07 janeiro 2009

Falando de arbitragens é ter a mão nos resultados?

Vítor Pereira faz como Rui Costa mas anda ao contrário de José Sócrates? Pergunta-se “que queres que eu faça?”, mas depois da confissão de que não é possível ter melhores árbitros desdobra-se em explicações… Os outros, ao menos, prometem tudo e depois avisam que há mais deserto do que oásis por perto

Não sei se passou despercebido, após a noite da reviravolta na classificação, nos programas desportivos de domingo sob o choque, notório em algumas almas desfeitas, da mudança de líder do campeonato, terem falado mais de arbitragens do que dos méritos e deméritos das equipas em causa. O mérito do Trofense e a astúcia de Tulipa, um jovem treinador que põe as suas equipas a jogar futebol e a quem já ouvi com muito agrado a comentar jornadas com lucidez técnica e táctica em televisão, ficaram no tinteiro das negras indiferenças, por exemplo. A força atacante do FC Porto também passou minimizada para ganhar um jogo difícil.

O que reparei, em dado momento, foi que coincidiu – num infeliz acaso que para quem acreditar em bruxas roçou a premeditação – em dois programas distintos, à mesma hora, falar-se dos efeitos da mão de um central do Nacional que deu penálti e a vitória portista e a mão de Binya que não influenciou muito o descalabro que já se via na Trofa, na perspectiva benfiquista de atirar tochas e objectos para o relvado até se atirarem a jogadores e técnico no final do jogo, tudo no rol das sem-vergonhas que passam com multas da treta dos areópagos disciplinares do futebol luso.

No seu habitual diálogo com o espelho, com a muleta conveniente de um pé de
microfone no seu longo “Tempo Extra”, Rui Santos lá andou entretido com as suas elucubrações – e que se nunca chegam a lado algum, permitem meter tudo num beco em que, desta vez, perante uma ameaça de “falar dos graves problemas das laterais do FC Porto”, acabou a opinar, 15 dias depois, de um caso de arbitragem no Benfica-Nacional.

Ao mesmo tempo, Vítor Pereira no “Domingo Desportivo” dava mais uma entrevista para negar o que dissera numa primeira oportunidade em “O Jogo”.

Creio que esta foi dada perto do final do ano e que, como em premonição, parecia antecipar Rui Costa a acalmar os adeptos: “Que queres que eu faça?”. Isto depois de o “presidente dos árbitros” reconhecer que não é possível melhorar o nível dos que tem agora, nas actuais condições, para andar a convencer que o que disse então não era bem assim.

Vítor Pereira descaiu-se? É politicamente incorrecto assumir essa realidade?

O seu problema foi mostrar a realidade, depois tentou escondê-la. Tudo ao contrário de Sócrates, que só revela os problemas quando já não pode fugir a eles, mas enquanto o pau vai e vem folgam as costas da arrogante propaganda do oásis.

Para Vítor Pereira, em directo na televisão, não podia ser pior do que ouvir o futuro presidente da APAF e, daí, talvez da arbitragem nacional, Paulo Paraty, apontar-lhe uma série de erros políticos e de gestão do sector. Já não caiu bem a nota negativa e o castigo a Pedro Henriques, réu conveniente para acalmar algumas hostes que berram e ameaçam pela arruaça. Mas Vítor Pereira encaixou bem, sem cortar a palavra ao ex-colega, mostrando boa educação e respeitando a opinião de Paraty.

Mas quando se pede ao presidente dos árbitros que, além de confessar o abandono de formandos (70% desistem cedo, disse) e a perda de vocação para este sacerdócio com as mesmas aflições da Igreja que atrai menos padres para o seu magistério, fale de propostas, Vítor Pereira não avançou uma, dizendo que tem algumas para apresentar em sede própria (FPF). Não convenceu, como não convenceu dizer que tem quatro ou cinco árbitros de nível. Se o de Benquerença é a referência, estamos conversados.

Ao invés, entrou pela peregrina ideia de dois árbitros em campo, testada sem sucesso no campeonato paulista apesar de vir dizer o contrário, e acabou alvo de perguntas de algibeira de três jornalistas: a questão dos meios tecnológicos tão cara a José Manuel Delgado (A Bola) mas que se fosse remédio santo impediria páginas pouco dignas de vários jornais; a de Olegário Benquerença estar resguardado de “jogos quentes” como os clássicos, questão colocada por António Magalhães (Record) mas que qualquer adepto atento descortinaria; a de António Tadeia anotar incongruência de os árbitros que mais faltas apitam marcarem menos penáltis, sendo os exemplos de árbitros de segundo plano que dirigem jogos, com equipas de média-baixa classificação, mais atreitos a faltas e menos a penáltis pelo que basta somar 2+2 e verificar que o resultado até bate certo. À parte, ainda, a observação, cínica mas certeira, de Fernando Santos (O Jogo), que precisamente entrevistara primeiro Vítor Pereira, de que os árbitros são mesmo fracos, não melhoram e o seu dirigente máximo escusa de andar em “rali” a desmentir o que antes disse.

Sobre o recurso a meios tecnológicos – que nos dão imagens sempre alvo de disputa interpretativa e, portanto, nunca garantirão unanimidade e acerto de decisões – e a dois árbitros em campo – imaginando-se como seria giro um Sporting-Porto arbitrado por Lucílio Vigarista e Bruno Caixão, bastando condensar num só os dois jogos de Alvalade recentes com os portistas sempre prejudicados –, sabendo-se da tenaz defesa dos princípios estabelecidos pelo IFAB que zela pela preservação das Leis do Jogo, mais a relutância da FIFA em fazer mudanças de fundo, sendo que controla o “Board” com metade dos votos (4 em 8, os outros repartidos pelas quatro federações britânicas originais de Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte), nem os disparates sempre repetidos de Tadeia sobre esta matéria, tal como Delgado, alteram o que quer que seja.

Porque ouvir Vítor Pereira, ou um tipo da APAF ou da AG da FPF, ou o patego do Rui Santos pela “verdade desportiva” de que não tem autoridade moral e técnica para falar, em mudanças das Leis do Jogo é como escutar ou validar a importância que terá o nosso ministro dos Negócios Estrangeiros falar sobre o Hamas, a Faixa de Gaza e Israel.

Será que mexem ou influenciam de alguma forma? A que distância do poder se situam, tanto que contribuíram, cada um na sua esfera, para deixarem chegar mais alto esse poder?

E quanto a arbitragens, no fim-de-semana, que dizer:
- de Benquerença a penalizar sempre os sadinos, negando no final uma falta claríssima quase sobre a área, dispensando-se de mais um amarelo a Polga, como sempre sucede, tal como poupou outros a Caneira, Abel, enfim, os do costume, para dar, ainda que justamente, dois cartões ao jovem Carriço?
- de Jorge Sousa que dirigiu bem o jogo mas antes da expulsão de Binya já devia ter mostrado o segundo amarelo por uma entrada sobre Reguila, além de ser um árbitro a quem os benfiquistas gostam de testar a paciência de evitar interromper jogos, lançando-lhe fumos e tochas, quando não um cachaço de amigo?
- e que explicação, clara como Pedro Henriques (honra lhe seja feita) deu com todos os pormenores mais elucidativos, poderá dar outro internacional como Pedro Proença para vislumbrar uma falta de um central do Nacional sobre Lisandro, impedindo este de se isolar perante o guarda-redes, e só dar um amarelo e não o vermelho devido por ser o último defesa?

26 comentários:

  1. ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA


    Bruno Carvalho em 04/12/08 | comentar







    Depois do meu último post fiquei elucidado quanto ao pensamento, ou falta dele, de muitos dos meus consócios.

    Felizmente, tive a oportunidade de constatar que não estou sozinho e que ainda há muitos que conseguem ver para além da propaganda que nos é impingida.

    É que, há vários anos, os sucessivos insucessos do Benfica têm sempre a mesma explicação: o Benfica não ganha porque há corrupção que beneficia o FC Porto. A propaganda vai mais longe e diz que os sucessos do Porto são todos fruto dessa corrupção. E quem se atrever a questionar isto é imediatamente acusado de anti-benfiquista.

    Confesso que é quase impossível contrariar esta ideia tal o número de vezes que ela foi difundida e por ser tão útil a quem vem sucessivamente liderando os destinos do Benfica.

    De facto, os “Verdadeiros Benfiquistas” estão convictos desta tese e não se preocupam em questionar os factos à sua volta.

    Vamos, então, olhar para os factos e para as explicações dos “Verdadeiros Benfiquistas”:

    - FACTO: nos últimos 25 anos, repito, 25 anos, o Porto ganhou 16 campeonatos, o Benfica 6, o Sporting 2, o Boavista 1.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: estes números provam que o Porto é um clube corrupto e só ganhou, durante 25 anos, por causa da corrupção. E diga-se que 25 anos é um período curto que ainda não permitiu construir uma equipa capaz de vencer o Porto.

    - FACTO: o Porto, nos últimos 25 anos, foi 2 vezes Campeão Europeu.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto foi Campeão Europeu porque é um clube corrupto e as suas vitórias não interessam porque é um clube regional.

    - FACTO: o Porto, nos últimos 25 anos, ganhou por 2 vezes a Taça Intercontinental.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto ganhou essas Taças, que na nossa opinião não valem nada, porque é um clube corrupto e as suas vitórias não interessam porque é um clube regional.

    - FACTO: o Porto, nos últimos 25 anos, ganhou uma Taça UEFA e uma Supertaça Europeia.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: a Taça UEFA é um troféu fácil de ganhar. Este ano é que tivemos azar porque apanhamos super equipas como o Galatasaray, o Olympiakos, o Herta de Berlim e o Metalist Kharkov. Tudo equipas de topo. O Porto só ganhou a Taça UEFA e a Supertaça Europeia porque é um clube corrupto e as suas vitórias não interessam porque é um clube regional.

    - FACTO: o Benfica deixa sair Mourinho, Deco e Maniche que vão todos parar ao Porto e que estão na base do Porto ter ganho uma Liga dos Campeões e uma Taça UEFA.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto foi Campeão Europeu e ganhou a Taça UEFA porque é um clube corrupto e as suas vitórias não interessam porque é um clube regional.

    - FACTO: a Liga dos Campeões vai na sua 17ª edição, podendo ser contabilizadas 14 participações do FC Porto e 14 do Manchester United, que são os 2 clubes com mais presenças, enquanto o Benfica e o Sporting contam com 5 participações cada um e o Boavista duas.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto na Europa não é nada porque é um clube regional e corrupto.

    - FACTO: o Porto, das 14 vezes que disputou a Liga dos Campeões, passou a fase de grupos 10 vezes, enquanto o Benfica o fez por uma única vez, sendo que o Porto qualificou-se este ano para os oitavos-de-final pela 3ª vez consecutiva, com um treinador que não serviu ao Benfica, tendo sido despedido da Luz à 11ª jornada na época 2002/03.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto na Europa não é nada porque é um clube regional e quando ganha é porque é um clube corrupto.

    - FACTO: o Benfica tem sido eliminado das competições europeias nos últimos por equipas vulgares como o Getafe, o Español ou o Celtic.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Benfica está a construir uma grande equipa (há sensivelmente 25 anos) e o Porto só ganha porque é um clube corrupto e também não interessa quando ganha porque é um clube regional.

    - FACTO: o Porto foi convidado a integrar o G14, organização onde estão os clubes mais poderosos e influentes do futebol europeu.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Benfica não está porque não se mistura com corruptos, nem com clubes regionais.

    - FACTO: o Porto tem vindo a vender jogadores aos grandes da Europa, como são os casos de Deco ao Barcelona, Paulo Ferreira ao Chelsea, Ricardo Carvalho ao Chelsea, Pepe ao Real Madrid, Anderson ao Manchester United, Bosingwa ao Chelsea e Quaresma ao Inter de Milão. O Benfica vendeu Simão Sabrosa ao Atlético de Madrid!
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto é um clube corrupto e regional e não tem grandes jogadores. Os clubes europeus não sabem o que andam a fazer.

    - FACTO: o Sporting tem a melhor formação de jogadores em Portugal, tendo nos últimos anos saído das suas equipas jovens jogadores como Cristiano Ronaldo, Nani, Quaresma ou Simão Sabrosa. O último grande jogador que o Benfica formou foi Rui Costa, que até já se retirou, tendo havido um completo deserto desde aí.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o presidente do Sporting senta-se ao lado de Pinto da Costa nos jogos entre as duas equipas, logo o Sporting é igual ao Porto, que é um clube de corruptos e regional. Deste modo, o Sporting também deve ser corrupto e nem chega a ser regional, mas sim um clube local, de um bairro de Lisboa.

    - FACTO: os Benfiquistas elegeram presidentes como Manuel Damásio ou Vale e Azevedo que quase destruíram o clube.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: provavelmente os “Verdadeiros Benfiquistas” votaram neles. Mas no fundo, o que era necessário era encontrar um Pinto da Costa vermelho, mas menos regional e provinciano. De qualquer forma um “Verdadeiro Benfiquista” tem que estar calado mesmo que discorde do presidente do seu clube. Discordar é para traidores e infiltrados.

    - FACTO: o Benfica foi incapaz de manter o treinador da equipa principal de futebol que ganhou o penúltimo título em 1993, Toni, para substituí-lo por Artur Jorge e não quis ou não soube manter Trapattoni que ganhou, em 2004, o último campeonato do Benfica. Mas o Benfica também despediu Beto Aranha depois de ter ganho o ano passado o campeonato de Futsal e Aleksander Donner depois de este ter ganho o campeonato de andebol após um longo jejum de 18 anos.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: peço desculpa, mas não me ocorre nenhuma coisa que diria um “Verdadeiro Benfiquista”, mas provavelmente esses treinadores deveriam ser infiltrados e estariam seguramente ao serviço do Porto que é, como todo sabemos, um clube corrupto e, sem dúvida, regional.

    - FACTO: o Benfica, com José Veiga à frente do futebol, foi campeão nacional após um interregno de 11 anos.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Veiga era portista e aprendeu tudo com Pinto da Costa antes de se zangarem, logo José Veiga trouxe para o Benfica os “truques” do Porto. Pergunta: será que isso significa que o nosso último título também foi ganho através da mesma corrupção com que o Porto ganhou tanta coisa?

    - FACTO: o Benfica despediu Fernando Santos que já vinha da época anterior à primeira jornada por ter empatado fora com o Leixões.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto é um clube corrupto e regional e o Fernando Santos até era o Engenheiro do Penta, sendo que esses 5 campeonatos seguidos que o Porto ganhou devem-se totalmente à corrupção.

    - FACTO: o Benfica contrata camiões de jogadores da qualidade de Edcarlos, Luís Filipe, Andrés Diaz, Stretenovic, Marcel, Manduca, Marco Ferreira, etc, etc, etc…
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: o Porto também comprou muitos jogadores maus, e todos os títulos que o Porto ganhou devem-se todos à corrupção. O facto do Porto vender sistematicamente jogadores a grandes clubes da Europa tem uma explicação simples, é que esses clubes gostam de comprar jogadores a clubes regionais, é como quem compra artesanato.

    - FACTO: Pablo Aimar diz que o melhor jogador da Liga Portuguesa é o capitão do FC Porto, Lucho González.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: fez muito bem, porque o rapaz tem que dizer a verdade, sendo que o Director de Comunicação do Benfica está a fazer um trabalho óptimo na pacificação do futebol português elogiando o capitão de equipa do maior adversário do Benfica. É muito bonito este desportivismo! No Porto nunca fizeram semelhante coisa porque são corruptos e logo não dizem a verdade.

    - FACTO: o Benfica, nos últimos anos, tem vindo a registar uma sucessão de recordes negativos: a maior derrota de sempre em jogos europeus (7-0 em Vigo na época de 1999/2000), a pior classificação de sempre (6º lugar na época 2000/01), ficou de fora da Europa pela primeira vez na sua história em 2001/02 e repetiu o desastre na época seguinte (2002/03), ficou sem ganhar um campeonato durante 11 anos e nos últimos 14 ganhou apenas um, já não vai a uma final Europeia há 18 anos. Há muitos mais recordes negativos, mas eu não quero ser fastidioso.
    - EXPLICAÇÃO DOS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS”: francamente não sei bem qual será, mas seguramente é porque o Porto é um clube corrupto e todos estes desastres devem-se a lamentáveis erros de arbitragens.

    - EU DIGO: Gostava que todos os êxitos do Porto tivessem sido do Benfica. Gostava de ter visto o meu Benfica Campeão Europeu e do Mundo. Gostava de ter festejado com todos os Benfiquistas as nossas conquistas nas ruas. Gostava de ter visto o orgulho e esplendor benfiquista de novo bem vincados por esse mundo fora. Mas o que eu vi foi o Porto ganhar.
    - OS “VERDADEIROS BENFIQUISTAS” RESPONDEM: o Bruno Carvalho está a soldo do Pinto da Costa que tem a mulher dele a trabalhar lá no canal e se, por acaso, se assume benfiquista é porque é um infiltrado.

    Acho que já chega!

    E já agora, “Verdadeiros Benfiquistas”, tudo o que eu escrevi que sirva de alerta e que nos faça pensar a todos!

    Até quando vamos acreditar nestas desculpas básicas que apenas servem para esconder tanta incompetência?

    Quando é que conseguiremos olhar para além deste grande embuste, destas desculpas esfarrapadas, e vamos construir um Benfica de novo glorioso e que respeite a sua própria história?

    Eu, como traidor e mau benfiquista, sinto-me inconformado com esta situação, com esta apatia e com esta cegueira. E o pior cego é aquele que não quer ver!

    Sei bem que não estou sozinho nesta minha revolta!

    Por muito que me insultem, vou continuar a escrever a minha opinião e quem não quiser que não leia, que não venha a este blog, porque como já disse, e repito, o sucesso deste blog não se mede pelo número de visitantes, mas pela qualidade do que aqui se discute e pelo nível de quem participa.

    Para aqueles que não gostam do que eu escrevo, não faltam blogs de “Verdadeiros Benfiquistas” que estão muito satisfeitos com os inúmeros sucessos do Benfica e onde vão poder ler a cartilha habitual.

    Não contem comigo para isso.

    Bruno Carvalho


    PS 1: Uma pequena nota sobre as contas do Benfica: a SAD do Benfica apresentou um prejuízo de 2 milhões de euros no 1º trimestre de 2008/09, enquanto tinha registado um lucro de 9 milhões de euros no mesmo período da época anterior. Mais grave, ainda, é o facto dos Resultados Operacionais terem igualmente passado de positivos para negativos, atingindo o montante de 1.1 milhões de euros negativos quando o ano passado eram positivos em 12 milhões de euros. O crescimento do passivo em 19% também não é uma boa notícia. Como eu já vinha alertando, as contas do Benfica talvez não estivessem tão bem como pareciam e já havia indícios claros que isto pudesse vir a acontecer. A continuarem assim as coisas, será normal que comecemos a ouvir falar em mais endividamento do Benfica ou na venda de jogadores. Fica feito o aviso. O tempo encarregar-se-á de mostrar se tenho ou não razão.

    PS 2: Chamo a atenção que é preciso ter muito cuidado com os comentários destas novas transmissões dos jogos do Benfica. É que os comentadores da Benfica TV e da ZON podem induzir ainda mais à cegueira que se abateu sobre muitos benfiquistas. No jogo da Grécia, o comentador da ZON conseguiu ver uma boa exibição do Benfica. É que se a exibição foi boa e perdemos por 5-1, se calhava ter sido má, não quero imaginar o resultado final. A provar o despropósito dos comentários estão os pedidos de desculpa de Quique e de Rui Costa pela exibição da equipa. Mas os “Verdadeiros Benfiquistas” devem adorar estes comentários… E já agora, Quique e Rui Costa não precisam, nem devem, pedir desculpas, pois já estamos fartos de ver todos os anos jogadores e treinadores do Benfica a pedirem perdão aos adeptos. Façam uma coisa: ganhem em vez de pedir desculpas!

    PS 3: Peço desculpa a José Saramago por lhe ter usurpado o nome do seu livro para usar como título deste post. Já agora recomendo a todos irem ver esse maravilhoso filme de Fernando Meirelles que adapta magistralmente para cinema o livro “Ensaio Sobre a Cegueira” de Saramago. É por dizer coisas como estas que eu sou considerado, e com muita razão, um traidor e infiltrado pelos “Verdadeiros Benfiquistas”. Toda a gente sabe que os “Verdadeiros Benfiquistas” apenas vêem (pelo menos uma vez por dia) essa obra-prima do cinema intitulada “Corrupção”, baseada noutra obra de enorme qualidade, o livro “Eu Carolina”. É claro que os “Verdadeiros Benfiquistas” já não se lembram dos tempos em que a Senhora D. Carolina insultava Luís Filipe Vieira, em pleno Estádio da Luz, sentada ao lado do líder dos Super Dragões.

    ResponderEliminar
  2. Ao que parece as actividades pirotécnicas dos "rapazes sem nome" ficam mais baratas que um calduço do diabo de gaia. O "castigo" ficou pelos 1.250 €uros

    ResponderEliminar
  3. Nao é possível enviar essas criaturas todas para o canal selebe?

    ResponderEliminar
  4. Mais uma vez, os meus parabéns Zé Luís pelos pontos mencionados.
    Apenas acho, pouco escalpelizados; mas, mesmo assim, bem focados.
    Olha, quando o Trio de Ataque, discute (aceito que discutam os lances polémicos) como um dos lances do jogo o 2º. amarelo ao Bynia e o "nosso" representante não se insurge contra a idéia...???
    Que saudades tenho do Sr. Pôncio Monteiro!!!

    Abraço!

    ResponderEliminar
  5. Caro Armindo, se fosse a escalpelizar tudo... nem teriam paciência para ler e muito menos fòlego para, no final, comentar.

    A jornada passada sugeriu-me tantas coisas, que me propus trazer aqui a conta-gotas nos dias livres (amanhã á jogo e depois os comentários) e uma semana cheia não chegaria para pôr a escrita em dia.

    É que eu apanho coisas que não foram ditas ou comentadas, portanto fujo do mainstream e procuro outras reflexões, já que a generalidade dos comentadores diz a mesma coisa, está tudo formatado e parece que todos lêem pela mesma cartilha.

    Sobre o Trio de Ataque, também vi, até vi antes o Dia Seguinte. Porquê, se costumo não ver?

    Porque após uma semana sem futebol, mas duas semanas de uma polémica estéril e estúpida para enganar parolos, sentia necessidade da adrenalina dos jogos e até algumas saudades dos comentários mais díspares.

    Sobre Rui Moreira, com quem tive um desentendimento pessoal mas sem algo me mover contra o homem e o comentador, apesar de me parecer que ele o sentiu como afronta pessoal, acho que esteve bem, como está na generalidade.

    Rui Moreira, sobre esse lance, até ressalvou que a expulsão já foi tardia, pois também viu a falta sobre Reguila que aqui lembro no post e era merecedora de segundo amarelo... mais cedo.

    Se eu fosse a escalpelizar, então teria de ir pelas faltas repetidas do Luisão e as cargas ilegais sofridas continuamente por Hélder Barbosa. Rui Moreira decerto viu mas escapou-se-lhe no comentário.

    Uma disputa verbal contra o saudoso homem da azia vermelha teve mesmo réplica de Rui Moreira, quando o APV puxou outra vez a "violência" de Bruno Alves. É nestas ocasiões que me rio mas sinto pena de homens assim, tão cegos e brutos que não enxergam para lá da sua triste realidade.

    Mas que Rui Moreira não tem pedalada para APV, isso não tem, para mais quando este vem com a lengalenga dos campeonatos do Porto, o sistema e tal, embora RM tenha sabido replicar que se alguém controlou a Liga foi o Boavista e, apoiando-o, o Benfica.

    Porque sem isso, nem Boavista nem Benfica teriam sido campeões este século.

    Voltando aos temas gerais, há assuntos que dão pano para mangas e eu estou só a dissecar, precisamente, o que vem sendo dito por uns quantos encartados profissionais com alforria televisiva para todos os disparates.

    E faço-o com a ironia de não ir por onde os programas, os pivots e os comentadores nâo foram: a excelência dos golos de Hulk e em especial do Rodriguez, este o pretexto para uma boa alfinetada de Rui Moreira em APV que achava que Rodriguez nunca encantaria os adeptos do Porto.

    Aliás, essa visão benfiquenta das coisas há anos se vem passando com... Jesualdo.

    A gente ri-se, agradece as benesses e lá continua na frente, canrtando e... rindo. Sempre.

    ResponderEliminar
  6. Li a entrevista ao Jogo e vi o domingo desportivo e concordo plenamente com o artigo do Zé Luis.
    O Vitor Pereira já tinha feito uma crítica à qualidade dos arbitros portugueses após o jogo do Sporting-Porto dizendo que não podia ir buscar árbitros ao estrangeiros como fazem os clubes com jogadores e técnicos. Já na altura tinha-se desdobrado em desculpas.

    Não percebo o porquê da "protecção" ao Pedro Henriques num lance polémico e no Rio Ave - Porto o lance da mão do Gaspar não havia dúvidas, o Proença não marcou penalty e não foi castigado.

    Uma ressalva para dizer que julgo que o Paulo Paraty pôs o pé na poça, e ao contrário do que dizia, não tem o apoio dos árbitros internacionais. Penso que quem vai avançar é o Luis Guilherme novamente.

    Relativamente ao artigo do Bruno Carvalho, ainda bem que é um dos únicos benfiquistas com opiniões sensatas, senão não, não me podia divirtir diariamente com o que dizem os restantes adeptos desse clube.

    ResponderEliminar
  7. "não podia ir buscar árbitros ao estrangeiros".

    Não? Porquê? Salvo o corporativismo - e essa é a porra! --, o que impede?

    Há muitos anos defendo isso, já qui o expus, logo a seguir o Quique aceitou como válida a proposta e acho ser bom para os árbitros trocarem experiências.

    É como se fossem apitar as provas europeias.

    Esse é um dos problemas: o bloqueio. Mental e não só.

    Mas limita-se a fazer uns títulos com as palavras do Quique, como foi em Outubro salvo erro, e passa depressa.

    É claro que só me rio quando Vítor Pereira fala de nove resultados adulterados em cento e não sei quantos jogos.

    Para essa estatística chega a Liga da Falsidade do Rascord.

    Era giro saber quantos jogos defraudados contaria o movimento pela Verdades Desportiva.

    O problema vai muito além dos penáltis e golos mal anulados ou validados injustamente.

    Não repararam, mas eu voltei a reparar: o critério disciplinar do Pedro Proença voltou a penalizar o FC Porto na Choupana. Uma vez mais, mais amarelos para os jogadores portistas. Não fosse o duplo amarelo do central do Nacional e a proporção seria de 1-5 como fez Pedro Proença no... Rio Ave-FC Porto.

    É que em Vila do Conde não foi só o penálti que ficou por marcar.

    Duarte Gomes mostrou no Porto-Marítimo como a condução de um jogo pode ser feita do modo mais ignóbil, fraudulenta, só entre as duas áreas.

    Portanto, falar de arbitragens é falar de quê?

    Seriedade e honestidade precisam-se. As porcas torcem o rabo por aí...

    Mas obrigado por acompanhares e estares atento, dragão arcuense.

    Já agora, és mesmo dos Arcos de Valdevez? Tenho casa também aí perto, quiçá um dia não vemos juntos um jogo do Porto pela TV...

    ResponderEliminar
  8. O Luís Guilherme? Pode ser. Ele também dizia, no seu consulado na CA da Liga, que era mínima a percentagem de jogos com resultados adulterados. E numa época com grandes escândalos. Por exemplo, a de 2004-2005, sim, essa...

    ResponderEliminar
  9. Acima de tudo, a facilidade com que se atiram disparates para o ar é desconcertante. Que leviandade!

    Eu registo isto e fica-me para o resto do ano:

    "dois árbitros em campo – imaginando-se como seria giro um Sporting-Porto arbitrado por Lucílio Vigarista e Bruno Caixão, bastando condensar num só os dois jogos de Alvalade recentes com os portistas sempre prejudicados".

    Dasse.

    ResponderEliminar
  10. O que dizer de uma liga em que o patrocinador principal é também patrocinador de uma participante? Depois de um mesmo jogador em actividade desse clube fazer publicidade a uma casa de apostas e ninguém fazer nada, nada me espanta! Porquê não nos insurgimos? Nem que se seja com mails para esses programas, algum há-de ser lido e comentado. Não podemos deixar que nos passem para trás. Este campeonato é importantíssimo para nós devido à crise, ao prestígio e também pois assim pregamos mais um prego no caixão da associação dos abutres. VIVA O FC PORTO!

    ResponderEliminar
  11. Sim, sou de Arcos de Valdevez, mas como trabalho na zona centro-sul vou poucas vezes à terra. Mas ver um jogo juntos, é preciso é combinar...
    Estou de acordo relativamente à integração de árbitros estrangeiros na nossa liga. Provavelmente o clima de suspeição ia diminuir.
    Não é só o Paixão ou o Lucílio. O que seria uma dupla Xistra-Proença ou Duarte Gomes-João Ferreira. Felizmente este último está numa missão de paz no Líbano.

    ResponderEliminar
  12. Eu também acho que não se pode ter melhores arbitros, mas ir buscar ao estrangeiro é quase impossível pois já imaginaram o que lhes teria de pagar só em subsidio de deslocação? Seria algo de incomportável!

    Sinceramente não acho escandaloso o binya não ter sido expulso naquela entrada sobre reguila pois não foi assim tão dura e podia originar dúvidas. Com a mão passaram a não haver dúvidas.

    É obvio que fiquei feliz pelo Porto ter ganho mas obviamente não sei o que passou na cabeça daquele jogador do nacional para por a mão na bola daquela forma, ainda para mais dentro da área.

    ResponderEliminar
  13. Sobre o recurso a meios tecnológicos,

    Circula na net a seguinte foto

    http://i392.photobucket.com/albums/pp6/axe_pt/Semttulo1.png

    Reparem na distancia entre a linha de meio campo e a "linha de fora" de jogo traçada pela Sport TV

    É a loucura total.

    ResponderEliminar
  14. Essa imagem é só para distrair os tristes 6 milhões...
    Não havia uma camera no chamado "enfiamento da jogada" ou seja, em linha com o penúltimo defensor?
    É que só assim se pode ajuizar duma posição de fora de jogo ou não!
    Assim.... é querer ver um fora de jogo a meio capo, estando colocado atrás da baliza....
    E já agora.... efectivamente existem as imagens na posição que acima menciono e que mostram claramente que existe infracção.
    Sendo assim... qual o objectivo de mostrar estas???
    Mantenham-se entretidos "invejosos" que nós lá vamos ganhando...

    ResponderEliminar
  15. Eu sou a favor destas linhas imaginárias que dão a noção que o Reguila estava fora-de-jogo. Eu gostava que o Benfica se queixasse da arbitragem. Era sinal que continuavam a achar que o problema era externo e não interno.
    Como disse o Jorge Maia à dias não há pior para uma equipa do que entrar em campo a pensar que não dependem só deles para vencer, mas que há outros factores a influenciar, mesmo que não corresponda à verdade. Não foi com estas palavras, mas ideia é esta.
    É evidente que não é fora-de-jogo, o fiscal-de-linha estava bem posicionado, há uma câmara no meio-campo que dá uma melhor visão da jogada.

    ResponderEliminar
  16. Acabei de ver agora a convocatoria para o jogo da taça da liga e congratulo-me pela rotaçao total do plantel.

    A taça de Portugal (principalmente pelo dinheiro que este ano "oferece" ao vencedor), ja ja reparei que é uma das prioridades.

    De resto precisamos dos jogadores essenciais em condiçoes fisicas para os proximos 3 meses. Sera nas proximas 12 semanas que o sucesso da época se decide.

    Duas recepçoes às duas companhias circenses da capital (com vitorias obrigatorias em todos os jogos até la) e a decisao da passagem aos 4os da Liga Milionaria e à final da taça de Portugal.

    Perante esta situaçao, Jesualdo faz o que deve, da minutos a jogadores que se estao a fazer, e neste sentido espero que o Tomas e o Guarin joguem os 90 minutos, embora o 1o tenha andado engripado, e que o Sapunaru faça quantos minutos as pernas lhe deixarem.

    Sao 3 jogadores muito importantes para o que ai vem.

    Quanto às arbitragens, enfim, tivemos uma semana com arbitragens isentas, que nao tiveram qualquer influencia nos resultados. Pois é exactamente a semana em que interessa falar de arbitragens para desviar atençoes do clube que apenas vencem um campeonato nos ultimos 16 anos. E todos sabemos como o conquistou.

    O Steward diz:
    "Sinceramente não acho escandaloso o binya não ter sido expulso naquela entrada sobre reguila pois não foi assim tão dura e podia originar dúvidas. Com a mão passaram a não haver dúvidas."

    Devemos ter visto jogos diferentes.

    Para além da ridicula sucessao de faltas sobre o Helder Barbosa, essa sobre o Reguila é sem duvida passivel da amostragem do 2o amarelo.

    So mesmo num clube como a agremiaçao, esse homem loiro pode ser considerado um jogador de futebol.
    Dizer que ele nao é maldoso... enfim, entao é burro. E mais idiota é quem o poe a jogar. Mais incompetente ainda é que o contrata.
    Ruizinho e Orelhas por muitos anos, quem dera.

    ResponderEliminar
  17. "João Ferreira. Felizmente este último está numa missão de paz no Líbano".

    Infelizmente, já acabou, o João "Pode ser o João" Ferreira apitou esta tarde o Académica-Nacional da Taça da Liga.

    O Vítor Pereira já tinha anunciado este "reforço de Inverno", com o fim da missão militar no Líbano de João Ferreira. Enfim, mais um prego para o caixão.

    Essa supla Duarte Gomes-João Ferreira também seria de partir o coco, sem dúvida.

    Sobre os meios tecnológicos, teria muito, mas mesmo muito para dizer. Não acredito, nunca acreditarei que tal seja implementado. A relação custo-benefício já foi considerada exorbitante, depois da experiência do chip na bola para as situações de dúvida na linha de baliza. E uma coisa destas não é para implementar para um jogo, ou para um Mundial como sugeriu, mais uma ideia peregrina, o Tadeia. Nem a FIFA admitiria isso, mesmo sendo o "seu" Mundial. Não se pode desvirtuar um jogo "especial" só porque sim. Há que ter noção do bom senso e da aplicabilidade dos meios e o seu custo e, acima de tudo, universalidade.

    Não inventemos, de resto as imagens que há são alvo de análises diferentes de árbitros, ex-árbitros, comentadores mais ou menos encartados, não há garantias de 100%.

    Aliás, sobre essa linha imaginária do fora-de-jogo, ja no Leixões-FC Porto da época passada (golo do Tarik) as contestei. A da Trofa pareceu-me grosseiramente traçada. Tem de haver referências precisas e não existiam, penso eu, daí a linha ter aparecido algo inclinada; coincidentemente, de forma a que Reguila pudesse estar em fora-de-jogo. Mas essa imagem não é conclusiva, porque não se sabe que parte do corpo pode pisar a linha ou não.

    Porque não aplicaram a linha através da câmara a meio do campo? O que impediria de traçar uma paralela à linha divisória do campo, quando se vê o Maxi Pereira a pôr em jogo o Reguila?

    Isto é tudo uma mentira pegada e os parvalhões da televisão têm mais culpas que todos os outros.

    Quantas televisões já posicionaram as câmaras devidamente para apanhar as linhas de baliza?

    É uma farsa, ninguém sabe "trabalhar" isto. Depois do alegado golo do Petit, em 2005, alguma câmara foi colocada para tirar dúvidas em lance igual? O golo deste ano do Benfica entrou? Alguma câmara dissipou dúvidas.

    É só enganadores e ninguém foca o essencial.

    E teria muito mais que dizer. Muito mais.

    ResponderEliminar
  18. Em relação a arbitragens, o choradinho infundado dos lampiões começa a surtir os seus efeitos. Penalty perdoado ao Maxi Pereira, agressão de Ruben Amorim que passa também ela impune.
    Não deixa de ser um sinal para o futuro. O Olegário já nos roubou uma taça- a de Portugal- e prepara-se para roubar outra porque ou muito me engano ou, se chegarmos à final, vamos ter de levar com ele.
    Em relação ao jogo de amanhã, espero que o Pelé tenha a oportunidade de ser titular, até porque mesmo reconhecendo que o Fernando tem grandes qualidades e pode, no futuro, vir a ser um Paulo A$$unção (sem a parte dos cifrões, espero eu), tem cometido alguns erros. O Pelé é um jogador com potencial para ser o Patrick Vieira português, não tenho dúvidas disso, a minha grande dúvida é se ele o quer ser e se no FC Porto lhe vão dar oportunidades par isso em vez de o desbaratarem como aconteceu com o Diego, o Luís Fabiano e o Thiago Silva.

    ResponderEliminar
  19. É, o nível do Olarápio deve ser a referência.

    Mais um critério disciplinar no sentido do costume, tantas faltas para amarelo e nada, até o David Luiz a chutar a bola para a bancada, já fora do campo, passou sem amarelo.

    Mas, já agora, além daquele inenarrável Marquinho, que é um zero absoluto - apesar de ter sofrido o penálti -, o Nuno Assis voltou a ser uma nulidade. Já tinha reparado no jogo da Liga contra o Benfica. O Vitória passou a jogar com menos um. Já o Luis Filipe bateu-se muito bem, mas tem limitações inultrapassáveis, nada a fazer.

    ResponderEliminar
  20. Os espanhois também não podem falar muito. A amizade hipócrita com o clube do regime do Estado Novo manietou-os e agora só têm que ficar caladinhos.

    ResponderEliminar
  21. As manchetes dos jornais desportivos de amanha vão escamotear o penaltie claro roubado ao guimaraes.Será que vai ter o mesmo destaque que o lance dos vermelhos frente ao nacional?
    Será disto que o presidente dos vermelhos falava?..assim ninguem os para!!
    Impressionante para quem viu o jogo com atenção, foi o numero de faltas graves que o David Luiz fez ao longo do jogo!!Deu para jogar com a mão , dar fruta ou chocolate a quem lhe passasse pela frente, até chutar para longe já com a bola fora!!
    é este o sistema que eles querem verdade?
    E Ainda falam do Bruno Alves!!
    ..
    Agora coisas serias: o professor esteve bem ao poupar 10 titulares.
    Roda os outros numa competição menor e mantem-lhes algum ritmo competitivo.
    Uma vez que o calendário é demasiado apertado , teria que haver prioridades.Muito bem!

    ResponderEliminar
  22. "o professor esteve bem ao poupar 10 titulares.
    Roda os outros numa competição menor e mantem-lhes algum ritmo competitivo.
    Uma vez que o calendário é demasiado apertado , teria que haver prioridades.Muito bem!"

    Louro, acho que o FC Porto não pode fazer isto, tem de apresentar 5 titulares de um dos dois últimos jogos. Espero que não haja bronca e derrota na secretaria.

    É que o Regulamento da Taça da Liga pede:

    Artigo 11.º
    OBRIGATORIEDADE DE PARTICIPAÇÃO DE JOGADORES
    1. Durante a competição, com excepção das 1ª e 2ª fases, os Clubes são obrigados a fazer participar nas suas equipas em
    cada jogo pelo menos 5 jogadores que tenham sido incluídos na ficha técnica como efectivos em um dos dois últimos
    jogos oficiais da época em curso, salvo caso de força maior, comunicado à Liga P.F.P. com a antecedência mínima de 5
    dias antes da realização do respectivo jogo e, desde que, os motivos invocados sejam considerados pela Liga P.F.P. como
    justificativos.
    2. Os Clubes são também obrigados a incluir na ficha técnica como efectivos, em cada jogo disputado, pelo menos 2
    jogadores “formados localmente”, cuja definição decorre do disposto no artigo 37.º do Regulamento de Competições.

    "Formados localmente": jogadores com 3 anos de inscrição pelo clube na FPF, dos 15 aos 21 anos.

    Se Jesualdo dispensa os titulares dos últimos jogos, à excepção do P. Emanuel, como pode cumprir o regulamento?

    Ou estou a ver mal, tipo Olarápio no penálti e nos amarelos por mostrar aos vermelhos.

    ResponderEliminar
  23. ze luis, penso que o efectivos que diz no regulamento quer dizer utilizados e não titulares, e se calhar por alguma razão benites entrou no ultimo minuto no jogo do nacional.

    Se assim for porque não tenho a certeza.guarin,benites,mariano,farias
    e P.emanuel preenchem os requisitos.

    De resto acho que o plantel devia rodar assim, os jogos que temos pela frente em janeiro e fevereiros são demasiado inmportantes não podemos correr o risco de ter jogadores a perder "gás" na primeira fase da competição e alem disso da-se uma oportunidade a outros jogadores (ainda que teorica porque mudar uma equipa inteira não da para avaliar jogadores correctamente)

    ResponderEliminar
  24. Também penso assim, sirmister, mas a língua portuguesa é muito traiçoeira.

    Se não houver problemas, é óbvio que esta equipa deve jogar.

    Mas para ser compreendida e apoiada.

    Não para ser apedrejada se algo correr mal como é admissível.

    ResponderEliminar