20 abril 2010

III. O Barça e o Olarápio à portuguesa



Vai ser lindo ler amanhã as críticas catalãs, na Imprensa, ao árbitro português que foi caseiro em S. Siro. Olarápio, aquele que alguns fariseus de cá julgam ser mal visto injustamente na lúgubre Liga lusa, vai ser conhecido em Barcelona e até em Espanha, onde mesmo em Madrid não perdem a noção de que o Barcelona representa o País e pelo menos nos jornais esbate-se a rivalidade da capital para a Cidade Condal.

Benquerença foi só para o Inter e ficará sempre a "sugestão" do elogio, interesseiro, de Mourinho ao árbitro português pela nomeação. O jogo duro dos italianos, como vemos por cá no futebol benfiquista impune em faltas e cartões, teve a complacência que eu pessoalmente esperava de um árbitro que não tem estirpe por muito estilo que queira mostrar em campo.


E, tantos anos depois, tanto tempo em cima de estórias dos bastidores da arbitragem europeia em que o Inter era um dos tentáculos do polvo, parece que tudo caiu como mel na sopa...

Nem quero fazer uma avaliação exaustiva, mas a permissividade de Benquerença especialmente para com os brasileiros do Inter fez-me lembrar outras "simpatias" que conheço bem ao pé da porta. Aquele à-vontade e amiguismo com Maicon e Cª no regresso do intervalo justificou-o. Por acaso, o árbitro regressou ao mesmo tempo do Inter ao campo. Mas no campo nada acontece ao acaso. Faltas ao contrário a penalizar o Barça e se iguais das duas equipas foram, como é fácil de ver, avaliadas disciplinarmente de forma diferente. Cito apenas Thiago Motta, que deu lenha de meia-noite e nem no grande círculo nem na proximidade da sua área via amarelo, fosse mais ou menos ríspida a entrada ao adversário. Tantas deu, por fim, que lá levou um cartão Stankovic com uma falta igual a tantas de Motta e creio que a sua única falta cometida - mas que o priva da 2ª mão. Maicon também foi mauzinho. E Motta, de resto, que se notabilizou na porrada dada frente ao Chelsea.
Eu, pessoalmente, acho feio, não que se faça, mas que não se puna. Posso compreender a estratégia, que resulta consoante o árbitro, mas não nego que tem de haver consequências disciplinares e nenhuma "organização" de equipa está acima disso.

Para coroar a coisa, um penálti de Sneijder sobre Dani Alves foi tratado como uma simulação do brasileiro (e mais um amarelo). Poderia dar o 3-2, enfim, mas já aí os catalães tinham percebido que não teriam "simpatias" do árbitro português.

De resto, apesar da péssima transmissão, o golo de Milito (3-1) é irregular, percebe-se pela linha da área pequena que está mais próximo dela do que o último defesa (Piqué). Ao invés de Bertino Miranda, o famoso José Cardinali apontou um fora-de-jogo a Ibrahimovic inexistente na 1ª parte (J. César defendeu o remate, com a jogada invalidada). Tudo somado, o Barcelona que viu tantos criticarem a arbitragem favorável do norueguês Ovrebo em Londres há um ano, só tem por onde escolher quanto a desfavores do português Olarápio, capaz de dar amarelos por protestos e chutos de bola para longe (Eto'o e Busquets) e deixar passar faltas repetidas, e tantas cometidas pelo Inter, sem cartão.
O costume, à portuguesa, mas isso, confesso, é que me irrita. Ao "teatro" italiano, em que víamos jogadores a rebolarem-se no chão como se tivessem camisolas encarnadas, Benquerença era cuidadoso e quanto mais berrasem a protestar, melhor garantia tinham de o árbitro os atender. Chegou a marcar uma falta de Lúcio nas costas de Pedro, depois virou a agulha. Um cara de pau é assim. Revi neste jogo toda a época da arbitragem portuguesa na lúgubre Liga lusa. Mas muitos aplaudirão tanto o Benquerença como o "melhor futebol" que terá ganho esta noite.
nota: http://antonioboronha.blogspot.com/2010/04/mourinho-benquisto.html, parece que viu o que eu vi; e é difícil coincidirmos...
E, para já, no Sport, As e Marca:

12 comentários:

  1. Completamente de acordo. Ontem ao vêr o jogo só me lembrava de uma verdade infeliz: neste pais a mediocridade é meritória, a incompetência é recompensada!
    Há um penalty flagrande sobre o Piqué e o citado lance entre Lucio e Pedro é de bradar aos céus!

    Noutro aspecto do mesmo jogo: em tempos do Euro 2004 a Grécia foi apelidada de equipa de retranca, anti-jogo, ultra-defensiva, etc...
    Mourinho joga com 11 atrás da bola e mata o jogo em contra-ataques... cantam-lhe loas, é apelidado de génio, é o melhor do mundo!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Um Portista, de seu nome André Oliveira, levanta uma dúvida no seu blogue que é bastante pertinente. Penso até que a pergunta que ele faz, acerca do post dele próprio, é mesmo de pedido de alguém que possa ajudar a perceber se o caso que ele apresenta é de facto "um caso" ou apenas um aparente caso.
    Eu de facto não sei esclarece-lo mas se alguém souber é de agradecer que o faça.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Excelente crónica do jogo.

    Eu durante o Inter-Barça dei por mim a pensar o que seria se o Barça na Espanha tivesse de jogar constantemente com arbitros como o olegário B., é que só me lembro durante os 90m. de apitar por 3 vezes a favor do Barça, do resto eram sempre entradas duras por parte do Inter e nada, nem falta, nem amarelo, acho que para o Barça foram 4 amarelos...

    Com isto se vê o que é que o FCPORTO tem de passar em Portugal, com arbitros condicionados antes, durante e depois dos jogos, se se enganam a favor do FCP são logo crucificados, se não apitam Penalties ou invalidam golos ao FCPorto, é perfeitamente normal...

    Pode ser que agora no Camp Nou, com outro arbitro, se veja futebol a sério.

    E Por cá, o FCP tem de melhorar mentalmente para voltar a aguentar todos os assaltos de que é alvo jornada após jornada.

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Antes do mais: peço de novo desculpa pelo atraso a repor os comentários, é quando posso e por sinal tive problemas com o blogger e atrasou um pouco mais. Não sei se, entretanto, perdi algum comentário por aí, do que me penitencio também e apelo à compreensão de todos.

    Wolverine, eu nem fiz uma crónica de jogo, só tinha intenção de trazer uma reflexão sobre alguns aspectos do mesmo. Ou o caso das arbitragens ou o do "melhor futebol".

    E muita razão há para pegar o exemplo de Grécia.

    Uma vez mais digo: não pode levar-se a mal que se jogue assim ou assado. IMporta é não ver algo mais do que se vê na realidade. De novo, o chico-esperto do LFL inventou e dourou a pílula que se fartou. OK, é a opinião dele, eu divergi em muitas coisas e faço a minha leitura. Não sou politicamente correcto, não sou do clube A porque joga lá fulano e sicrano.

    Contudo, gosto imenso do Zé Mourinho, é uma referência incontornável, é claro que foi brilhante no modo como conteve o Barça. Parabéns. Só que não foi tudo bonito e nem tudo é cor-de-rosa. Eu considero-me um purista do futebol, não ando a variar de opinião nem a balançar sobre o que é belo no futebol quando dá jeito ao "meu" clube. Da mesma forma, a questão das faltas irrita-me e, por isso, aqui sublinhei que o Olarápio foi todo um tratado da arbitragem miserável à portuguesa desta época. São tempos. Mas eu nunca acompanho modas e tendências, também tenho preferências e não as escondo.

    Parabéns ao nosso Zé, que admiro muito mesmo, mas não disfarço coisas que não engulo. O Inter teve a sorte do jogo, foi protegido barbaramente pela arbitragem, marcou um golo irregular e o árbitro perdoou-lhe um penálti. Não morreu ninguém, nem morrerá por causa disso, nenhum adepto do Barça telefonou ao Olarápio a ameaçá-lo de morte como certos adeptos de uma ex-equipa de Mourinho fizeram ao André Frisk...

    4ª feira há jogo e, como o Pep, espero que o Barça jogue ao seu nível, talvez com um autocarro à frente mas poupado a 10 horas de viagem...

    ResponderEliminar
  10. A resposta anterior era também dedicada ao Miguel87 (bela foto, já agora, no teu perfil).

    ResponderEliminar
  11. Adolfo Dias, não está bem explícito o que se pretende destacar, mas eu sei do que se trata.

    Reparei nesse tópico noutro blog e fui espreitar.

    Para todos saberem, havia uma dúvida, creio, sobre o Kardec e faz-se referência à sua utilização por vários clubes. Não há, porém, anomalia. De resto, sei que o FCP esteve atento, mas constatou que não havia por onde lhe pegar. O jogador está devida e regularmente inscrito.

    ResponderEliminar
  12. Esqueci-me de referir e as indirectas e alguns insultos de certos tipos ficam já respondidas: não vi os 6' iniciais do jogo e só hoje, em resumos, vi um fora-de-jogo mal tirado logo a abrir a Milito. Mais uma distracção do costumeiro José Cardinali, de quem já fiz um post há pouco tempo por causa de golos mal anulados ao FC Porto com o Belenenses e o P. Ferreira em 4 pontos mal perdidos em casa.

    Portanto, as bestas benfiquistas que queriam comprovar que o Inter também foi prejudicado deram-me a hipótese de relembrar aqui certos factos sobre esse malfadado auxiliar que gamou o Porto em dois golos cantados que custaram 4 pontos. Só à custa desse tipo que certos maganos dizem ser, como é costume, portista desde pequenino...

    Mas não vi esse lance em directo e só comento o que vejo. Constatei hoje o erro, mas isso foi pouco para a forma consistente como o Barça foi roubado em S. Siro.

    De resto, não me enganei sequer nas reacções por Espanha ao Olarápio que passa a ser conhecido em toda a Península e não pelas melhores razões.

    Eu depois acho piada que, lendo por acaso o Rascord, tais erros tenham sido enumerados, mas o mérito do Mourinho ficou intacto como se nada tivesse ocorrido de favores arbitrais.

    Mas também a estes eu conheço as manias.

    ResponderEliminar