27 janeiro 2010

Dois textos; duas imagens: o mesmo atraso civilizacional

Retratos da evolução a que chegou o benfiquismo

Vai ali o Pinto da Costa!!!


Como estou ausente, não resisti a deixar-vos dois textos. E duas imagens. Com um mesmo objectivo. Façam bom proveito. E, se entretanto, a Taça da Treta o permitir, já, antecipando um certo domingo de Maio próximo, pensem nos textos e decidam se querem praticar o que os desenhos recomendam. É certo que o risco nunca é de interdição de jogos, ou de estádio, porque jurisprudência está feita e alguma a fazer-se nas catacumbas onde se tecem patranhas de outrora. Quando muito, fica-se "como eles" e eles ficam a saber que o seu telhado pode partir-se até à pedrada.

DA FANCARIA. Em alguns sítios de Lisboa, mais do que no Porto que mantém um certo nível em certo tipo de círculo, ir à missa é como ir a um vernissage qualquer com a Caras ao dependuro. Está-se, nos tais certos sítios, na igreja em função de um compromisso de vaidade e cusquice. Em certos sítios de Lisboa, entremeia-se a Eucaristia com o cinismo mais reles de todos. Em certos sítios de Lisboa, as senhoras, e algumas até parecem senhoras, cruzam a perna na igreja sem saberem, entre uns casacos de pele e uns cabelos armados sem elegância, porque nunca lhes ensinaram, que as senhoras cruzam a perna em todo o sítio menos na igreja. Estas mesmas senhoras, devem saber de cor os livros de etiqueta que há à venda por aí. Em certos sítios de Lisboa, dá vontade de ir ter com algumas caras e perguntar-lhes se as viagens que fazem, principalmente as que não são de mochila às costas, não servem para nada. Às vezes, em certos sítios de Lisboa, dá vontade de perguntar se, numa ida a Paris, a Londres ou até ao Mónaco, aquelas criaturinhas que tanto apreciam frivolidades, não têm inteligência suficiente para as transportar adequadamente para a nossa cidade e conseguir tornar Lisboa uma terra menos provinciana e que consiga captar gente que liberte a cidade do grotesco corredor social que nela pulula sem graça nem categoria nenhuma. Mais do que em certos sítios de Lisboa e na cidade quase toda, é impossível ser-se complacente. Não há nada mais irritante e meão do que a complacência, para além de gente que se acha e não tem por onde achar-se.

António Leite Matos, no Portugal dos Pequeninos


CÃES RAIVOSOS NA LUZ:O Record diz que já viu a nota de culpa e eu acredito piamente em todas as notícias que venham da Comissão de Disciplina da Liga.Pontos a destacar: "o director de operações e planeamento da Liga, Carlos Lucas, solicitou expressamente aos stewards que não empurrassem nenhum agente desportivo".Primeiro ponto: distingue a Liga uns tais de stewards de agentes desportivos. Registo, para não mais ser retirado.Segundo ponto: no estádio da Luz, é preciso um dirigente da Liga ir “solicitar” aos stewards do Benfica (funcionários de empresas de segurança de sabe-se lá de onde) que não empurrem nenhum agente desportivo, vulgo, jogador da equipa contrária ou, precisando melhor, do Futebol Clube do Porto. Só o facto deste dirigente da Liga ter sentido semelhante necessidade deveria dar que falar e era merecedor de uma investigação. Então no estádio da Luz é preciso que um dirigente da Liga faça um aviso destes? E isso é normal, a Liga acha isso natural? Fará isso nos outros estádios? Terceiro ponto: os stewards do estádio da Luz passaram pelo dirigente da Liga como cão por vinha vindimada, fizeram gato sapato do que ele “sugeria”, e foram insultar, provocar, empurrar e “colocar as mãos” (a expressão é de uma candura deliciosa) nos jogadores e demais staff do Futebol Clube do Porto. E isso é normal? A Liga acha isso natural? Que os stewards tomem o dirigente da Liga, Carlos Lucas, por boneco, não liguem ao que diz, e provoquem jogadores e dirigentes de clubes adversários? Que os dirigentes e desportistas se tenham de sujeitar a semelhante selvajaria e selvagens quando vão ao estádio da Luz?Quarto ponto: alguns jogadores ripostaram. Hulk falhou tudo, só conseguindo sujar o casaco do supervisor dos selvagens. Sapunaru, aparentemente, conseguiu salvar a honra. Poder-se-á criticar os jogadores por se defenderem quando atacados por selvagens? Merecerão reparo por se defenderem? Não seria muito mais ajuizado punir quem põe nos estádios selvagens a insultar, provocar e agredir a equipa visitante? É isto que a Liga quer?Para o ano, sugiro ao Benfica que esqueça os selvagens e ponha no túnel, a fazer de seguranças, cães ferozes, raivosos e esfaimados, e os atice contra os jogadores do FCP. Estes, transidos de medo pela reacção da Comissão de Disciplina da Liga, deixar-se-ão devorar e o campeonato fica no papo. Dos cães raivosos, claro.

Post scriptum: aqui fiquei a saber que os selvagens do túnel do estádio da Luz já tinham tentado coisa semelhante anteriormente. E mudado as câmaras das filmagens de segurança para ninguém de nada saber. Uns bandidos, portanto, e premeditados. Ficámos a saber como funcionam a segurança e os seguranças na Luz. E com Rui Costa a ver. E que Luís Filipe Vieira acusa a Lusa. A Liga assobia.

Post scriptum 2: Em pleno jogo, Luisão dá um pontapé no jogador do Nacional que está no chão, leva um amarelo e vai para casa contar o feito aos amigos, provavelmente por entre umas cervejolas e risadas, até ao jogo seguinte. Pepe, no Real Madrid, dá uns quantos pontapés no adversário que se esticava na relva, junto à baliza, e fica dez jogos sem jogar. Hulk falha um merecidíssimo pontapé num energúmeno que o insultava (na própria casa, quando o devia proteger) e já leva seis jogos de suspensão. A Liga vigia.

Vasco Lobo Xavier, no Mar Salgado



7 comentários:

  1. Boas, Zé Luis,

    E então, pragmaticamente, o que é que podemos fazer?

    É que, uma coisa é termos a noção do branqueamento que a CS faz às aldrabices que o slb e os árbitros em sua prol vão fazendo. Outra coisa é quando o organismo que gere a organização de um campeonato o manipula SEM QUALQUER PUDOR.
    Atente-se: a Liga disse que não teve conhecimento das agressões em 2008... a PSP disse que lhes enviou um relatório, ou seja, souberam mas não quiseram levantar o caso. Aliás, já tinham o diabo de gaia para resolver, também esse com um castigo verdadeiramente exemplar e à medida das orientações internacionais...

    O caso do Hulk e Sapunaro é semelhante: sem qualquer tipo de problema e pudor pode-se afastar dois jogadores dos relvados por 2 anos por terem reagido a empurrões e provocações. Acho obviamente um escândalo. Que sejam punidos, acho bem já que é preciso, por princípio, não promover a violência agora meses?!?!? ANOS?!?!

    Se os dados estão viciados, quanto tempo mais vamos continua a lança-los à espera de um resultado aleatório?

    Digam-me, o que é que podemos fazer?

    Os mais pequenos não se mexem, porque já sabem que não é a guerra deles. E nós, estamos entregues a nós próprios? Isto tem alguma solução? Eu não vejo nenhuma...

    ResponderEliminar
  2. Proponho e ja o fiz na minha Empresa.Rua com a Prosegur que caladinha alimenta os seus funcionarios a serem palhaços.
    Corram com essa corja Magrebina!!!!

    ResponderEliminar
  3. "Digam-me, o que é que podemos fazer?"

    Mandar um relatório para a Fifa e pedir para jogar em Espanha. Deixem as taças das tretas para os abutres!

    ResponderEliminar
  4. Meus Caros Amigos,
    Já repararam que uma simulaç
    ao de um jogador mouro só dá multa?E a justificação?Não inteferiu no resultado...Então não interferiu?Não resultou em golo?Se isso não é interferir no resultado o que é que será?
    Saudações Portistas!
    duck

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Porque não fazermos uma "ASSOCIAÇÂO DE ADEPTOS E SÒCIOS DO F.C. PORTO" com registo em notário e depois colocar acções em tribunal contra estes salafrários

    ResponderEliminar
  7. http://dragaoetripeiro.blogspot.com/2010/01/imparcialidade-da-imprensa.html

    ResponderEliminar