27 julho 2010

Portugal sob fogo (I): Hulk incendeia alguma coisa?

Vejo num escaparate que A Bola faz uma manchete com a chamada de David Luiz à selecção brasileira onde parece já não caber Luisão. Os altos patrocínios do mercado fazem isto, tanto como os milhões que presumivelmente chovem sobre a Luz debaixo de uma protecção como se dinheiro fosse lixo.
Já Hulk fez um golo monumental, vi na TV em resumo, e tem marcado sempre, mas já não vale os 100ME que estupidamente lhe colocaram sobre a cabeça como preço para inglês ver. Não noto muitos títulos com isto.
Mas devo ser eu a derreter com o calor. Para já tenho um joelho magoado e um pé torcido numa queda enquanto magicava nos incêndios ao ver uma encosta a arder depois de um ministro ter aparecido a dizer que os meios de combate aos fogos são suficientes, mesmo após ter-se noticiado que há menos sete mil bombeiros na causa. Esta minha queda fez-me, sintomaticamente, recordar outro tombo por causa de um incêncio, logo no dia da minha despedida da tropa e porque tive de levar um destacamento a dar apoio aos bombeiros, vão quase 27 ano, então com um ombro e respectiva omoplata a doerem.
Tanto tempo depois, vejo que as pessoas nem acodem aos fogos a 20 metros das suas casas e quando chegam, ainda que tardiamente, os bombeiros são prestáveis a oferecerem-lhes... vinho. Também há 27 anos assisti a isso. Vinho para a tropa, fossem soldados da paz ou mal preparados para a guerra. Os fogos, antes como agora, ardem, até quando um ministro, em 2005, decretou o fim dos fogos logo na abertura da época, a 1 de Junho. Os meios, dizem, agora servem, mas não vi helicópteros, ouvi-os ao longe, ainda que o Apocalipse Now me tenha aparecido sob a forma de fumo a encobrir o sol e cinzas a fazer de mortalha num país a arder mas que Hulk não incendeia. Só os panfletos desportivos tão afectos ao regime como os louvaminhas que acreditam não precisar a Constituição de ser reparada seriamente de anacronismos e fogos de vista, como a Saúde, o Ensino gratuitos e o trabalho para sempre, que os tugas gostam de ter ao pé da porta sem terem de se maçar muito se a coisa der para o torto.
Nota (actualizado 5ª feira 29/7 às 23.47h): peço desculpa pelo erro no título de que só agora dei conta ao chegar a casa e ver até um comentário a propósito, mas escrevi sem corrigir os 5 posts que tive de fazer no limite de 1 hora de internet aí pelo Portugal Profundo. Nem sei se há mais erros por aí, mas depressa e bem há pouco quem.

3 comentários:

  1. O Hulk com um mero olhar encendeia tudo.

    ResponderEliminar
  2. Alguns ainda se lembram do pessoal da serra da carregueira,
    eu estava dwe serviço na RAAF em
    Queluz.

    ResponderEliminar
  3. encendeia ou incendeia, é igual. Obrigado, mas já expliquei o erro (só do título).

    ResponderEliminar