01 novembro 2011

Se não visse e não ouvisse não acreditaria!...

Já vi de tudo no futebol, nada há que me surpreenda. Porém, são os meus olhos, os meus ouvidos e os meus sentidos que me dão conta da simplicidade e também dos mistérios que este jogo encerra. Se não tivesse visto e não tivesse ouvido aqueles inenarráveis da RTP não acreditaria que o Porto perdeu um jogo com o APOEL. Não pela derrota, nem pelo nome do adversário, mas pelas incidências do mesmo. O futebol dá para coisas assim, ou vitórias desconchavadas ou equívocos desconcertantes.


Não acho que o FC Porto tenha feito um mau jogo em Nicósia, fez muito pior no Dragão com estes cipriotas que são muito duros de roer, limitadíssimos tecnica e tacticamente mas muito difíceis de domar com um espírito de luta inquebrantável.


Mas este FC Porto, com um ponta-de-lança inexistente, não tem pinta para a Champions e mesmo que aceda à Liga Europa não a ganhará. A Champions já foi, hoje, numa noite daquelas incríveis em que o futebol é fértil, apesar de se achar raro. E, contudo, agora que consultei a classificação, o FC Porto ainda pode ser 1º classificado. Mas não tem o espírito nem futebol convicto que conduza a essa superação.


Um 2-1 com dois penáltis inventados e um golo em fora-de-jogo quilométrico, não digo inacreditável porque já vi até irregularidades de quilometragem mais acentuada. Os bimbos da RTP, com dois palermas a relatar e um a comentar de preconceito, não viram, não relataram um fora-de-jogo enorme na cara do auxiliar, depois de passarem o jogo a falar de foras-de-jogo cipriotas à tangente quando eram visíveis à distância.



Fica a derrota num jogo muito ingrato que só confirma o que disse em todas as jornadas da Champions, mesmo quando deu 2-1 ao Shakhtar e Kléber até marcou de empurrão fácil. O FC Porto não tem homem de área para a Champions e não tem sequer dois avançados-centro, Kléber e Walter, que valham um só de jeito, Já o tinha assumido e sentencio. Por isso, mesmo se for à Liga Europa, o FC Porto não repetirá, com estes jogadores, o êxito de Dublin na final de Bucareste. Se for, que é o mínimo a que se obriga na viagem próxima a Donetsk onde um empate garantirá esse objectivo (in)decente.


Da mesma forma que não vou repetir o que achava do perigoso grupo sorteado no Mónaco, tão levianamente assumido por quase todos, não aceitarei comentários maldosos para lá do limite qu achar superar a crítica razoável. Nem que queiram falar da SAD, mais pelo objectivo de dinheiros para cá e orçamentos para lá, ou repisar a má venda do Falcao e a não aquisição de um ponta-de-lança de jeito, porque nunca vi, em 40 anos de bola, um FC Porto sem um ponta-de-lança minimamente decente e esta época é um desastre.


O FC Porto, que já foi eliminado pelo Wrexham da IV divisão inglesa após ter sido finalista da Taça das Taças com brilhantismo, tem mais uma página negra no seu historial europeu, porque contará o resultado e a eliminação quase inevitável da Champions. E o resultado surge por a equipa não chegar à área e não ter ali um ponto de referência como teve praticamente ao longo da sua história. É este o cúmulo da situação, que não quero repetir.


Um penálti absurdo a fechar a 1ª parte enervou mais uma equipa que voltou a não ter gente com chegada à área. Se não visse e não tivesse visto noutras ocasiões, não acreditaria que Hulk ficou a 9,15 metros de Moutinho na marcação de um canto, junto à lateral, na 1ª parte... Foi a imagem de falta de iniciativa que só o belicoso Belluschi não garantia, apesar de o FC Porto jogar subido no campo mas expondo-se fatalmente a pontapés longos para o excelente Ailton. Este atirou-se para o chão e ganhou um penálti, tal como James fez quase no fim e Hulk converteu no que seria o resultado certo (1-1) para um jogo feio e mal jogado num campo ervado e regado com o vento seco... Mas o fim da picada foi ainda perder o jogo numa jogada de um fora-de-jogo monstruoso na direita. Caiu, então, o silêncio dos bimbos da RTP, quebrado pela forma exultante como festejaram os golos cipriotas enquanto o parolo do relatador anunciava a programação para toda a semana, depois da descoberta da Nicósia dividida, como estava há dois anos e está de resto desde a invasão turca de 1974...




Também não me surpreende, porque vai-se vendo disto com frequência, que a arbitragem tenha sido tão simpática nos dois jogos com a equipa teoricamente mais fraca que protegeram, um francês idiota e um italiano principiante, até à exuastão, deitando por terra mais uma teoria, a dos coitadinhos sempre perseguidos e desfavorecidos. No capítulo disciplinar e na marcação de faltas aos cai-cai de Chipre foram duas lições de half-contact que os portistas nunca entenderam, caindo no erro dos encostos que os faziam cair como castelos de areia quando nas divididas eram tão durões. As circunstâncias fizeram o sucesso desta combativa equipa de Chipre que não fará mais história para além disto mas que é o suficiente para as suas magras posses que "compram" pelo menos o epíteto de tomba-gigantes ou Cinderela da Europa...


Vamos ter disto por toda a época, porque pouco há a mudar apesar de uns quantos irem insistir no treinador que fez mexidas no meio-campo a pecar por tirar o melhor médio, Fernando, tal como no jogo do Dragão. E numa noite tão negra, em vários sentidos, volto a não meter foto, nem a ironizar.




E não ironizo se pedir a Vítor Pereira que não garanta mais um jogo fortíssimo à Porto ou um Hulk motivadíssimo. Mesmo a 4 pontos do 1º lugar no grupo e até podendo depender de si próprio para se apurar como 2º classificado, a falta de chama é evidente e resta concentrar nas lides domésticas onde há uma invencibilidade para manter e três troféus a conquistar. Chegará?

30 comentários:

  1. Uma exibição desastrosa!!!Uma equipa fraca, sem ideias, sem fio de jogo liderada por um treinador de 3ª categoria. É o que dá colocar um ROUPEIRO no lugar do treinador...

    Como é possível não colocar o James de inicio e colocar o Varela que parece que desaprendeu de jogar. Como é possível tirar Fernando do jogo e não Bellushi, que passou completamente ao lado do jogo.

    Como é possivel o Presidente autorizar transferências milionárias por jogadores de 2ª categoria como Mangala, Deffour, Djalma, Kleber,etc....

    Estão a destruir o nosso FCP...

    Saudações Portistas

    Pedro Sousa, de Braga

    ResponderEliminar
  2. Meu Caro Zé Luís,neste jogo lembrei me dos tempos de Octavio Machado...
    Saudações Portistas!
    Abraço
    duck

    ResponderEliminar
  3. dj, o Octávio que não quis o Jardel (nem o presidente forçou...), mas tinha o Pena que era melhor do que Kléber e Walter juntos. Fizemos uma Champions razoável com um recorde de jogos, em Dezembro tudo descarrilou apesar dos três trincos.

    Ah e tínhamos um metodologista do treino...

    E foi uma escolha pessoal de Pinto da Costa...

    ResponderEliminar
  4. Eu lembrei-me de uma derrota inverosímil na Naval, precisamente a 1 de Novembro de 2008 salvo erro, a coroar uma série de três derrotas seguidas.

    Depois, Jesualdo deu a volta e acabámos com dobradinha em 2009.

    Mas as circunstâncias são sempre diferentes. Afinal, tínhamos o Lucho e o Lisandro.

    ResponderEliminar
  5. Pedro Sousa, não vi Mangala cometer os erros que na tv lhe apontaram, nem falta no penálti.

    E acho que temos ali um central (19 anos) de categoria)!

    ResponderEliminar
  6. Já comecei a cortar comentários... Tão previsíveis...

    ResponderEliminar
  7. a exibição não foi tão má como dizem.O mau relvado, a má arbitragem , umn adversário a faz jogar em catenacio( 5*4*1) e sim, a falta de confiança da equipa.
    Acho que o Kleber não é assim tão mau ...a bola raramente lá chegou e os cruzamentos realizados que foram muitos , foram sempre executados para o guarda redes.Não temos o Falcao , mas o colombiano não faz milagres em Madrid.
    Temos sim , jogadores em sub produção , falta raça, fibra vontade , meter o pé com convicção ..algo que o Mangala o faz e bem ... o melhor de longe entre todos os jogadores azuis e brancos!
    Dou-vos um exemplo:
    Com o resultado em 1-1 , Alvaro Pereira fez um corte (passe) tão atabalhoado que deu origem á jogada de contra ataque e por consequência o segundo golo cipriota...

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  9. Da época passada em que não perdemos um jogo para esta só falta falcão.
    Admito que o Presidente só tenha conseguido o substituto para Janeiro, vamos ver.

    Agora, este Vitor Pereira é que não dá. Não sei que provas serão mais precisas...
    Dá vontade de chorar ver aquela máquina nas mãos deste gajo. São às DUZIAS as situações em que estão 2 jogadores no mesmo sítio e nenhum onde é preciso; o fucile passa mais um jogo a levar baile, nem acredito que conseguiu não ser expulso, depois do que tem feito aposta-se nele mais uma vez no jogo decisivo; o beluschi não produz e só sai quase no final; o varela para ajudar atrás nem convidado por escrito; aquele kleber não toca na bola um jogo inteiro; andamos 1 semana a treinar um onze e chegamos lá e a relva não é bem da cor certa e muda tudo; um desastre completo, este senhor não pode orientar mais um treino sequer!!!

    ResponderEliminar
  10. Notas soltas, motivadas por este Porto fantasma de si mesmo:

    Se Sapunaru dá susto, Fucile dá pânico.

    Se Falcão valesse pela equipa toda do Porto da época passada, o At. Madrid estava a fazer maravilhas esta época.

    Quando apenas 1 jogador sai de uma equipa, e de uma época para a outra o futebol dessa equipa muda para tão pior, a todos os níveis, que mais parece que todos os seus jogadores foram substituídos pelos respectivos juniores, obviamente que a culpa é pelo menos 99% do treinador, e a culpa do jovem ponta de lança de 21 anos recém chegado, será, quando muito, de 1%.

    Pena, funcionava a maior parte das vezes como central da equipa adversária. Teve 1 ano extraordinário, em que tudo lhe saíu bem, e antes disso e depois disso foi um PL banalíssimo. Não se pode classificar um PL como bom, só porque teve 1 ano bom entre muitos maus durante a sua carreira.

    Kléber é fraco mas presta para ir à selecção brasileira. Pena, nem em clubes de 2ª e 3ª linha, por onde andou emprestado pelo FCPorto, se afirmou.

    O actual treinador do Porto, depois de sair do Porto, nem para clubes de fundo da 1ª divisão servirá. É pior que qualquer outro treinador do "reinado" de Pinto da Costa", pior até que Quinito. É um desastre.

    ResponderEliminar
  11. não existiram penaltis, mas também não houve fora de jogo algum. Aprendam a perder.

    ResponderEliminar
  12. Nem me apetece fazer grandes comentários tal a azia que sinto face à vulgaridade da exibição portista: Vergonhosa, incompreensível e intolerante.

    Fico-me por aqui!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  13. Estou envergonhado.
    Para esquecer: VP, Fucile, belluschi, defour, guarin e hulk nos últimos três jogos. O mínimo que se exige é que ganhem novamente a liga europa.

    ResponderEliminar
  14. O 2-1 nasce de um fora-de-jogo quilométrico, que se vê sem repetição alguma. É uma fraude, mas com gente em estado colérico não vale a pena, nem mostrar as imagens mil vezes quanto mais repetir uma vez por palavras.

    Se os jogadores não jogam, nem sempre a culpa é do treinador, já se viu disto muitas vezes.

    Uma vez, como aqui já recordei (mas não adianta perante tanta gente em cólera), a 1 de Novembro de 2008 perdemos 3 jogos seguidos e pediram a demissão de Jesualdo.

    Decerto já esqueceram o que se passou depois: dobradinha, 23 jogos sem perder e 11 vitórias consecutivas fora de casa, 1/4 final com o M. United e a eliminatória decidida até ao fim.

    Quanto ao Falcao, ele não faz milagres, ajuda a fazê-los como a marcar golos e a levar o FC Porto à melhor época da sua história.

    Comparar, Negroni, o Falcao no FC Porto ao Atl. Madrid é só mais um exercício de despautério e desonestidade que é habitual nestas circunstâncias.

    Vai-se andar a discutir se joga o Varela ou o James, o Guarín ou o Belluschi e cada um dá o seu palpite. Os adeptos são assim, mas não dou para esse peditório indigente.

    Tal como há três anos em que defendi Jesualdo até à exaustão e ele acabou a época a renovar por mais dois anos até descobrir que perdia Lucho e Lisandro de uma vez - memória que já aqui recuperei a propósito do que me "palpita" para esta época de transição difícil -, não vou desancar em Vítor Pereira e acho que temos equipa e treinador para pôr isto a andar outra vez.

    Mesmo contra os chamados adeptos que são facilmente portistas nas horas da vitória. Mas talvez algum dia enham razão. Não creio é que o presidente a vá dar a algum palpite mais destrambelhado.

    E, contudo, a parte da minha crítica já foi feita na altura devida em relação à forma como a época foi preparada no tocante a substituir o treinador e o goleador. Agora é chover no molhado, mas aproveitem que está tempo para isso.

    ResponderEliminar
  15. João Almeida, não vês aqui da minha parte algum mau perder, apesar de me custar muito esta derrota até pelo vício que a enferma e que é um fora-de-jogo monstruoso.

    De resto, ao contrário da maralha, da daqui e da do teu sítio, nõ me vês a acusar tudo e todos a torto e a direito. Portanto, cuidado com certas avaliações que eu não aturo parvos ou candidatos a isso.

    ResponderEliminar
  16. José Rodrigues, o post é feito na 1ª pessoa e ou eu, e não "nós", que assumo um clamoroso erro de arbitragem, uma arbitragem de resto miserável que só não se deixou enganar naquele primeiro lance em que os cipriotas, tão dados ao cai-cai, reclamaram penálti.

    Já se tinha visto no Dragão que eles procuram o mínimo contacto para levar o árbitro a marcar falta. Neste jogo foi mais do mesmo, na área procuraram tanto ludibriar como o James e eu não nego que houve fita do James também.

    O FC Porto nunca soube jogar com este futebol de guerrilha e trincheira que é a marca do APOEL e por isso torna tão difícil vencê-los, por incrível que pareça. Se calhar até vão perder os dois jogos seguintes, mas isso não interessa agora.

    O FC Porto deslumbrou-se com os êxitos da época passada: a SAD, o treinador substituto e os jogadores que são os mesmos, logo têm as culpas maiores no cartório...

    E a equipa ainda joga de fato de gala, por oposição a outras como o Zenit e o APOEL. O Shakhtar, que jogou sem medo os 1/4 final da Champions com o Barça depois de ganhar o grupo com o Arsenal e o Braga, parece padecer do mesmo mal do Porto.

    E, entrtetanto, a classificação do grupo parece invertida face ao que era suposto. É preciso saber jogar com as circunstâncias e o FC Porto não se adaptou a estas. Sente dificuldades notórias, são os mesmos jogadores da época passada que foram desincentivados pelo treinador ou este fê-los desaprender?

    Ridículo!

    Mas achar que Mangala é ridículo também tem que se lhe diga...

    ResponderEliminar
  17. Ah, e tão deslumbrados como todos e sem noção das realidades estão os adeptos. Como se vê fartamente.

    Não têm noção das realidades ´da Liga Europa para a Champions, do valor das equipas e da motivação da forma como avaliaram o grupo (fácil para 99% de adeptos). Não têm noção dos erros individuais que dão cabo da intenção colectiva e eu só foco um no texto, mas vêem-se em todos os jogos como há gente que não anda ou não dá mais um bocadinho do que deve à equipa. Depois, transforma-se tudo numa questão de preparação física. Uma lenga-lenga que já vem do jogo com o Benfica, basta empatar uma vez ou outra e cai o Carmo e a Trindade.

    Depois, ou acima de tudo, a ideia de que era fácil transpor da época passada para esta a categoria que todo0s retiveram no final de época mas, como já aqui referi e só os seguidores compreendem pela assiduidade, esquecem os tempos pouco convincentes do início de época, a começar pelo jogo da 1ª jornada na Naval que foi muito fraco e seguiu-se à Supertaça pletórica de energia e raça frente ao Benfica.

    Esses altos e baixos acabaram "nivelados" pela imagem que a equipa deu de si no final. E só isso. O resto é falta de memória e muita presunção de que udo começa bem no início de cada época.

    Mas a cada qual o seu feeling para isto.

    ResponderEliminar
  18. Zé Luis, parabens pela analise lucida no meio de tanto lixo audio-textual que se ouve e vê por ai!
    Os incompetentes d'O Jogo foram capazes de afirmar que o 2-1 não é em fora de jogo - incrivel!

    Alguma coisa vai muito mal, mas não me parece que o culpado principal seja o treinador - longe disso.

    Agora está bom de vêr que depois da fuga para as £ibras a opção de manter as principais figuras do plantel não está a ser a acertada. O fim de ciclo precipitado pela saida do ex-treinador deveria ter sido assumido.

    Assim, perdeu-se a "embalagem" que traziamos duma época extraordinária mas manteve-se a fasquia demasiado alta em circunstancias completamente diferentes.

    ResponderEliminar
  19. Incrivel o choradinho sobre o Falcão ??? Mas o Falcão ontem tinha marcado algum golo??? Qual ??? Marcaria como tem marcado no AM !!!
    O problema é outro... Daquela equipe APOEL, nem um seria titular no FCP... Vá lá, 2 ou 3 estariam no banco, ao lado do Djalma. Quem teria lugar de caras, seria o treinador, isso sim! Com vulgares jogadores, corridos de Clubes + ou -, mas com rigor, estudo das equipes, intervenção, intervenção...sempre!
    O nosso, publicou um estudo sobre o Barcelona... teve boa nota no FCEDEF... Mas...??? transfiram-no para a Revista DRAGOES.

    ResponderEliminar
  20. Zé Luis estou totalmente de acordo consigo, e vi o jogo que viu.
    Um terreno muito mau, um árbitro de trazer por casa, uma equipe do Apoel cínica e manhosa, e os jogadores do porto com falta de empenho e deslumbrados - não conscientes da real qualidade que têm, mas pensando que valem o que o Libras lhes devia dizer que valiam - apenas vi uma equipe a lutar contra si própria, sem solidariedade...

    Infelizmente há muitos adeptos que têm a lata de dizer que estão envergonhados. - Só demonstram que não gostam do clube, apenas gostam das vitórias.
    Criticam os jogadores por emocionalmente não estarem bem, mas atacam tudo e todos, e pedem a cabeça do treinador nas contrariedades.O que também faz muito sentido.

    Para mim, o pior num jogo desta Champions, foi aquela segunda parte do primeiro jogo: jogo em casa, contra o Shaktar, em que a equipe fez de conta que jogava contra 9 e começou a jogar "em posse"... E foi o pior porque gostaram todos muito, e ninguém disse nada.
    Aí se viu o deslumbramento e a parolice.
    O mal que a equipe joga é exactamente proporcional ao mal de que os adeptos padecem:
    - Deslumbramento e alheamento da realidade.

    ResponderEliminar
  21. miguel, nada destas reacções me surpreende. Vi agora na RTP que foram insultar a equipa ao aeroporto. Os adeptos são iguais em todo o lado, idiotas quando chega a hora e previsíveis como sempre.

    Continuo a eliminar comentários estúpidos, como previa, e só estou à espera de ver o resumo do jogo na TVI para perceber se mais alguém vê fora-de-jogo, enorme, repito, no lance do 2-1.

    Que não aceitem, e eu não me justifico com isso, que não pode haver desculpas nem por um lance irregular, que é claríssimo e só um parvo não vê - venham daí os parvos recusarem o epíteto e devolver-mo que posso bem com isso -, é uma coisa. Que neguem uma evidência flagrante já vai para lá do domínio do irracional. Que eu sei existir na larga maioria de adeptos, já vi disto muitas vezes em muito lado, mas que só me faz ter pena de tão pobres almas.

    Vou apenas tolerando os parolos que só assumem nas horas más, cortando-lhes os excessos e marimbando-me se gostam ou não.

    Já dizia o Helton, como salientei, que é tão fácil apoiar o Porto, diferente é ser do Porto.

    As coisas não estão bem, não me iludi com a ideia de "transferir-se" a época passada para a corrente época como alguns iluminados ou "optimistas", mas este tipo de cenários ocorrem sempre no futebol e tenho lembrado, para aqueles de memória curta se existente sequer, como foi há três anos com Jesualdo.

    E uma crítica, ou uma filosofia criteriosa, não nasce de um dia para o outro, ao sabor da corrente ou dos humores, é necessário exercitar a consciência anos a fio e mostrar seriedade, serenidade e hombridade, em todas as horas, por forma a ser credível ou não e eu prezo-me da minha linha de conduta que não vai ao ritmo da maré e do volume da maralha.

    Por fim, partilho a tua ideia expressa nos dois últimos prágrafos, mas sabes que isto do futebol não é ciência exacta e, de resto, já tenho a minha conta de críticas a certas opções da SAD, como sempre referi sem esconder nada mas procurando ser objectivo e não ofensivo. É precisamente o rasto desses textos e ideias que estão aí para consulta ou avivando a memória de quem tem a paciência de me acompanhar ao longo destes anos.

    Não sei se VP aguentará a pressão e os jogadores voltarão a jogar o que sabem e que ninguém lhes tirou. Acredito que nada de extraordinário acontecerá em termos de rupturas e que o balanço, como sempre, se fará apenas no fim da época. Para o bem ou o mal, mude-se ou não de treinador. Porque há coisas que vêm mesmo só de cima e há menos coragem de apontar esses erros.

    ResponderEliminar
  22. Ao contrário de outros blogues, este não aceita comentários anónimos, uma medida tomada há muito tempo e que perfilho totalmente. Mesmo assim, com alguns nomes conhecidos que aparecem nas horas más, não adianta a chico-espertos encontrarem um nome à pressa para destilarem ódio e parvoíce. A filtragem continua a ser feita. Gostem ou não. Isto é de borla, mas não é para todos.

    ResponderEliminar
  23. reione margot, o APOEL tem o direito de ser cínico e manhoso porque aprendeu e refinou essas qualidades da última vez que jogou na Champions e já foi um cabo dos trabalhos vencê-lo. Está uma equipa mais madura, talvez por isso mais cínica, mas também com melhores executantes.

    Cito, e para responder ao Fernando B, o extremo Charalambidis que não é inferior a Varela ou James ou CCristiamn Rodriguez ou Djalma. O Trickovski é muito cai-cai mas trata bem a bola e dá-se a faltas quando está apertado, isso é mais de jogador sem classe mas tem técnica.

    Já para não falar o Ailton, melhor do que Kléber e Walter juntos.

    O resto da equipa limita-se a defender a pé fixo, praticamente, num estilo muito à Jaime Pacheco a fazer das tripas coração. É um elogio, mas não chega para fazer uma grande equipa, porém às vezes pode ser bem sucedido.

    Nada obsta a que se descrevam as coisas tais como são. E elas são mesmo como digo, um futebol de trincheira e guerrilha próprio deste tipo de equipas, não é crime nenhum mas tem de ser devidamente valorado para saber-se como jogar nestas circunstâncias. Por alguma razão três vencedores da Liga Europa em 2008, 2009 e 2011 não lhes ganhou em 4 jogos. Isto não vai durar sempre, mas é o que há. E há que saber encarar as coisas, as dificuldades inesperadas e os resultados esquisitos.

    Isto é tão objectivo, ainda que não científico e que valha a vida toda, como o fora-de-jogo do 2-1 que só ceguetas da razão não percebem porque lhes falta os rudimentos para apreciarem futebol sem dramas nem euforias.

    Quanto ao FC Porto, aburguesou-se, não há dúvidas.

    ResponderEliminar
  24. Depois dos inenarráveis comentários da RTP, vi o resumo dos lances principais na SIC e, agora mesmo, na TVI.

    Não me surpreende, porém, que nenhum dos imbecis que fez o filme do jogo tenha dado conta do fora-de-jogo no 2-1. Na TVI, agora mesmo, a imbecilidade vai mais longe ao ponto de dizer que James "é derrubado"...


    Depois de passarem dois dias sem alguém das tv's e jornais ter vito o fora-de-jogo de Urreta no golo posterior de Saviola no Benfica-Porto há duas épocas, nada disto me admira.

    É a estupidez e ignorância no seu auge a comprovar como a falta de qualidade e credibilidade de jornalistas e comentdores alastrou de forma assustadora na CS lusitana de gente acomodada e banal a chefiar miúdos e alguns assumidos jornalistas-adeptos.

    Nada me admira, de facto.

    ResponderEliminar
  25. Boas

    ora bem, aqui vai a minha opinião. Vale o que vale, mas pronto.

    O mérito e demérito de um clube de futebol passa necessariamente pela sua estrutura, começando pelo presidente e acabando no roupeiro mas é evidente com mais responsabilidades para o primeiro. Não estou a cuspir no prato que me deu de comer, mas nesta época Pinto da Costa não esteve, até já já, bem. Começou mal, está a piorar e não sei onde vai parar.

    Ao contrário de outros anos, compramos jogadores, com qualidade é certo, mas ainda sem efectuar nenhuma venda. Compramos 2 laterais, internacionais brasileiros é certo, mas não vendemos nenhum. Temos 6 defesas laterais...

    A unica venda que foi efectuada do equipa principal (falcão) foi em cima do joelho e apostou-se todas as fichas num jogador que não fez a época inteira no maritimo. Não duvido que tenha qualidade, mas tem muito para aprender. Não sabe jogar de costas para a baliza e mal domina uma bola. Não o vi a fazer uma tabela com nenhum médio ou extremo para entrar na área. Marcou golos, é certo, mas até o postiga os marcava.

    A sucessão de AVB não foi programada. Segundo me disseram AVB logo após a conquista da Liga Europa avisou PdC para a proposta do Chelsea e este não a levou a sério até ao dia em que a transferência entrou.

    A escolha de Vitor Pereira foi de recurso e como forma de mostrar que não tinha sido apanhado de surpresa. Nada contra o homem mas parece-me que não tem capacidade para o efeito. Já perdeu o apoio do tribunal e quando isso acontece já há pouco a fazer.

    Os jogadores também não correspondem. Tentam decidir individualmente aquilo que a equipa deveria fazer. Pensam que são melhores do que são e quando isso acontece...

    PdC tem agora em mãos um bico de obra. Para mim há 2 soluções:

    - Mantém o apoio a Vitor Pereira e aguenta até ao final da época, não dando o braço a torcer pela sua escolha pessoal, mas chega a Janeiro e limpa o plantel (vende 2 ou 3) e depois, como já o fez com meireles e bruno Alves, diz que esses jogadores já não estavam com a cabeça no Porto.

    - Despede Vitor Pereira e/ou "obriga-o" a demitir-se, fazendo mea culpa, e tenta endireitar o que já vai torto

    Não sei qual será o melhor. O presidente, como sempre, tem a palavra.

    Abraço

    ResponderEliminar
  26. Não escondo a minha tristeza, a minha frustração ou desapontamento. Não nego estar desiludido nem decepcionado.
    Não escondo a cor do meu coração mas acima de tudo, não cuspo no prato onde como!
    Nada, mas nada me vai afastar da vida do meu clube que toda a vida vivi! Ao vivo, à chuva, ao frio, ao sol, perto, longe, a ganhar ou a perder, sou e serei sempre Porto com o mesmo orgulho que senti depois de qualquer vitória às escuras com ou sem rega!
    Nada me fará calar e deixar de ter uma voz e consciência crítica quando assim o entender! Sem assobios, sem violência sem desculpa fácil, mas com um sentido, o da elevação, da diferença, da vitória.
    Confio, acima de tudo nas pessoas! Principalmente naqueles que me dão motivos para tal!
    Confio na sua capacidade para trabalhar, para pensar e para decidir, com esforço, dedicação, paixão e empenho.
    Respeito as ideias de cada um, por muito que não concorde com elas.
    Respeito e não critico por sistema só porque tal me parece intelectualmente elegante!

    Todos nos recordamos de momentos menos bons que inclusive vivemos recentemente. Saímos por cima rapidamente e é precisamente este timing que separe os bons dos muito bons.
    Porque SOU PORTO, acredito e confio!

    ResponderEliminar
  27. Meu Caro Zé Luís,terá sido Vitor Pereira uma escolha pessoal do Nosso Presidente?
    Saudações Portistas!
    Abraço
    duck

    ResponderEliminar
  28. Pedro,

    já o Helton dizia ser fácil apoiar o Porto, dif+ícil é ser do Porto.

    (In)comum é p+erceber de futebol e saber senti-lo.

    ResponderEliminar
  29. dj, então não foi? Foi de quem? São todos, sem excepção, ele mesmo o diz.

    Está-se a arranjar desculpas?

    ResponderEliminar
  30. Meu Caro Zé Luís,se a minha memória não me atraiço a esta foi a escolha mais rápida que aconteceu no Nosso Clube,é por causa deste pequeno grande pormenor que coloco a questão.Bem sei que o Presidente não quis dar parte de fraco e não quis arrastar novelas acerca do sucessor do André Villas Boas,mas tenho a ideia que foi pressionado para anunciar rapidamente um nome.Para mim Vitor pereira foi uma boa escolha,não sei é se está bem rodeado na sua equipa técnica.
    Saudações Portistas!
    Duck

    ResponderEliminar