10 setembro 2009

Os Calabotes (série)

Coisas do século XX que passaram ao século XXI: arbitragem, disciplina, delegados. E Sócrates? Também não foi ele e até é prejudicado...
Não vou falar da classificação dos clubes do século passado, melhor dizendo de meados do século passado. Mas há pontes do tempo que são indestrutíveis. Lembrar Inocêncio Calabote, por exemplo, daquele jogo cujo relatório ele mesmo, o árbitro do Benfica-CUF, adulterou. Alguma razão especial? Não, o FC Porto acabou campeão e os 7-1 da Luz, contados pelos jornais do regime, não chegaram (mas tiveram pena...). O famigerado árbitro, solícito a marcar penáltis por pensar que chegavam para a encomenda, escreveu que o jogo começou à hora certa (15h) e só deu 3 ou 4 minutos de descontos. A verdade é que mentiu duas vezes: começou mais tarde e foi prolongado muito para além do razoável. Alegadamente, os "cufistas" caíam muito no chão, mas foram os seus jogadores que tiveram de pedir ao treinador para tirar o guarda-redes da baliza, pois caía muito ao chão umas vezes tardiamente, outras muito extemporaneamente.
Ao mesmo tempo, em Torres Vedras, os locais desciam de divisão, mas com pena de o Benfica não ter sido campeão, mesmo com um treinador de circunstância, e o nome Valdivieso para adensar o mistério e a trama, enviado da Luz.
Pois, 50 anos depois, sempre na Luz, há golos marcados com ajuda da mão (até valeram já a presença numa final europeia) e barulho no túnel no final. Também há cachaços nos árbitros-auxiliares, mas sem interdição do campo e muito menos coacção psicológica para despromover um clube... Temos de hoje a notícia da suspensão do delegado da Liga nesse jogo, creio que se chamará Cunha Leal, que não mencionou as indignidades no túnel onde Rui Costa era rei e senhor.
Pergunta-se? E o Benfica beneficiou em quê se não ganhou o jogo porque o árbitro, corajosamente, anulou um golo no último minuto que fora obtido com ajuda de uma mão intencional a favorecer a obtenção do desejado ponto? Nada, o Benfica nunca beneficia quando algo é a seu favor. O delegado da Liga, o Calabote do século XXI, omitiu factos, Nuno Gomes continua a ter "boa Imprensa", o árbitro Pedro Henriques foi publicamente acusado de mentir para condenar o jogador do Benfica e desde antes do Natal que o País dormia nesta terrível angústia de saber se o Benfica beneficiava da acção por omissão do delegado da Liga.
Nada, nem quando assume apoios a Governos do PSD e obtém permissão para pagar dívidas fiscais - sob pena de descida de divisão, então regulamentada mas já eliminada dos regulamentos em nome da transparência - com o valor fictício de 5 euros por acção não cotada em bolsa.
O Benfica não beneficia em nada neste País, nem quando, agora numa acção de campanha de um autarca socialista, o presidente Luís Filipe diz que o segredo - mais do que da boa gestão, do dinheiro em caixa da valorização dos seus activos/jogadores (parados) e dos milhões que os êxitos incessantes de pré-época dourada catapultam para a Luz - para ter dinheiro é... pedir aos bancos. O burro do JEB, saído da banca para o Sporting, não sabia disto?
Em nada beneficia o Benfica por conluiar-se, agora, com o PS, como se não obtenha permissões extraordinárias para construir e valorizar os seus terrenos, capciosamente, como quando o partido se confunde com o Estado e este veste a camisola de uma clube.
Ninguém tem nada a ver com isto. Só por "campanhas negras". O Freeport? Não existe. O Jornal Incomodativo da TVI foi encerrado? Não foi Sócrates, que não tem poder para isso. Pode zurzir no espaço noticioso que lhe era virulento mas ao qual nunca contestou em directo. Pode não gostar da apresentadora, a quem as figuras gradas do regime acusam de anti-ética jornalística quando apresenta notícias documentadas e procura explicações, averigua e questiona os detentores de cargos públicos. Mas Sócrates não tem nada a ver com isto. Logo num dia em que ia sair mais uma notícia perturbadora para o Governo? Bom, o Mário "Jamé" Lino diria, como disse, que tal seria muita coincidência com a campanha eleitoral, logo não se devia dar uma notícia dessas nem é período susceptível de fazer greves na TAP (que descaramento!).
Não, Sócrates repetiu pelos diversos fóruns que não tem nada a ver com a suspensão do Jornal da Sexta-Feira da TVI. Repetiu, hèlas!, perante os mesmos anjinhos que acreditaram no caso da sua licenciatura dominical, as quatro cadeiras dadas pelo mesmo professor e na bondade deste Morais. Moral: não culpem ninguém sem provas.
Vejam a Carolina, salgada como está pelas salgalhadas em que se meteu: até o Eugénio Queirós reconhece, bem entrado no século XXI, que a Carolina está em maus lençóis - e sabemos lá em quais?... Um crente, o Geninho, ele também dado a escrever livros sobre factos mentirosos, que ele sabia mas quis fazer de conta, porque muita gente faz de conta.
O Benfica até perdeu o campeonato de 1958-59. Calabote? O que beneficiou? O Nuno Gomes insultou o árbitro, assim a modos que no Euro-2000 em que levou 8 ou 9 meses de suspensão, mas que castigo teve para além de ser obrigado - no clube onde põem os jogadores a pedir desculpa aos adeptos, e não foi só com Vale e Azevedo nem com JVP - a ir à sala de Imprensa dizer que o árbitro mentiu no relatório em que expôs os seus insultos? Dos lapsos, conscientes mas inculcados desde pequenino e por este sentimento de os poderes se confundirem com um clube em Portugal, do delegado da Liga o que fica?
Não, Sócrates não teve nada a ver com a TVI, até deve ter sido dos espanhóis a marosca e só para tramar o PS que preferia notícias, que nunca contestou, adversas à 6ª feira do que gramar com a dúvida/certeza de ter influído na decisão de cortar a goela à Manuela.
A construção da Luz não teve nada a ver com o Estado e a Câmara de Lisboa, o perdão fiscal não teve nada a ver com a ajuda ao Benfica, a RTP financiar a compra de Futre em 1993, imagine-se a pré-história, não teve nada a ver com o Benfica, nada tem a ver com o Benfica, nem com Sócrates, nem com este sentimento - inculcado e endeusado pelos cronistas do regime - que se misturou com a velha trilogia do século XX português de "Deus, Pátria e Família" e umas alíneas para não dizer mal do Salazar nem do Benfica, permitindo-se a um dirigente da Nação e do Sporting entrar de pistola em punho na cabina de um árbitro como excepção à regra.
A devassa do túnel da Luz ao menos terá poupado Rui Costa, grande protagonista nesses palcos escondidos por esse país fora? Ele que no Bessa foi atrás de Lucílio Baptista e esmurrou a porta do seu balneário? Nenhum relatório o escreveu, apesar do relato em directo do repórter da SportTV, da confirmação de funcionários do Boavista e da notícia do Record, depois desmentida com um "Inocente" garrafal na capa seguinte e a reprimenda da ordem ao jornalista-estagiário para saber o que é mexer com o bom nome das pessoas e a aparência das instituições nacionais.
Nada. Ficam os pobres do Calabote, que dizem ter morrido na miséria porque também ganhou nada com aquilo. E do delegado da Liga do Benfica-Nacional. O Ramalho, vá lá, sempre ficou com um cachaço que lhe permitiu, depois, ver o Bruno Alves a tirar a bola da baliza.
Por isso, no final da história, o Hulk é um sacana que insultou a mãe de Carlos Xistra e este fez um relatório a propósito e à medida. Mesmo que tenha suscitado 4 versões da ficha do jogo no site da Liga, com 2ºamarelo ou vermelho directo em Paços de Ferreira. A Liga, como o Benfica, pugna pela transparência e não há dúvidas: Taça da Cerveja só no Algarve.
Lucílio pode ser Calabote, inventar penáltis, premiar a instituição que o Estado promove, ainda no século XXI. Mas Xistra não, esse é lusitano até ao tutano e se só escreveu agora no relatório que o insultaram foi porque antes nunca tal sucedera.
P.S. (sem campanha, mas com campaínha) - obviamente, o Benfica nada tem a ver com o Apito Final; nem com a manipulação das escutas que levou um juiz a denunciar que o MP tinha escutado mal o que transpôs para as gravações tão amplamentte difundidas; nem com a Pinhão, ou o Manha, que já viajaram à custa do clube; nem tem a ver com a inscrição do Ricardo Rocha, o jogo no Algarve com o Estoril e é alheio ao facto, contra os regulamentos, de um seu dirigente ser accionista do clube da Linha e que o presidente-fantoche deste clube ser adepto do Benfica e seu antigo dirigente e autor da ideia de jogar no Algarve com o Benfica; nem tem o Benfica a ver com o sentimento inculcado e "inducado" pelos média de os árbitros marcarem livres e penáltis, além de perdoarem a expulsão ao Petit umas quatro vezes nos oito amarelos que levou na época, para a obtenção dos seus sete golos nas últimas dez jornadas para ser campeão neste século XXI; nem tem a ver com a triste e pobre figura - mas reverencialmentte copiada por clubes nacionais da chico-espertice da grande região saloia que chega a Guimarães - nas instâncias jurisdicionais desportivas europeias e não tem a ver porque o seu presidente disse que "até nem queria ir à Champions"; muito menos, olha logo na sede da FPF em Lisboa, teve a ver com os Carrrajolas do CJ da FPF que queriam tramar o FC Porto e despromoveram o Boavista. Não, o Benfica surge nisto, como em tudo, por acidente. E se for por condução sob efeito do álcool, não fica sem carta e cumpre trabalho presidiário, perdão comunitário.

14 comentários:

  1. Grande Zé Luís, mais um excelente post, malha neles :)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Que bela forma de contrapor tudoo que o Zé Luis disse, caro Natálio...

    Digamos que no fim das contas, o Sr levou todas estas verdades e virou as costas pronunciando um juízo de valor, sem dar qualquer argumentação e sustentação à sua opinião.

    Resultado disto, será o mesmo que dizer que, neste esgrimir de ideias e argumentos, UMA VEZ MAIS, o seu Clube foi claramente derrotado pelo FC PORTO.

    Assim não vão lá, definitivamente... LOL

    ResponderEliminar
  4. Zé Luís,

    Perfeito! A exploração do Benfica nada ter a ver com nada não podia ser mais oportuna.

    Genial!

    Quanto ao Natálio, também está perfeito o seu comentário. Demonstrativo da verdadeira alma benfiquista. Gosta de intitular o clube que não dá hipóteses ao seu de 'o mais corrupto do mundo'. E porquê? Porque sim. Porque o anti-portista Ricardo Costa disse.

    Está tudo muito bem.

    ResponderEliminar
  5. Off-topic, já podem fazer as vossas equipas: http://pt.uclfantasy.uefa.com/

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  8. OiluT, outra vez? Ganhas à peça? Para que queres o DD?

    ResponderEliminar
  9. mas a história onde entra o Calabote, não fica completa sem seguir os contornos após o "problema". O árbitro só muito depois foi suspenso, e entretanto os Farinhas, os Pinhões e outras leguminosas, teceram tantos louvores ao homem, que até dá para rir. Está tudo na "verdade jornalística" do outro, que escrevia no Corão (eles chamam-lhe bíblia).
    Revisitar estas páginas deste pasquim faz-nos perceber muito do n/futebol.

    ResponderEliminar
  10. Zé Luis
    Parabéns pelo excelente post.
    Mas como sabemos isto foi e será sempre assim, pois os mouros jogam com uma terrivel arma contra o norte. Lançam a inveja entre os mesmos, provocando brechas por onde se infiltram para fazer as suas maquinações. Vejam o que se passou com o Boavista.

    Nós não o conseguimos fazer, pois os mouros escudam-se sempre no fundamentalismo, e basta um deles gritar oh! da guarda!!! que estão a mexer com a sua religião com catedrais, bíblias que não passam de mineretes e alcorões, que todos de berde ou bermelho se escudam contra os azuis do norte.

    Vejam que até contrataram um mouro com o nome de Jesus, para que o embuste seja ainda mais real.

    Nunca mais me esqueço de um jogo nas antas, em que os super dragões exibiram um pano com os Cavaleiros do Norte a carregar sobre os Mouros que fugiam a pé ou a cavalo...jogo esse que o FCP venceu categóricamente à mouraria.
    Esta situação retrata bem a actualidade, que vamos vivendo.
    Contra estes mouros é marchar...marchar... e carregar, para não dizer outra coisa.

    ResponderEliminar