02 dezembro 2010

Dragões como pinguins e um Falcao peregrino insaciável



Esplendor na neve, rever Tóquio na brancura de Viena, reviravolta no Prater na baliza que tem tanto para contar, um hat-trick de Falcao e um apuramento brilhante saído da bruma com os dragões feitos pinguins e o predador do costume a mostrar a sua raça e a dar continuidade à lenda portista naquelas paragens de tão boa memória.


Não apetece dizer mais nada, jogou-se o melhor que se pôde, o Rapid confirmou ser um duro osso de roer, lá tivemos de virar o marcador como com o Bayern de Munique, Hulk a cruzar como Madjer, Falcao a marcar como Juary, desta vez ao primeiro poste, vemos um jogo e lembramo-nos do que nos pôs na História, lágrimas nos olhos, calor a derreter o gelo, frio que não incomoda, só faltou ali uma taça, ou duas, para erguer ao céu, desafiar a inclemência do clima e reverenciar os deuses que honram a nossa história no Prater que imortaliza um dos treinador imortais como foi Ernst Happel.


É nestas ocasiões, em circunstâncias tremendas, mesmo quando não parecia haver muito para jogar a não ser evitar a primeira derrota e um empate apenas garantir a primazia no grupo complicado, é nestas horas que o FC Porto nos enche de orgulho, representa o melhor do futebol português e apaga completamente qualquer pobre comparação que de outros emblemas queiram fazer sobre carisma internacional, brasão de respeito e resultados para a história.


Realmente, revendo o nevão de Tóquio, embora num relvado mais "praticável" do que a piscina de Coimbra onde o FC Porto mostrou que também sabe nadar, iôô, a evocação que nos traz a nostaligia do Prater e a presença dos campeões europeus de 1987 fica carimbado o timbre do FC Porto da melhor maneira possível.

A rapaziada enfrentou as adversidades e mostrou uma enorme vontade de ganhar, como a 2ª parte de 1987 revelou em Frasco, Futre, Madjer e Juary que agora pudemos rever, a brincarem com a neve como Falcao brincou com Ruben Micael e Hulk.

Vi ali uma ambição sem limites e uma lição para perdurar. Esta equipa quer fazer coisas grandes esta época.

7 comentários:

  1. Foi realmente um jogo muito complicado com um final em crescendo e muito feliz...Regressei a 1987. Uma reedição da Final de Tóquio com Viena -o nosso filão desportivo- a funcionar como palco geográfico...Excelente.
    O Porto mostrou a sua tendência para ser, assumidamente, uma equipa todo-o-terreno...

    ResponderEliminar
  2. Zé Luis não é só a ambição, é a união que eu vejo entre a equipa, jogadores e equipa técnica. Vejo e espírito de conquista que tivemos em 2003 e 2004. Com alguma sorte poderemos fazer algo grande...

    ResponderEliminar
  3. Realmente não foi um jogo bonito, viu-se o FCP a tentar e a conseguir a espaços trocar a bola, que é a nossa forma de jogar esta no nosso adn ... quando muita gente apostaria no jogo directo.
    E mais uma vez fomos bravos lutamos ate ao fim e ganhamos com toda a justiça, no Pratter palco onde começamos as conquistas internacionais!!!

    um abraço

    http://www.fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Bom dia,

    Falcao foi um "El Tigre" nas neves de Viena.

    Linda vitória, exibição guerreira, épica, não pela valia do adversário, mas sim pelas adversidades do terreno do jogo.

    Gostei muito da atitude guerreira da equipa, estes rapazes merecem o apoio de todos nós portistas.

    Bravos as centenas de adeptos que se deslocaram a Viena.

    Em Viena recordamos, não só a vitória dos campeões europeus, mas também a vitória estoica dos heroís de Tóquio aquando da conquista do primeiro titulo de campeões do mundo.

    Foi uma noite de lindas recordações que faz de nós portistas os adeptos mais orgulhosos do mundo!

    Abraço

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Quem ganha em condições tão adversas, como estas, merece todos os elogios.

    Esta equipa mostrou a sua raça e demonstrou estar preparada, técnica, física e animicamente para actuar em todo o terreno.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. ..."Esta equipa quer fazer coisas grandes esta época"...


    E tenho fé que vai fazer !

    ResponderEliminar
  7. Eu também, amigo, tanto que já o digo desde a final da Liga Europa. Dei os parabéns ao Atl. Madrid e prognostiquei que era melhor despedir-se logo da taça. Está mais perto do que previ.

    Atenção, porém: eu não sou dos que pensam que o "momento" da equipa em Dezembro será forçosamente o mesmo em Abril ou Maio. Aliás, AVB ainda há dias o repetiu, a propósito da desgraça alheia e do desvio para outra competição.

    Mesmo sem Juve, Samp ou Atléti, a Liga Europa continuará com Liverpool, B. Dortmund ou Sevilha, Zenit e CSKA Moscovo, por exemplo. Cairão mais equipas como Benfica e Braga da Champions.

    Agora, nesta prova, com o nível do Porto, de momento, não vejo nenhuma equipa.

    Daqui por uns meses, veremos.

    O Barça deu 5 ao Madrid e nunca se sabe como será no Bernabéu e se a classificação levará um giro até lá.

    Não me alimento dessa fanfarronice. Nunca. Mas de momento podemos desfrutar de todo o orgulho e admiração que esta equipa de AVB nos provoca, sem dúvida.

    ResponderEliminar