21 abril 2009

Prostituição intelectual

Três notas muito breves:

1- Não ouvi dizer, nem li, sobre o lance que deveria ter dado lugar a castigo máximo por falta claríssima sobre Lucho no passado Porto-Benfica (ocorreu logo aos 18 minutos), nada na comunicação social, similar ao histerismo associado à mão na bola de Meireles neste Académica-Porto. Que a história do jogo seria diferente. Que a agressão de Sidnei sobre Lucho 5 minutos depois da penalidade escamoteada por Pedro Proença, obrigaria o Benfica a jogar com 10, quando provavelmente já estaria a perder por 1-0.

2- Não ouvi, nem li, absolutamente nada, aquando da suspensão pioneira e ridícula a Lisandro, acerca do castigo máximo inexistente, provocado por uma rajada de vento que derrubou Moutinho, no Sporting-Porto, sob o olhar de um Lucílio Vigarista do costume. Situação semelhante, mas que, oferece comparação lisonjeira para Moutinho, uma vez que Lisandro sofre contacto humano enquanto Moutinho é derrubado por forças ocultas (da natureza). Uma coisa que em lei de contratos na América do Norte se chama de “Frustration”, quando o contrato tem que ser rescindido por motivos incontroláveis (ex. furacões, cheias, terramotos, etc.). Digamos que o contrato de honestidade entre Porto e Sporting naquele jogo, é quebrado por motivos de força maior, que estão para além do controlo das partes envolvidas. Os vendavais de Alvalade.

3- Espero igualmente, que a frustração motivada por mais uma vitória (justíssima) do Porto e que o azeite que parece cair da cabeça sebosa e encaracolada do anão, não o impeça de tentar vislumbrar uma qualquer falta de profissionalismo motivada quiçá, por dinheiros (também ocultos), oferecidos aos profissionais do Vitória de Setúbal, para que esse golaço na própria baliza que abriu o caminho para os golos no Bonfim, fosse uma realidade. Idem para a decisão suspeita, que se quer fazer parecer arbitrária, de treinar e não treinar, conforme a direcção de que sopra o vento lá para os lados da Reboleira.

Com tanta intempérie, espero que quem faz a defesa do FCPorto na comunicação social saiba apontar estas “falhas intelectuais”, a quem sofre do síndrome de “Frustração” que grassa nos espaços onde lhe oferecem o previlégio de poderem expor as suas ideias.

21 comentários:

  1. "similar ao histerismo associado à mão na bola de Meireles neste Académica-Porto".

    Soren, basta recuperar a mão de Tonel na Supertaça de Leiria, em 2008. Estava 0-0, uma mão evidente e um penálti escamoteado, Bruno Paixão de frente para o lance e nada de nada.

    O Sporting ganhou, Paulo Bento lançou dúvidas existenciais sobre a alegada falta e o presidente Soares Franco rematou a faena no final: "É sempre bom começar a época a ganhar".

    Agora, recuperem-se as 1ªs páginas de então e veja-se o... escândalo.

    Nem de propósito, depois de críticas ao superprotector Lucílio Vigarista, o Sporting lançar-se sobre Bruno Paixão é de rir.

    Ainda veremos o Benfica a contestar o João "Pode vir o João" Ferreira.

    Mas a caravana passa.

    Entretanto, há uma série de desmiolados que parece querer pedir árbitros estrangeiros para as jornadas finais. Onde é que já ouvi disto?

    ResponderEliminar
  2. Sobre Olarápio Benquerença, já esquecida a Taça oferecida em 2002 ao Sporting, com golo fora-de-jogo de Jardel e um penálti escamoteado ao Leixões por derrube de Detinho, o episódio da final da Taça da época passada também já passou à história. Aquela falta negada a Lisandro derrubado por Polga, a meio metro da lateral da grande área, foi só seguida de contra-ataque do qual resultou o 1-0 leonino no prolongamento.

    Isto para não falar da expulsão perdoada ao Grimi por duas sarrafadas seguidas em Quaresma nos primeiros 10 minutos de jogo.

    Mas o obstruso Rui Oliveira e Costa, tão desonesto como as suas suspeitas sondagens de opinião, irá desencantar mais um roubo de igreja contra o Sporting.
    Das últimas vezes, já confundiu Olarápio com Lucílio Vigarista no Porto-Sporting da Taça no Dragão em que Caneira fez por ser expulso metendo-se numa confusão que lhe era estranha, o Benquerença mostrou justamente amarelo aos desavindos Caneira e Ricardo Costa e o primeiro foi expulso pelo 2º amarelo, depois Benny empatou no último do prolongamento e o Porto passou nos penáltis.

    Mas o Bentinho da porta aberta lá costuma sacar desse exemplo em que não tem, mais uma vez, razão, para falar dos Olarápios, Paixões e Vigaristas que só agora Sporting e Benfica vêm contestando.

    Há anos que o FC Porto os contestou, há anos que os portistas lamentam que tais árbitros ainda apitem. Esses e outros.

    Mas Pôncio Monteiro é que era louco ao pedir a "irradiação" de Bruno Paixão após o Campomaiporense-FC Porto de 19/2/2000.

    Parece que querem fazer um caso nacional, agora, contra o árbitro que diz ter "mais 11 anos pela frente na arbitragem".

    É como o Vítor Pereira, o primeiro futuro profissional do sector com o beneplácito do regime.

    ResponderEliminar
  3. soren, roubei o texto e publiquei no meu blog.
    se existir azar deixe por favor lá mensagem
    abraço

    ResponderEliminar
  4. mst na bola:
    A ressaca

    1 No FC Porto, há muito tempo que não há vitórias morais. Ali, joga-se sempre para ganhar e, quando se perde, perde-se: ninguém fica a consolar-se com a injustiça, a falta de sorte ou os erros de arbitragem. É este espírito, antes de tudo o mais, que marca a diferença de resultados entre os «azuis e brancos» e a restante concorrência a nível nacional. E é por isso que a eliminação às mãos do Manchester United — por mais injusto que o desfecho nos pareça, atendendo ao que se passou nos dois jogos — é uma derrota e ponto final. Não é o fim de um «sonho», como se escreveu, porque, verdadeiramente, o sonho nunca existiu. Mas foi o fim de uma hipótese, ténue e incrível, de ter afastado da mais importante competição mundial de clubes o campeão em título e mais rico clube do mundo. Para que isso acontecesse, era preciso, porém, dois momentos, dois jogos, de absoluta perfeição de todos, de uma tamanha competição e eficácia competitiva que as mais valias individuais do todo poderoso MU não conseguissem sobrepor-se a um jogo de equipa perfeito. Era preciso que o guarda-redes não falhasse nada que pudesse ser defendido, que a defesa fosse quase impenetrável, o meio-campo incansável e que o ataque não desperdiçasse golos possíveis. Isso não aconteceu, nem lá nem cá: lá, o FC Porto teve o adversário aos pés, mas, erros próprios (um golo oferecido e dois falhados, daqueles que não se podem desperdiçar) impediram uma vitória que teria resolvido logo a eliminatória; e cá, um fantástico pontapé de Ronaldo (que não deixou de ser um golo consentido por Helton, no primeiro remate à baliza dos ingleses), mais um desperdício de Lisandro e outro de Rolando, a par do «síndroma de Mamede» e dos efeitos devastadores da ausência de Jesualdo no banco e de Lucho no campo, ditaram uma vitória «científica» do MU, com um amargo sabor a «quase». Viu-se uma equipa absolutamente impecável na defesa (face a um ataque de meter terror), um grande meio-campo, mas depois falhou o ataque, jogador por jogador, e, uma vez mais, se demonstrou como a ausência de um guarda-redes fiável limita a equipa nos grandes jogos (não foi só o golo de Ronaldo, foi também a única outra oportunidade do Manchester, num pontapé dentro da pequena área e na sequência de um canto, com uma bola a pingar a um metro da baliza, que nenhum guarda-redes pode deixar de interceptar).
    É verdade que a festa que os campeões do mundo fizeram no final e o ar de evidente alívio de sir Alex ficaram como sinal do respeito e temor que o FC Porto conseguiu impor ao gigante europeu. Mas isso é uma vitória moral. Saímos com honra, sim, caímos de pé, sim; mas saímos e caímos. Apenas com a convicção de que a equipa foi tão longe, ou mais ainda, do que era legítimo exigir-lhe. Não se pode ter sol na eira e chuva no nabal: vender o Anderson ao Manchester e depois ficarmo-nos a lamentar da sua decisiva acção a travar o nosso jogo a meio-campo. As coisas são como são.

    2 De regresso à vidinha de todos os dias, aí temos o nosso campeonato, com as suas eternas discussões sobre arbitragem — que, ao que parece, é aquilo a que se reduz a apreciação do mérito do futebol que se vê. É verdade, sim, que ficou um penalty por marcar a favor da Académica, quando havia 0-0, no jogo contra o FC Porto. Mas também é verdade que um jogador da Académica, depois da mão na bola do Raul Meireles, ficou completamente isolado perante o Helton, com todas as condições para fazer golo e falhou: se tivesse marcado, conforme lhe competia, não havia discussão sobre o penalty. E também é verdade que o liner cortou uma jogada de golo do FC Porto por offside absolutamente inexistente e é verdade, sobretudo e para quem viu o jogo, que o FC Porto poderia ter vencido por cinco ou seis, se o Hulk, por exemplo, não estivesse a atravessar uma crise de forma e de crescimento. Só quem não entende nada de futebol ou quem esteja de má fé é que poderá sustentar que, sem aquele penalty não marcado, o FC Porto não teria vencido em Coimbra.

    A ressaca da noite de quarta-feira não deve ter sido fácil de gerir, mas, com mais ou menos limitações e cansaço, mais ou menos inspiração e motivação, Jesualdo Ferreira conseguiu o suficiente para reerguer a equipa no caminho do que resta conquistar: o campeonato e a Taça de Portugal. Mais uma jornada passou e faltam só quatro vitórias até ao título de tetracampeão nacional.

    3 O Vitória de Setúbal caminha para a segunda divisão e o Boavista caminha para a terceira. Não há milagres sem pão: não é possível manter a motivação dos jogadores nem o equilíbrio psicológico de uma equipa se os jogadores jogam sem receber e sem saber o que é o dia de amanhã. A excepção do Estrela da Amadora não passa disso mesmo e o que é preocupante é que possa haver dirigentes de clubes que olhem para o caso do Estrela como um exemplo de viabilidade desportiva dentro da anormalidade. É urgente que Hermínio Loureiro se defina na anunciada nova regra a entrar em vigor em Maio: ou é para ser finalmente a sério e sem olhar a quem, ou é para ser aplicada com «compreensão» e prolongar por mais um ano este indecente cenário dos clubes que competem sem pagar aos jogadores nem ao Fisco e Segurança Social. Afinal, isto é uma competição profissional ou uma quermesse?

    4 Já começaram as notícias dos jogadores que desejam ardentemente ver-se com a camisola do Benfica para o ano que vem. Das extraordinárias vedetas que aí vêm rumo à Luz, tipo Fredy Adu ou Pablo Aimar. Já se preparam as manchetes de Verão, já se faz por esquecer os fiascos desta época com os anunciados triunfos da próxima. Nos «grandes» de Lisboa preparam-se eleições e, enquanto que no Sporting, o actual presidente se jura farto de desconsiderações e a mal resolvida oposição consta que prepara a candidatura de um ex-polícia a contas com a justiça, no Benfica o actual presidente já vai investindo forte e feio contra uns eternos e não nomeados ambiciosos que podem ter o desplante de lhe querer disputar o lugar. Eis um problema que não se põe no FC Porto.

    Enfim, já cheira a «defeso», já há espuma e maresia no ar, já se anuncia o Verão. Mais um ano que acaba, mais sonhos que morrem e se enterram e outros que nascem e se alimentam de novas ilusões. O ciclo do futebol segue ao lado e próximo do ciclo da vida. E sempre gostei disso.

    ResponderEliminar
  5. ao cuidado do rui moreira:

    1º - questione o seu colega sportinguista porque e´ que o lisandro nao jogou 2 jogos por presumida simulaçao e o derlei, depois de simular um penalti do mais escandaloso que ja se viu, recebeu apenas um raspanete.

    2º- questione os seus colegas de painel se o lance do penalti do meireles foi ou nao sequencia de uma falta mal marcada pelo arbitro que deu inclusivamente um indevido amarelo ao B Alves.

    pergunte tambem se, antes da tal jogada, nao foi (mal) marcado um fora de jogo num lance em que um jogador portista seguia isolado para a grande area da academica, com forte possibilidades de marcar.

    ja agora faça um paralelismo. pergunte se o arbitro nao tera marcado o penalti do meireles para dar lei da vantagem (a bola sobrou para um jogador da academica isolado) e se nao sera isto uma questao de coerencia com um lance de outro jogo mais atrasado, em que o lucho foi rasteirado dentro da area e o arbitro deu a lei da vantagem porque o jogador do porto continuou com a bola? nessa altura todos aplaudiram o arbitro.

    ResponderEliminar
  6. Jesualdo na conferência de imprensa para o jogo de amanhã:

    «É norma no futebol português não se pensar nas coisas, não antecipar nada e ser apenas reactivo. Penso que chegámos ao momento em que as decisões têm de ser tomadas, mas não acredito que isso vá acontecer. Continuamos a discutir coisas supérfluas, quando o essencial não é tratado. Onde estão as soluções? Não há trabalho de casa, nem uma estratégia para o futuro. Não vejo estratégia por parte de quem decide para resolver os problemas do futebol português, que não são apenas de ordem financeira. Basta ver que, actualmente, há cerca de 15 horas semanais de programas sobre futebol na televisão e cerca de 80 por cento do tempo destes programas é gasto em discussões parciais sobre a arbitragem. A discussão que é feita não incide sobre o essencial, portanto as coisas não avançam».

    ResponderEliminar
  7. Em primeiro lugar dou os parabéns ao Soren pelo facto do seu post ser pequeno e por isso fácil de interpretar (farto-me com os testamentos), ainda por cima com questões sempre pertinentes que têem a ver com a relação desigual da comunicação social para com os 3grandes e a forma vergonhosa como tratam o FCP. Mas com o passar dos anos e depois de estarmos sempre debaixo de fogo chego à conclusão de que esta forma de actuar tem servido para acicatar ainda mais as nossas equipas. Ainda hoje o Jesualdo pôs o dedo na ferida sobre o constante paleio sem nexo dos variadíssimos programas de TV sobre futebol e a forma mesquinha como o mesmo é abordado, dandose sempre primazia ao penalti ou falta que é ou não assinalada e com isso não trazendo nada de novo para a competição em si. Continuemos assim pois, com eles a debitarem ódio ao FCP e nós a papar títulos, tá-se bem

    ResponderEliminar
  8. Acho que já nem vale a pena desancar-se a hipocrisia anti-FCP dos adeptos melancia que controlam este país. O que interessa é o Porto continuar a ser capaz de ganhar, por mais que sejam os erros contra (e se houver algum erro a favor, mesmo que seja apenas um pretenso erro, já sabemos que a seguir virão ainda mais erros contra e que há que ser ainda mais forte para ganhar no jogo seguinte).

    Concordo em absoluto com os vários comentários do Zé Luís em post anterior.

    Não há falta do Bruno Alves, o jogador da Académica está em fora de jogo, e ainda há portistas a fazerem coro com os anti-portistas militantes da CS? Irra, mas que grandes "anjinhos" esses portistas são.

    Alguém viu algum sportinguista incomodado pelo Derlei mais uma vez não ter sido expulso e ter depois marcado 1 golo e ter feito a assistência para o outro que deram a vitória ao Sporting?

    Era só o que faltava! Eles ficaram incomodados, e muito mas foi com os amarelos bem mostrados e com o golo bem anulado (e mostraram-no alto e bom som, achincalhando o árbitro na praça pública, já a pensar nos próximos jogos e ainda no título). O que eles querem é ganhar, seja como for, de preferência com o árbitro a ajudar (muito).

    Nós portistas, não somos nem queremos ser como eles, sempre a mamarmos e sempre a chorarmos para mamarmos mais. Mas também não temos que ser anjinhos e querermos que tudo seja perfeito e de uma pureza celestial no que ao Porto toca.

    Isso é para os fariseus fdp da cs, que querem vitórias absolutamente limpas para o Porto (de preferência com muitos erros arbitrais contra), e de qualquer maneira e feitio para os clubes da 2ª circular (de preferência com muitas ajudas arbitrais).

    ResponderEliminar
  9. Carlos Xistra amanhã e Paulo Baptista no domingo. Isto está bonito está. Vamos encher o estádio domingo! Vão ser 14 a jogar contra nós.

    ResponderEliminar
  10. Ouvi na antena 1 que o jogo de amanhã está em risco pois o estrela ainda não pagou o seguro do ano passado nem o deste ano e se não pagar até amanhã não pode realizar jogos oficiais.

    ResponderEliminar
  11. Afinal vai haver jogo. O presidente do estrela arranjou 36 mil euros assim do nada, de onde vem? E no entretanto, Paulo Bento só foi castigado com 500 euros de multa por ser expulso em guimarães, mas pode ir para o banco contra o estrela.

    ResponderEliminar
  12. Nesta fase em que os nossos imensos detractores se deliciam com novos argumentos que sustentam a opinião de que continuamos (depois das escutas, depois dos julgamentos que nos deram razão...) a controlar a arbitragem, era de extrema importância dizer o que foi dito aqui.

    Parbéns pela pertinência e porfundidade do texto, Soren. Que mereceu ainda um maior desenvolvimento através dos casos lembrados pelo Zé Luís. Parabéns, portanto, ao blog.

    Em relação à expectativa de sermos devidamente defendidos pelos comentadores portistas da Comunicação Social já não estou tão optimista. Era óptimo que o Rui Moreira fizesse, por exemplo, as perguntas que o FCPorto Sempre sugere. Mas a sensação que normalmente fico depois de ver estes programas é que muito fica por dizer. O essencial é muitas vezes esquecido e argumentos evidentes dão a sensação de só terem existido na minha cabeça... não fosse a existência de blogs como este.

    Compreendo o desabafo do Luís Negroni: o que interessa é sermos melhores, ganhar de forma concludente em campo. Essa será sempre a melhor resposta. E se não chegar a nossa qualidade face aos obstáculos antidesportivos que se nos deparam, então teremos de ser ainda maiores.

    Mas pergunto: não estará uma parte da força do nosso clube no facto de, ao não esquecermos as injustiças, usa-las para nos dar o destque que o nosso futebol hoje apresenta face à concorrência? Sem tirar qualquer importância à competência que os profissionais do nosso clube demonstram, claro.

    Povo mais forte, claro que vai! Havia dúvidas?!

    ResponderEliminar
  13. Hoje não quero falar de Futebol, deixo um brindo especialmente dirigido "às almas livres":

    "Porque
    Adriano Correia de Oliveira

    Composição: Sofia de Melo Breyner

    Porque os outros se mascaram, mas tu não,
    Porque os outros usam a virtude
    Para comprar o que não tem perdão,
    Porque os outros têm medo, mas tu não

    Porque os outros são os túmulos caiados,
    Onde germina calada a podridão.
    Porque os outros se calam, mas tu não.

    Porque os outros se compram e se vendem
    E os seus gestos dão sempre dividendos.
    Porque os outros são hábeis, mas tu não.

    Porque os outros vão à sombra dos abrigos
    E tu vais de mãos dadas, com os perigos.
    Porque os outros calculam, mas tu não."

    ResponderEliminar
  14. A expulsão de Paulo Bento só dá direito a multa? A CD agora nem sequer tenta disfarçar a desigualdade de tratamento. Que palhaços do crl.

    ResponderEliminar
  15. Só inovações da CD da Liga. Lisandro, 1º jogador alguma vez castigado por (pretensa) simulação. Paulo Bento, 1º treinador que é expulso pelo árbitro e não leva qualquer jogo de castigo (que eu me lembre, pelo menos). E sempre, directa ou indirectamente, em desfavor do Porto.

    E o Xistrema não descansa. 1º, o Xistra, que "tão bem" esteve na meia-final da taça da liga, com nova oportunidade para poder "brilhar" na meia-final da Taça de Portugal.

    Depois, o Baptista, Paulo, que com 5 penaltis por marcar a favor do Porto e 2 golos limpos anulados ao mesmo Porto, tudo isto em apenas 2 jogos, apresenta "pedigree" mais que suficiente para ser nomeado de novo para 1 jogo do FCP. Até pode ser que desta vez consiga superar-se e fiquem por marcar 5 penaltis e sejam anulados 2 golos limpos num jogo só.

    Acho que o FC Porto devia criar o prémio de "Anti-Portista do Ano", para premiar o esforço de pessoas como os Srs. Ricardo Costa e Vítor Pereira. Caramba, tanto esforço, mesmo contra nós, também merece ser distinguido.

    ResponderEliminar
  16. Então mandar o abitro para o c... repetidamente só dá direito a 500 Euro de multa?????
    Mas que raio?..a palhaçada continua e os caes continuam a ladrar e nada lhes acontece??

    Meus amigos: então o Adriansse disse há 4 anos: é falta!! e apanhou um jogo de suspensão e este apanha 500 euro de multa!!

    e já agora Ze Luis, O bruno paixão não é aquele Sr.do apito que não marcou um penaltie a favor do Braga contra o Sporting na 1ª jornada, por falta de Postiga sobre o Meyong que o sr. do apito resolveu apitar ao contrario???

    Mas que pais é este??

    Descutam tacticas e lições de futebol e deixem -se de tretas!

    Felizmente que hoje vi o nosso rui moreira mandar piar baixinho o mentecapto do cineasta!
    Só lhe faltou dizer ao outro doente do oliveira e costa, que para a azia é preciso comprar compensan, já que o mesmo não conseguiu ver a 2ª parte do Academica-FCP, porque já sabia que iamos ganhar com aquele arbitro!!

    Não foi este tipo que disse no inicio da época, que o FCP tinha a pior equipa dos ultimos tempos?

    Acordem!
    o tetra vai consumir-vos o juizo!

    FORÇA PORTO!!!

    ResponderEliminar
  17. Para quem interessar, o Fc Porto tem transmissão em directo na Rtp internacional. Pelos vistos para Portugal é que vai ser na Sporttv.

    ResponderEliminar
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  19. Bonito de ver é os benfiquistas agora dizerem que é penalty claro, até porque não se dá a lei da vantagem na grande área. Eu concordo, mas lembro-me que os argumentos para o penalty sobre o Lucho no Porto-benfica foram exactamente opostos a isto.
    Se o Porto ganha, a arbitragem no futebol é uma vergonha. Se perde, a arbitragem vai muito bem e os erros são humanos. Enfim, mas a caravana passa...

    ResponderEliminar
  20. O treinador do Sporting é multado em 500 euros! E toda a gente percebeu o que ele disse, e já não é a primeira vez!
    O dirigente do Porto foi multado em muito mais, e não foi penalizado de forma mais incisiva, por não haver provas, quando aquela coisa que dá por Liga mandou um agente provocador disfarçado de motorista. Mas multaram-no por falta de urbanidade! Importa-se, o senhor costa, de repetir?
    Faltas de urbanidade e de lisura é que essa coisa de comissão de disciplina tem, que consegue multar as claques do Porto todas as semanas, e sempre por valores mais elevados do que os adversários.
    Coerentes, sérios, empenhados na dignificação e transparência do futebol, permitem ordenados em atraso, e dão cobertura a pagamentos misteriosos,nas vésperas de jogos com o Porto, sem pretender saber os porquês.
    Pelo menos, façam que investigam.
    Afinal o mentor da comissão até julga que é professor...

    ResponderEliminar