19 agosto 2010

Até parece que não sofremos os costumeiros sustos com Maicon...

Um 3-0 categórico a selar a 1ª vitória de sempre na Bélgica. Com golos de categoria, um penálti bem marcado por Falcao, um golão de Souza e uma preciosidade de Belluschi a rematar a faena. Qualificação carimbada por antecipação, confirmando os prognósticos que alguns, destemidos, quiseram antever na superioridade de Sporting e Marítimo nos seus jogos e que redundaram em frustrações mas com resultados dentro das previsões mais realistas de quem quer olhar os adversários com respeito e não com sobranceria.
Mas o FC Porto, se confirmou as expectativas e passou mais um jogo oficial sem sofrer golos, não fez uma exibição brilhante. Ao invés, graças a mais asneiras de Maicon avesso a jogar no lado esquerdo da "zaga", Helton é que salvou a honra do convento com intervenções de categoria que podem catalogá-lo como o melhor portista em campo.
A confirmar, isso sim, todos os defeitos que tenho apontado e escapam a toda a gente, Maicon praticamente ofereceu dois golos aos belgas, permitiu-lhe um cabeceamento perigoso a que Helton se opôs com a defesa da noite e, pelo meio, fez um passe disparatado de pé esquerdo que expõe o seu desconforto por actuar daquele lado. Quando pode jogar na época passada, com Bruno Alves, Maicon safava-se bem do lado direito como central. Ontem quase enterrava a equipa e comprometia o resultado, mesmo contra 10 e foi Helton a safá-lo por mais de uma vez.
E se o dia aliviou com o argentino Sálvio confirmado no Benfica, ao menos que o rumor quase certeza de Otamendi se confirme e nos livre desse susto permanente. Mas se Otamendi só jogar à direita, tal como Maradona o pôs a jogar a lateral-direito no Mundial, o problema pode manter-se e a intranquilidade não arredar pé da zona dos centrais portistas.
Algum relaxamento do FC Porto permitiu empertigar o Genk, cujo jogo simples, rectilíneo e directo tinha o desconforto de andar atrás da bola que com mais técnica e posicionamento os portistas controlavam. Parece que foi fácil e o jogo não teve história, mas só uma decisão simpática do árbitro italiano permitiu o avanço no marcador. Melhor esteve o árbitro Banti ao expulsar um preto com uma entrada violenta sobre João Moutinho, num dia em que Hulk teve de deixar o estágio para ir ao Brasil por causa de um familiar e Ukra esteve bem num flanco com Varela no outro, a única alteração à equipa titular que vem jogando.
Destaque para o reaparecimento de Ruben Micael, que soltou a bola para o tiraço de Souza de primeira e o facto de, com ele, o FC Porto ter utilizado cinco portugueses, com quatro de início.
Já agora, e porque tinha avisado que o sorteio não lhes foi favorável, acho natural o Brondby ganhar em Alvalade e o Marítimo levar três na Bielorrússia. Ao comentar o sorteio com outros confrades, alguns olhavam para os vaticínios mediante as casas de apostas que favoreciam as "pretensões" e davam corpo às capacidades das duas equipas portuguesas. Até o amigo Pai da Leoa sabe que apontei o Brondby como opositor perigoso e que não ia ser fácil mesmo em Lisboa. Obviamente neste caso, a pressão é já enorme sobre Paulo Sérgio e o jogo de campeonato no domingo também não se afigura fácil...

11 comentários:

  1. Concordo com o comentário feito na generalidade.

    Contudo deixo um apontamento que me entristece

    "...Melhor esteve o árbitro Banti ao expulsar um preto com uma entrada violenta sobre João Moutinho,..."

    não havia necessidade....

    ResponderEliminar
  2. Bom dia,

    Ontem fizemos um jogo "quanto baste" para levar de vencida uma equipa jovem, com jogadores de alguma qualidade. E demos uma passo rumo à fase de grupos da liga Europa.

    Na primeira parte, entramos calculistas, a controlar e dominar o jogo. O adversário não teve bola, e apenas em fugazes contra-ataques tentava chegar à nossa baliza. Estivemos claramente à espera do erro do adversário, que se foi enervando com o decorrer da primeira parte, e acabou por cometer um penalti que nos deu a vantagem no marcador.

    Na segunda parte, o Genk depois das alterações do seu treinador, começou a criar-nos problemas e não fosse Helton, teriam naquela altura empatado o jogo.

    Mas Villas Boas, tem uma de muitas qualidades ... não perde tempo e mexe na equipa. Meteu mais gente no nosso meio campo, e voltamos a controlar e dominar o jogo. Com um futebol de troca e posse de bola, constantes tabelinhas, com naturalidade marcamos mais dois excelentes golos.
    O de Souza foi fantástico.

    Nos jogadores realce para os nossos 3 médios.
    O Belluschi com o Fernando e o Moutinho ao lado parece outro. Fica mais solto para o ataque.
    Também os Fernando e o Moutinho varrem o meio campo todo. Impressionante o Moutinho ... não tem medo de fazer carrinhos, leva porrada que se farta,... e parece aqueles copos teimosos ... cai e levanta logo!
    Grande exibição do Helton.
    Maicon ontem foi capaz do melhor e do pior. Na nossa defesa, nota-se que falta ali agressividade no ataque à bola, antes mesmo de nos encostarem às cordas. Rolando esteve bem melhor.
    Varela esteve outra vez abaixo das expectativas.
    Ukra esteve bem, lutador, podia mesmo ter marcado.
    Sapunaru e Alvaro cumpriram o seu papel, mas sem atacar muito.

    Abraço a todos e bom fim de semana

    Paulo

    Bom dia,

    Ontem fizemos um jogo "quanto baste" para levar de vencida uma equipa jovem, com jogadores de alguma qualidade.

    Na primeira parte, entramos calculistas, a controlar e dominar o jogo. O adversário não teve bola, e apenas em fugazes contra-ataques tentava chegar à nossa baliza. Estivemos claramente à espera do erro do adversário, que se foi enervando com o decorrer da primeira parte, e acabou por cometer um penalti que nos deu a vantagem no marcador.

    Na segunda parte, o Genk depois das alterações do seu treinador, começou a criar-nos problemas e não fosse Helton, teriam naquela altura empatado o jogo.

    Mas Villas Boas, tem uma de muitas qualidades ... não perde tempo e mexe na equipa. Meteu mais gente no nosso meio campo, e voltamos a controlar e dominar o jogo. Com um futebol de troca e posse de bola, constantes tabelinhas, com naturalidade marcamos mais dois excelentes golos.
    O de Souza foi fantástico.

    Nos jogadores realce para os nossos 3 médios.
    O Belluschi com o Fernando e o Moutinho ao lado parece outro. Fica mais solto para o ataque.
    Também os Fernando e o Moutinho varrem o meio campo todo. Impressionante o Moutinho ... não tem medo de fazer carrinhos, leva porrada que se farta,... e parece aqueles copos teimosos ... cai e levanta logo!
    Grande exibição do Helton.
    Maicon ontem foi capaz do melhor e do pior. Na nossa defesa, nota-se que falta ali agressividade no ataque à bola, antes mesmo de nos encostarem às cordas. Rolando esteve bem melhor.
    Varela esteve outra vez abaixo das expectativas.
    Ukra esteve bem, lutador, podia mesmo ter marcado.
    Sapunaru e Alvaro cumpriram o seu papel, mas sem atacar muito.

    Abraço a todos e bom fim de semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. O post não deixa muito espaço de manobra para acrescentar algo de novo sobre o desenrolar do jogo. Foram (bem) identificados os pontos relevantes que marcaram o prélio de ontem à noite, se bem que passasse um pouco ao lado das opções tácticas e individuais de Villas Boas, o qual, a meu ver não cometeu falhas e actuou no momento certo. Certamente que ainda há um longo caminho a percorrer para chegar ao patamar de exigência a que o FCPorto nos habituou.

    ResponderEliminar
  4. Três golos sul-americanos que nos colocam com um (ou dois...) pés na fase de Grupos da Liga Europa.
    Bonito o gesto de Falcao, ao dedicar o golo a Hulk.
    Notam-se alguns erros na equipa (esteve muito mal Maicon; venha o Otamendi pois Maicon ainda não está preparado) mas ainda não está nada fechado visto que, até dia 31 de Agosto, alguém pode sair ou mesmo entrar.
    Uma grande vénia para André Villas Boas que mais uma vez sobe o que fazer.
    No Dragão é para marcar mais golos!

    Um abraço
    http://odragaozinho.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Jogo aparentemente fácil que o FC Porto tratou de complicar, recorrendo a um ritmo de treino e pouco engodo pela baliza.

    Sem Hulk, a quem presto as minhas homenagens pelo momento difícil que atravessa, os Dragões apresentaram-se lentos, previsíveis e sem imaginação. Dominaram na primeira parte mas sem criar grande perigo.

    Já na segunda metade tiveram que aguentar a maior determinação belga e aí Helton respondeu com bravura e classe.

    AVB acordou a tempo alterando o sistema de jogo. A inclusão de Souza e Rúben Micael foram fundamentais para a clarividência que o meio campo ganhou, com reflexos no resultado.

    Grandes exibições de Helton e Fernando, dois gigantes em campo. Souza voltou a confirmar as boas indicações que já dera nos poucos minutos que jogou.

    Muito trabalho espera a esta equipa para se assumir candidata ao triunfo deste troféu.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Achei a ideia do blogue bastante boa e gostava de também futuramente deixar aqui os meus comentários. De momento estou um bocado ocupado a lançar o meu blogue (já pode ser visitado) que tem tudo para estar em comunicação com o teu. Importas-te que coloque um link no meu blogue para o teu?

    http://contingentetuga.blogspot.com/

    O meu blogue chama-se Contingente Tuga e para além de previsões futebolísticas suportadas por um software que desenvolvemos, faz ainda resumos da participação de jogadores portugueses nos seus clubes por esse mundo fora.

    Continuação de bom trabalho!

    ResponderEliminar
  7. Antes de mais, de novo as minhas desculpas por só agora poder responder, mas nem sempre a netmóvel funciona e e possível encontrar um netcafé, pelo Portugal Profundo.

    Daí não ter grande apoio informativo e nem sequer meter fotos nos posts. Não se imagina as dificuldades de manter isto actualizado nestas condições veraneantes.

    Posto isto, António, não sei o nome do jogdor, nem vi o jogo de início e as equipas e não sei se era pior chamar-lhe negro ou branco...

    ResponderEliminar
  8. Amigo Silva da Costa, tem razão e foi falha minha, mas confesso sempre as minhas dificuldades em ver taticamente um jogo pela tv. O que não desculpa a falta desse pormenor que reforçou e bem o meio-campo. Mas com mais ou menos médios, não foi por isso que Maicon falhou tanto que até me levou a dizer um palavrão, imagine...

    ResponderEliminar
  9. Dragaopentacampeao, tem toda a razão e a falta de atitude vista na Figueira pressenti que criaria problemas na Bélgica. E nem tudo está bem quando acaba bem...

    ResponderEliminar
  10. Zé Luís;

    bem apontada a nuance "Brondby=complicação";

    não a neguei e até rematei, com a ideia de que actualmente, tudo é complicado lá para os meus lados.

    Mesmo andando em "melhor forma", todo e qualquer adversário, em qualquer escalão e modalidade, é visto por mim, como um "topo de gama".

    Aprendi há muito, com o Sr Prof Mário Moniz Pereira, que "devemos estar sempre a contar perder"... depois de a competição começar, todos querem o mesmo... há que trabalhar e muito, pois "a sorte dá um trabalho do caraças".

    Vocês, varreram a Bélgica, pois chama-se "ritmo de CL"... não brincam em serviço e encaram aquilo para resolver, ganhando!

    Nós, bem, vamos ver... ou não!!!

    Grande abraço e sempre a considerar este espaço.

    ResponderEliminar