12 fevereiro 2009

Mind games (extra): não se pode enganar todos ao mesmo tempo para sempre!

Falta apanhar os mentirosos que engendraram o “caso da fruta”, torturando os factos para extrair conclusões convenientes e falar de corrupção que só por “criatividade” e não objectividade se perceberia, após mais esta notícia do dia, um caso retirado do limbo do arquivamento para que foi remetido pelo CIAP do Porto, notícia então publicada em O Jogo a 26 de Abril de 2006, tinha o FC Porto acabado de garantir o título em Penafiel.

Um caso desenterrado por FORÇAS OCULTAS, aqueles que enviaram um DOSSIER ANÓNIMO para ENDEREÇO SECRETO de um conhecido empresário condenado no Tribunal da Boa Hora e traficante de influências à Luz do dia para não ganhar no campo em troca de posições nos balneários da Liga. Um caso que para o ser resultou de outro caso, o de uma mulher de alterne – que para o meu electricista significa corrente alternada e pode dar para um lado ou para o outro em linguagem popular – escrever um livro como muitas têm feito.

O que me faz lembrar isto:
Ó MAJOR, EU… EU NEM ESTOU PARA ME CHATEAR. ESTOU A FAZER ISTO POR OUTRO LADO”.
Decidido pela primeira vez na justiça civil, fora dos estranhos areópagos da bola, a sentença do TIC do Porto, em Junho passado, referido na notícia de hoje, teve uma decisão “que as pessoas não estavam à espera”, seguramente aquelas de fora do âmbito da justiça desportiva. Pior, ficou logo fisgada a mentira que poderia designar-se por CABALA e propagandear-se por CAMPANHA NEGRA.

Que me remete, na actualidade, para isto:
Ó TIO, EU… NÃO SE CHATEIE… OLHE, MANDE-OS VIR TER COMIGO QUE EU RESOLVO O ASSUNTO
A procuradora instada pelo procurador a ler certo livro oferecido a gente com barbas, maltrapilhos da Caparica e pessoal das barracas do Alto dos Moinhos de vento em que pairam sobre todas as calúnias e suspeições, ainda deve andar enredada na trama para não ter mais que fazer com tanta investigação por concluir, desde 2004.

Não pode haver só uma mentirosa, a mesma que por este caso irá a tribunal por perjúrio e que no início de Março terá de justificar onde contou os 2500 euros e de que cómoda ou travesseiro os viu tirar quando servia café e chocolatinhos, o último suspiro de uma acção persecutória contra um clube por ódio a um homem comum que sabe mais de futebol do que todos os estrategos da bola juntos.

Haverá ainda outra mentirosa com poder claro de remeter mais esta decisão para o Tribunal Constitucional, gastar mais tempo, dinheiro e pessoas, que somos todos nós a pagar esta patranha relativa ao jogo FC Porto-E. Amadora.

Um caso sintomático da justiça desportiva da Bosta da Liga e que eu resumi aqui ao ler o acórdão do Apito Final.

A VERGONHA nunca há-de passar, a mancha nunca há-de sair, apregoaram os moralistas de ocasião, os mesmos dos penáltis “bons” e “maus”, os santos de pau carunchoso, um génio balofo de esterco mental e outras manhas dissimuladas pela Imprensa do Regime.

Podem achar isto uma questão do futebol, ou da justiça, ou dos “interesses”. Ou de tudo.

Portugal é esta merda toda! E mais o que está por saber-se se as investigações se fizerem sem condicionamentos do poder político; se a “secreta” proteger a sua função de garantir a independência das instituições e das magistraturas sem espionar em favor de um interesse político; se o segredo bancário for levantado e as fortunas de extensão desconhecida forem, essas sim, desenterradas dos calabouços da Maçonaria, dos convivas de Bilderberg, essas FORÇAS NEGRAS exercidas por CAMPANHAS OCULTAS no subterrâneo imundo que se vislumbra ser o País.

34 comentários:

  1. Da mesma maneira se soltam criminosos, da mesma maneira se arquivam os processos da casa pia.
    É a falência da justiça que está em causa não a inocência dos arguidos.

    ResponderEliminar
  2. Estás em grande forma Zé Luis ;)

    Os palhaços vão sendo desmascarados, apesar de marcarados logo a seguir novamente, mas isso já é habito aqui no burgo.

    O ricardinho costa é que nos dias que correm não sai da toca.

    ResponderEliminar
  3. Era finalmente o tal propalado 25 de Abril no futebol...o revelar de que todos os titulos eram comprados, que o FCP afinal nunca mais iria ganhar nada e no entanto a montanha pariu um rato.

    ResponderEliminar
  4. queria aproveitar o comentário do velhaco porque toca num ponto importante, a falencia da justiça.

    A 'justiça ' foi usada e instrumentalizada a favor de alguns e com propósitos muito concretos de atacar certas pessoas.
    É uma vergonha que se tenha fechado os olhos às mais elementares regras da Justiça para levar avante este processo.

    Ricardo Costa conseguiu leva-lo até ao fim da justiça desportiva ??? mas felizmente continuamos a ser um estado de direito que não se rege pela justiça desportiva ou pela interpretação de Justiça do Ricardo Costa, Orelhas e outros seres semelhantes

    ResponderEliminar
  5. Velhaco o inquisidor mor.
    Se ele mandasse nem eram precisam provas:- Morte aos infiéis que impedem o clube do regime de ganhar!

    Eu como sou um leigo na matéria deixo uma pergunta: porque é que P. da Costa que não fazia parte do processo original do Apito Dourado e só entrou nele, porque foi apanhado numa escuta suspeita - dizem eles - com o Major. Foi escutado, ouvido, constuído arguido, julgado e condenado na praça pública? E o Vieira que foi apanhdo numa escuta - parte dela está transcrita no post do Zé Luís -, muito mais comprometedora, não teve o telefone sob escuta, não foi ouvido, muito menos, constuído arguido?

    Mistério!!!! Diz um amigo meu que eles não tinham cana, nem anzol, para apanhar o Vieira. Aquilo é peixe muito grande!

    Esse meu amigo tem cada uma...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Vejam bem como funciona a sensatez e a isenção desta gentinha...Tirado de O JOGO, o Jornal mesmo que dizia ainda há dois dias, que um Penaltie mal assinalado tinha dado o que não era devido, a quem nós muito bem sabemos...Pois bem, passados dois dias a escorrência mental destes Porcos -não lhes posso chamar outra coisa- alterou-se mas, a (IM)Parcialidade manteve-se!


    "ARBITRAGEM
    Um penálti plausível

    Numa semana como as outras, ou seja, uma semana que passámos a discutir um penálti, nem vale a pena debater o que Carlos Bertolini entendeu ver na disputa entre Orlando Sá, Danny e os dois defesas finlandeses. No estádio, não se viu outra razão que não uma falta para que Danny não pudesse recolher a bola fugida aos outros três intervenientes. Antes disso, na primeira parte (28'), Nani tentara enganar o árbitro suíço rodopiando diante de Tihinen. Se o tivesse conseguido, seria bom, porque talvez evitássemos assim um prolongamento na discussão do penálti desta semana para dentro da semana que vem."

    E X E M P L A R!...

    ResponderEliminar
  8. "Misturar o melhor Primeiro-Ministro do pós-25 de Abril com a canalha vermelhusca".

    Essa do melhor PM é uma questão de opinião, que eu refuto totalmente. Mais sócretino do que este é impossível, mentiroso também, sofrendo de amnésia nunca vi (nem o prof. de Inglês Técnico conhecia, mas depois já se lembrava) igual; aldrabão começou só pela questão do diploma em que só convenceu uns parolos de Fafe; demagógico e populista sóna Albânia, Venezuela (que ele adora, qual Chavez) e Coreia do Norte; manipulador e controlador da Informação é bem pior com o chefe da Brigada SS do que era o Morais Sarmento que passei a odiar, um ajinho à beira do idiota iluminado Gomes da Silva à beira dos quais este Santos Silva é um Goebbels refinado (só tenho pena que seja do Porto, como o inenarrável líder da bancada, o Martins; e quanto a fumos de corrupção, já me cheiram à distância.

    Mas se o justiceiro de Fafe não conhece o Zezito, ao menos identifica a cambada vermelhusca, já é um começo...


    "Comparado a campanha suja contra Pinto da Costa e a campanha suja contra José Sócrates. Talvez venham ambas do mesmo sítio, das mesmas forças ocultas, se calhar de dentro do teu partido".

    Não sei, mas não é o meu partido, tenho tudo intacto, não sou cliente de ninguém e já muitos que vejo e sinto por aí devem dever muito a algum partido.

    E a disttinção entre o Freeport e o Apito Dourado já a percebi há muito, no tocante à reclamação do segredo de Justiça, da utilização de todos os meios para evitar as fugas, a mobilização para servir um interesse, mais a cortina de fumo lançada para encobrir tudo isso.

    Até porque além de Pinto da Costa saber que tinha o telefone sob escuta, só me lembro do PGR dizer que ouvia "uns barulhos esquisitos no meu telemóvel" e agora alguns juízes temerem que são escutados pelo SIS (eventualmente).

    O PM não me lembro de se dizer alvo de escutas, embora possa ser alvo de suspeitas e, por isso, dever prestar todos e cabais esclarecimentos à opinião pública.

    Lembro-me de o ex-PR Sampaio ser apontado como alvo de escutas e ter logo mandado parar com isso, o que parece uma prerrogativa de certos poderes que não são ocultos mas ocultam bem o que são capazes de fazer para se protegerem e aos seus.

    "Quando a Justiça - a verdadeira - Portuguesa volta a inocentar Jorge Nuno Pinto da Costa".

    Essa é que me parece uma perseguição, doentia, de ódio e está à vista a razão de tanto pobre de espírito ainda não perceber as diferenças que doem, como entre ser dragão ou vermelhusco.

    Por isso, dê mais jeito a si próprio com o pau de marmeleiro, tenha o melhor proveito que a mim não me assusta.

    ResponderEliminar
  9. "se soltam criminosos, da mesma maneira se arquivam os processos da casa pia".

    Velhaco movimento de interesse POLÍTICO, talvez. Eu gosto sempre que se faça justiça. Se ela não se faz convinha perceber as razões. Mas que ela não se faça na rua, já chegou a Idade Média e a Inquisição mais os julgamentos sumários maoistas e processos kafkianos de índole estalinista.

    Se o regime não manietasse a Justiça talvez vivessemos melhor e a corrupção instalada fosse só do Zimbabwe, o clientelismo da Rússia e o nepotismo da Venezuela.

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  12. Vocês não repararam nos espectadores ontem, no jogo de Portugal, assobiarem o Rolando e o Bruno Alves quando estes tinham a bola?

    ResponderEliminar
  13. Juízes criticam MP por acreditar em Carolina
    Pinto da Costa vê confirmado arquivamento de caso de noite de prostitutas com trio de árbitros
    22h33m
    NUNO MIGUEL MAIA
    Os juízes do Tribunal da Relação do Porto colocaram fim às dúvidas: Pinto da Costa não irá a julgamento no processo do Apito Dourado designado como "caso da fruta". O recurso do Ministério Público foi chumbado.

    Os desembargadores concluem que, afinal, "não há indiciação suficiente" de que os árbitros do jogo FC Porto-Estrela da Amadora, de 24 de Janeiro de 2004 (Jacinto Paixão, Manuel Quadrado e José Chilrito) conhecessem e soubessem que o empresário António Araújo era ligado ao clube portista e que, por essa razão, lhe tenham pedido para arranjar uma noite com prostitutas brasileiras.

    E também que "não é conclusiva ou segura" a ideia de que Pinto da Costa se tenha apercebido - numa conversa com António Araújo em que se falou de "fruta" e "café com leite", escutada pela Polícia Judiciária -, a quem realmente se destinava o pedido de uma "noitada" com meninas.

    Para chegar a estas conclusões, os juízes referem, no acórdão a que o JN teve acesso, que o testemunho de Carolina Salgado "não se revela, a nosso ver e de forma alguma, credível". "E este depoimento, de per si em sua conjugação com outros meios de prova, faz enfraquecer de forma profunda, os indícios que a Digna Recorrente [MP] advoga para sustentar a acusação pública".

    Por esta razão, os juízes da 4.ª secção criminal da Relação do Porto entendem que não deveria ter sido dada credibilidade à ex-namorada do presidente do FC Porto, tal como sustentado pela equipa especial da Procuradoria Geral da República, coordenada por Maria José Morgado. E por Olga Coimbra, procuradora do MP junto do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, que subscreveu o recurso da decisão do juiz Artur Guimarães Ribeiro.

    Para sustentar a "falta de credibilidade" da testemunha-chave que serviu para reabrir o processo inicialmente arquivado pelo DIAP do Porto, o tribunal superior ressalva que Carolina tem "interesse na causa", dado ter pendentes vários processos mútuos com o antigo companheiro e ter escrito um livro ("Eu, Carolina") a relatar factos relativos à sua vida desportiva e privada com Pinto da Costa, com relatos de alegados crimes.

    ResponderEliminar
  14. Para velhacos que julgam saber o que é o processo Casa Pia, e outras coisas dos bastidores da Justiça/Política, vou deixar algumas dicas para se sentirem ou mais incomodados ou mais ressabiados:

    Queremos um Poder Judicial forte, autónomo, imparcial e isento

    É absolutamente necessário que os portugueses actuem de forma a que os nossos juízes, e magistrados do Ministério Público , estejam livres da pressão do Poder Político.
    Que as sociedades secretas , como a Maçonaria e a Opus Dei , não possam influenciar ou controlar a Magistratura, através dos códigos de solidariedade. próprios e que são o verdadeiro poder, o poder de facto.
    A PJ e os magistrados devem ser apartidários e autónomos.
    O Poder Político não pode ser deixado em roda livre , de forma a que não possa ter a veleidade de intimidar e constranger os magistrados, controlar as polícias.
    Um Poder Judicial forte, autónomo, livre do controlo político é o grande passo para o combate eficaz contra a corrupção, o tráfico de influências, as burlas, o amiguismo, o compadrio, os poderes de facto na sociedade portuguesa.
    Quanto mais livre e autónomo for o Poder Judicial , melhor justiça teremos, melhor sociedade teremos.
    Nenhum partido ou força social pode estar acima do Poder Judicial.
    É importante que os nossos magistrados tenham a dignidade que o Poder Judicial postula.
    Agora é o tempo!
    O tempo dos grandes combates.
    Portugal precisa de mudar, de se modernizar, de combater a chaga social que é a corrupção, verdadeiro cancro que nos afecta a todos.
    Cabe e todos e a cada um de nós lutar por estes princípios.
    Da minha parte darei luta ,sem quartel, à corrupção, venha ela de onde vier.

    De José Maria Martins

    ResponderEliminar
  15. As "campanhas negras", as "cabalas" e os "quartos escuros"

    Muitos políticos portugueses são, de facto, uma nódoa na Unuião Europeia.
    Muitos não passam de meros oportunistas e criminosos. Burlões, traficantes de influências, corruptos.
    Portugal foi assaltado por um conjunto de indivíduos, na maioria ligados à Maçonaria, que encheram a barriga até mais não,de forma ilícita, criminosa, enquanto o pobre Povo arrotava à miséria ,à fome que sentia,.
    Agora temos políticos que dizem que há "campanhas negras", manobras políticas, quando estão em causa, quando sabem que estão a ser investigados num País estrangeiro e que afinal a corrupção, as vigarices serão investigadas.
    Esta realidade provocou um alarido na capoeira do tamanho do Mundo.
    Os corruptos movimentam-se.
    Campanha negras não conheço. As cabalas de que fala um certo partido político não passam de mísera manobra de propaganda, tendente a evitar que os corruptos e vigaristas do seu partido sejam investigados.
    Quanto às campanhas , associadas ao processo Casa Pia, e a decapitações, o que me ocorre dizer é que campanhas não há. Há é vigaros, bastardos, corruptos, traficantes, burlões.
    Quanto a campanhas negras, parece que de verdade só se pode falar dos quartos escuros, onde homossexuaias , que muitas vezes são também pedófilos , se deliciam, ficando o ânus de uns num dos quartos e o penis de outros introduzidos em buracos para a penetração anal, sem se saber quem é quem.
    Tudo escuro!
    Ignomínia, paneleirice, depravação.
    Seria bom que determinadas pessoas tivessem vergonha no focinho, porque nem cara têm, já que cara é um conceito humano, civilizacional.

    De José Maria Martins

    ResponderEliminar
  16. Para quando a contra-ofensiva Portista?
    Esta é a grande questão que se coloca agora. Fomos sodomizados pela imprensa do regime, pelos opinadores, paineleiros e cartaxanas afins durante três anos e meio. Fomos acusados em praça publica sem qualquer pudor ou vergonha. Fomos inclusive castigados e suspensos baseados em factos de origem duvidosa e do mais inconstitucional que existe, portanto a pergunta que se coloca não pode ser outra. Para quando a contra-ofensiva Portista?

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  18. Ora... parece que temos de volta o velho Zé Luis...
    Aquele Mind Games (I) está brilhante.

    ResponderEliminar
  19. Sendo eu um regular leitor deste blog, considero-o um escriba uns furos acima do que por aí se vê, venho dizer-lhe que concordo com a ligação que procura fazer entre os casos do arquivamento do PC e a situação do Freeport, pois uma e outra história têm fundamentos comuns. Por um lado o centralismo parolo de Lisboa, a imbecilidade dos seus corredores e a desvergonha daqueles e por lá circulam, por outro lado o povo, que se afasta a sua condição de cidadão e se cala , se encolhe e apouca, quer por medo, descrença ou cansaço e noutros casos por ignorancia crónica e genética ( sempre nos assentou bem um ditador pois assim não temos de ser responsáveis). Eu subescrevo o seu pensamento, e sublinho a sua lógica e venho numa tentativa de ambos reforçar, dizer ou melhor questionar o seguinte: 1.º o que é que aconteceu á Sr.ª meretriz depois de confessadamente assumir a autoria moral do "atentado" ao Bexiga?...nada?...nadinha?!!!!então não deveria ter sido detida, naturalmente, ou ao menos arguida?!!, não é isso que manda a lei penal e do seu processo, preto no branco?!!! . 2.ª Depois de todas as suspeições e indicios, graves, consistentes, coerentes sistemáticos, e as contradições e as mentiras aldrabonas, num tom sério é certo ( estou-me a lembrar do relatório OCDE e também do episódio do Dias Loureiro que perdeu a memoria, qual doente de Alzeimer ) e o "povo" desculpa, aceita e a justiça releva, e apenas alguns jornalistas agitam e barafustam, (honra aos corajosas e principalmente ás corajosas que em termos de testiculos batem muito macho). Ah é verdade, já toda a gente sabe há muito tempo quem é o Pinóquio. E assim lá vamos, " cantando e rindo", neste portugalinho pequinininho e tonto, sem fé nem esperança.
    É por isso que costumo dizer que qd o Porto ganha o país avança e a democracia progride, ao empurrão, mas progride.
    Guilhermo

    ResponderEliminar
  20. Óh Justiça de Fafe... mas aqui fala-se de futebol ou brinca-se aos cowboys?
    Zirtaev, pensei que este tipo de comentários eram simplesmente abolidos! Quem é que este cromo pensa que é? Algum Superdragão?

    ResponderEliminar
  21. miguel_canada, calculo que o Zirtaev não possa estar 24horas presente, mas assim que vir apagará o comentário... o justiça de fafe... sem comentarios... enfim...

    ResponderEliminar
  22. Bom dia!

    Tenho uma duvida:se o processo do pinto da costa foi arquivado agora entao a condenação feita pelo ricardo costa será invalida? os seis pontos tirados ao fc porto vao ser repostos?


    obrigado

    ResponderEliminar
  23. Por estes comentários me apercebo que o autor do post deveria antes escrever sobre política, assunto em que as suas opiniões são bem mais interessantes.

    Quanto ao Pinto da Costa, recordo-vos que esta decisão é passível de recurso, e que ele mesmo vai ser julgado no próximo dia 3 de Março pelo Beira-Mar-Porto.
    Mas digo desde já que não estranho se ficar ilibado. Tal como não estranho que ninguém fique condenado no caso Casa Pia, na operação Furacão, caso Freeport etc etc. Basta olhar para a Fátima Felgueiras para perceber como está a justiça portuguesa, que não é digna do crédito de ninguém.

    No caso concreto do Apito Dourado, a mim chega-me o que vi nos relvados ao longo de 20 anos.
    Como as penas desportivas já foram aplicadas, e foram (no caso do FCP) irrisórias, para mim o caso está morto e enterrado.

    ResponderEliminar
  24. Carlos Pincaro, um ovo de Colombo, talvez... mais do que a dúvida metódica.

    Mas isto não acaba aqui, há muito jogo pela frente e muito tribunal para palmilhar.

    Porque o objectivo foi esse, perceptível e apressado: punir na justiça desportiva para ter efeito imediato - CONSEGUIDO. Se possível com sequência em sede da UEFA - FALHADO. Depois a justiça civil nunca acompanharia este processo maquiavélico, vergonhoso, indigno de um estado de Direito - e a ideia era de empate em empate, até à DERROTA final.

    O acabrunhamento a que foi sujeito o FC Porto será, certamente, convertido em choruda indemnização. Quanto aos pontos, sabemos que no campo foram 20 de diferença e na justiça que conta não foram subtraídos. Na justiça da treta, onde se fazem as coisas por outro lado, é uma questão de tempo, em aberto, talvez não devolvam o que surripiaram, será o menos importante, mas da condenação moral não se livram, podemos devolvê-la logo que entreguem a taça de campeão.

    ResponderEliminar
  25. LF, eu tento entender o mundo à volta, e sem ligar à política tive de começar a percebê-la, escutá-la para não ser comdo por lorpa, serei dos 99 em 100 portugueses que não acreditam nos políticos e dos muitos que desconfiam da justiça.

    Desde o início do Apito Dourado que me questionei se este caso forjado e amplificado de foma horrorosa, com uma "substância" diversa da que quiseram dar-lhe (desde o processo originário ao entendimento criativo que entenderam fazer de escutas e apressar condenações desportivas), não seria um factor de diversão de coisas políticas, talvez sim, no caso da Casa Pia. Posteriormente, muita gente, e da justiça, achou que o Apito Dourado era um "fait-divers", conveniente para certo interesse, ou desportivo ou político, além de persecutório para com um clube, uma cidade e tudo por ódio a uma pessoa.

    Não admira que os benfiquistas não fiquem convencidos, intoxicados cegos pela Imprensa Destrutiva que serviu os propósitos do regime.

    Para mim, isto tornou-se claro com o tempo e segue, agora, o calvário das rejeições em sede judicial.

    Se todos esses casos chgarem à justiça será um avanço. Muitos ficam pelo caminho. Fátima Felgueiras, por exemplo, lá andou, foi condenada (em dose mínima) mas veja lá de que partido é ela...

    Eu fico preocupado quando lemos as notícias recentes de possível contaminação da justiça por pressões políticas, o que me faz temer pela "coisa" em geral e o País no seu todo. Você está aflito porque não lhe interessa o todo, só uma parte e que essa fosse condenada sea como sea...

    São perspectivas que dizem bem da consciencia das pessoas e do estado de bovinidade generalizado.

    Pobres e benfiquistas, a herança de Salazar, não haja dúvidas...

    ResponderEliminar
  26. Sobre os últimos 20 anos, está à vontade, LF, para questionar que campeonato esteve em causa, salvo os que o Benfica ganhou, acima de qualquer suspeita e sujeira.

    ResponderEliminar
  27. @Zé Luís,

    vê isto por favor. Mind Games que nunca mais acabam. Um escandalo que serve para perceber outros que andam por aí.

    A imprensa e a justiça estão na merda.


    Ver video-reportagem:


    Jornalista da revista Visão foi censuarado por Balsemão

    ResponderEliminar
  28. Desculpem ir contra a corrente, mas não me parece correcto censurar um comentador por criticar uma opinião política publicada no blog e ao mesmo tempo permitir que o Zé Luís aproveite este blog sobre o FC Porto para fazer a sua campanha político-partidária. Há que saber separar as águas.

    ResponderEliminar
  29. jose, não tenho partido, não há nenhuma campanha e se acha que há não veja, se quer ver não desvirtue. Aponto factos, coisas de que toda a gente fala e se o jose tiver noção do que se passa à sua volta perceberá alguma coisa além da confusão clubista-partidária. Nem sequer estou a culpar alguém, ironizo quando muito com a situação e destapo, ou tento, a imoralidade que aí vai nas apreciações aos casos de futebol, justiça e política.

    E se o jose, como outros, tem alguma coisa a objectar, para além de dizer que não gosta porque sim, então diga e se eu souber ou me dispuser respondo. O espaço é interactivo.

    ResponderEliminar
  30. O Zé Luís vai desculpar, mas acontece que você parece ver melhor o cisco no olho do vizinho que a trave no próprio olho. Não quero alongar-me sobre este tema, tão fora dos propósitos do blog, sugiro apenas, como leitor habitual deste espaço, que perceba finalmente que há fervorosos portistas de todo o leque político-partidário que deveriam merecer o seu respeito.
    Finalmente, quando você diz que não tem partido - só lhe falta acrescentar que o seu partido é o trabalho - devo dizer-lhe que conheço a música e ouço essa letra desde muito antes de Abril74, data que permitiu a Democracia emergente que permitiu ao FC Porto ser Grande entre os clubes do Mundo.
    Fique descansado que não terá da minha parte mais reparos.

    ResponderEliminar
  31. jose, se me permite lembrá-lo, opta por não objectar, então não abjecte...

    Era o que faltava proibir-me, condicionar-me alguma alfinetada política, se assim o entender, em nome do espectro político-partidário dos adeptos portistas. Creio que quem quer fazer política é o jose, tão preocupado com uma minudência que no aspecto geral do País pode ser só uma coincidência, esquecendo o jose do pântano em que vivemos e que se o jose não dá conta a mim não me impede de o abordar e esse é o único, não político, objectivo.

    ResponderEliminar
  32. Quando é que o nosso Presidente processa a Zézinha?
    Saudações Portistas
    Paulo Nuno Pato

    ResponderEliminar