13 abril 2009

Jogador da Bancada - Época 2008/2009 - 40º Round

PS: Em comentário coloco os nomes dos jogadores que actuaram neste jogo e o treinador. Só necessitam de copiar, colar na vossa caixa de comentários e atribuir a vossa nota (de 0 a 10).

20 comentários:

  1. Aqui estão os jogadores da vitória de sábado:

    Helton-
    Sapunaru-
    Rolando-
    B. Alves-
    Cissokho-
    A. Madrid-
    R. Meireles-
    Lucho-
    C. Rodriguez-
    E. Farias-
    M. Gonzalez-

    Guarin-
    Hulk-
    Tarik-

    Jesualdo-

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. Helton - 7
    Sapunaru - 7
    Rolando - 7
    B. Alves - 8
    Cissokho - 7
    A. Madrid - 6
    R. Meireles - 6
    Lucho - 7
    C. Rodriguez - 6
    E. Farias - 8
    M. Gonzalez - 7

    Guarin - 4
    Hulk - 8
    Tarik - 6

    Jesualdo - 9

    ResponderEliminar
  3. Helton - 7
    Sapunaru - 8
    Rolando - 7
    B. Alves - 8
    Cissokho - 8
    A. Madrid - 7
    R. Meireles - 6
    Lucho - 7
    C. Rodriguez - 6
    E. Farias - 9
    M. Gonzalez - 8

    Guarin - 5
    Hulk - 7
    Tarik - 6

    Jesualdo - 8

    ResponderEliminar
  4. MST na bola.

    Sobreviver ao dia de amanhã

    1 O que mais gostei de ver ao FC Porto em Old Trafford foi a atitude inicial de Jesualdo Ferreira. Ao contrário do que sucede nove em cada dez vezes com os treinadores portugueses defrontando jogos de alto risco no estrangeiro, Jesualdo não se atemorizou com o ambiente infernal e o nome do adversário — que é tão só o campeão europeu e mundial. E pôs em campo a sua melhor equipa, no seu esquema habitual, jogando num 4x3x3 de matriz ofensiva, em lugar de retirar um homem da frente para reforçar o meio-campo, conforme é a escola lusa tradicional. E, ao contrário, foi Alex Ferguson quem tirou um homem do ataque (Tévez) para meter mais um trinco, num sinal do respeito que o FC Porto lhe merecia.
    Essa foi apenas a primeira manifestação de uma atitude que, pela sua raridade e pela coragem demonstrada, ficará como um marco na historia contemporânea da presença de clubes portugueses ao mais alto nível das competições europeias. Nada está, obviamente decidido, e o Manchester United tem obrigação de continuar a fazer valer a sua condição de favorito à eliminatória, demonstrando-o amanhã no Dragão. Mas a noite de Old Trafford — onde o pior que aconteceu ao FC Porto foi, de facto, o resultado —, merece ser recordada como um episódio brilhante na eterna luta de David contra Golias. Só para ver o título do Guardian (Porto Panic) valeu a pena ter chegado aos quartos-de-final desta edição da Champions.

    Hoje à tarde, na conferência de imprensa do United, eu gostaria que algum jornalista português tivesse também a coragem de perguntar ao arrogante, mau perdedor e mal educado sir Alex se não teve vergonha de ver uma equipa com um orçamento doze vezes superior ao adversário ser humilhado no seu estádio, perante o seu público. E, já agora — cúmulo da provocação — perguntem-lhe se acha que, a treinar o FC Porto, conseguiria eliminar o Manchester United.

    Agora e perante os resultados, tornou-se obrigatório elogiar Jesualdo Ferreira — até muitos dos que antes o desprezaram ou acharam que não houve mérito por aí além nos dois campeonatos por eles ganhos ou que levar a equipa duas vezes em duas tentativas a ultrapassar a fase de grupos da Champions são favas contadas. Eu tenho por mim o registo destas páginas, em que, mal ele chegou ao clube e pôs fim à anarquia táctica herdada de Adriaanse, lhe dei logo o meu apoio — que nunca retirei, embora e como é evidente, tenha discordado várias vezes dele pontualmente. Mantenho a substância dessas criticas: continuo a achar que o FC Porto desperdiçou, por empréstimo ou cedência, vários jogadores que muita falta fazem agora e recebeu ou manteve outros cujo valor não justifica a escolha. Continuo assim a achar que o grande calcanhar de Aquiles desta equipa (para além do caso especial do guarda-redes) está na ausência de um banco à altura das necessidades de quem se bate simultaneamente em três frentes — e para vencer, não apenas para marcar presença. Reconheço que o Mariano melhorou o que pode, que o Farías tem o «pé quente», mas não mudei a opinião de que nem eles, nem o Madrid ou o Guarín são suplentes à altura. E mais não há, porque os que podia haver estão por aí a brilhar noutros clubes.

    Em contrapartida, deve ser creditado a Jesualdo Ferreira a extraordinária descoberta do Cissokho (por 300 mil euros!), o excelente aproveitamento do Rolando, os grandes progressos registados pelo Fernando (mas tem de melhorar a qualidade de passe naquela zona decisiva), pelo Raul Meireles, pelo Hulk e até mesmo pelo Cristián Rodríguez, que passou a primeira metade da época adormecido. Isto para não esquecer aquele que durante os três anos de Jesualdo mais cresceu como jogador: Bruno Alves. Tanto estes jogadores como o próprio futebol da equipa têm vindo sempre em crescendo desde o início da época, ao contrário dos seus rivais internos, e consegue a proeza de, acumulando um maior número de jogos e um muito maior desgaste competitivo, chegar a este momento decisivo nas três frentes respirando uma saúde competitiva e uma qualidade de jogo a milhas do que por aí se vê. Apenas um indicador: as oito vitórias consecutivas conquistadas fora de portas na Liga foram todas por margem superior a um golo, o que quer dizer que nenhuma delas caiu do céu.

    Chegado a este ponto das coisas, Pinto da Costa deve estar a lamentar não ter já renovado o contrato com o seu treinador, em lugar da atitude de wait and see que adoptou, porque, ao que parece, a tradição «obriga» a levar os contratos com os treinadores até ao fim, mas nunca os prolongar para além dos três anos. Só que hoje Jesualdo Ferreira tem com ele a equipa, os resultados, os adeptos e a unanimidade da critica. E se amanhã conseguir a fantástica proeza de apear o todo poderoso United da Europa, a sua cotação subirá na exacta medida em que aumentarão os candidatos a tê-lo como líder de uma equipa. Para além disso — e num momento em que o FC Porto parece finalmente revelar algum juízo nas contratações que já vai fazendo para a próxima época, escolhendo jovens portugueses em lugar de resmas de sul-americanos — mudar agora de treinador seria andar para trás. Estes três anos a consolidar uma equipa, apesar das sucessivas vendas dos seus melhores, e a instalar o espírito de conquista que é uma marca da casa, teriam de ser retomados do zero, com novo treinador, novos métodos, novas escolhas e... novas compras.

    Ninguém, absolutamente ninguém, em todo o universo azul e branco, perceberia agora a conveniência em dispensar Jesualdo Ferreira. E isto, já para não falar em justiça e gratidão — que, no futebol como no resto, são valores muito apregoados e pouco usados.

    2 Com a companhia de um sportinguista, consegui (conseguimos!) resistir ao primeiro quarto-de-hora do tão anunciado debate Dias da Cunha-Soares Franco. Parecia uma discussão de merceeiros disfarçados de cavalheiros, com muitos «senhor doutor» para aqui, «senhor doutor» para ali, e nada de substancial, de palpável, de vagamente emocionante. Quando desisti de ver mais, comentei, meio a sério, meio a brincar, com o sportinguista: «Se alguém ainda precisava de entender as razões pelas quais o Sporting não consegue chegar aos calcanhares do FC Porto, hoje deve ter ficado esclarecido». Para mim, só continua por esclarecer o que move Dias da Cunha ou o juiz Abrantes Mendes, numa eterna oposição à margem dos organismos estatutários, repetindo banalidades e disparates sem fim, com o único e aparente objectivo de serem permanentemente notícia. Como parece não haver ninguém, entre família e amigos, que lhes dê o sábio conselho de se calarem, julgo que eles se vão eternizar assim, em eternos resmungos, como dois judeus frente ao Muro das Lamentações.

    3 Não há jornada da Liga que não acabe com discussões sem fim sobre penalties assinalados ou não assinalados por mão na bola. Estes são hoje a maioria dos penalties assinalados entre nós e por isso, infalivelmente, só podem suscitar a eterna discussão de saber se foi mão na bola ou bola na mão — o que quase sempre depende de uma apreciação necessariamente subjectiva. E eu penso que o critério tem sido largo, larguíssimo de mais — ao ponto de se ver com frequência os defesas a encolherem os braços quando se fazem a um cruzamento e desejando passar por manetas nesses momentos. Não é preciso recuar muito no tempo para nos lembrarmos do último campeonato ganho pelo Benfica, em que o Simão Sabrosa tinha apurado uma técnica quase infalível de cruzar as bolas direitas aos braços dos adversários. O Benfica ganhou assim imensos penalties, vários jogos e, no limite, acabou por ganhar assim (e com livres à entrada da área) o próprio campeonato. Acho que é mais do que altura de tornar uniforme, claro e restrito aos casos evidentes a marcação de penalties nestas circunstâncias. Se há um claro movimento do braço para interceptar uma bola, é penalty; se não há, deixemo-nos de especulações e discussões.

    ResponderEliminar
  5. Helton-7
    Sapunaru-7
    Rolando-7
    B. Alves-8
    Cissokho-7
    A. Madrid-6
    R. Meireles-7
    Lucho-7
    C. Rodriguez-6
    E. Farias-9
    M. Gonzalez-7

    Guarin-5
    Hulk-7
    Tarik-5

    Jesualdo-

    ResponderEliminar
  6. Helton- 6
    Sapunaru- 6
    Rolando- 6
    B. Alves- 8
    Cissokho- 7
    A. Madrid- 7
    R. Meireles- 6
    Lucho- 7
    C. Rodriguez- 6
    E. Farias- 8
    M. Gonzalez- 7

    Guarin- 6
    Hulk- 6
    Tarik- 5

    Jesualdo- 6 (Deveria ter metido o Rabiola depois do 3-0)

    ResponderEliminar
  7. Helton - 7
    Sapunaru - 8
    Rolando - 7
    B. Alves - 8
    Cissokho - 8
    A. Madrid - 7
    R. Meireles - 6
    Lucho - 6
    C. Rodriguez - 6
    E. Farias - 8
    M. Gonzalez - 6

    Guarin - 5
    Hulk - 6
    Tarik - 6

    Jesualdo - 8

    ResponderEliminar
  8. Helton- 7
    Sapunaru- 7
    Rolando- 6
    B. Alves- 8
    Cissokho- 7
    A. Madrid- 6
    R. Meireles- 7
    Lucho- 5
    C. Rodriguez- 5
    E. Farias- 9
    M. Gonzalez- 6

    Guarin- 4
    Hulk- 6
    Tarik- 5

    Jesualdo- 8

    ResponderEliminar
  9. Jesualdo Ferreira fora do banco frente ao Manchester United
    15h27m

    Gesto do treinador após golo anulado ao F. C. Porto em Madrid valeu um jogo de castigo, a cumprir esta quarta-feira.

    O treinador do F. C. Porto foi castigado pela UEFA, esta terça-feira, com um jogo de suspensão e não vai dirigir a equipa no decisivo jogo de quarta-feira, frente ao Manchester United, para a segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões de futebol.

    A razão do castigo imposto pela UEFA foi um gesto de Jesualdo Ferreira no primeiro jogo dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, frente ao Atlético de Madrid, quando o árbitro anulou um golo ao FC Porto.

    Em primeira instância, a UEFA castigou Jesualdo Ferreira com dois jogos de suspensão, mas hoje reduziu a uma partida, aceitando a argumentação da defesa portista, que o gesto (manguito) se dirigia aos seus jogadores, por não terem cumprido um movimento colectivo.

    Este é o primeiro castigo em 35 anos de carreira de Jesualdo Ferreira, que quarta-feira não poderá estar no Estádio do Dragão, na partida frente ao Manchester United.

    Manchester United e FC Porto empataram 2-2 no encontro da primeira mão, disputado em Old Trafford. In JN

    Começa os mind games, desta vez vindos da própria UEFA,

    ResponderEliminar
  10. Começaram as jogadas de bastidores... força ai Platini...

    Jesualdo Ferreira fora do banco com o Man Utd!

    A UEFA castigou o treinador do F.C. Porto, Jesualdo Ferreira, com um jogo de suspensão por causa de um gesto em Madrid, na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, com o Atlético.

    O técnico não vai poder sentar-se no banco esta quarta-feira, frente ao Manchester United.

    http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=162525

    ResponderEliminar
  11. Helton-8
    Sapunaru-7
    Rolando-8
    B. Alves-10
    Cissokho-8
    A. Madrid-6
    R. Meireles-6
    Lucho-7
    C. Rodriguez-8
    E. Farias-9
    M. Gonzalez-9

    Guarin-6
    Hulk-8
    Tarik-6

    Jesualdo-9

    ResponderEliminar
  12. Porra, isso é o mesmo que perder o Móises antes de atravessar o mar vermelho...

    Haja Fé, mesmo sem o professor.

    YES WE CAN !!!

    ResponderEliminar
  13. Donnie Darko disse:
    «Porra, isso é o mesmo que perder o Móises antes de atravessar o mar vermelho...»

    LOLOLOLOL

    ResponderEliminar
  14. Eu que pensava que estava a faltar algo que provocasse os jogadores do Porto, algo que so fizesse estar com concentração máxima amanhã e não correu o risco de adormecer à exibição da semana passada...

    Ora aí está... Nós já temos treino nisto por cá... CONTRA TUDO E CONTRA TODOS, IREMOS GANHAR!!!!

    ResponderEliminar
  15. Agora tenho a certeza que vamos ganhar o jogo.

    Mais uma sujeira.

    Nao basta o formato da competiçao que aliado à lei Bosman, permite aos mais ricos (mesmo que nao tenham qualquer "pedigree" europeu), estarem constantemente no topo; agora temos jogadinhas de bastidores ridiculas que permitem este tipo de mesquinhez.

    So espero que a arbitragem nao seja tao ma como a da segunda parte em Manchester. Espero que lances à entrada da area em que os jogadores do Porto toquem apenas a bola, nao sejam transformados em livres directos a favor das madalenas vermelhas e que quando o Hulk for rasteirado na area se marque pénaltie.

    Enfim, se razoes faltassem, estao aqui duas, para que a concentraçao seja total, para que se jogue sempre nos limites e para que os jogadores do Porto usem de muita raça, quanta tiverem, para vergar quem vem ao Dragao em representaçao do futebol platinado.

    Transparencia, muita transparencia, por entre os "fuck offs" do senhor Fergusson dirigidos aos arbitros nos jogos da Liga dos Campeoes. Esses nao sao alvo de castigo.

    A velha e sempre justa Europa, no seu melhor.

    ResponderEliminar
  16. "Os jornalistas puderam assistir ao aquecimento e, curiosamente, verificar que o árbitro da partida, o suíço Massimo Busacca e os assistentes estavam também junto ao relvado, em frente à cabina destinada ao quarto juiz, olhando os craques da equipa inglesa".- Maisfutebol

    Não acham estranho a UEFA ter mandado um arbitro suiço vizinho do Platini para o Dragão ?

    Acham que a UEFA vai ficar muito satisfeita se o Porto eliminar o MUnited ?

    Atenção a todas estas jogadas baixas ( parecidas com algumas dos mouros ao longo dos anos )

    Força Porto...a Europa está à tua espera

    ResponderEliminar
  17. Estou a ver o Bayern-Barcelona. Guardiola, igualmente suspenso, está presente no estádio e a ver o jogo da bancada.

    ResponderEliminar
  18. Boas, vim por este meio pedir-vos para que adicionassem o meu blog de futebol aos vossos links sff

    http://portal-futebol.blogspot.com/

    O nome do blog é Portal Futebol


    Depois quando adicionarem comuniquem-no no nosso blog para que nós também vos adicionemos

    Saudações!

    ResponderEliminar
  19. Helton- 8
    Sapunaru- 7
    Rolando- 7
    B. Alves- 9
    Cissokho- 8
    A. Madrid- 5
    R. Meireles- 7
    Lucho- 8
    C. Rodriguez- 5
    E. Farias- 9
    M. Gonzalez- 8

    Guarin- 5
    Hulk- 7
    Tarik- 6

    Jesualdo- 9

    ResponderEliminar
  20. Dou por terminada a votação para o 40º round do jogador da bancada. As médias apuradas pela votação dos 8 comentadores da bancada é a seguinte.

    Helton-7,1
    Sapunaru-7,1
    Rolando-6,9
    B. Alves-8,4
    Cissokho-7,5
    A. Madrid-6,3
    R. Meireles-6,4
    Lucho-6,8
    C. Rodriguez-6,0
    E. Farias-8,6
    M. Gonzalez-7,3

    Guarin-5,0
    Hulk-6,9
    Tarik-5,6

    Jesualdo-8,1

    Assim, no fim do 40º round a classificação geral é a seguinte:

    Lugar-Pontos-Jogador-NºJogos
    1º-478,2-Hulk-37
    2º-475,0-B. Alves-37
    3º-464,4-R. Meireles-35
    4º-444,5-Lisandro-34
    5º-443,0-C. Rodriguez-36
    6º-433,8-Rolando-34
    7º-424,4-Lucho-35
    8º-419,7-Fernando-32
    9º-368,9-Helton-30
    10º-304,4-M. Gonzalez-30
    11º-289,4-T. Costa-30
    12º-262,7-Sapunaru-24
    13º-220,4-Fucile-19
    14º-202,4-Cissokho-15
    15º-173,4-Guarin-19
    16º-166,9-E. Farias-20
    17º-115,7-P. Emanuel-12
    18º-92,3-Tarik-14
    19º-88,3-Lino-10
    20º-86,3-Nuno-8
    21º-75,3-Benitez-9
    22º-74,6-Stepanov-6
    23º-56,9-Pelé-6
    24º-53,7-Candeias-7
    25º-52,1-Andres Madrid-5
    26º-27,3-Ventura-2
    27º-26,2-D. Viana-3
    28º-19,4-Rabiola-2
    29º-9,5-Josué-2
    30º-5,4-Ivo Pinto-1
    31º-4,7-Tengarrinha-1


    JESUALDO-6,1

    Obrigado a todos os participantes.

    Um abraço.

    ResponderEliminar