02 fevereiro 2008

O regresso à normalidade

Equipa: Helton. Bosingwa, P. Emanuel, B. Alves, Fucile, P. Assunção (Castro 79'), R. Meireles, Lucho (Mariano G. 63'), Quaresma, E. Farias (Adriano 75') e Lisandro

32.219 espectadores

Foi com uma exibição segura, tranquila e a jogar o quanto baste que o FCPorto regressou, como se esperava, às vitórias num jogo onde ficou bem espelhada a enorme diferença na tabela classificativa entre as duas equipas.

Jesualdo Ferreira optou, como se esperava, regressar ao sistema que habitualmente utiliza e que tantos bons resultados tem dado, ou seja o 4x3x3, tendo como única novidade a inclusão de Ernesto Farías na equipa inicial, aposta essa que viria a ser ganha mediante os dois golos do argentino, e uma participação noutro, estando cada vez mais a justificar o seu grande investimento que a SAD portista fez no último Verão.

O jogo entraria com o FCPorto a marcar logo no primeiro minuto, um cruzamento de Quaresma para uma cabeçada de Farías, mas viria a ser anulado por fora de jogo do argentino.

Esse lance viria a se
r a imagem daquilo que se passou durante o resto do jogo, um FCPorto a jogar tranquilamente, com sucessivas trocas de bola e as jogadas de perigo junto à equipa leiriense a aparecerem naturalmente.

O Leiria quando tentava esboçar uma reacção, esbarrava sempre na consistência defensiva portista, de destacar o jogo de Paulo Assunção, é um regalo ver este brasileiro jogar, um verdadeiro pêndulo nesta equipa, dando total liberdade e confiança aos seus companheiros para se aventurarem no ataque, com destaque para as constantes idas ao ataque de Lucho, começa a ser urgente tratar da sua renovação do contrato.

Sentiu-se desde cedo que o primeiro golo, mais cedo ou mais tarde, iria aparecer, e foi com uma enorme naturalidade que Bosingwa numa das suas famosas iniciativas atacantes supersónicas consegue flectir para o meio, rematando forte, inaugurando o marcador, no entanto, golo esse irregular porque a bola viria a tocar em Farías que se encontrava em fora de jogo no momento do remate.

O mais dificil estava feito e a partir daí tudo viria a ser mais fácil, o FCPorto não necessitava de acelerar muito para fazer um resultado mais volumoso e para dominar totalmente a partida, estando sempre muito concentrado com as poucas movimentações ofensivas da equipa leiriense.

Foi, então, sem surpresa, que aos 24 minutos, depois de um grande lance de Ricardo Quaresma, a tirar do caminho o seu adversário e a cruzar duma forma fantástica, Ernesto Farías viria a cabecear a bola para dentro da baliza, fazendo o segundo golo portista.

O jogo continuava a desenrolar-se em lume brando, o FCPorto trocava a bola com sucesso e sempre sem forçar muito conseguía controlar totalmente a partida, quando era necessário ser posto à prova pelo seu adversário, resolveu sempre através de muita solidariedade entre todos, muita garra, muita concentração e também daquilo que o treinador salientou nas suas declarações no final, muita seriedade por parte dos jogadores, nunca menosprezando o seu adversário.

Mas a partida não iria para o intervalo sem mais um golo, desta vez o golo da ordem de Lisandro, que numa bela combinação com Lucho se viria a isolar, e frente a Fernando não perdoou, provando que, cada vez mais, será o provável melhor marcador do campeonato.

Na 2ª parte, nada de novo, o FCPorto a jogar confortavelmente, não necessitando de jogar a alta velocidade e o União de Leiria a tentar evitar uma goleada e descendo, uma vez por outra, no terreno tentando marcar o golo de honra, mas nunca se chegou a vislumbrar uma oportunidade flagrante.

A equipa leiriense mostrou sempre ser uma equipa lenta, nunca atrapalhou verdadeiramente o futebol praticado pelos portistas, justificando a sua posição na tabela, posição essa que não deverá ser alterada até ao final do campeonato, continuando assim a sua atitude.

Por fim, tempo ainda para mais um cruzamento venenoso de Quaresma para uma cabeçada fulminante de Ernesto Farías, fazendo o resultado final e também para a estreia em jogos da Superliga do jovem Castro, uma estreia positiva por aquilo que fez jogar, pela simplicidade no passe e, acima de tudo, por se ter mostrado descontraído e nada inibido perante a sua estreia, espera-se mais oportunidades .

De destacar, também o regresso à boa forma de Quaresma, mostrando-se cheio de vontade de se conciliar com os seus adeptos, se é que algum dia esteve zangado com eles, participando em dois golos, e, embora nalguns momentos continuasse a exagerar nalguns lances individuais, mostrou sempre uma enorme garra e preocupação para recuperar algumas bolas que ia perdendo e também em ajudar defensivamente a sua equipa.

O passeio neste campeonato rumo ao segundo tricampeonato da história portista continua, com poucos sobressaltos, provando, cada vez mais, que é um equipa aparte neste campeonato, até na arte de provocar azia e criar invejas aos seus adversários.

41 comentários:

  1. Axo que em poucas palavras se pode definir a exibiçao de hoje..Quase Perfeita

    Só uma nota para Jesualdo Ferreira..Mariano Gonzalez nao é medio interior...e se o jogador ja admitiu dificuldades..mtas mais encontra quando joga fora do sitio..

    ResponderEliminar
  2. Bom jogo do Porto.
    Gostei muito da atitude,e acho que o Quaresma deu uma boa resposta aos assobios fazendo.os serem substituidos por palmas com momentos de futebol incríveis e mais duas assistencias que eram mais que meio golo.
    Pena que o 1º golo tenha sido em fora de jogo,ja sei que haverá uma serie de paineleiros a referenciar esse caso nos programas de tv.
    É daqueles erros que o Porto não necessita e que em vez de nos beneficiar so prejudica porque o Porto goleava o Leiria de qualquer frma e assim ja vamos ter que ouvir o LFV durante um ano e meio...
    Foi bom ver que ganhamos uma opção com Farías apesar de continuar a preferir Lisandro no centro e o Tarik na outra ala.
    Adriano perdeu de vez a sua chance pois agora tem Farías e ainda o Tarik para entrar no onze.
    Não compreendi algumas subsituições do professor.
    Compreendo que ele queira encontrar uma solução para o lugar de Lucho mas a verdade é que Mariano nao é opção para lado nenhum porque ele nao tem capacidade para jogar no Porto e já teve oportunidades a mais.
    Ainda hoje num passe fantastico de Quaresma ele sozinho fez o que sempre faz,embrulhou.se todo com a bola nos pés sem saber muito bem o que lhe fazer.
    Acho que o Porto devía ter recorrido ao mercado para encontrar um suplente para o Lucho...o idela sería regresso de Ibson mas se calhar Jesualdo não o aceita de volta.
    Também não compreendi o porqu~e de nao aproveitar este jogo para dar minutos a Helder Barbosa que é uma excelente opção---
    Ao invés disso fez entrar Adriano não sei muito bem para quê...Sería o momento ideal para reconciliar Quaresma com os adeptos saíndo para uma grande ovação e permitindo a Helder Barbosa minutos preciosos para ua rápida integração...
    Gostei que finalmente o professoe se lembrasse do meu vizinho e amigo de infancia André Castro.
    Ele tem um enorme potencial e tem feito bons jogos sempre que chamado.
    Nºao entendo o porquê de ter estado tanto tempo encostado quando jogadores como Kaz e Bolaati tê tido muitas oportunidades.
    Apostar nos jovens não é só te-los a treinar com os mais velhos,é darem chances de eles provarem o que valem...
    saudações portistas desde Madrid

    ResponderEliminar
  3. Os mouros já estão a 10 pontos do FCPorto, empataram hoje a zero com o Nacional.

    O E.Farias é que tem sido uma grande revelação e parece que o Tarik vai ter dificuldades para ganhar o lugar outra vez.

    http://www.dazuis08.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. bem grande jogo do porto, farias lucho lixa e quaresma com grandes exibições, parece que os assobios fizeram bem ao cigano é este o quaresma que os adeptos querem um quaresma que joga para a equipa e que se esforça quando perde a bola.

    PS- o golo de lisandro é espectacular.

    ResponderEliminar
  5. Bela exibição na 1ª parte onde se viu velocidade,jogadas de belo recorte e ao primeiro toque o que dificultou as tarefas do debil adversário.
    Comprovamos que o " Reforço de Inverno " Ernesto Farias é um excelente jogador, faz uma bela dupla com o lisandro,ganha muitas bolas na luta com o central adversario, dominando e distribuindo sem inventar e tambem um excelente cabeceador..Ora o 2º melhor goleador em actividade do futebol argentino (só superado por Palermo) começa a demonstrar o porque da sua contratação.So esperamos que dê continuidade ao trabalho realizado nos ultimos 4 jogos.
    Gostei de todos ,excepto do Bosimgwa apesar do golo afortunadamente marcado!
    Não se entende porque é que insiste nas jogadas individuais onde perde bolas com frequencia-talvez se julgue um Ricardo Quaresma,mas esquece-se que as suas qualidades são a velocidade e a resistencia e não a habilidade.
    Um reparo para o prof. Jesualdo: Estava 4-0 e poupou o Lucho e bem ,mas insiste no Mariano e mal!
    Deveria ter substituido em simultaneo o P.Assunção para entrar o Castro (fê-lo só aos 75 mns) e tambem deveria ter poupado o Lisandro ou o Quaresma e não o Farias digo eu.
    Que melhor oportunidade que esta para poupar os elementos fulcrais da equipa?
    Fazê-lo a 15 e 10 mns do final?
    ...
    Uma nota final para o 1º golo em Fora de jogo, pois teve a colabração do Farias ,mas imperceptivel do lado da bancada onde me encontro - mesmo em frente ao fiscal de linha..
    Venha o proximo adversario!
    Cump.

    ResponderEliminar
  6. Momento lúdico:
    Repórter SporTV: Bosingwa, como marcou o primeiro golo?
    Bosingwa: chutei para a baliza!

    nota: acabei de ouvir...
    Estes repórteres estão doidos! LOOL

    ResponderEliminar
  7. É incrível como o Jorge Coroado não consegue disfarçar a azia quando comenta jogadas do FCP.

    "...
    9'
    Paulo Assunção faz falta passível para grande penalidade sobre Marcelinho?
    ..."

    A aziado responde:
    "...
    -
    Os dois mudam de trajectória. Paulo Assunção, com o braço direito nas suas costas, acaba por empurrar Marcelinho, retirando-o da jogada. Grande penalidade não assinalada possivelmente porque o árbitro entendeu apenas ter havido um choque casual.
    ..."

    IN O Jogo - Tribunal de O JOGO

    Isto enquanto as outras 3 opiniões dizem que não ouve qq falta.

    ResponderEliminar
  8. Grande exibição, desta vez com o resultdo condizente e igual ao da
    1ª jornada da 2ª volta com o Braga.
    Os movimentos certos, os passes que já saem de olhos fechados para as desmarcações previstas (vide 3º golo, grande finalização do Licha), assistências maravilhosas do Quaresma (3, todas de golo, 1 anulado e pareceu-me mal anulado mesmo na tv) e do Lucho (3, só 1 deu golo, o 3-0).
    Excelente Farias, oportuno, matreiro, matador.
    Só que este 4x3x3, porque todos são diferentes consoante novos jogadores que entrem por nem todos fazerem coisas iguais nem terem as mesmas características: é tão diferente ter o Tarik como o Licha no flanco com o Farias no meio), dá que pensar.
    Eu não "aprecio" - estamos mal habituados, claro!... - o Lisandro muito afastado da baliza. Mas para entrar o Farias tem de ser. Ok, pode é não dar sempre certo, porque o Lisandro faz diagonais e adensa a zona central de finalização e por vezes o flanco fica vazio. Poderemos notar, noutros jogos, que o sistema fica coxo. Não é uma crítica, mas uma constatação, porque estas coisas afinam-se com o tempo e vamos ver se o tempo que se avizinha será neste modo de jogar com estes jogadores...
    Creio que Lucho, na sua inteligência habitual, preencheu bem o espaço vazio, apareceu muitas vezes na direita mas já não como extremo: quando lhe metiam a bola no espaço ele que não é de correrias sem bola nem é sprinter não foi lá. Pode ser uma condicionante com adversários bem na defensiva, de laterais fixos e bons de bola, enfim ante rivais como na Champions que são de categoria inquestionável.
    Um pormenor importante: a combatividade do Farias, lutando por cada bola mesmo em pressão sobre o adversário e não em posição de receber um passe, pode libertar Lisandro para tarefas de médio, fechar no meio ou no flanco. Lucho tem outra liberdade, Meireles pareceu mais estático, com menor raio de acção.
    Poderia configurar um 4x4x2 em pose defensiva e 4x2x4 em ascendente no jogo?
    A Champions tem outras exigências que obrigam a adaptações permanentes, impõem vários modos de jogar no mesmo jogo e a maturidade táctica e competitiva ñuma equipa com valores inferiores à grande concorrência europeia faz a diferença - em vez de, erradamente, se considerar que um sistema táctico não deve ser alterado.
    Penso que Jesualdo tem isso sempre em mente e talvez insista, mas não dá grandes resultados, em Mariano nesse contexto de aproveitamento táctico ainda que não se reproduza a nível de rendimento efectivo no jogar colectivo. Já vi o Mariano melhor, mas não parece dar sequência.
    Quaresma esteve compenetrado, fez os números que são só seus e fez por não perder a bola tão estupidamente, à parte uma ou outra ocasião de se meter pelo buraco da agulha. Grandes assistências, muitos remates, mais calma para não querer fazer tudo sozinho, pecha que Bosingwa herdou...
    O golo anulado pareceu-me mal, visto na tv uma só vez, porque Lisandro estava adiantado mas não teve influência na jogada e Farias entrou de trás para marcar de forma legal. Precipitação do auxiliar que também não viu o desvio, pouco perceptível no estádio, de Farias em posição irregular no remate de Bosingwa para o 1-0, tanto que o golo foi dado a Bosingwa.
    O árbitro Paulo Baptista só marcou creio que um livre à entrada da
    área do Leiria, no final do jogo. Marcou várias faltas a Bruno Alves em disputa de bola, faltas não marcadas aos centrais e médios de Leiria em situações similares.
    Ao invés, na Luz, de que só vi a 2ª parte na tv, Olegário inventou faltas para o Benfica marcar, até a pedido expresso do Petit que se alheou da bola a recusar a vantagem para poder chutar pertinho da área. Um livre negado na meia lua ao Nacional é a prova e contraprova positiva de que, por muito que paguem aos árbitros, há erros inadmissíveis que relevam do velho pecado da sujeição ao mais forte e medo dos campos de Lisboa.
    Arbitraens sem influência no resultado mas medíocres por má condução do jogo com o simples princípio da equidade de tratamento adulterado por bloqueios mentais atávicos da arbitragem portuguesa.

    ResponderEliminar
  9. Assim sim À CAMPEÃO!!

    não custa nada jogar assim, basta não inventar mt o resto flui cm sempre!!

    grande jogo, grandes jogadores Farias, Lucho, Quaresma e LISANDRO (nem vale a pena falar mais deste jogador)

    FORÇA PORTO!!

    ResponderEliminar
  10. Zé Luis como é diferente quando Jesualdo não inventa e deixa a equipa jogar no sistema táctico que se sente mais confortável...
    Como tu próprio escreveste as jogadas assim saem de olhos fechados...Cada um já sabe aone está o companheiro e que espaços deve ocupar...
    Mudar?O Porto de Mourinho foi campeão europeu jogando sempre com a mesma táctica,claro que no decorrer do jogo pode haver mudanças devido ás circunstancias de jogo,mas mudar totalmente os automatismos da equipa nao.
    Muito menos jogar sem extremos quando o ponto forte deste Porto é mesmo a velocidade e craitividade pelas faixas laterais...
    O Porto em 4-4-2 losango de Jesualdo não ganhou que eu me lembre um jogo sequer.
    Em Alvalade quando a equipa esmagou o Sporting foi exactamente quando passou a jogar como jogou ontem,com Farías no meio e Lisandro e Quaresma nas alas.
    Mudar de forma radica os automatismos da equipa só em jogos excepcionais como foi aquele em Londres contra o Chelsea.
    Se o Porto for com essa mentalidade de equipa pequena na Champions e mudar a táctica consoante os adersarios então não iremos muito longe...
    O segredo do Porto de Mourinho foi exactamente surpreender tudo e todos por ir a qualquer campo discutir o jogo olhos nos olhos e jogar fora como se jogasse em casa.
    Gostei do Farías,mas também acho cedo para analisar se ele deve ser titular ou não uma ez que foi um jogo contra o lanterna vermelha da liga e Tarik já fez grandes jogos este ano pelo Porto.
    Acho que nos jogos da iga Portuguesa com equipas mais fechadas será melhor entrar com Farías de ínicio em alguns jogos,mas nos jogos da Champions com equipas mais fortes será preferível dar a posse de bola ao adversário e jogar com 3 homens rápidos na frente com Lisandro no meio,tarik e quaresma nas alas para podermos fazer o jogo de transições rápidas que tão bem têm resultado na champions.
    .
    .
    Sobre Jorge Coroado não comento,penso que tal como Cartaxana,Pinhão,João Botelho trata-se já de um caso patológico...

    ResponderEliminar
  11. Jorge Coroado é um caso patológico de Anti-Portismo primário por isso considero as suas análises completamente desprovidas de nexo...Para mim o 1º golo foi realmente obtido com um ressalto no corpo do Farias que estava em fora-de-jogo -muito difícil de verificar, ou descortinar, como "eles" gostam de dizer- daí o Farias ter marcado três e não dois golos, como toda a gente afirma!...Se é fora-de-jogo de Farias, tem de ser mais um golo na sua conta...Se o golo é de Bosingwa, não deve ser considerada a interferência do Farias! Mas reparem bem na "cebolada" que vai na cabeça deles!Aquilo deve ser mesmo um "nó cego"...Bom jogo, algum sofrimento e boa capacidade de finalização!

    ResponderEliminar
  12. O Farias tem uma forma de jogar muito parecida com o Fernando Gomes!

    ResponderEliminar
  13. Os jogadores sul-americanos oriundos de Países de expressão e cultura Castelhana, são mais lutadores que os Brasileiros, menos dados a bailaricos e virtuosismos...Mas a síntese destes dois tipos de futebol é um espectáculo!...

    ResponderEliminar
  14. Luis Aguiar e Edgar a treinar para a próxima época :)

    Na cobrança da falta, Luís Aguiar tem um lance de craque, consegue ir à linha e cruzar, potenciando o segundo pecado dos «verde-rubros»: Marcos, o insuspeito guarda-redes maritimista deixa a bola escorregar (esteve a chover durante o jogo todo) por entre as mãos e deixou-a escapar para o lépido Edgar que só teve de encostar para o seu segundo golo ao serviço da Académica em outros tantos jogos.

    ResponderEliminar
  15. Então e o Farias já convence? Ai a massa assobiativa...

    Saudações Dragoninas a bancada.

    ResponderEliminar
  16. Que semana boa que vamos ter.
    Porque será?

    ResponderEliminar
  17. ricardocosta : "Zé Luis como é diferente quando Jesualdo não inventa e deixa a equipa jogar no sistema táctico que se sente mais confortável..."

    o sistema tactico que se sente mais confortavel ?! mas por acaso futebol é sofa ?!

    ok , desc. agora a serio.

    se a equipa se sente confortavel a jogar no 4x3x3 , FOI POR QUE JESUALDO ASSIM O FEZ.

    por que criticar o homem por ter um 4x3x3 confortavel e um 4x4x2 confortavel ???

    o 4x3x3 já conseguiu ... deixem o homem tentar o 4x4x2!

    deixem-no trabalhar !!! :)

    ResponderEliminar
  18. Belenenses, 1 - Sporting, 0
    Tudo está no seu lugar, graças a Deus!
    O spordem, para muitos justo vencedor do FC Porto, acabou de mostrar como não se é justo a ganhar quando isso acontece por acaso e confirmar uma opção que foi infeliz do FC Porto mas se revela acertada agora.
    Obrigado a jogar mais, a procurar a vitória que aproximasse a equipa do 2º lugar que procura e acha alcançável, o spordem cagou-se todo. A maravilha da táctica defensiva não resultou, como não resulta quando se organiza o futebol de trincheiras, resguardando a tropa em menos de meio campo.
    Os alas que foram segundos defesas laterais a impedir os avanços exteriores do FC Porto, desta vez não conseguiram furar a barreira que se lhes ergueu nas mesmas posições do campo. Ao invés, os laterais, que se dizem fraquinhos, do Sporting ficaram mais expostos e cederam muito.
    Nada de novo, portanto, a não ser quando a estratégia tem de ser outra e há que perder as amarras defensivas.
    Pimenta no olho dos outros é refresco e a forma de se ver um jogo não é só a de como uma equipa deixa a outra jogar; tem a ver com a dimensão do campo em que quer jogar.
    Paulo Bento lembra que atirou duas bolas aos postes na 2ª parte e disse que é preciso procurar a sorte. Não basta.
    Mas não foi confrontado com o facto de ter caído para 4º lugar: perguntaram-lhe se a luta pelo 2º lugar é agora mais um exclusivo que resta, quando Paulo Bento o afirmou já com 14 pontos de atraso.
    A outra constatação é que o spordem apresentou-se de rastos. Três jogos da Taça da Liga, ainda que com 2 equipas secundárias e em casa, passaram factura.
    O FC Porto não fez por perder com o Fátima, só foi eliminado por penáltis, mas livrou-se de uma carga de trabalhos que faz a equipa estar, agora, ágil, fresca, serena a preparar a confortável liderança que salvaguarde quanto mais cedo melhor o título e a reentrada na Champions.
    Não foi de propósito, mas estrategicamente a eliminação com o Fátima não fez cair o mundo e agora bem pode ser celebrada.
    A estratégia de uma época inteira pode resultar melhor do que a estratégia, afortunada, de um jogo só.
    Há quem pense em grande - veja-se a rotatividade necessária nas equipas - e quem veja pequenino, confinado a um pequeno quintal. Chama-se agricultura de sobrevivência.

    ResponderEliminar
  19. Iori eu nunca disse que o mérito do 4-3-3 nao era do Jesualdo,alias sempre o defendi aquando dos assobios e das críticas e escrevi aqui mesmo que o Jesualdo estava a fazer um grande trabalho e que merecía ser reconhecido.
    Mas o seu calcanhar de aquíles é mesmo nos jogos contra as grandes equipas fora de casa ter a tendência de inventar e destruir os mecanismos que ele tão bem criou.

    ResponderEliminar
  20. Domingo noticioso após os jogos de sábado.
    No jornal da RTP-N, às 10h (aceitável para um domingo de manhã), deu de tudo durante 20 minutos: o funeral da Amadora (numa crise existencial local que assarapantou o país mas uma guerra de gangs na Merdaleja não é nada comparado com os malfeitores no Porto); alerta laranja no país com a chuva; uma miríade de coisas insignificantes de que nem me lembro e até, pasme-se, de novo o casamento de Sarkosy com a Carla Bruni que foi no sábado de manhã e notícia nos telejornais logo a partir do meio dia de sábado.
    Domingo à tarde, para tomar gosto à azia a campear pelo país, um destaque do Correio da Manha.
    Não li no CM nada da semana passada sobre o clássico mas decerto não falaram do árbitro que deu um golo ilegítimo ao Sporting e negou uma g.p. sobre Quaresma.
    Hoje, domingo, no CM, o miserável Paulo Batista é mimoseado logo na página 2 com um ABAIXO: "Cometeu um flagrante erro ao validar um golo irregular do FC Porto (...). Chegou a ser suspeito de corrupção no Apito mas não será julgado".
    Ah, que feliz fim-de-semana!...

    ResponderEliminar
  21. Ontem gostei da exibição, Quaresma jogpu masis para a equipa, Farias apresenta-se como o reforço der inverno, Licha sempre a abrir...
    Mas não seria de ter feito entrar o miudo Barbosa em vez do Mariano?
    De resto uma boa noite.
    A 2º circular chora...

    ResponderEliminar
  22. Concordo com alguém que atrás disse que o Farias faz lembra o Grande FERNANDO GOMES!
    Parece-me que foi uma grande contratação.
    Quando falámos das contratações do nosso clube temos de ter muito cuidado, pois com os parcos orçamentos que temos andar sempre no top é muito difícil e a política do clube parece-me acertada, comprar 8 ou 9 jogadores com potencial, para ver se sai um ou dois bons, veja-se este ano (Farias, Mariano (uma situação muito semelhante no início da época e no estilo aquilo que foi a contratação de Madjer), Edgar (que ainda pode vir a ser), Kaz, Bollatti, Leandro Lima, Stepanov, etc) se sairem dois bons o saldo deve ser considerado positivo!

    Força Porto
    Tripas à Moda do Porto

    ResponderEliminar
  23. Se o Farias toca na bola no primeiro golo, o que parece ser consensual, porque é que todos dizem que o golo é de Bosingwa? Farias fez um hat-trick, porque tocando na bola o golo é dele...

    ResponderEliminar
  24. É verdade.Aqui em Espanha os comentadores espanhois encarregues do jogo do Porto estavam algo incrédulos pelo facto da realização da sporttv atribuir o golo a bosingwa quando se vía que Farías teve peso decisivo a desviar a bola para golo.
    Um golo irregular porque foi obtido em fora de jogo mas que é de Farías.

    ResponderEliminar
  25. Concordo com o Jorge Aragão.Não seria de ter feito entrar H.Barbosa em deterimento de M.Gonzalez?Barbosa é dos mais talentosos jogadores da sua geração.Prefere jogar a ponta esquerda mas também joga bem em posições mais interiores.Tem um pé esquerdo fantástico,é um desequilibrador e perigosíssimo nas bolas paradas.Num plantel que começa a ficar mais forte e equilibrado com as boaas indicações dadas por Bolatti ou mesmo pelo jovem Castro,com a confirmação,finalmente, da classe de Farias,o regresso de Tarik e a certeza de poder contar com Nuno, Cech ou J.Paulo em qualquer eventualidade,convém dar também tempo de jogo a H.Barbosa,para ter mais uma opção de grande qualidade disponível para as difíceis batalhas que se avizinham,na Liga, Taça e L.Campeões.

    ResponderEliminar
  26. Se quer opinar sobre os post's dos maiores alucinados da blogosfera e sabe que se o fizer na casa dele será censurado ou alterado, vá a

    http://circodaluz.blogspot.com/

    Que lá terá liberdade para o fazer.

    ResponderEliminar
  27. Queria penitenciar-me perante a exibição de Ernesto Farias, pleno de oportunismo e de confiança...Mais uma vez parece que o Porto acertou numa contratação...

    ResponderEliminar
  28. Relativamente ao primeiro golo, consultei agora o site da Liga que o atribui ao Bosingwa. A Antena 1 no jogo atribuía a Farias.

    Sem consultar nenhum regulamento oficial, por isso posso estar errado, concordo com a atribuição do golo ao Bosignwa porque a bola iria para a baliza, se era golo ou não isso não se pode garantir porque, por exemplo, quem nos diz que o GR não sofria um frango ?

    ResponderEliminar
  29. É claro que o golo tem de ser atribuído ao Bosingwa, o desvio involuntário do Farias - de resto imperceptível no estádio, daí o auxiliar nada assinalar - não invalida que o remate do Zé ia mesmo para a baliza.
    Pelos parâmetros da FIFA em Mundiais, o golo é de quem remata, a não ser que a bola leve uma direcção pouco consentânea com a baliza e um desvio de alguém torne óbvio que essa mudança de trajectória é responsável pelo golo.
    O que nos remete para a validade do golo de Bosingwa e não o contrário, por muito que esperneiem os correios da manha na sua sanha assassina nos jogos em que pretensamente o FC Porto é favorecido mesmo que, como neste caso, sem influência no marcador.
    Agora há mais observações sobre as opções de Jesualdo.
    Já se põe em causa a entrada de Mariano e não de H. Barbosa.
    É para irem percebendo que o técnico aposta no Mariano para a Champions quando tocar a defender um resultado, por exemplo, com mais um médio e menos um avançado.
    É que na Champions, se uma equipa se apanha em vantagem em momentos cruciais do jogo, há que retirar todas as hipóteses aos adversários de recuperarem no marcador, no terreno, na posse de bola.
    Mas nem todos aceitam perceber quais são as ideias do treinador...

    p.s. - fiz uma observação ao belenenses-sporting. As palavras de Jorge Jesus no final, que´só ouvi posteriormente, vieram dar-me razão. Para bom entendedor...

    ResponderEliminar
  30. OFF-Topic, mas como sei que muitos visitantes deste blog frequentam o site, alguém sabe o que se passou com o Portal dos Dragões?

    ResponderEliminar
  31. O ano passado, no jogo com o Benfica em casa que ganhamos 3-2, o Postiga chuta a bola para a baliza e involuntariamente a bola bate em Lisandro que é quem fica com o golo (ver aqui http://www.youtube.com/watch?v=3ds33aaize8).
    Porque é diferente desta vez?
    Ao contrário do Zé Luís, não me parece nada claro este critério de atribuir o golo ao Bosingwa.
    1 - Nada nos garante que a bola ia para a baliza. Parece que vai mas não é garantido.
    2 - Nada nos garante que o guarda-redes a defenderia.
    3 - Nada nos garante que o lance não é combinado. O lance parece involuntário, mas podia ter sido combinado.
    Ou seja, estamos a atribuir o golo ao Bosingwa sustentados em 3 suposições, quando factualmente o Farias foi o último a tocar na bola.
    Óbvio e claro para mim é ter que atribuir o golo ao Farias.

    ResponderEliminar
  32. A verdade, rjp, é que a FIFA definiu assim para os Mundiais.
    Já quanto ao Postiga-Lisandro, o desvio da bola é flagrante até porque trai completamente o Quim que ia cair para o lado oposto àquele em que a bola entrou na sua baliza.
    São mesmo situações diferentes e no estádio o lance do Bosingwa é quase imperceptível: eu apercebi-me de um desvio ligeiro na bola mas não percebi de quem. E acredito que o árbitro-auxiliar, no enfiamento do lance, não viu.
    Naquele mesmo sítio e eu no enfiamento da jogada também, num Porto-Sporting com Adriaanse (1-1), o César Peixoto deu subtilmente um braço na bola, em queda no chão, que a desviou da baliza e não se percebeu que foi penálti. Só vi na tv e só em casos excepcionais, de dúvida legítima, é que a FIFA usa a tv para nos Mundiais aferir a autoria de um golo.

    ResponderEliminar
  33. Já tudo foi dito, mas gostava de salientar a ''sociedade Lucho-Lisandro-Farias''que no plano ofensivo e de pressing-alto esteve, uma vez mais, muito bem!

    Gostava que a 'débacle' dos clubes alface ainda aumentasse, de forma a serem varridos não só da Champions, como também da Taça Uefa. Seria magnifico!

    ResponderEliminar
  34. Neste caso, o nosso fair-play só acontece porque temos o Lisandro no primeiro lugar dos melhores marcadores e a uma significativa distância do segundo.

    Há uns anos largos, o Domingos perdeu uma bola de prata por um golo para o Rui Águas, então no Benfica, por causa de um lance imperceptível em que supostamente o Semedo teria tocado na bola após cabeceamento do Domingos para golo. A federação tomou essa decisão à entrada da última jornada.

    Os dois lances, o de Domingo passado contra o União de Leiria e o do ano passado contra o Benfica não são assim tão diferentes. Os dois remates (Postiga e Bosingwa) e os dois desvios (Lisandro e Farias) são feitos aproximadamente dos mesmo lugares e tiveram o mesmo fim: foram decisivos para a obtenção do golo.

    Mas há uma diferença fundamental para o ano anterior: na altura, o Postiga liderava os marcadores e esse golo contribuiria para avolumar essa distância, ao contrário do que acontece com Bosingwa que marcou o seu primeiro golo (acho que é o primeiro para o campeonato).

    Em última análise, se um ponta-de-lança se especializasse em marcar golos através de desvios subtis a partir de remates de colegas de equipa, corria o risco de marcar efectivamente muitos golos, mas acabar o campeonato com oficialmente zero golos marcados...

    ResponderEliminar
  35. jrp, fazes-me lembrar a teimosia do ricardocosta na questão de ser incúria alterar um sistema de jogo.
    O teu último parágrafo tem premissas verdadeiras e conclusão falsa, porque desvios subtis nunca retirariam ao rematador a autoria do golo.
    Não tens decerto presente que o golo ao Benfica, na época passada, sofreu mesmo um desvio decisivo, diria grosseiro, porque enganou totalmente o guarda-redes Quim. Não tem comparação com este golo do Bosingwa.
    Quanto ao golo de Domingos, em 1990-91, o problema é que foi sempre atribuído ao Semedo, até gritaram na instalação sonora das Antas quando marcou e só depois se percebeu que daria jeito ao Domingos para o título de melhor marcador.
    azulbranco, eu vi a mesma pressão ofensiva em Alvalade que poderia ter rendido 3 golos em 10 minutos. E contra o Sporting é outra coisa.

    ResponderEliminar
  36. "ANTÓNIO ROLA
    +
    Tonel e o adversário vão em disputa da bola, tendo o jogador do Sporting carregado o adversário numa zona que é permitida e legal. Bem o árbitro em nada considerar."

    -Ficamos a saber que há zonas em que é perfeitamente permitido e legal carregar os adversários...António Rola dixit!...Gostaríamos que ele esclarecesse quais sãos essas zonas!...Tudo isto em análise ao lance em que Tonel carrega um jogador do Belenenses em plena área do Sporting!...Isto é dito na mesma altura em que se considera que Paulo Assunção fez falta passível de Penaltie...Então a zona não é a mesma?...Então não há faltas admissíveis e legais?...Mas será que foi mesmo falta?...Ou será que estes comentadores estão todos loucos ou pensam que quem lê as suas opiniões o está?...Só para adensar o mistério que vai naquelas cabecinhas doiradas:

    "JORGE COROADO
    +
    Weldon antecipou-se a Tonel, há um contacto próprio do movimento, não existindo razão para falta."

    -Mais palavras para quê, um grande chouriço em forma de figura leonina para estes "senhores"....

    ResponderEliminar
  37. Meu caro, essa questão da teimosia tem sempre duplo sentido. Até porque de outra forma, a conversa não evoluía.

    O desvio subtil do Farias retirou-lhe a autoria do golo, pelo que não entendo porque é que a minha conclusão é falsa... Se Farias continuar a marcar golos como aquele o seu registo no final do campeonato será zero.

    Aceito que o desvio em Lisandro no ano anterior, ainda que não intencional, é obviamente mais claro que o de Farias.
    Mas, no fundo, que importa isso?

    Hoje é claro como a água que Farias é o último a tocar na bola.
    Sobre se o desvio é decisivo ou não, jamais poderemos avaliar, pois tal como não sabemos no caso de Bosingwa se a bola entraria, também não o sabemos para o remate do Postiga.

    A minha assumida teimosia prende-se com isto: onde está a fronteira entre o que é um toque decisivo ou não?

    E se em vez de andarmos a discutir se o desvio é grosseiro, intencional ou decisivo, atribuíssemos o golo a quem de facto o marcou, ou seja o último jogador da equipa que marcou o golo que tocou na bola?

    ResponderEliminar
  38. Ontem o "Ribeirinho da SIC" esteve a palrar com o seu espelho, acerca do Benfica e do Sporting mais de uma horinha mal medida...Depois quando o tema estava completamente esgotado -e eles também esgotados dele- lá "fizeram o favor" de spikar do Porto uns quinze minutos e pronto, ala que se faz tarde para o "seu absinto" ou "coca"! Na TVI a mesmíssima coisa...O franjonhas antes de ir com a Nossa Senhora e os Anjos deixou a promessa de para breve voltar a remexer no "Sistema" e na "Coprrupção"...OK, cá ficamos à espera e já agora alguém me sabe dizer ao certo, mas mesmo ao certo -com documentos fidedignos e tudo- a idade do Makukula?...É que o rapaz tem cara de já receber abono de família há uns bons anos!...

    ResponderEliminar
  39. Desculpem a intromissão, o remate foi do Bosingwa mas a bola é desviada do seu trajecto inicial pelo Farias -embora me pareça que este tenta inutilmente afastar-se dela- este desvio é essencial para que a bola entre na baliza. Provavelmente iria na direcção do Guarda-Redes Leiriense, se este a conseguia defender ou não, só os Anjos o saberão, o certo é que esta entrou assim tão direitinha devido ao desvio que sofreu...Mas que importa. o árbitro "difícilmente" poderia descortinar o lance, não é verdade sr.Coroado?...Não foi por estes dias -faz agora 100 anos- que aconteceu o Regicídio?...Querem lá ver que ainda vão culpar os Super Dragões?...

    ResponderEliminar