30 agosto 2009

Sempre a voar com Falcao

Naval, 1 -- FC Porto, 3
Uma paragem no campeonato para os adeptos afinarem o coro para saudar cada golo de Falcao, em vez de as claques provocarem desacatos...
Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves, Álvaro (Sapunaru 78); Mariano (Rodriguez 61), Fernando, Belluschi, Meireles; Varela e Falcao (Farias 71).
Golos: Falcao 8, Varela 60, Rolando 75pb, Farias 76
Onde o FC Porto sofreu a última derrota para o campeonato, a 1 de Novembro de 2008, agora retomou o rumo das vitórias fora. Onde a equipa foi errática e descoordenada, há 26 jogos atrás da Liga portuguesa, agora foi mandona e impôs-se naturalmente.
Enquanto o dia foi marcado por desacatos de energúmenos a caminho da Figueira, com honras de abertura de telejornais também a comprovar o marasmo noticioso de um país a banhos e que se sobressalta se ruir uma falésia na praia, só por estarem associados ao FC Porto, o jogo foi assinalado pela força tranquila dos tetracampeões. Ainda que até com relaxamento excessivo em períodos do jogo que fizeram perigar a vantagem e mesmo que, no fim de contas, como de costume, as análises radiofónicas e televisivas apontassem para uma vitória pela margem mínima pela reacção navalista, a verdade é que o FC Porto venceu com tranquilidade e com três golos, tal como na ronda anterior, além de um novo autogolo como em Paços de Ferreira.
Será uma festa quando um adversário fizer um golo à segura defesa portista, até porque a equipa tem os mecanismos defensivos afinados salvo o persistente nervosismo de Álvaro que até obrigou, também por força do amarelo, a meter Sapunaru na direita e Fucile derivando para a esquerda.
Mas o ataque continua a fazer estragos, a despeito da saída de Lisandro, da perda do autocondutor Lucho e mesmo a ausência do "malcriado" Hulk. Parece que os reforços "fraquinhos" do FC Porto, que deviam permitir apenas a "luta pela manutenção", estão a dar conta do recado, mesmo esse pedregulho indistinto chamado Varela que, por não estar num clube lisbonense, não tem cotação a certo nível idiosincrático de opiniões publicadas mas ontem foi, a par de Falcao, o homem do jogo.
Falcao que, aliás, vai no terceiro jogo seguido a marcar e voltar a fazer alarde da sua fiabilidade técnica de ponta-de-lança, marcando a passe de Varela e retribuindo para o negrão marcar o 2-0 pela hora de jogo. Dois reforços ditos "fraquinhos" que, momentaneamente, sabemos que nem merecerá uma das habituais manchestes dos pasquins lisbonenses, colocaram o FC Porto na liderança, provisoriamente já sabemos, mas com um futebol autoritário que bem contrasta com o jogo confuso e decadente do tempo em que a Naval impôs a última derrota doméstica aos dragões.
Parece, pois, que não vale a pena falar mais nada, o FC Porto ganhou e quase nem é notícia, de tão banal, ainda que a equipa careça de afinação em certos mecanismos que a fase precoce da época não consolida senão com tempo e apesar de este sobrar por 15 dias vão faltar os jogadores de saída para as selecções.
Quando derem por ela, se o FC Porto não fizer um embaraçoso retrocesso futebolístico como quando pedeu com Leixões (o senhor que se segue e no Dragão de novo) e Naval, depois da ascensão à liderança com triunfo categórico em Alvalade, o campeonato vai andar atrás do tetracampeão. Isto, claro, se Jesualdo não andar atrás do mecanismo de reintegração de Hulk no onze, enquanto o Cebola irá melhorar a condição física atrasada por lesão na pré-época, mas destes problemas tomara os rivais terem, por abundância e categoria indiscutível dos seus jogadores de primeira escolha e das opções de banco.
Quando Varela fez o 2-0 pareceu que o jogo estava sentenciado, mas ao 2-1 por infelicidade de Rolando, a tecla de Farias voltou a funcionar e novo golo a saltar do banco, o que comprova a profundidade do plantel portista tão discutida nesta fase da época passada em que nem a presença de Lucho e Lisandro mantiveram a equipa a flutuar, ao passo que agora navega em águas tranquilas. 

27 comentários:

  1. boa noite.

    O golo de Falcao foi a passe de Mariano, em jogada de Varela. Raúl Meireles em muito má forma. Rascord online faz capa com 1 gajo de 32 anos que poderá vir para o SCP e "esquece-se" do jogo do FCP. Não admira, o mais importante para eles é as supostas grandes aquisições pela clubite em Lisboa já que isso de jogar futebol, que abunda para o Norte, não é essencial para o jornalismo desportivo.

    ResponderEliminar
  2. Varela,Falcão e Fernando em grande outra vez!
    Meireles uma lástima e Helton novamente com falhas de iniciado!
    Estamos no bom caminho, mas este interregno, não vem nada a calhar!
    PS:2 jogos sem Hulk e 2 vitórias!
    para bom entendedor...

    ResponderEliminar
  3. Subscrevo por inteiro, Zé Luís.


    Temos plantel para muitas alegrias. Do Falcao nunca tive dúvidas, porque sigo o futebol argentino com muito interesse desde que começamos a comprar às dúzias.

    Tenho a convicção que é o melhor mercado para se adquirirem jogadores que têm sempre muita raça e valia técnico-táctica. Assim que entendem a velocidade do futebol europeu, os "argentinos" dão sempre cartas.

    Não é o caso do Falcao. Este é mais do que isso - é um diamante nas mãos de Jesualdo. Falcao vai ser "grande".

    Para não cansar muito, apenas UMA palavra para o Varela.

    Excelente atitude!

    Olha, foram duas.

    ResponderEliminar
  4. É triste que o Macaco, não controle a macacada.

    ResponderEliminar
  5. Jogo muito estranho. Concordp com o Jesualdo. Até aos 20 m tudo bem, dos 20 m até a intervalo, parecia que estavamos a dormir: o Meireles não pressionava, o Álvaro Pereira deixava entrar toda a gente pela esquerda, o Helton bebia umas caipirinhas.

    Mas lá correu bem. No 2º tempo já não demos hipoteses.

    Destaco o Varela. Para mim o homem do jogo. Com um pouco mais de qualidade no centro vai ser um jogador de top.

    ResponderEliminar
  6. Apesar do adormecimento aos 20m que só não deu golo por acaso (e se isso acontecesse a história do jogo poderia ter sido outra...) gostei do jogo.
    A defesa (embora o Álvaro ainda acuse algum nervosismo, gosto muito da sua capacidade e entrega) é sólida, o ataque é excelente e só o meio campo me trás preocupações. Não é estanque e parece-me que tanto contra o Paços como ontem, é ali que começam as fragilidades da equipa.
    Não sei se é só pela baixa forma do Meireles mas acredito que o professor também percebe isso e está a resolver o problema.

    Já sabemos que existe um estigma neste país: tudo o que é mau e relacionável com o FCP ou seus funcionários vende. E ao que vende, dá-se destaque.
    São uns anormais (tal como os que perpetraram os crimes) mas imaginem o quanto essa gente não tem sofrido nos últimos anos...

    Desta vez não tenho a certeza que a paragem será má para o FCP. A ver vamos.

    ResponderEliminar
  7. Se na semana passada gostei, ontem não gostei nada...ou melhor, gostei dos primeiros dez minutos, gostei do Varela e de alguns lampejos, na segunda-parte. No entanto e ao contrário do jogo frente ao Nacional, estavam reunidas as condições para fazermos um bom jogo: marcamos cedo, dominavamos, controlavamos a partida e jogavamos bem, só que, depois do 1-0, relaxamos, baixamos o ritmo, deixamos de jogar e a Naval cresceu, acreditou e não merecia ter ido para o intervalo a perder. Na segunda-parte, principalmente, depois da saída de Mariano, aconteceram os tais lampejos, fizemos o 2-0, controlamos, mas sofremos um golo que não estava nos planos. Valeu o 3-1 logo a seguir, para não termos sofrimento até ao fim.

    Depois do que se viu ontem, podemos concluir, que a boa exibição frente ao Nacional, durante praticamente todo o tempo, só aconteceu porque o golo tardou e tivemos de fazer pela vida?
    Se o golo frente aos insulares tem entrado mais cedo, ou se o Nacional não ficasse reduzido a nove jogadores, iamos ter a mesma atitude de recuar e deixar de jogar, à espera dos contra -ataques - perdão, das transições rápidas?

    Não entendo, sinceramente...
    Pensei que já estava mentalizado para este futebol, mas o jogo de ontem mostrou-me que não estou.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Jogo algo fraco por parte dos Dragões, mas o resultado foi bom. Exibição calma sem muitas opurtunidades de golo. Destaco o golo (novamente) de Falcao.
    Agora segue-se o Leixões e.. o Chelsea, Sporting de Braga, Atlético de Madrid, Sporting.. Setembro difícil..

    Um abraço, Gaspar
    http://odragaozinho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. A continuar assim, o helton vai dar-nos muitas 'alegrias' na liga e na liga dos campeões. Já era tempo de ele parar com isto!
    No fundo o futebol resume-se a ter alguem que as defenda cá trás e que as marque lá à frente, assim não dá caro Helton!

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Mais uma vitória do nosso clube com uma exibição á Jesualdo Ferreira, ou seja, q.b. (quanto basta). Marcamos cedo controlamos o jogo, lá marcamos o segundo e depois de mais um auto-golo (esta época ainda niguém amrcou golos ao Porto) o terceiro surgiu pelo inevitável tecla Farias (não sei muito de estatistiscas mas que o homem deve ser dos jogadores que passaram pelo Porto com um dos melhores aproveitamentos minutos/golos deve).

    Até agora tudo bem, depois desta paragem vem um ciclo de jogos valente que mostrará se temos equipa para ir longe, ou não. Tanto a nível interno como externo.

    SAUDAÇÕES PORTISTAS

    ResponderEliminar
  12. O jogo é mais facilmente descrito com uma onomatopeia: zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.
    Bons primeiros 15/20 minutos e depois de algumas displicências Heltonianas (e não só) e o proverbial auto-golo, acabou por ser uma vitória fácil, como deveriam ser todas as vitórias frente a equipas como a Naval 1º Maio, claramente abaixo de qualquer nível de exigência para o primeiro campeonato de Portugal.

    ResponderEliminar
  13. Já leram isto?

    Não foi desmentido, pelo que presumo que as transcrições sejam verdadeiras. Isto, apesar do jornal ser uma valente m****.

    ResponderEliminar
  14. Concordo com o Zé Luís, aquele futebol de deixa andar não nos deu cagaço, mas poderia ter custado caro, já não há paciência para a displicência do Helton, Meireles de pantufas, Álvaro Pereira a dar cacetada a mais, finalmente Mariano substituido e logo a seguir Varela em grande a aparacer (pela direita) a finalizar, Falcão vai dar que falar e já repararam que sem Hulk o nosso futebol é mais compacto, há mais circulação de bola e não o pontapé pra frente`!!! Dos superdragões também já não tenho paciência para as turras que provocam constantemente, e nem o facto de ser verdade que tudo o que diga respeito ao FCP (pela negativa) ser amplamente publicitado, me dá descanso em relação a esta gente. No fim quem perde é sempre a instituição.

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  16. Pelo uso de fonte Comic Sans no cabeçalho da PJ não me parece muito credível.

    Já para não falar do uso de pontos de exclamação como se fosse uma BD do Batman!!!

    ResponderEliminar
  17. Bem visto Slayer.

    Agora só falta ao FCP meter esta gente no tribunal.

    Tanta pressa para responder via Clube à questão do "atropelamento" - num caso pessoal do cidadão PdC e não do Presidente - podem agora apanhar balanço e tratar os mentirosos jornaleiros da mesma forma.

    Ou a assertividade e a urgência em defender o cidadão PdC é maior do que proteger a imagem do Clube?


    As prioridades andam um bocado desfocadas.

    Tão calados para umas coisas e tão afirmativos para outras..



    Cumprimentos!

    ResponderEliminar
  18. Foi mais uma exibição mediana, com altos e baixos, demonstrativos de que a equipa ainda não está a render o que o seu treinador pretende e o que a sua massa adepta exige.

    O plantel é servido por atletas de eleição, pagos a peso de ouro e nem as saídas de três dos seus expoentes da época passada justificam um futebol ainda tão pobre.

    Temos que dar tempo a que os processos de jogo sejam assimilados pelos novos jogadores e que outros recuperem a boa forma.

    Meireles e Rodriguez, por razões diferentes, ainda não rendem o que deles se espera.

    A fraca oposição foi um dos factores que contribuíram para a vitória folgada, apesar de ainda assim, a equipa não conseguisse evitar alguns riscos que correu desnecessariamente, face ao desacerto mais por desconcentração, de alguns elementos a quem se exige outra performance (Helton e Rolando).

    Já de Mariano nem vale a pena falar porque seria «malhar no ceguinho».

    Um abraço

    ResponderEliminar
  19. Para aqueles que dizem que o FCp teve uma fraca oposição então que dizer deste jogo do Benfífias Setubal?

    O Benfífias mete medo, muito medo. Acho que já não deveriamos jogar os próximos jogos, depois desta esmagadora vitória.
    Está tudo doido...ou estão mesmo falidos e precisam de alegrar a macacada, para ver se conseguem receber mais receitas.

    Acabamos de assistir a mais uma das maiores vergonhas de futebol português. Depois do estoril, do braga o ano passado, agora o setubal?

    Como alguêm dizia enganam-se os tolos com bolos....

    ResponderEliminar
  20. O que se passou hoje no galinheiro foi uma das maiores vergonhas que eu já vi, o Setubal é uma piada de mau gosto!

    ResponderEliminar
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  23. Soren
    Daqui a 2 meses com o crescimento do numero de lesões no Benfífias se calhar com alguns resultados menos esmagadores poderás mudar rápidamente de opinião.

    Coloco o JJ ao nível do Manuel José que punha as suas equipas a correr muito e bem, mas que depois no Benfica deu no que deu.

    Só temo se a arbitragem como hoje se viu que em 16 minutos mostrou 3 cartões amarelos e marcou um penalti, ajudem a equipa de bermelho a ultrapassar a falta de alguns dos jogadores mais marcantes.

    ResponderEliminar
  24. Luis
    Se calhar foi por isso que o unico a correr a jogar e marcar foi o Helder Barbosa, ou estarei enganado?

    Uma equipa que sofre golos em catadupa marcadas de livres, com os seu jogadores a não saberem marcar os seus opositores é para rir. Não me venha dizer que o treinador não explicou nem treinou estas situações, por mais fraquinho que ele o fosse?

    O que se deveria investigar era porque motivo os jogadores do setubal, ficavam parados nas suas movimentações???

    O mesmo se deveria investigar em Braga, no ano passado.

    ResponderEliminar
  25. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  26. Não estou muito preocupado. A época passada, mais ou menos por esta altura, o benfica fez um jogo idêntico na Madeira contra o Maritimo, deu 6 a 0, recordam-se? Cantaram-se hossanas, nos OS do sistema, tal como amanhã vai acontecer. Não me vou dar a esse trabalho, mas tenho a certeza que alguns cronistas do sistema, vão utilizar exactamente as mesmas frases para glorificar a exibição da equipa benfiquista, que usaram naquele dia. No final do campeonato.... sabemos qual foi o resultado. Acredito que esta época não será muito diferente.

    Em todo o caso gostaria de referir que, obviamente não é por 3 jogos que se pode avaliar definitivamente uma equipa, mas o Setúbal, ou melhora muito, muito mesmo, ou será um autêntico bombo de festa nesta liga.
    O plantel é de fraquissima qualidade e inexperiente, mas também não se nota ali grande trabalho do treinador, que, como era previsivel, não deixou de levar umas "ferroadas" do seu ex amigo Jesus, no final do jogo.

    Quanto ao benfica, também não é por um jogo que se define, mas não há dúvida que tem a marca de J Jesus, boa organização, pressão constante, ataque com muitos jogadores, enfim, não muito diferente do Boavista de Jaime Pacheco. Não sei se recorre aos mesmos métodos farmacológicos, mas não me admira que o faça, seguramente de modo mais sofisticado, dado que disporá de outros meios. Daqui por uns anos talvez surja um qualquer Fernando Mendes a contar umas coisas. Tenho sérias dúvidas de que consiga manter este ritmo por muito tempo. Se o conseguir, temos adversário à altura o que também valoriza o nosso penta.

    ResponderEliminar