09 março 2009

Valente escola de Setúbal

Nem é preciso marcar penáltis para influenciar jogos. As escutas do Apito Dourado revelaram o que mais quiseram esconder:
"Luís Filipe Vieira (LFV) - Eu não quero entrar mais em esquemas nem falar muito...(...)

Valentim Loureiro (VL) - Eu penso que ou o Lucílio... o António Costa, esse Costa não lhe dá... não lhe dá nenhuma garantia ?

LFV - A mim ?! F.., o António Costa? F... Isso é tudo Porto !

VL - Exacto, pronto ! (...) E o Lucílio ?

LFV - Não, não me dá garantia nenhuma o Lucílio !

VL - E o Duarte ?

LFV - Nada, zero ! Ninguém me dá ! ... Ouça lá, eu, neste momento, é tudo para nos roubar ! Ó pá, mas é evidente ! Mas isso é demasiado evidente, carago ! Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado.(...)

VL - Talvez o Lucílio, pá !

LFV - Não, não quero Lucílio nenhum ! (...)

VL - E o Proença ?

LFV - O Proença também não quero ! Ouça, é tudo para nos f... !

VL - E o João Ferreira ?

LFV - O João... Pode vir o João."
Noticia original do jornal PUBLICO aqui

14 comentários:

  1. Nem de propósito Zé Luís. Estava agora a ver os lances no Domingo Desportivo e a lembrar-me dessa fabulosa escuta que nem uma averiguação do Ministério Público.

    ResponderEliminar
  2. Andam há dias a discutir Jesualdo e a equipa...
    A semana começou a olhar-se para as contas...

    Eu bem alertei:

    aqui

    Árbitro para o Naval-Benfica?

    Adivinharam.

    Sim, é João "Pode vir o João" Ferreira.

    Não há almoços de borla.

    Nem coincidências.

    Nem distracções.

    Eles sabem o ue fazem.

    Por todos os lados.

    3/3/09 17:56

    ResponderEliminar
  3. labaredas no fcporto.pt:
    Já nem «eles» lêem o 24 Horas!

    O Labaredas ainda suspeitou que fosse efeito da preguiça matinal, mas percebeu no instante seguinte que era mesmo assim. «Mais um penálti, mais uma vitória para o líder». A insinuação na capa do 24 Horas nada tinha a ver com o jogo do Estádio do Mar… nem com os textos publicados algumas páginas adiante. A primeira falha é recorrente; a segunda dá vontade de rir! Estaremos todos a dormir? Será que nem as chefias lêem o jornal?

    Organizem-se! Como podem escrever, em jeito de comentário e crónica, que «a equipa de Jesualdo Ferreira puxou dos galões e venceu de forma clara, com uma das melhores exibições da época» e que «os leixonenses foram arrasados» e depois rebuscar as maldades do costume? Só pode ser em virtude dos preconceitos sobre o F.C. Porto… Ou será que já tinham a primeira página preparada ao intervalo?

    O Labaredas acordou ensonado, mas arregalou rapidamente os olhos. Dizer mal é que está a dar. Mesmo quando se dá um tiro no pé!

    ResponderEliminar
  4. Cruz dos Santos; O árbitro não errou, achou que a bola bateu na mão! ... claro que quem errou foi o jogador da Naval que devia ter tocado a bola com a mão... Cruz e Paraty hilariantemente podres e infectados pelo clube do regime.

    ResponderEliminar
  5. 21:17 - Futebol - FC Porto
    RTP repudia forma "insultuosa" como jornalista foi tratado por assessor do FC Porto


    http://www.ojogo.pt/Directo/NoticiaHoraFutebolNacional_futfcprtpjornalistainsultado_080309_116612.asp

    ResponderEliminar
  6. " major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado"

    Que outro lado ? O "lado" dos adversários ? antes de ir pelo "lado dos árbitros" vai pelo "lado" dos adversários que sempre é mais fácil ?

    ResponderEliminar
  7. A propósito de comentadores, espero que algum dos portistas com voz na Comunicação Social, como Rui Moreira ou Miguel Sousa Tavares, (não refiro Guilherme Aguiar ou Pôncio Monteiro, porque não me parece terem grande impacto na opinão pública) não deixem passar em claro as miseráveis insinuações feitas por Rui Santos, no "Tempo Extra" da SIC, sobre o comportamento dos jogadores do Leixões no jogo contra o Porto.

    Põe em causa o idoneidade do Beto por ter sofrido quatro golos indefensáveis e salvo pelo menos mais dois, com defesas dificeis, mas não duvida do guarda-redes da do Paços de Ferreira, que ofereceu o primeiro golo ao Sporting com um frango.

    Crucifica o Hugo Morais, questionando a sua honestidade profissional, por ter feito um penalti numa jogada apertada e sem qualquer influência no resultado final, mas achou normal que o Elvis tenha feito um auto-golo na Luz que decidiu a partida.

    Ninguém ouviu tal senhor indignar-se quando Jorge Ribeiro, falhou um penalti contra o Benfica na mesma semana em que foi contratado por esta equipa.

    Incomoda-o muito o papel dos jogadores emprestados pelo FCP, mesmo que eles marquem golos contra o Porto, mas não lhe causa qualquer repulsa os emprestados pelo Benfica ou Sporting.

    ResponderEliminar
  8. http://justicaparaoboavista.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  9. Carolina Salgado apanhada em contradições no “caso envelope”

    «A ex-companheira de Pinto da Costa, Carolina Salgado, foi hoje ouvida pelos três advogados da defesa na quarta sessão do julgamento do “caso envelope”, que decorre no Tribunal de Gaia, tendo sido confrontada com várias contradições nos seus testemunhos sobre o alegado caso de corrupção que envolve o presidente do FC Porto. À saída, tal como na semana passada, voltou a ser insultada pelos presentes.

    Carolina Salgado foi confrontada com as incoerências entre as declarações que fez na Polícia Judiciária, na fase de instrução do processo e agora no julgamento. Um das principais contradições que o advogado de Pinto da Costa, Gil Moreira dos Santos, apontou está no montante que acusa o dirigente do FC Porto de ter pago ao árbitro Augusto Duarte para favorecer o seu clube num encontro com o Beira-Mar, que remonta a 2004.

    De acordo com Carolina Salgado, dois dias antes do jogo, o árbitro – que foi hoje pela primeira vez ao tribunal mas optou por não prestar declarações – terá ido a sua casa encontrar-se com Pinto da Costa. Contudo, as versões sobre o encontro não coincidem: a 30 de Novembro de 2006 Carolina disse ter visto o seu companheiro dar um maço de notas a Augusto Duarte num montante entre os 2500 e os 3000 euros. Em Janeiro de 2007 falou num envelope com 2500 euros e dois meses depois garantiu que foi o próprio Pinto da Costa que lhe disse a quantia exacta e que colocou o dinheiro no envelope à sua frente.

    Um outro problema no discurso de Carolina Salgado está na relação que tinha com Augusto Duarte e com o também árbitro Martins dos Santos. No seu livro Carolina escreve que eram “visita frequente” na sua casa e do ex-companheiro mas no julgamento disse que eles só tinham lá ido uma vez. Carolina explicou que no livro usou uma “força de expressão”.

    O terceiro problema está nos intervenientes no encontro onde terá sido trocado o envelope. De acordo com Carolina além si, de Pinto da Costa e de Augusto Duarte estava presente o empresário de futebol António Araújo. Numa primeira versão assegurou que tinha estado sempre presente. Depois admitiu ter-se ausentado para fazer café mas desvalorizou o facto. Na fase de instrução disse não ter estado permanentemente na sala e no testemunho na PJ garantiu ter estado sempre no corredor. Hoje, Carolina Salgado explicou que “o corredor faz parte da sala”.

    Uma outra incoerência está na altura em que terá sido trocado o dinheiro: primeiro Carolina disse que Pinto da Costa entregou o envelope e só depois pediu o favorecimento. No entanto, numa outra versão disse que primeiro foi feito o pedido para beneficiar o FC Porto e que só mais tarde foi dado o dinheiro. Agora assegura que o tema esteve presente durante toda a conversa.»
    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1368371&idCanal=62

    ResponderEliminar
  10. A Naval não deveu nada ao Benfica, mas os pontos foram todos para a equipa da Luz, bafejada por mais dois golos de bola parada e protegida por erros de arbitragem que foram determinantes para o resultado final.

    João Ferreira? Poder ser, pode acontecer que seja um bom árbitro, mas, ontem, não o demonstrou. Isto na perspectiva da Naval, porque o Benfica não tem razão para se queixar. Logo no início do jogo, uma falta de Miguel Vítor sobre Marinho, mesmo em cima da linha da grande área, ficou sem o castigo de grande penalidade

    Almiro Ferreira, JN

    ResponderEliminar
  11. Esse tal de Almiro `o Sr.JLuís escreveu aquilo que eu gostaria de ter escrito..não sei nquem é o praça mas é gostoso prá caramba..lá isso é e já agora obg por me citar no blogue do boronha.mas de alices tou eu chegando..tudo bom pro sr.que gosto de ler dada a sua inteligencia na análise e principalmente na previsão da coisa e olhe que não é fácil,não..

    ResponderEliminar
  12. Obrigado, sara, percedo que está muito atenta e cruza informações. Da área da consultoria, entende-se que sabe pesquisar. Perspicácia e perspectiva são importantes no mundo que requer a desconstrução da informação. Parabéns.

    ResponderEliminar