também se acha o mais democrático; e garante evitar "oportunistas" - só ´para quem não lembra ou sabe como foi a passagem de testemunho do Vilavinho para o Videirinho, autêntica sucessão dinástica à revelia de acto eleitoral mas que serve aos grunhos para opinar sobre a presidência de clubes rivais.

É como, enfim, compor o ramalhete dos manhosos de perguntar-se como Bruno Alves só uma vez foi expulso em 4 campeonatos, mas não evocar como Luisão ou David Luiz nunca o foram no mesmo período de tempo. E referir que a dita expulsão resultou de uma cabeçada a Nuno Gomes, cara a cara e em pé, esquecendo agressões gratuitas a adversários no chão só mereceram amarelo num jogo recente com o Nacional.

Estão, por isso, bem uns para os outros. É o que há. E o que é. Infelizmente, nada.
actualizado (22.50h)
* - parece que se demitiu; sabe-se lá porquê se até aqui deu a cara pelos pândegos, os bêbedos e os caídos da tasca. Um vintém é um vintém, um cretino é um cretino e um cobarde é um cobarde, por acaso com um risível blog de ninharias e vacuidades próprias de uma careca rapada de ideias: no blog que mais não é, literalmente, que "4 linhas", o ogre ufanava-se há dias por retomar a escrita inútil e descabelada, punheteira de elogios baratos e rara de emoção, alegando que não se calava e responderia a todos e qualquer um, aqui http://www.4linhas.com/2010/03/15/de-regresso-2.html
Tentei, entretanto, meter aqui o comunicado/reacção da SAD
mas como não domino sequer estas tecnicalidades já apaguei o que tinha escrito a seguir e é mais ou menos assim:
Do jogo em Vila do Conde, sem extremos e sem arriscar o 4x4x2 (tendo a abundância de Farias e O. Sá à disposição), Jesualdo preencheu o meio-campo onde os locais costumam ser numerosos; mas os muitos médios andaram em passos trocados e não se fez um bom jogo nem pela maior proximidade das pedras no sector, deixando Falcao bastante desapoiado; e então aquele triângulo das Bermudas à direita, Fucile, Guarín e Belluschi, depois rendido sem eficácia nem lustro por T. Costa, falhou passes, descoordenou-se, cometeu erros e contribuiu para uma equipa manca compensada pela forte canhota com Álvaro, Meireles e Ruben M.
Da arbitragem, não se mostram destes amarelos a jogadores do Benfica de resto poupados a vermelhos directos por entradas a matar desde a 1ª jornada com o Marítimo e este paradigma da arbitragem foi assim desde o início e ainda vale para penalizar o FC Porto.
Da SportTV que tem recebido reclamações do jagunço, pois o ogre que quis vislumbrar mais do que atacantes em linha um fora-de-jogo rigorosamente por milímetros no 3º golo portista é o mesmo que não viu um alegado penálti sobre David Luiz bem fora da área (e com linha visível para distinguir) na Choupana, mas como as arbitragens os comentários e os relatos têm sido assim desvirtuados e os outros é que se queixam.
E a tempo:
Para aqueles mais distraídos, na contabilidade dos castigos de Hulk e Sapunaru, anotem que, com a paragem de Inverno do campeonato romeno, o defesa perdeu menos jogos e ainda tem 11 jornadas para disputar até ao final com o Rapid em 7º lugar mas apenas a 5 pontos do líder Cluj...

47 comentários:

  1. O "ogre" parece k apresentou a demissão... Ainda lhe restava alguma decência pelos vistos...Esperamos por si Dr. Ricardo Costa...Mas com entrevistas a RTP, SIC, TVI e SPORTTV a explicar as razões de tanta incompetência...

    ResponderEliminar
  2. O Herminio Loureiro já abandonou o barco, falta o pavão vermelho.

    ResponderEliminar
  3. Amigo Zé Luis.

    100% de acordo.
    grande post.

    Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. A lusa não merece assim tantos aplausos. Há dois dias, numa notícia sobre sete No Name Boys que foram detidos em Espanha, escreveu "sete adeptos de uma equipa portuguesa que tinha jogado em Marselha"...

    ResponderEliminar
  5. O tasqueiro demitiu-se!Já não era sem tempo!Não vai demorar muito tempo a que apareça uma vaga de fundo a pedir que o tasqueiro de Oliveira de Azemeis reconsidere e se recandidate!E vamos de certeza vêr na linha da frente desse movimento o Rui Santos,o Vieira,o realizador de cinema,a Leonor e Botelho,a Biblia da Bola de do Record!
    Saudações Portistas!
    duck

    ResponderEliminar
  6. Boas

    Estranho, CJ baixou drasticamente castigos de Hulk e Sapunaru.

    Veja e dê a sua opinião:
    http://oladodofutebolquenuncaviram.blogspot.com/2010/03/estranho-cj-baixou-drasticamente.html

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. O Benfica controla a CD da Liga eo FC Porto controla o CJ da Federação. Está bonito o futebol português sem réus nem vítimas. São todos iguais.

    Saudações

    ResponderEliminar
  8. Já lhe dei os parabéns pela sua escrita e lucidez no comentário que fiz no seu post anterior mas quero dizer-lhe ainda mais.
    É incrível, tanto neste como no anterior post, o quanto tão aproximadamente escreve o que eu penso, até chego a pensar que deve ser telepatia. Começo a ler e vou logo em 2º plano de pensamento lembrado-me de outros certos assuntos relacionados com o que estou a ler e pensando "também era interessante que se falasse em ...etc..." e não é que mais à frente no texto lá está escrito esse pensamento que tinha feito antes ao ler as tais partes que me lembram algo.
    Ou é telepatia ou temos os mesmos valores e conceitos sociais.
    Muito e muito obrigado pelos seus artigos.

    Agora estou é ansioso para ver os resultados práticos desta decisão de convolar a condenação dos 2 jogadores do FC Porto.

    ResponderEliminar
  9. ""sete adeptos de uma equipa portuguesa que tinha jogado em Marselha".

    C., foi por pudor e ser dia santo na paróquia...

    Adolfo, o dj duck nem nos acompanha nem lê tudo o que escrevo, pois a vaga de fundo já houve, não vai haver...

    Félix, este CJ teve o presidente nomeado pelo Madaíl, como deve saber, na sequência do golpe palaciano dos falhados do regime anterior no 4 de Julho de 2008.

    Mais, Félix, que os grunhos devem saber: este CJ tem aquele pacóvio (não lembro o nome) que já foi retratado em vídeo a dar vivas ao Benfica numa casa em Palmela.

    Só os grunhos, Félix, dizem tanta asneira, repetem tantas falsidades como se todos fossem estúpidos para vos levar a sério e considerar como bem informados.

    ResponderEliminar
  10. Hoje viu-se, após a reposição da verdade, agora oficial, que a nossa equipa se transfigurou, qual suspiro de alívio da transcendência em que se sentia amarrada. Vê-se agora que, como qualquer ser humano que se sente fragilizado perante as injustiças do poder reinol, também a equipa do F. C. Porto se abatia, quão miserável eram os ataques, tendentes a desmoralizar, diante da apatia geral, atendendo ao despudor a que chegaram as instâncias do poder desportivo do pais, fazendo fretes sucessivos ao clube do regime e à arrogância do mafioso Luís Filipe. A nossa Direcção, a SAD do futebol do F. C. Porto, o gabinete jurídico do FCP, seja como for, têm de fazer tudo para impugnar este campeonato dos túneis da Liga. Podem dizer que legalmente eles, os do regime dos vieiras, costas, hermínios, etc. têm tudo planeado, mas não podemos nem devemos cruzar os braços. Não chega pedir indemnizações, nem muito menos contentar-nos com vitórias morais, tem de se lhes dar uma verdadeira lição, aos mafiosos e corruptos. E, já agora, também, devem tentar reforço com o clube romeno a que foi emprestado o Sapunaru, outro lesado, o qual pode fazer mossa através da UEFA e FIFA, visto não ter podido utilizar o mesmo atleta este tempo todo. Mais, seja COMO FOR, E POR QUE MEIOS, DEVEMOS FAZER TUDO PARA LHES ESTRAGAR A FESTA QUE TÊM PLANEADA, RECLAMANADO DE MODO A QUE NO FINAL DA PROVA DA LIGA NÃO POSSA HAVER TÍTULO OFICIALIZADO… ficando pendente do recurso de impugnação apresentado pelo F. Porto…!!!
    Armando Pinto
    http://www.longara.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  11. o Campeonato 09-10 vai ser vencido nos Tuneis e com as toupeiras do LFV.
    Eis a transparencia no futebol portugues que tanto apregoa.
    Este sim é o inicio de um ciclo de roubos e de arbitragens desonestas e anti-FCP.
    Pelas minhas contas, com arbitragens em condições estaríamos a lutar pelo titulo - nós com + 5 pts e os de LX com - 5 pts!
    Se o Hulk tem jogado neste jogos, teriamos perdido em alavalade, empatado com o olhanense ou com o Leixões ?..não sabemos!
    o estado de espirito no balneario, a pressão e a revolta pela injustiça, não terá infuenciado o nosso rumo, independentemente das burrices do treinador?

    ResponderEliminar
  12. Regresso com qualidade, outra coisa não seria de esperar do Zé Luis, este país de ogres nunca irá acabar, porque atrás dum herminio e r. costa outros ogres surgirão

    ResponderEliminar
  13. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  14. Imagino o que seria se o CJ não tivesse caído na real... Não havia recurso a uma decisão completamente anti-constitucional.
    E quem discorda, aprenda direito. Não há nada que saber.

    ResponderEliminar
  15. Mais uma vez... excelente Zé Luís!!!

    Assim como, faço o apelo para fazer como minhas, as palavras do Adolfo Dias!!!

    1 - Peço-te encarecidamente, para que não abandones este excelente blog.

    2 - Em relação aos 7 jovens... apelo para que façam como eu.

    Assunto: Jornal das 7 - SIC-N

    Boa tarde

    Ontem (21/3), qualquer adepto que ostentasse um adereço da côr azul, era um Super Dragão!

    Hoje (22/3), sete jovens que terão assistido ao jogo em Marselha, estão detidos em Espanha!

    Jovens???

    PERCEBEM???

    Não estou a desculpabilizar uns e a condenar outros. Apenas a demonstrar a vossa falta de isenção e profissionalismo!

    Cumprimentos,

    Armindo Paulo, Vila do Conde


    3 - Apelo a que os sócios Portistas (ao contrário do que pensa o Dr. Gil Moreira dos Santos) pressionem de todas as formas possíveis a SAD do F.C. Porto a apresentarem uma fundamentação jurídica, tendo em vista a impugnação desta Liga Túnel!
    Eu assim o irei fazer, com a minha única forma de pressão possível. Ou seja. Ou o fazem, ou não procederei à renovação de 4 Dragon Seat's!!!

    Cumprimentos e nunca abandones as tuas convicções Zé Luís.

    Armindo Paulo

    ResponderEliminar
  16. Este nome, Ogre. Ja uma vez tinha reparado que o animal era parecido com o Shreck mas nunca me tinha lembrado este do "Ogre". Como me rio.

    Texto fabuloso.

    Este monte de banhas nojentas, e o outro pau de virar tripas emproado sao os testas de ferro de uma estratégia que a direcçao do Porto "deixou" montar quando se alheou de tudo ao seu redor. Tudo menos o dinheiro, a jorrar para os bolsos dos admnistradores.

    Com tanta passividade e inclusive entrevistas em plena "pré-época de amadores" a constatar uma evidencia que so o entrevistado poderia constatar (para todos nos aquilo era surpresa - para quem nao se lembra, estou a falar da entrevista derrotista de um elemento da SAD ainda antes do inicio da época), qualquer ogre tinha sido campeao.

    Sera que isto esta tudo feito? Nao pode ser... Senao os jogadores nao teriam dado a cara isolados da forma que fizeram.
    Sera que a direcçao por qualquer motivo deixou que as coisas escalassem propositadamente (sem avaliar as possiveis proporçoes da desgraça)? Sera isto possivel?

    Ou sera apenas incompetencia? Que é de resto visivel na falat de estratégia de comunicaçao.

    Tanta incompetencia por parte da direcçao e da equipa técnica parecem demais. Demais para ser verdade.

    Estamos perante incompetencia ou proposito?

    Sinceramente ja nao sei.
    O que sei é que a realidade vai ser muito diferente no proximo ano. Nao vamos ter jogadores excluidos durante 15 semanas nem tanto sul-americano, nem tanta comissao e, espero eu, nenhum condutor de tractores com um Ferrari nas maos. Haja Ferrari.

    ResponderEliminar
  17. Zé Luis,

    O país continua igual e esta decisão "pirrica" não vai trazer consequências graves: Hulk poderá jogar os seis ou sete jogos que restam mas se o Braga nao tropeça bastantes vezes, a sua presença torna-se inconsequente. Duvido que Dunga o chame agora para o Mundial, pelo que o mal está feito.

    A possivel indemnizaçao pedida pelo clube à liga será com base nos salarios e premios de jogo dos jogadores e nunca ultrapassará os 3 milhoes. Uma ninharia que talvez nunca seja paga.

    A demissao do Loureiro e, previsivelmente, do imbecil do Costa, nao sao nada de novo. Os mandatos estao a 2 meses de terminar e limitam-se a poupar-se a queixas e trabalhos enquanto se preparam para os novos tachos.

    A principal conclusao de tudo isto é que Fernando Gomes será eleito presidente da Liga. O FCP conseguirá os apoios necessários entre os clubes da 2nd e alguns do primeiro escalao (como o Braga, Maritimo, Olhanense ou Guimaraes) e apesar da falsa-informaçao do site e da misteriosa saída do Gomes da SAD, fica-se a perceber o lance. Com FG a presidente da Liga para o ano o SLB sabe que fica sem a mama dos sumarissimos, das suspensoes poupadas aos seus caceteiros e sem os tuneis amigos. E o FCP sabe que, no minimo, nao voltará a ser prejudicado. A indmenizaçao final será "poupada", todos ficam amiguinhos e para o ano lá volta o PdC a dedicar o titulo ao Pedroto.

    É um regime podre até à medula, favoreça quem favoreça. E no final todos ficam felizes e contentes. Os cabroes de Lisboa com o titulo para o qual tanto se endividiram e que nao voltam a cheirar nos proximos anos. E o FCP com um presidente da casa que garante que nao ha sarilhos nos proximos 4.

    um abraço e parabens pelo post.

    ResponderEliminar
  18. Soren, incompetência ou propósito essa é boa, mas embora as admita como plausíveis e nunca duvidando do pior nem temendo o mais inverosímil, pelo que a experiência me diz, dou crédito limitado a teorias da conspiração.

    Miguel, da mesma forma, nunca tenho certezas absolutas de nada e, com o que vejo, começo até a duvidar de mim próprio, sem pretenciosismo filosófico. Não sei se é como dizes, se está tudo preparado, como estaria antes, se a SAD conseguiu ser campeã 4 anos com o AD e agora deixou de ser por ser o fim de ciclo da Liga, o fim de linha do despautério, o fim da vergonha... cinco anos depois do mesmo filme de compadrios e nepotismos a dar o título para o clube do regime não morrer.

    ResponderEliminar
  19. Armindo Paulo, não restam muitos a defender as suas convicções sem estilhaçar a moral, os bons costumes e uma decência intelectual que emigrou das elites e abandonou o jornalismo partidarizado no futebol.

    Ainda bem que está explícito, porque duvidava o que seriam os 7 jovens: anões, virgens no Paraíso muçulmano ou brancas de neve?

    Ah, são saloios. O costume.

    ResponderEliminar
  20. Zé Luis,

    No meio de toda esta podridao nunca saberemos realmente nada. Pode ser, pode nao ser. As datas quadram perfeitamente, a postura da SAD desde o Verao foi, digamos, no minimo curiosa, e a falta de reaçao estranha. As supostas desavenças internas com o F. Gomes, o posterior comunicado e agora a candidatura surpresa e que provavelmente vencerá é demasiado rebuscada para ser um fruto do acaso. Nao estará o FCP mais tranquilo sabendo que durante 4 anos o Presidente da Liga seja, no minimo, imparcial? E nao está o clube do regime satisfeito por dar finalmente um titulo á ralé, dinheiro a quem deve e assim calar as criticas internas e aqueles que condenam o seu modelo de risco? E nao foi R.Costa, H. Loureiro e V. Pereira a mesma equipa que até agora, apesar de prejudicar o FCP (sumarissimos dixit) nunca colocou tao em causa a verdade desportiva de uma competiçao?

    Decisoes quando tudo está decidido, demissoes quando já nao importam, candidaturas que caem dos céus como maná aos pobres...como bem dizes, como há 5 anos a vergonha repete-se...ciclicamente! E no fundo todos ganham.

    Em Portugal já acredito em tudo. Teria vergonha de que assim fosse. Mas há tantas coincidencias para também acreditar que tudo isto é também uma pura coincidencia.

    um abraço

    ResponderEliminar
  21. Miguel, chapeau! Que mais posso dizer? Faz todo o sentido, está devidamente estruturado e eu tenho plena consciência que é assim, não ando distraído e não me surpreendes com os factos sumamente discriminados.

    Embora eu mesmo tenha achado plausível a destruição das Torres Gémeas por dentro, aceitando a plausibilidade da chamada teoria da conspiração, neste caso não vejo que, como presumes e deixas entreler e entreter, o Porto tenha abdicado do título. Foi massacrado, é verdade e até aduzo que, por incrível que pareça, aquela cena do túnel já vivida em 2008 e calada só dá azo a que se especule como o FC Porto permitiu-se cair na ratoeira em 2009.

    Mas, ao menos, devia estar garantido o 2º lugar. E não está. A não ser que o Olarápio faça alguma coisa no sábado à Luz da vel(h)a protecção ao clube do regime.

    Este facto disciplinar e um roubo ao Braga no próximo jogo será determinante para os bimbos da tv unicolor acharem - porque em Portugal são todos achadistas - que é tudo para... beneficiar o FC Porto.

    O que eles querem sei eu.

    ResponderEliminar
  22. Aliás, a concluir a essência do post, o Governo clamar contra as agências de rating que penalizam o crédito externo de Portugal cobrando mais juros pelo dinheiro adquirido lá fora é o argumentário imbecil, indecente, indecoroso e impróprio de quem~não reconhece as culpas próprias e, por muito que esperneie, não muda nada para quem vê de fora.

    É o mesmo, verdadeiramente o mesmo, e tudo isto resume a filosia vigente do salve-se quem puder e os arregimentados que propagandeiem a coisa, como dizer-se que esta decisão do CJ só é possível - e lícita, já agora, além de justa e medianamente clara - porque não se considerou os stwardes como intervenientes no jogo. Precisamente o argumento que se apontou para a interpretação da CD e logo se deu conta de que as lágrimas de crocodilo do Bosta da Liga valiam o que valiam, nesse show-off deplorável de santo de pau carunchoso, porque ele bem podia ir pela via mais consensual, menos polémica e mais justa.

    Mas isso era se fosse possível, porque um juiz, um tribunal que julga e condena um Vandinho por uma queixa de um alegado ofendido sem prova alguma a não ser as testemunhas de defesa mas sem suporte de imagem a comprovar, é um filho da puta que não tem escrúpulos. Logo, a fazer o que podia teria de ser pela via mais grave e isso já ele intentou no Pìfio Final mas a cinco meses do prazo foi avisando os amigos pela Imprensa do regime que nada havia nas regras a contextualizar o crime de despromoção à data dos factos constantes nos autos.

    E bate tudo aqui. Só os bimbos não percebem como isto está encadeado.

    ResponderEliminar
  23. E que melhor exemplo do que o porco exercício de demissão no arauto da verdade e transparência e credibilidade que antes de ser eleito tinha todos os apoios menos um e depois tem o apoio de um menos o de todos, porque a vaga de fundo foi mais uma manobra dos amigos de Peniche e mais a sul...

    ResponderEliminar
  24. Surprise!!!

    Não é o Olarápio, mas o sócio Proença.

    ResponderEliminar
  25. Para se ter uma ideia do que é exercer justiça, aceitando dúvidas, sem ocorrer qualquer crime de sangue que justifique interpretação mais "pesada", eis o essencial:

    "O acórdão do Conselho de Justiça relativo aos castigos de Hulk e Sapunaru confirma que o organismo enquadrou os stewards na categoria de público, o que levou à redução drástica da pena dos jogadores do F. C. Porto. A Comissão Disciplinar tinha enquadrado os assistentes de recinto como intervenientes do jogo.

    E o que levou o CJ a considerá-los membros do público? «Afigura-se-nos que serão [intervenientes no jogo], além dos delegados dos clubes e demais pessoas que desempenham funções no quadro das equipas em confronto (treinadores, massagistas, médicos), o director de segurança, o director de campo e o delegado da Liga», diz o acórdão, citado pela Lusa. O CJ defende que «estes são realmente os intervenientes, onde não se incluem os ARD [assistentes de recinto desportivo]», pelo que «só resta a possibilidade» de os enquadrar na categoria de público.

    O próprio organismo admite também que a decisão não é «satisfatória»: «Não é muito líquido ou satisfatório o enquadramento, mas conduz a uma punição sem excesso (a injustiça do critério adoptado pela CD é pela mesma reconhecido)».

    CONDUZ A UMA PUNIÇÃO SEM EXCESSO.

    Não era o filho da puta da Bosta da Liga que achava ser uma sanção DESPROPORCIONADA?

    Levou com um cagalhão na tola e o ogre demitiu-se.

    Isto é justiça. Não o arbítrio só a cargo dos filhos da puta. E, aqui, há alguns entendidos e muitos jornaleiros de merda que infestam o panorama da desinformação generalizada.

    ResponderEliminar
  26. Zé Luis,

    Precisamente. Os adeptos cegos acham que as demissões, as multas e tudo o demais é uma vitória face à imoralidade de toda esta merda que se chama justiça portuguesa, desportiva ou nao.

    E nos bastidores, onde tudo se permite, até que um presidente da Liga seja candidato à camara que apoia financeiramente (e muito) um clube que, precisamente, actua na liga por ele presidida, nao ha nada de novo. Há 5 anos os lampioes foram campeos na ultima jornada, empatando, e depois de meses de roubos de igrejas persistentes a que o FCP respondia com tropeçoes ridiculos e tiros nos pés inexplicaveis. Este ano vivemos exactamente o mesmo cenário. Tuneis sempre houve, suspensoes tambem...mas a reacçao, essa, é como o algodao. Nao engana.

    Para o ano com o Fernandinho na Liga a preparar-se para suceder ao PdC, está garantido que tudo volta à mesma. O Benfas entretido na CL armado no maior do Mundo, o FCP a ganhar a liga e todos amiguinhos outra vez entre os BES, a Super Bock e Sagres de turno, a TMN e todos os patrocinadores que partilham os tres como quem vai ao bordel partilhar da mesma colheita de seiva nova.

    É vergonhoso tudo isso e no entanto ninguém parece estranhar que o dinheiro dos 3 venha e vá para os mesmos sitios. Que o FCP, outrora simbolo do Norte, tenha alinhado nesse jogo financeiro das SADs, patrocinadores das empresas que mais chulam os portugueses e nos compadrias dos apitos, seja de que cor seja. Podes ter razao no aspecto de que a SAD pode nao ter renunciado de forma clara, mas convenhamos que desde a pré-época às vendas, do silencio à solidao de Jesualdo, tudo deixa antever que a mulher de césar era muito pouco séria para estas filhas da putices.

    O adepto comum nao vê, vai ao estádio, assobia ou cala, indigna-se com os foras-de-jogo ou os penaltys por marcar. Mas tristemente, hoje em dia um penalty ou um fora de jogo é o menor dos problemas que tem uma equipa, o menor dos roubos. O resto está tudo cozinhado entre mariscadas e charutos. E nós prá aqui a preocuparnos

    um abraço

    ResponderEliminar
  27. Caro Zé Luís:tudo o que está escrito e posteriormente comentado por si,é,simplesmente,notável.Pese embora,seja sòmente um pormenor,não devo deixar de o alertar para num seu comentário onde afirma : "Mais, Félix, que os grunhos devem saber: este CJ tem aquele pacóvio (não lembro o nome) que já foi retratado em vídeo a dar vivas ao Benfica numa casa em Palmela." Ora,tal afirmação poderia confundir se não fosse corrigida.Assim esse cavalheiro que cita é sim o presidente do Conselho de Disciplina da FPF,de seu nome Arnaldo Marques da Silva,natuaral de Lisboa e com curso de direito tirado em Coimbra,possívelmente,colega do lampião de Canelas e curiosamente dá aulas aí no Porto a convite da universidade lusíada...
    gente condescendente,os tripeiros!
    Para concluir, o actual conselho de justiça,eleito sob a égide do lampião merdaíl,após o encomendado parecer ao pai do doente e escrevinhador lampião domingos amaral,e que o tribunal administrativo de lisboa já cilindrou e cujas consequências do golpe do jantar dos malfeitores carrajolas e afins ,ainda se encontram pendentes no Supremo Tribunal Administrativo e que brevemente irá,estou seguro,nova machada dos " julgamentos " sui generis desse "justiceiro" ajumentado de Canelas,é constituido por:

    Presidente: Joaquim José de Sousa Dinis, Juiz Conselheiro Jubilado;
    Vice-Presidente: Dionísio Alves Correia, Juiz Conselheiro Jubilado;
    1º Vogal: António de Sousa Lamas, Juiz Conselheiro Jubilado;
    2º Vogal: António Alves Teixeira do Carmo, Juiz Conselheiro Jubilado;
    3º Vogal: José Sarmento Botelho, Juiz Desembargador Jubilado;
    4º Vogal: Maria Dulce Reis de Oliveira do Couto Ferreira, Procuradora da República Jubilada;
    5º Vogal: Alexandra Paula Monteiro Pessanha, Assistente e Mestra em Direito Público;

    1º Suplente: Maria José Verde, Advogada;
    2º Suplente: João Simões Pipa Ávila, Notário Aposentado;
    3º Suplente: José de Sá Nogueira Saraiva, Advogado Reformado.

    Presidente

    Joaquim José de Sousa Dinis

    Joaquim José de Sousa Dinis, juiz conselheiro jubilado, nasceu em Marrazes, Leiria e é Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Foi delegado do Ministério Público nas comarcas de Ponta do Sol, Portimão e Torres Vedras. Em 1973, foi juiz de direito nas comarcas de Praia da Vitória, Angra do Heroísmo, Lagos e presidente dos círculos judiciais de Leiria e Coimbra. Em 1990, foi juiz desembargador no Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) e, em 1998, juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ). É presidente da Associação Cultural da Relação de Coimbra, vice-presidente da Associação Portuguesa de Escritores Juristas e do Círculo Cultural do STJ e ainda, membro do conselho consultivo dos Hospitais da Universidade de Coimbra e membro correspondente das Academias Petropolitanas de Letras e de Letras Jurídicas (Petrópolis). Jubilado desde 2001, reside em Coimbra.


    Cumprimentos e a esperança de o poder continuar,mesmo que espaçadamente,a ler as suas belas prosas.

    ResponderEliminar
  28. Ó Zé, tu bem te podes queixar que a gente não comenta, mas entre ti e o Miguel já não há mais nada a dizer...
    Saúdo que o continuem a fazer "nesta casa", porque ainda há aí muitos portistas a dormir...

    ResponderEliminar
  29. Sandro, excepcionalmente deixo passar este comentário não identificado. Por acaso até acho piada ao nickname e ganha pontos a seu favor.

    E deixo passar porque está justificada a rectificação, que agradeço. ão ligo aos nomes, nem sabia o do CD nem o do CJ da FPF e isso prova que não olho a nomes nem a pessoas, não conheço um e outro, nem sei se dá aulas aqui ou acolá.

    De qualquer modo, a este respeito e dualidade de critérios, lembro então, reforçando a tese, da sentença do CJ sobre o título de juniores conferido ao Sporting, depois da polémica decisão da CD, creio que foi assim, a esfregar as mãos como Pilatos na questão das pedradas e que levou, precisamente, à denúncia da situação do benfiquista de Palmela e isto não pode passar impune.

    ResponderEliminar
  30. Excelente post.
    Passo muitas vezes por cá, nunca comentei porque me revejo em quase tudo.

    Ninguem reparou na camisola com que o David "Sarrafeiro" Luiz se pavoneou depois do jogo da final da taça da cerveja?

    Depois temos destas "deliberações" do CD da Liga!!

    in Lusa, Terça, 27 de Outubro de 2009 às 10:02

    "Liga arquiva processo contra o Benfica por apoio ilegal a claques

    A Comissão Disciplinar (CD) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) arquivou o processo de inquérito contra o Benfica e o seu presidente, Luís Filipe Vieira , por alegado apoio ilegal a grupos organizados de adeptos.


    De acordo com a CD, o processo de inquérito surgiu « para averiguar o relevo jurídico-disciplinar da factualidade constante da certidão judicial remetida à LPFP, relativa ao inquérito criminal », em que vários elementos das claques do Benfica foram detidos.

    Contudo, a CD da LPFP arquivou o processo, não provando a existência de « eventual apoio ilícito a grupos organizados de adeptos por parte do Benfica e/ou do presidente do respectivo Conselho de Administração ».


    Ainda querem apoio mais descarado que este?


    Lusa, Terça, 27 de Outubro de 2009 às 10:02

    ResponderEliminar
  31. Henrique, essa denúncia foi feita em devido tempo, e creio que só aqui em exclusivo, e relembrado precisamente no post abaixo.

    Quanto à camisola do DL, foi a última coisa que vi sobre a final e já nos resumos avulso posteriores. Obviamente, anotei.

    Tudo bons rapazes.

    ResponderEliminar
  32. Bem, eu nao queria ir tao longe como foi o Miguel. Queria que os Portistas discutissem mais o proposito e a incompetencia e que cada um chegasse à sua propria conclusao. O Miguel encarregou-se de estragar a festa.

    Eu nao sei se partilho da ideia de conspiraçao. Ha tribunais a mais metidos no Apito Dourado. Mas sinceramente às vezes sinto-me muito inclinado a pensar que isto esta tudo feito.

    Mas como diz o Zé e bem, alguma coisa correu mal para estarmos em terceiro lugar. Isso certamente nao estava nas previsoes. Sera que o que correu mal se chama Braga? Sera que é so isso? é bem capaz de ser.

    Ja aqui ha dias peguei no caso Fernando Gomes e na sua ida para a Liga. Ninguém quis explorar isso. Nao ha um comentario sobre isso em nenhum blogue Portista. O Miguel encarregou-se de destruir muita da argumentaçao anti-conspiraçao?

    Portanto incompetencia ou proposito? Continuo dividido. Uma das duas certamente.

    ResponderEliminar
  33. Soren, acho natural o FG candidatar-se à Liga, acho que tem perfil e não me incomoda que o faça ou quem o apoie. Se faz parte de um plano, se a sua saída da SAD foi programada, se havia por detrás a intenção de ir para a Liga, com ou sem a conivência do FC Porto, nem me importa nem vejo que importância tem especular-se sobre isso.

    Uma coisa é um candidato. Outra um programa eleitoral.

    Lembro-me, e bem, que há 5 anos havia um candidato e andou por aí a apresentar o seu programa. Esse ogre, instado a comentar o caso, passou sempre pelo intervalo da chuva: nunca comentou o Apito Dourado que andava pelos jornais com a credibilidade que merecia.

    Aliás, esse candidato e ogre, até 2007 nunca comentou o caso. Até que, um jagunço que ameaça directores de jornais de lhes enfiar um jornal pela goela abaixo (24h) e invade programas de tv em directo, ameaçou que não participaria na taça da treta. Daí para cá foi o que se viu, nessa taça da treta e no resto.

    Agora, posto isto, diz-me o que entendes por ser um "candidato", que mal (ou bem) isso tem e que artimanhas estarão por detrás dele ou que intenções escondidas terá.

    Ando há tempo demasiado nisto para não perceber, como para perceber, deixar voar e deixar pousar.

    Nesta questão, ainda não apreendi o alcance das dúvidas a este propósito. Hoje mesmo, Rui Alves, que tem obra feita no Nacional, manifestou-se candidato igualmente, ele que chegou a querer competir com o ogre da última vez mas foi-lhe retirado o tapete pelo... major.

    Sinto coisas vagas e nada concretas a este respeito, pelo que nada se me oferece para que mereça um post.

    Se é para bem do Porto ou não, quero é que haja decência, coerência, justiça e que se actue sem medo nem para ser um capacho de jagunços. Não concebo que um presidente da Liga ou da FPF ou de outra coisa qualquer perca a sua independência, identidade e hombridade.

    De resto, com as competências futuras de volta à FPF (Disciplina e Arbitragem), a Liga só terá de se financiar bem, gerar receitas, proteger os clubes e gerir as suas competições da melhor maneira. Não é difícil, pelo menos para quem tem obrigação de saber da poda, como FG ou RA, mas não era o caso do ogre que está de saída.

    ResponderEliminar
  34. Não podemos deixar que a nossa sede de vingança nos limite a plenitude, nem a magnitude da nossa resposta. Não podemos deixar que a nossa sede de vingança se vire contra nós...é altura de serem eles e só eles a sofrer.

    Impugnar o campeonato é a minha vontade, mas não acho que seja o mais inteligente. Primeiro, porque iria dinamitar todo o futebol português, não só o clube do REGIME, segundo, porque sabemos bem o quanto implacável é a UEFA nestes casos e como nos podem forçar a uma ausência das suas competições. Além do mais, queiramos ou não, não é possível fazer prova entre a decisão da comissão disciplinar e o clube do REGIME. Todos sabemos quem patrocina e promove esta liga, todos sabemos quem beneficiou desta jogada, todos sabemos que queria ter “lugares na liga”. A ligação moral é óbvia, mas não é materializada em prova.

    O que eu acho que deve ser feito é uma estratégia fria e inexorável. Primeiro, elencar uma série de pareceres e estudos que demonstrem o que toda a situação implicou, quer ao clube (nas suas receitas de bilheteira, angariação de patrocínios, projecção internacional, prestígio, DESVALORIZAÇÃO dos activos, possível acesso à Champions, salários pagos a funcionários impedidos de exercer a sua profissão por agentes externos, possíveis transferências canceladas, a demora da decisão em primeira instância, danos morais no grupo de trabalho e nos atletas, etc.), quer aos jogadores (danos morais, impedidos de exercer a sua profissão, perspectivas de transferências canceladas, desvalorização no mercado, perdas salariais por prémios de jogo e de objectivo Champions, imagem, etc.). Segundo, elencar ponto por ponto as falácias jurídicas montadas pelos decisores, demonstrando cabalmente como se tomou uma decisão propositadamente errónea e de forma fria (relembro que entre o jogo e a decisão passaram mais de dois meses) e, uma vez mais, juntar pareceres jurídicos que demonstrem a propositada má arquitectura da decisão. Terceiro, elencar todos os artigos de opinião, pareceres, e outros que em todo o processo chamavam à atenção para a forma VIL que o processo estava a ser conduzido.

    Após isto, exigir uma indemnização apropriada e AJUSTADA (e não ter piedade nos números. Isto é uma indústria! Futebol gera e movimenta muito dinheiro) por todos estes danos, em tribunais desportivos (TAS) e civis, à instituição que superentendida o órgão decisor de tão errónea decisão (liga) e a TODOS os participantes da mesma (direcção da liga e membros da comissão de disciplina).
    Expor nos órgãos gestores do futebol Europeu e Mundial toda a charada, alertando para os participantes nas mesmas. Mostrando quem patrocinava e promovia o rumo desta direcção da liga e seus órgãos e de quem tem o assombro de dizer que o importante são os “lugares na liga”, tendo beneficiado desta decisão.
    Finalmente, creio que todos os intervenientes neste processo, nomeadamente os membros da comissão de disciplina, são pessoas ligadas ao mundo jurídico e, portanto, inscritas em ordens profissionais e/ou associações profissionais. Interpor processos nessas ordens e/ou associações profissionais para acção disciplinar sobre os mesmos. Essa mancha tem q e ficar no currículo, e, se possível, obrigar à cassação de carteira profissional (no caso do presidente da comissão disciplinar é clamoroso).

    Não sou jurista, mas penso que esta seria a melhor estratégia para retaliar.

    P.S- O comunicado do clube do REGIME e a entrevista do advogado do mesmo clube à RTP em reacção deverão ser adicionadas aos factos a apresentar à UEFA e FIFA. Só os cúmplices, os coniventes e os instigadores reagem assim.

    ResponderEliminar
  35. Zé,

    Eu escrevi o que escrevi por nao ter certezas. Tenho duvidas.
    E é evidente que ha uma estratégia muito diferente das dos anos anteriores. A saida de Fernando Gomes para a Liga é disso sintomatico e muito importante.

    Competencia à parte, o Ogre foi para a Liga para defender os interesses vermelhos. Nisso foi muito competente. A sua funçao nao era tornar os clubes mais ricos e o producto futebol mais apetecivel e de melhor qualidade. Se Fernando Gomes vai para pelo menos suspender a roubalheira, ja vai para defender interesses azuis que nao foram adequadamente defendidos nas ultimas épocas.

    Claro que isto esta de alguma forma orquestrado e ou demonstra uma mudança de estratégia ou uma consequencia normal do "arranjo".

    Por outro lado Jesualdo também é um grande responsavel. Por conivencia e/ou incompetencia. Tem as qualidades que tem e esteve isolado em muita coisa. Mas sempre lhe faltou rasgo e aceitou todas as contrataçoes que lhe foram propostas (ou impostas). Por isso também se manteve tanto tempo no cargo. Nunca levantou problemas (ao contrario de Adriaanse). Convenhamos que o ideal é outro treinador ja estar na mira e até começar antes do final da época. Mas a direcçao vai tentar "dar" mais uma taça de Portugal a Jesualdo. Qual é a melhor decisao?

    A direcçao por seu turno esteve sempre ausente. E ou foi tudo muito azar, muita incompetencia e muito roubo orquestrado contra o Porto, ou entao, esta tudo tratado e nao ha alarido como convém.

    Quero ver como corre esta pré-época, quem entra e quem sai. Estarei atento às jogadas dos patrocinios e às movimentaçoes habituais. No final da proxima época tirarei a prova dos nove.

    Todos pensamos de forma diferente. Esta é a minha leitura com muitas interrogaçoes.

    ResponderEliminar
  36. Perante o que se passou o FC Porto foi claramente prejudicado porque os jogadores em questão nunca deveriam ser suspensos preventivamente. Deveriam continuar a jogar até conhecerem o castigo.
    Mas também acho que os stewards são intervinientes no jogo tal como os agentes da psp ou bombeiros. Se não achamos que os stewards são agentes desportivos, ou lá que lhes queiram chamar, então não vale a pena tê-los no estádio. São questões de interpretação pois se fosse ao contrário também não me atreveria a fazer futurologias.
    A Liga não serve para nada pois um organismo onde as candituras à sua liderança são encomendadas e aconselhadas pelos seus antagonistas constituintes não serve para nada. Nunca haverá verdade desportiva. Nunca haverá justiça.

    Bom fim de semana. Abraço

    ResponderEliminar
  37. Nao pode haver certezas no meio desta mixórdia. Há "ses" a mais.

    Desportivamente nao creio que a equipa esteja envolvida em qualquer teoria da conspiraçao. Os resultados apresentados estao ao mesmo nivel que outras épocas com o JF. A equipa sofreu da má pré-época (que esta tenha sido uma forma de angariar dinheiro fácil sabendo dos riscos que corriamos já é outra coisa), das lesoes, dos golos anulados e da falta de nivel do plantel. Mas nao creio que percam de proposito. Nem o proprio Jesualdo. É um asno, que diz que sim a tudo o que lhe dizem e que aceita tudo o que lhe dao. Tem limitaçoes tacticas e nao é um lider. Mas nada mais.

    Agora a direcçao é outro cantar.

    Gostava de pensar como Ze Luis e acreditar que o proximo presidente da Liga, seja Couceiro, Alves ou Gomes, vá para lá para fazer um bom trabalho, organizar uma prova ridiculo, por os pontos nos is e fazer o que lhe compete. Gostava, mas nao consigo. Em Portugal nao consigo.

    O Loureiro era mais um boy com o seu job garantido. Sabia a quem tinha de agradar e que a Liga era um meio, nao um fim, para os seus objectivos. Agradou a quem lhe convinha, quando convinha. A principio contra as galinhas, no final contra todos menos as galinhas. À portugues, moveu-se por interesse e aí sai, com o seu tacho preparado.

    Quanto à politica da direcçao do FCP, ela é, no minimo, suspeita. Nunca houve um movimento de defesa claro aquando do Apito Dourado, das queixas à UEFA, e dos vário tuneis do qual só este ano resultou ser crime. Nem nos sumarissimos, nem nos constantes roubos de igreja semanais. Um silencio tácito. Da mesma forma que em 2005. Honestamente nao acredito em coincidencias. O cenário é exactamente o mesmo que entao, com a diferença de que o Benfica está a jogar melhor e nao precisa de tantos empurroes como o de Trapattoni que chegou ao ultimo jogo com 2 pontos de avanço e a tremer.

    O que eu acho inadminssivel para o colectivo portista é que nao haja uma voz que se pergunte: porque temos todos os mesmos patrocinadores privados? porque partilhamos alegremente o mesmo circulo vicioso de influencias entre bancos, cervejeiras e telemoveis? Porque é que o clube abdicou da sua postura de clube ligado ao Norte e se vendeu ao capital de Lisboa, chame-se BES, chama-se PT, chame-se Galp...que segredos tiveram de ser pagos com a inoperancia, o silencio? No meio disto tudo o Braga foi a surpresa, e nesse aspecto, por muito que os portistas queiram o Braga campeao, à direcçao da SAD veio-lhes bem as suspensoes aos jogadores arsenalistas. E por isso nunca se uniram verdadeiramente num protesto de bloco contra a liga. O Braga nao é desta historia, nao é dos mesmos interesses.

    O Benfica será, como em 2005, campeao para aplicar o povo senil. O FCP terá o presidente da Liga que precisa para garantir, como minimo, uma isençao que nao houve (e que no entanto nao impediu um Tetra) e para o ano tudo voltará a ser o mesmo de sempre. Com tudo isso para que é preciso um bom técnico?

    um abraço

    ResponderEliminar
  38. É com muito, Muito Prazer, e alegria, que posso voltar a lê-lo com renovada frequência neste espaço de eleição!

    Força nisso, "para acalmar nervos e nervosos" também. :-))
    Um Abraço, Zé Luís.
    MrCosmos.

    ResponderEliminar
  39. Vou por partes, tentando replicar a cada um dos comentários.

    Desde já volto a pedir desculpas por amiúde acumularem-se comentários e não ficarem expostos rapidamente. Gostaria de satisfazer mais o Mr. Cosmos, a quem agradeço a referência feita no seu blog, mas não será com muita "renovada frequência" que poderá ler de mim aqui e esta é a prova de que passo muito tempo distante. Quando muito a expectativa crescerá para ver quando será o próximo post, que nem eu sei nem todos os assuntos me merecem alguma escrita e reflexão, como este que citei atrás da presidência da Liga.

    ResponderEliminar
  40. Ao Soren,

    tal como ao Miguel Pereira e a outros comentadores, eu compreendo as motivações e divagações, aceito alguns pressupostos e tomo em atenção as dúvidas, ainda que duvide eu de algumas certezas que pretendem expor.

    A época menos boa do FC Porto tem de tudo um pouco, como tem quando ganha, com muitos casos, muitas vicissitudes, e é impossível as coisas correrem sempre bem.

    A saída de F. Gomes da SAD não me incomoda nem preocupa, seja quem for. A sua ida para a Liga acho natural e pertinente até, mas também não será daí que algo sairá de bom ou mau para o FC Porto. Poderia explicar o que sinto e o que acho do ogre desde o princípio e começaria logo por dizer que não o achei conivente de início fosse com o que fosse, mas levaria muito tempo e é inútil, nem sequer merecedor, de atenção o funcionamento da tasca em que, para resumir, creio que a balbúrdia escapou ao tasqueiro e esta demissão não é por indignação, como a Imprens do Regime acha, mas por ter vergonha de tudo ter fugido do seu controlo.

    Sobre a próxima época, que é o mais importante, Soren, não só acho que está tudo a ser preparado e já há dois nomes em cima da mesa, como tenho preferências, como todos, mas isto é uma questão de gostos e cada um tem o seu mas tal não influencia quem decide a política desportiva.

    Acho ainda cedo tocar o nome do treinador, a época ainda não acabou e as posições não estão definidas. Este fim de semana será mais conclusivo para a percepção do que será no final. Mas há muito tempo e nunca antes da 2ª mão da semifinal com o RAve, para falar do plantel e do treinador que vem.

    Soren, não adianta insistir em certas perspectivas e resumo-te isto quanto ao treinador: hoje, num clube de topo, o treinador decide o onze que manda para o campo, não as contratações. A política desportiva é definida pela SAD, as cedências, as contratações, tudo e é a ela que se pedem responsabilidades. O treinador treina, o jogador joga, o dirigente dirige. É assim há muito tempo no FC Porto. E em muito lado. Quando muito o treinador recomenda uma opção ou outra, na generalidade só tem de concordar ou, excepcionalmente, discordar. Ponto.

    Posto isto, face às perspectivas futuras de treinadores sem clube (não o Paulo Bento, que não tem nível para o FC Porto) ou alguns com contrato, pode haver muitas surpresas em vários clubes e muitas mudanças ocorrerão.

    Tenho quase a certeza que Jorge Costa virá para o FC Porto e já se "despediu" de Olhão. Mas virá como adjunto, obviamente na condição de o nº 1 ser de top e, não, não acredito em estrangeiros, será português e há anos vaticinado para vir para o FC Porto.

    Esta opção de Jorge Costa poderá entroncar na opção por um outro técnico em vista, que me agrada e desagrada a muitos onde está.

    Agora, é certo que nunca poderão juntar-se Jorge Costa e... Domingos. As suas relações pessoais creio estarem bem deterioradas.

    Em meados de Abril acho conveniente escrever algo sobre isto. Até lá vou lendo alguns palpites por aí com um sorriso nos lábios e a ideia de muitos extravasarem barreiras que os seus conhecimentos, informais ou autodidatas, não lhes permitem.

    ResponderEliminar
  41. cm, li com muito agrado o que escreveu, de resto como noutras ocasiões com muita assertividade e objectividade. Ainda pondero se deve transformar em post o que escreveu. Porque embora seja plausível o que defende, é difícil de execução e a impugnação do campeonato não se justifica. Ou seja, há mais contras do que prós, ainda que do ponto de vista do adepto portista esse seja o sentimento real, difundido, consensual e determinado na forma de agir. Mas, creio eu, com poucas possibilidades de sucesso.

    E, quanto a mim, o campeonato ainda pode levar uma volta no topo. Amanhã ver-se-á algo mais.

    ResponderEliminar
  42. Finalmente, o Félix.

    O que o Félix considera vale o que vale. Dir-se-á o mesmo para qualquer um. Direi o mesmo de mim.

    Mas para sustentar uma coisa, há que fundamentá-la.

    Eu sei que um benfiquista, sem ser inelutavelmente desprovido de intelecto e capaz de ter vontade própria, custa-lhe pensar ou, pelo menos, esforçar-se para ter noção de razoabilidade e sentido comum de decência e justiça.

    Posto que acha os ARD's elementos activos do jogo, ou intervenientes, e postas de parte considerações em sentido contrário, um mínimo de pensamento filosófico faz-se partindo de analogia. As premissas devem chegar a uma conclusão. O arbítrio, o "achismo" não é tolerado. Por isso, um cretino é um cretino, como um vintém é um vintém.

    Já expus estas questões, porque sou muito dado a reflexões e o azul e branco não me tolda o raciocínio, noutros fóruns. Nunca me responderam e não creio que o Félix o faça.

    - Esta semana, um ARD está de serviço num jogo, para se ocupar do público, na bancada, que é a sua função primordial, assegurar a segurança dos espectadores, que não há desacatos. Estes serviços tornaram-se necessários porque as forças da ordem não podem estar em exclusivo nos jogos de futebol (e outros). O ARD acaba agredido na bancada ou na pista de tartan, por um adepto. Que sanção para um adepto? E se o ARD porventura se portou mal? Quem tem jurisdição para actuar num e noutro caso?
    - Na semana seguinte, até pelo desaguisado referido, o mesmo ARD é destacado (é assalariado, trabalha por contem de outtrém) para o túnel, algo que não lhe cabe propriamente no "desígnio" de função mas aceitemos que sim. Há uma pega com um jogador e este agride-o. O mesmo ARD já fica sob jurisdição da entidade organizadora do jogo? E há sequelas disciplinares sobre o jogador porque este ARD não está de serviço na bancada, mas no túnel? E se o ARD provocou o jogador, a entidade que actua disciplinarlmente ssobre o jogador fá-lo sobre o ARD?

    É impossível sustentar essa tese. Eu iria mais longe, mas à primeira falha da analogia, a conclusão é logo fraca. Acresce o facto de a "lei" ser tão ubíqua, sublinho o adjectivo, como a capacidade de o ARD estar na bancada de serviço enquadrado na lei de uma forma, e estar de serviço no túnel de forma distinta em termos de enquadramento legal e disciplinar.

    O assunto, que não é menor, não evita outras questões. E que se prendem com a proporcionalidade que o Bosta da Liga lamentou não defender, mas que não acautelou. Mas mesmo mexendo na merda não se transforma em ouro, nem naquela telenovela antiga do Casarão e não adianta ir por aí, que as pessoas nascem para o que nascem, são o que são e um cretino é, por isso, um cretino.

    Era insustentável a tese da CD da Liga e é indubitável que a sua acção foi sempre perseguir o FC Porto. Se precisássemos que benfiquistas ou outros partilhassem algum ponto de vista na base da decência e sentido de justiça se calhar o desvario de vontades não causaria tantas "fracturas sociais" politicamente aproveitadas para deixar o País no estado lastimoso em que está, sem rumo, sem ideias, sem decência. O futebol é só reflexo disso mesmo.

    ResponderEliminar
  43. Para complementar a reflexão, eis a notícia que faltava, o episódio anterior de castigo a Rui Cerqueira e o enquadramento em que o Bosta da Liga queria pôr os jornalistas e tudo o que bem se depreende da renúncia da Liga, desta feita, a recorrer (sria para o TAS) contra o CJ e a inoportunidade de o Bosta da Liga aparcer perante as câmaras face a mais um fracasso e outro cagalhão na tola.

    Lê-se em Maisfutebol:
    2010-03-26 18:04h
    Túnel da Luz: Comissão Disciplinar não recorre
    No caso de Rui Cerqueira os juízes da Liga pediram revogação da interpretação do Conselho de Justiça
    Por Sérgio Pereira

    A Comissão Disciplinar não vai pedir a revogação da decisão de Conselho de Justiça que diminuiu o castigo de Hulk e Sapunaru para três e quatro jogos de castigo, respectivamente.

    Recorde-se que a Comissão Disciplinar tinha considerado os stewards «interveniente no jogo com acesso ou permanência no recinto desportivo», enquanto o Conselho de Justiça interpretou-os como «público».

    Ao que apurou o Maisfutebol, o plenário de juízes da Liga considera que não houve erro grosseiro na aplicação das normas regulamentares, mas sim uma diferente leitura do que é um steward.

    Hulk: o que levou o CJ a considerar os stewards público

    Esta não foi a primeira vez, de resto, que o Conselho de Justiça discordou da qualificação feita pela Comissão Disciplinar relativamente aos agentes ofendidos. Já tinha acontecido no caso dos insultos de Rui Cerqueira a um jornalista da RTP.

    A Comissão Disciplinar considerou o jornalista um «agente para efeitos disciplinares», e o Conselho de Justiça interpretou-o de forma diferente.

    Nessa altura, a Comissão Disciplinar da Liga tinha suspendido Rui Cerqueira, director de comunicação do F.C. Porto, por três meses e o Conselho de Justiça convolou a pena de suspensão apenas para multa.

    A Comissão Disciplinar considerou que tinha havido um erro grosseiro na interpretação do papel do jornalista e pediu a revogação da decisão federativa.

    Em Janeiro de 2010 o Conselho de Justiça disse não aceitar essa revogação, mas não se pronunciou sobre o papel do jornalista e a maior parte do plenário de juízes não assinou a declaração de falta de fundamento feita por um membro.

    Túnel da Luz: stewards passaram de intervenientes a público

    Apesar disso, desta vez a Comissão Disciplinar não vê um erro na aplicação dos regulamentos, considera que houve apenas uma interpretação diferente do papel de steward e não vai por isso pedir a revogação da decisão.

    ResponderEliminar
  44. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  45. Zé,

    Nao concordo de todo com a "hierarquizaçao" e separaçao de poderes que dizes existirem entre direcçao e treinador.

    No Arsenal quem contrata é Wenger, no Inter salvo raras excepçoes ditadas pelo mercado, quem diz quem contratar é Mourinho.

    Alias, no Chelsea, no momento em que o poder de decisao em materia de contrataçoes mudou para o lado do "novo" director para o futebol, Mourinho ficou sem poder para decidir, os resultados desapareceram e Mourinho saiu. Com uma grande clausula de rescisao precisamente porque no seu contrato nao estava prevista esta divisao de poderes.

    Em Manchester quem manda em 90% das contrataçoes é Fergusson.

    Por isso os treinadores hoje (no futebol ingles) se chamam Managers.

    Noutros "futebois" a situaçao é necessariamente diferente. Para pior. E os resultados nas competiçoes Europeias comprovam-no.

    No FCPorto passou-se exactamente o mesmo. Sairam treinadores com poder para entrar um "yes man" chamado Jesualdo Ferreira que permetiu todos os negocios e pactuou com mas decisoes desportivas (e tomou algumas unilateralmente - certas decisoes com as quais Pinto da Costa nem concordou, como é o gritante caso de Ibson).

    Sobre o resto vamos falando nas proximas semanas. Também nao me interessa especular sobre treinadores, nunca o fiz. So escrevi sobre o timing de entrada de um novo técnico e sobre o perfil que deve ter. Quem é, nao sei. Saberas mais do que o eu sobre essa matéria, como é normal.

    Acho que a discussao é muito mais profunda e complicada. Uma questao e uma discussao de indigenizaçao generalizada pelo mundo fora a que Portugal infelizmente escapa por crise de identidade. Uma questao da falsidade de uma globalizaçao que em muitas vertentes nao existe (e é uma invençao de quem controla a informaçao para enganar os tolos). O que é que isto tem a ver com futebol? Tudo. Tal como tem a ver com a justiça, o controlo da informaçao, a economia e educaçao.

    Tem a ver com a cidade do Porto actual, com o FCPorto actual e com o tipo de gestao que obervamos e a falta de identidade de quem outrora foi unico.

    Sobre isto gostaria de escrever mais tarde quando a disponibilidade for maior.

    ResponderEliminar
  46. Peço desculpa à bancada pela falta de acentuaçao e os erros motivados pela velocidade com que escrevo. Raramente releio os meus comentarios, desta vez fi-lo e verifico que por vezes se pode tornar dificil ler o que escrevo.

    ResponderEliminar
  47. Soren, os exemplos do futebol inglês são únicos, pois o "manager" não é de agora, é de quase sempre há 100 anos.

    Mas no FC Porto é assim, é evidente se o treinador, como Mourinho, tiver olho é a sua vontade que se cumpre.

    Mas isso às vezes é equívoco.

    Lembra o regresso de Jardel que ficou à porta das Antas. O Octávio, no fim de contas, é que inviabilizou o retorno do Super Mário, mas não se pode desculpabilizar o presidente que o queria, mas deixou tudo nas mãos do técnico, e tinha vontade, poder e persuasão para ter Jardel de volta.

    Queiras ou náo, até pela estrutura da SAD, é esta que dita as regras, contrata jogadores e o treinadot treina. Não é questão de concordar ou não, é ser mesmo assim.

    Na medida do possível compatibiliza-se as vontades e o dinheiro, mas bastou o FC Porto recusar o Vennegor of Hesselink para o Adriaanse bater com a porta elegando indisciplina na pré-época e, por detrás, não ter o jogador que queria para a área.

    Não faz sentido, de resto, no regime presidencialista do futebol português, que se contratem 10 jogadores pedidos pelo treinador e este em poucos meses seja despedido. As vontades (e os desejos) nem sempre se cumprem, há compromissos e é evidente que um treinador não vai pôr de lado um jogador contratado pelo clube mas que não é do seu agrado.

    A questão do Mourinho não é bem assim. O Mourinho não gostou do Shevchenko, não gostou do Ballack apesar de chegar a custo zero e quis fazer birras, as coisas saíram-lhe mal. Um treinador que recusa jogadores deste calibre não bate bem da bola e nem todos os clubes sustentam estes caprichos, até porque o poder do patrão mandava sempre mais alto e para ele a indemnização são peanuts.

    Não foi o Pellegrini que pediu o Kaká, o CR9, o Benzema e que queria despedir os holandeses todos, ficou o Van der Vaart porque não o despacharam (e o Drenthe). A verdade é que é assim que funciona e o Pellegrini tem tido problemas em compatbilizar todos os craques lá na frente com prejuízo do equilíbrio táctico atrás.

    Não há fórmulas mágicas, mas definições de estratégias que dificilmente passam pela escolha ditada pelo treinador, salvo se for homem para 10 ou mais anos no cargo, precisamente como os managers em Inglaterra. E é essa "segurança" que dá o poder aos treinadores, conquanto o justifiquem com resultados, como sempre.

    Quanto ao FC Porto, o futuro técnico, apalavrado ou "encaminhado" (no caso de ter emprego e contrato duradouro) está a par de tudo. Imagina que é um técnico que só no final da época pode decidir a sua vida, rescindindo o contrato que tem? Só cá estará na pré-época, mas é de cá e anda por aí, dá conselhos e identifica prioridades. A SAD irá satisfazer algumas coisas e, como é da praxe, arranjar outras. Infelizmente, nem tudo corre bem, nunca pode, e há gente que julga ter olho para o negócio mas acerta pouco. Esse é o problema. Grande. Gordo. Redondo.

    ResponderEliminar