16 maio 2019

Pinto da Costa finito

Da entrevista tirou-se alguma coisa?
Nada. Dichote de padres e sacristia mas nenhuma solução, acção ou decisão/contestação.
Sempre ultrapassado pelos acontecimentos, avança continuidade do treinador, benquisto dos adeptos, para salvar a pele. Foi o do último título, o de mais um título roubado ao FC Porto, este, como poderia dizer outra coisa?
Acabado e arrastando o FC Porto num extertor miserável de sobrevivência milionária com os novos prémios da UEFA para a verdadeira, updated, reforma dourada.
Haverá portistas que aplaudem este bacoco e decrépito presidente que renova com um treinador sedento de títulos mas sem nada a opor às miseráveis arbitragens que decidem os campeões?
No sábado vão ao estádio criticar árbitros, aplaudir a SAD atavica ou só comer pipocas mesmo?
Há algum planeamento conjunto com o Sporting para contestar o miserável campeonato fraudulento a tresandar a encomenda que nem no antigo regime?
Na final do Jamor vão levar ainda com um PR bardamerdas e um PM badalhoco numa subserviência de outros tempos quando passam 50 anos da contestação estudantil a Salazar pela Académica?
Mas alguém faz alguma coisa?

13 maio 2019

Falta de comparência, sim, dos adeptos!

Já tinha intenção de escrever isto, mas um anúncio, não sei se verídico, de o FC Porto poder não subir ao campo frente ao Sporting reforça a minha ideia, que vai noutro sentido...

Eu ia perguntar até quando os adeptos do FC Porto aguentam isto. Já não perguntaria o que foi, se serviu ou até teve lugar o pedido do FC Porto para reunir com o CA da FPF?... Ou, aliás, onde estava o FC Porto, institucionalmente, depois do roubo de Vila do Conde, não este último, que nem é inédito, mas quando lá jogou sob arbitragem miserável de Artur sonso Dias...

O FC Porto que não contestou aquela arbitragem mafiosa é o FC Porto que tem 3 vias, ou direcções:
1 - um presidente decrépito, digo-o há uma década, numa SAD atavica e confortavelmente instalada num bem-estar europeu milionário que não reverte para a satisfação associativa;
2 - um clube refém do humor de uma claque, liderada por alguém de cognome "macaco", capaz de afrontar a equipa roubada de forme infame há 3 semanas só porque o adversário marcou um golo com o maior "chouriço" do campeonato, nos descontos, indiferente ao roubo proclamado um jogo inteiro por uma infame arbitragem;
3 - um clube à mercê da onda de apoio de três bacocos que há 30 anos, liderados por um barbas mais ou menos anónimo, propõe, ciclicamente, à maneira comunista, a manutenção de uma nomenclatura soviética-heriditaria, reconduzindo um presidente caduco sempre ultrapassado pelos acontecimentos e deixando, qual Brejnev, uma certa simbologia refém do passado que não volta, multiplicando as asneiras de gestão da situação!

Não sei se o FC Porto vai fazer falta de comparência e, sinceramente, nem me importa.

O que eu iria questionar, de verdade, e até quando os sócios e adeptos suportam isto, vituperada a verdade desportiva ano após ano, sem vergonha e, agora, sem VARgonha, e quem iria comparecer.

Não só este domingo, em casa. Mas na final do odioso Jamor. E, pior, no jogo da Taça das Nações com a Suíça, no Dragão!

Quem tem de se manifestar são os sócios, em 1° lugar, e os adeptos em geral. Eu aclamaria uma ausência absoluta em qualquer jogo:
A - para a Liga, deixando mal o seu presidente Proença a quem Pinto da Costa sempre elogia;
B - na final da Taça de Portugal, por causa dos árbitros como um protesto contra a CA da FPF;
C - no jogo da selecção portuguesa, num protesto não contra a selecção mas contra o seu presidente Fernando Gomes, um bardamerdas à imagem de Marcelo PR, com a vantagem de ele poder usar o seu poder e ter sido o factor da introdução do VAR!

Seriam os adeptos portistas capazes disto? Não creio! Encolhem os ombros, aceitando a corrupção benfiquista de todas as instituições, das desportivas ao Parlamento onde não se mexe uma palha, até à Justiça, subvertida e mal vista quando o próprio Pinto da Costa visitou um crápula como Sócrates prisioneiro 44 no EP Evora.

Já não há líder no FC Porto há muitos anos. Foi há uns 25 anos que, por causa de uma interdição das Antas, impondo receber o Boavista em Coimbra, se fez uma manifestação frente ao Governo Civil no Porto, à Batalha... Ou manifs no pavilhão por merdas sem importância ou relevância para o FC Porto, quando O Jogo defendia o patrão António Oliveira que era ao tempo treinador do FC Porto, o então director do jornal é responsável do departamento de Me®dia do FC Porto mas, como todos no Dragão, esqueceram-se de comparecer no jogo do Rio Ave e agora clamam aqui d'el Rey...

BOICOTE aos jogos com o Sporting e da selecção no Dragão é o que eu faria e, se fosse responsável do clube, recebido ou gozado pela CA da FPF, proporia aos sócios e adeptos. A equipa deve comparecer, jogar ou não é outra questão, mas para a Opinião Pública e visibilidade internacionais os estádios vazios seriam a melhor imagem do combate à corrupção e compadrio entrelaçados em Portugal!

Pinto da Costa, contudo, tendo obrigação de acompanhar o FC Porto, mesmo no Jamor onde em 2010 escusava de ter rejeitado a proposta do Chaves para mudar o local da final da TP, num acto de cobardia que marcou o fim da minha apreciação por tão repugnante servidor do FC Porto de quem agora se serve despudoradamente, vamos ver se comparece ao jogo da selecção no Dragão...

Do resto. Boa semana e bom proveito!

Domingo, o Portugal serôdio, pacóvio e atrasado de sempre festejarà mãos um título fraudulento com o Governo, em campanha e em peso, presente a caucionar a corrupção que é do PS e está radicada em Portugal há uns 500 anos!

28 abril 2019

VARgonha que não passa e AsD que se confirma

Escrevi isto no Porto-Braga, de Novembro, aqui:
«Artur sonso Dias só marcou presença na Rússia como VAR. Os árbitros tugas voltaram a perder um Mundial porque são muito fracos. Mas nem como VAR o AsD aprendeu na prova da FIFA onde o recurso ao vídeo e o apoio da "regie" mantiveram a verdade desportiva do Mundial. (…) No sábado, de frente para o lance e sem estorvo visual, o sonso Dias não marcou uma gp que foi inapelável no Mundial. Ele, como de costume, não teve coragem e o VAR tuga é já a triste celebridade pela mediocridade que é. Artur sonso Dias continua um mau árbitro, sem coragem, sem melhorar nem por estar entre os melhores do Mundo. É um burro, portanto…»
 
O filho do ex-maquinista (vulgo, trabalhador da CP), que se diz engenheiro, prejudicou o FC Porto em Vila do Conde. Negou gp sobre Marega com 0-0, por um flagrante empurrão nas costas da parte de Ruben Semedo, o mesmo central que jogou a bola com a mão, noutro lance com Marega, quando estava 2-0 em mais uma gp por marcar e que decidiria o jogo que teve o final imprevisível e de gritos que se sabe.

A impunidade de Ruben Semedo, ainda que sem agredir e até pautando-se com desportivismo, fez lembrar a de José Soares, ante Jardel, no Campomaiorense-FC Porto celebérrimo pela inqualificável actuação de Bruno Caixão - esse, criminoso, ainda hoje na berra...
 
Artur sonso Dias contribuiu, muito mais do que ressaltos de bola (o primeiro lance aludido até teve bola a ressaltar nele… para Marega), para o FC Porto não ter ganhado em Vila do Conde.
 
Hoje, em Braga, um penalty para o Braga não teve o correspondente (era último defensor…) vermelho para o infractor, Ruben Dias, que viria a marcar um 3º golo depois de dois penalties, um oferecido,  para o Benfica. No 1º nem há falta, há simulação de um jogador que depois levou amarelo numa falta posterior... No 2º penalty, há falta que na 6ª feira não foi marcada a favor do FC Porto.
 
Como no Antigamente, ó FC Porto triunfante em Democracia, os árbitros voltaram a retirar os azuis e brancos da corrida a um título. Agora com VAR, o VAR que iria demonstrar, como se fosse preciso, a mediocridade e desonestidade dos árbitros tugas, aqueles que não vão ao Mundial ou vão lá fazer turismo.
 
Artur sonso Dias e Tiago Martins decidiram o título este fim de semana.
 
Não o decidiram na época passada porque Herrera marcou um golo no último minuto na Luz, fez no dia 15 um ano. Depois do que se vira do VAR no jogo anterior do Dragão, com aquele inacreditável fora-de-jogo a Marega (Herrera é que marcou)…
 
Continuem a acreditar que os jogos, mesmo com VAR, se decidem no campo.
 
Já se tinha visto a pouca VARgonha na Feira, com o inefável Bruno Caixão…
 
Mas o que seria o VAR logo de início, mal foi anunciada a medida, lhe tirei a pinta e a conclusão... 
 
Até o Rui Bosta defraudou, outra vez, a verdade desportiva em Alvalade, à custa do V. Guimarães.
 
Os árbitros do Porto, também o digo há muito, entregam-se, sabujos, aos clubes de Lisboa, desonrando a Arbitragem. 
 
E vão votar, vão votar como carneiros nas eleições para se julgarem um pedaço de asnos na pretensa Democracia do 24 de Abril de 74 restaurado que nem a Monarquia pelo 1º de Dezembro.

27 abril 2019

FC Porto subjugado de novo pelo 24/4/1974

Costumam encher muito a boca com a Liberdade cerceada, os êxitos pós 25/4/74 que existiram, o Portugal Democrático já defunto. Portistas, ao longo desta minha vivência blogueira que só interrompo agora para dizer adeus quando nem pensava aqui voltar, sem saudades, nunca apreciaram vivamente que já há uma boa dezena de anos eu tenha contestado a tonalidade socialista que varre a Democracia do País e, por arrasto, reergueu o bem fiquismo como modalidade oficial à moda do Estado Novo.
 
Já sob sepultura da maior cáfila, de resto retomada do curso só cretino do socratismo infame, de ladrões, acolitados pelos esqueletos do armário do PCP e os BErloques desaustinados da miséria humana em forma de pretensa intelectualidade, a parolada portista, a começar na SAD tomada também ela pelo socialismo militante de que não conseguem desapegar-se como do velho líder decrépito, os portistas em geral, dizia, já perceberam que o Portugal do antigamente não deixa cumprir interdições (vão sete!) de jogos no antro imundo, muito menos afundar o Benfica na II divisão, ou pior. Temos, aliás, a gritante protecção ministerial e para-lamentar de pulhíticos e deputedo vário de todos os quadrantes. No Benfica-Porto da 1ª volta denunciei no Twitter e expus aqui o badalhoco do Duarte Marques, do PSD, que tanto desapareceu da TL como, creio, do próprio Parlamento, o lupanar a que renego voltar sequer os olhos quanto mais ouvir PM e ministros negarem-se a responder a deputados da Oposição com a mesma naturalidade que outro retirava microfones numa comissão parlamentar e um deputado roubava gravadores a jornalistas numa entrevista na Assembleia.
 
Agora, a pretexto de mais um anódino 25/4 que fez o actual Américo Thomaz, à falta de netinhos para aturar, sair do Parlamento da celebração de Abril e acordar na China onde, ao contrário de Fidel em Cuba, já não foi a tempo de beijar a mão ao Mao, vimos o FC Porto sepultado por uma arbitragem, e um VAR que julgavam trazer verdade ao futebol, na senda, frustrada, da época passada, do tempo do Antigamente.
 
Que o ex-maquinista e pai do sonso Dias, vindo de outro regime também, nos traga isso à memória, de arrasto, graças a esse rapazote que se diz ser engenheiro, é só sal na ferida do insulto gratuito de um roubo premeditado e inacreditável esta noite em Vila do Conde, com dois penalties sonegados de forma tão natural como o golo anulado por fora-de-jogo no Porto-Benfica da época passada. Ninguém é beliscado por favorecer o benfas, quanto mais preso...
 
O FC Porto já não dependia de si próprio para ser campeão, com adversários a oferecerem (ou retirarem-se do campo) os seus préstimos ao Benfica como no Campeonato do Calabote, há 70 anos. Já com 2-0 e possibilidades para mais lhe retirarão o direito de considerar, pelas abéculas avençadas do costume, este resultado falseado por mais uma arbitragem miserável. E, agora no seio próprio, decerto portistas escarnecerão com a frouxidão defensiva que permitiu o 2-2 em 5 minutos, tão alheios a lances infelizes (desvios da bola fortuitos favoráveis ao adversário, no passe para o 1º golo e no ressalto de chouriço do empate) como lestos a criticar Herrera naquele canto consentido de onde uma vez o Benfica logrou empatar no Dragão sem saber como.
 
Temos de tudo, portanto. E, no fundo, não temos nada. Este País retrocede a olhos vistos em todos os vectores, sob a parcimónia me(r)diática, a infantilização jornaleira, a mercantilização avençada, a mecanização da cartilha, a mansidão do corno tuga alarve a esbanjar recursos por lhe venderem o "cresximento" e a "reposição de salários e direitos" enquanto os fodem com o mais alto saque fiscal de sempre abençoado pela "Economia que cresceu" que avança mas deixa este retângulo onde sempre esteve, no cu da Europa e já ultrapassado por tudo o que era, há só 30 anos, a cloaca comunista a Leste. Este País deprime-me, sempre e cada vez mais, embora eu possa usufruir do mecanismo, sem saudade, de fugir daqui nem que seja temporariamente, como em breve acontecerá enquanto a Pátria voltará a calçar as chuteiras na Taça das Nações em casa. Este País vai a votos 3 vezes só este ano para premiar a velhacaria, a sonsice, a vidinha, o passado firme, o futuro hipotecado, o PC (Politicamente Correcto), o Socialismo e o Benfiquismo.
 
O FC Porto, deixado para trás no deserto agreste da indiferença da corrupção benfiquista e no gélido patamar a que alcandoraram a arbitragem tuga, voltou a ser vencido pelo 24/4/74. Ainda pode ser campeão. Mas já não voltará a ser mais o Campeão na Democracia. Só, como na época passada, na Porcaria.  
 
O bardo Alegre volta a cantar a Grândola, o gordo coronel Vasco sentou o cu de novo na AR para o 25/4 de onde desertara na Idade Média (2011-15), até o toureiro Tordo dizem que já voltou do Brasil entre os paneleiros que fugiram do dito país irmão prestes a entrar nos eixos e onde metem presidentes na cadeia. Ah, soube-o no meu exílio na estranja, e aquela recente pérola do "javardo" atirado a Sérgio Conceição pelo jagunço Seixas da Costa, ex-protector de Sócrates em Paris, louvaminheiro-mor no esterco JN que hoje conspurca de lixo opinativo a cidade onde nasceu, no seu estilo trauliteiro-socialista e desvelo literário tão eloquente como o dom difuso mas diplomático do ex-embaixador… Como brilha Portugal no lodo!
 
Até o crápula Sócrates já elogia o "seu" juiz Rosa, decerto esquecendo o amigo Pinto da Costa que o visitou em Évora.
 
Entregues aos bichos, portanto. Boa noite e boa sorte.

14 fevereiro 2019

Interdição da Luz: hoje e há 45 anos em Alvalade

Há mais de 11 anos que o FC Porto não vence em Alvalade. Para o campeonato, na condição de visitante, a maior vitória fora com o Sporting foi de 3-0, no início de 1973, salvo erro. Acontece que o jogo foi no Jamor...
Por que relembro isto? O que sucedeu?
Alvalade sofria, então, uma interdição de... 15 jogos. Quinze! Creio que foi depois encurtada a penalização, porque significava, então, todos os jogos em casa num campeonato a 30 jornadas, como passara a jogar-se então desde uns dois anos antes. E tudo porquê?
Como se sabe, em Lisboa sempre foram cavalheiros, e no castro dos viscondes mais ainda. Porém, no Outono de 1972, uma gp defendida por Damas mas que o árbitro mandara repetir e de onde o Leixões fez 1-0 em Alvalade, logo aos 6 minutos, houve invasão de campo e bateram no árbitro. A FPF deu vitória ao Leixões, o jogo durou 6min e Alvalade levou 15 jogos de castigo.
Onde quero chegar com isto que poucos conhecem e ninguém recorda mas pode ser consultado nos jornais da época?
Bom, não sabemos o que teria sido com o Benfica naqueles tempos. Creio que chegou a ter uma ou outra interdição e jogando no Jamor.
Mas, face ao castigo de 4 jogos agora imposto ao antro do crime, numa panóplia que podia ir aos 21 jogos, e que para já é um castigo passível de suspensão até ser totalmente anulado, está mesmo a ver-se que o Benfica hoje em dia beneficia de uma impunidade talvez acima daquela do tempo da outra senhora...
O Benfica, recorde-se, pagou pouco mais de 2500€, salvo erro, pelo cachaço dado pelo Diabo 👿 de Gaia ao José Ramalho, auxiliar de Jorge Sousa naquele clássico de 2008 em que foi atacado na linha lateral por aquele energumeno na bancada atrás de si...
O energumeno, qual Al Capone preso por fraude fiscal e não pelo assassínio em massa em Chicago, foi para a cadeia depois por tráfico...
O Benfica, antro de crimes diversificados, com o beneplácito do Estado reverente como antes do 25/4, pagou multa e não teve interdição. Também não deverá ter agora que controla, além da arbitragem como antigamente, as instâncias disciplinares, como antigamente...
É isto. O Estado Lampianico.
Para divulgar junto de quem não sabe. Mesmo a 11500kms não podia deixar de evocar isto. Para a história que foi feita e a falsidade dos dias correntes.

PS - soube já tarde do resultado do FC Porto em Roma. Muito bom.

30 janeiro 2019

No bom caminho para confirmar isso

Bom jogo e vitória redonda com o Belenenses para manter 5 pontos de vantagem sobre o 2° classificado. Bem melhor do que há um ano, jogadores já praticamente recuperados, hoje voltou Otávio, Maxi está na calha e Aboubakar não tarda.
O campeão de Inverno é este, vencedor parcial da 1a volta e que mantém a distância, alargada a outros perseguidores como o campeão da taça do inverno da treta com a sorte correspondente...
Agora é manter a cadência, espero sofrer menos aos mesmos 11/12 mil quilómetros de distância de há um ano. Não gostaria de ver duas derrotas seguidas fora, adoraria rever outra vitória sobre o Benfica. Lá longe, realmente, sabe bem melhor, mesmo que a diferença horária não ajude.

26 janeiro 2019

Uma taça da treta para equipas pequenas

Esta competição não está embruxada para o FC Porto. Está reconfirmada a sua inutilidade, vigente desde o início, com regulamentos idiotas e que acaba a contrariar a ideia de que os grandes são favorecidos...
Oliver cometeu uma gp acidental, nos descontos, levando o FC Porto dominador e melhor para penalties. Um erro involuntário idêntico, noutra forma, àquele canto cedido por Herrera frente ao Benfica, dois casos com golos sofridos aos 90+2 não obstante a evidente superioridade do FC Porto. Da mesma forma, muito estúpido já condenou Oliver como condenou Herrera, mas as paixões e insensatez de adeptos são assim mesmo...
Desta vez custou um troféu no qual não é preciso vencer. Na época passada nem foi preciso ao Sporting marcar golos em dois jogos. Desta feita, bastou marcar um golo em cada jogo em lances de bola parada... E esta gp caída do céu nos descontos foi como aquele canto caído do céu nos descontos...
O que vale por dizer que uma competição que não vale nada está sempre à mercê mais dos imponderáveis da bola do que na vontade de vencer, coisa que o Sporting não teve nos dois jogos em Braga este ano. No ano passado não vi.
Enfim, vale o que vale, Sérgio Conceição rodou jogadores, já temos Danilo de volta, Manafa estreou-se, Bruno Costa já não teve caganeira, Vana afirma-se como alternativa, Fernando Andrade já marca a Benfica e Sporting, pois ao Chaves não valeu... Sérgio Oliveira desapareceu, mas Conceição tem um plantel mais forte, robusto, com mais valia em profundidade para atacar os troféus que importam e tentar ir a Roma ver uma etapa mais longe na Champions.

O FC Porto saiu robustecido e a taça da treta de novo enfraquecida.
Assim vai o tonto futebol tuga. No pasa nada.

22 janeiro 2019

Sérgio Conceição e a gestão do plantel como Mourinho

Sem nenhum título em disputa, o treinador do FC Porto continua a gerir muito bem o parco plantel portista, tendo em conta as exigências e todas as competições disponíveis.
Aproveita para dar rodagem a jogadores que chegam, como Fernando Andrade, até aos que vão partir, como André Pereira, incluindo jogadores com caganeira, como  Bruno Costa.
Assim, só me lembro de Mourinho a ganhar na Luz com Tiago ex-Leiria e outro meco baixinho que já nem lembro o nome...
A vida continua. Até para quem perde pela 1a vez numa competição que fraudulentamente ganhou um punhado de vezes e com o novo treinador nem golos sofria w foi aviado com 3...
Toscos como Marega e Soares ainda são melhores um bocadinho do que os de Guimarães onde jogaram...
Muito bem SC!

11 novembro 2018

SC é muito melhor e AsD muito pior

Um terço do campeonato e o FC Porto com +3 pontos do que o mais directo competidor acabado de derrotar com uma cabeçada fulminante de Soares. É a 7a vitória seguida desde a paragem das competições de clubes, agora que vem outra pausa para as selecções. Cimentou as posições cimeiras em todas as provas de grupos, incluindo a CL. O FC Porto está muito forte. O Braga sucumbiu. Mas poucos lidam com esta superioridade atendendo à falta de qualidade técnica dos avançados à disposição de Sérgio Conceição, incluindo Aboubakar a despeito de estar ausente por lesão prolongada.
Começa por ser risível, no fim disto tudo e após um embate de líderes super competitivos que Abel tenha proclamado ter sido o Braga a melhor equipa no Dragão, no sábado à noite. Falou em mais oportunidades de golo, não em melhor futebol nem por ter arriscado mais... É sintomático, porventura olhando às duas bolas nos ferros como se cada remate à baliza tenha de merecer ser convertido em golos, como fez por três vezes o Guimarães para ganhar 3-2 no Porto...
Ora, desde posse de bola e ataques, esmagadores índices a favor do FC Porto, a mais ocasiões de golo dos campeões, com destaque para a clamorosa situação de Brahimi, melhor do que um penalty, o FC Porto foi superior e único que quis vencer. SC recuperou Oliver e tem Brahimi a um nível já próximo da época passada, tal como Herrera não obstante este ter perdido o lugar para o espanhol. O FC Porto nem tem plantel de qualidade óptima nem muitas soluções, mas já recuperou a vitalidade e contundencia do seu jogo, não obstante a impericia, insubstituível, de Soares, que dificilmente dá fluência a jogo de tabela, e Marega, incapaz igualmente de dominar uma bola. É assustador ver este panorama com tamanhas deficiências técnicas, só superadas por uma combatividade única, um espírito de campeões e uma equipa boa do gr Casillas ao meio-canpo onde até Sérgio Oliveira perdeu o lugar que era seu na época passada, tal como Otávio do onze base campeão.
Se é o plantel mais fraco do FC Porto entre as suas equipas campeãs desde que me lembro há 40 anos, o espírito gregario e a vontade de superação tornam esta equipa maior do que a soma das suas partes. E o treinador ajuda e fez a diferença no sábado, arriscando com o timbre dos campeões que Abel não tem.
SC já tinha mostrado na vitória sobre o Marítimo ser superior aos seus pares, que conhece de ginjeira. Na jornada passada gozou com os três centrais adversários que, fatalmente, iriam abrir espaços. Conhecer as equipas, os treinadores e os campos adversários é fundamental em Portugal, irrelevante lá fora.
Ante Abel viu o Braga sempre plantado atrás, à parte a saída de jogo que entusiasmou o patético Lobo das tácticas na transmissão televisiva ao fim de um minuto. O Braga jogou em profundidade, com linha de 4 cujos laterais raramente passaram do meio-campo e cujo anterior lateral-direito Esgaio jogou a médio mas funcionando como quinto defesa contra Brahimi e as subidas de Alex Telles. O Braga não teve as despesas do jogo, não fez três jogadas seguidas, em apoio e em vagas repetidas, no meio-campo portista. Queria um pontinho e manter a invencibilidade sem arriscar nada. Não usou autocarro defensivo, não senhor; muito menos antídoto, nunca; tentou jogar e controlar o jogo sem nunca o dominar; atacou pouco se excluirmos uns 97% de contra-ataques em que tentava explorar a defesa portista com a equipa de SC balanceada na frente (3% de jogadas em contra-ataque) e sem quase nunca usar mais de quatro jogadores. Daí que, com espaço na área como Soares e Marega não tinham na área minhota, puderam atirar para duas defesas de Casillas e duas bolas nos ferros.
Só que SC voltou a perceber o jogo muito bem e a marcar pontos. As entradas de Otávio e Herrera mantiveram a bitola alta de um sector empreendedor que tentou tudo para alimentar um ataque ineficaz e perdulário, visando desmontar uma defesa instalada na sua área. SC não tirou Soares como na Madeira, porque era pelo ar, e não com os pés tortos como Marega mostra em cada remate ou Soares a nem desviar na relva um passe mortal do africano, que o FC Porto iria ganhar o jogo. Se foi por um detalhe que venceu, por uns centímetros lá nas alturas onde Soares se sente melhor e é útil, houve as mexidas dos dois suplentes que muito modificaram um jogo que o FC Porto teve sempre seu, a bola e os ataques, mas que passou a ser rei e senhor, o que é diferente de dizer-se passar a dominar como se não o fizesse antes. Essa competência do treinador e as qualidades que sente ser necessárias para desequilíbrios fatais é que motivaram a vitória da única equipa que fez por ela mesmo sem o conseguir em grande parte do tempo pela boa estrutura defensiva (não a ofensiva) do adversário e a indisfarçável falta de qualidade técnica nos avançados portistas que ninguém pode negar nem ser acusado de blasfémia. Abel contentou-se com o pontinho, nada arriscou. SC apostou tudo e expos-se muito mas a audácia foi premiada. E, por isto, entre qualidades muitas e defeitos inegáveis, o FC Porto está no ponto em que dominou na época passada.
O Braga e Abel têm de fazer melhor, aliviados do fardo europeu, com bom plantel, bons jogadores, estrutura montada e experiência das lides domésticas. Foi 4° em 2017-18 e se não fizer melhor será um fracasso. Daí que, só tem simpatias na imprensa e suspiros nos comentários em directo porque fez uns remates aos postes e quase empatada no Dragão mas não chega para atingir o pódio...
Noutro índice também não se pode queixar, pois do árbitro tem razões de crítica o FC Porto.
Artur sonso Dias só marcou presença na Rússia como VAR. Os árbitros tugas voltaram a perder um Mundial porque são muito fracos. Mas nem como VAR o AsD aprendeu na prova da FIFA onde o recurso ao vídeo e o apoio da "regie" mantiveram a verdade desportiva do Mundial. Houve três situações de gp - uma para o Irão frente à Portugal - que eu discordei mas o VAR manteve o seu critério intocável e sendo assim eu aceito. No sábado, de frente para o lance é sem estorvo visual, o sonso Dias não marcou uma gp que foi inapelavel no Mundial. Ele, como de costume, não teve coragem e o VAR tuga é já a triste celebridade pela mediocridade que é. Artur sonso Dias continua um mau árbitro, sem coragem, sem melhorar nem por estar entre os melhores do Mundo. É um burro, portanto...
Já SC, a quem no Braga não augurava grande futuro com aquela derrota no Jamor que ditou o seu despedimento, tem melhorado em todos os níveis, até comunicacional. A tarimba dá lastro aos inteligentes e oferece asas à audácia de quem quer chegar mais longe. Temo que, em breve, diga também estar farto disto e querer ir embora, como Mourinho em 2004. Quando a estrela e o método do José falham em toda a linha de sucesso, o substituto não é o Jesus parvamente endeusado há uma década por basbaques acólitos de padres encomendados e missas mafiosas. Sérgio Conceição já está à frente de todos.
Como Vítor Pereira, que aqui tanto defendi e agora foi campeão na China, o mérito é todo de SC. Merecia um plantel melhor, ele torná-lo grande à vista de gente com curto alcance e limitadas ambições.
Apetecia-me dizer isto até por há muito perder gosto em aprofundar nesta bancada as minhas reflexões contra a mediocridade arrasadora da uniformidade niveladora tuga que torna tudo indistinto e insípido, sem fazer jus aos melhores.

07 novembro 2018

Jesualdo, o treinador das vitórias e único tricampeão português

Ao assegurar o título nacional na época passada, com Sérgio Conceição ao comando, o FC Porto impediu o Penta do Benfica acima de um Tetra tenebroso e mafioso. Ao mesmo tempo, impediu que Rui Vitória atingisse um tricampeonato pessoal como só Jesualdo Ferreira tem entre treinadores portugueses.
Destaquei esse facto em  Maio, no Twitter. Hoje volto a evocar o grande professor que triunfou plenamente no FC Porto.
O Benfica acaba de somar o 4º jogo consecutivo sem ganhar, com o sonso das vitórias... O empate, equivalente a derrota, com o Ajax também faz do gajo com aspecto de tasqueiro no banco do Benfica ficar atrás de Jesualdo, já agora...
É que há 10 anos, por esta mesmíssima altura, Jesualdo deu a volta a uma situação grave de crise. Vitória não sabe o que isso é!
O FC Porto em 2008-2009 perdeu 2-3 com Leixões, 0-1 com Dínamo Kiev e 0-1 na Figueira da Foz com a Naval.
O Benfica perdeu 0-2 com Belenenses, 0-1 em Amesterdão com o Ajax e 1-3 com Moreirense... Agora fez 1-1 com o Ajax a praticamente está fora da Champions...
Jesualdo, como então escrevi, tinha capacidade para dar a volta.
Após 3 derrotas terríveis, o FC Porto foi ganhar a Kiev (2-1) e voltou a Portugal para ir ganhar a Alvalade (2-1), aliás a última vitória lá obtida...
E a época 2008-2009, além de levar o FC Porto aos 1/4 final da Champions, teve a dobradinha campeonato-taça.
Não se prevê que tal suceda no Benfica...
Alás, o grupo fácil do FC Porto vai, provavelmente, ser jogado até à última jornada quanto ao apuramento dos dois primeiros.
O grupo difícil do Benfica vai ficar, provavelmente, arrumado na próxima jornada, basta o Benfica perder como sempre perdeu em Munique...
Já agora, depois da derrota na Luz, e instado a comentar as 2 derrotas já acumuladas no campeonato, Sérgio Conceição atirou que poderia ser as últimas derrotas do FC Porto no campeonato!
E pegou bem na equipa para um ressurgimento espectacular como provam os últimos jogos. Era preciso Herrera e Brahimi fazerem o que faziam na época passada e passaram a fazer. E surgiu Oliver, que aqui sempre disse ser apenas meio jogador e agora está a 3/4 de jogador: falta atirar à baliza e marcar golos, de fora, como Otávio já mostrou...
E da forma que está o actual FC Porto, pós última derrota na Luz, a confiança só pode estar em cima. Como a equipa está, no 1º lugar.