13 setembro 2010

O dia em 3 momentos

Esqueçam lá o 13 de Setembro, uma 2ª feira que é pelo menos o começo de uma semana de trabalhou ou de aulas, como arranque do ano lectivo: colégios já começaram antes do fim-de-semana e as aulas na escola pública começarão por estes dias.
DESMASCARADOS
Para quem estava indignado, ainda que com justeza, com o atraso da entrega do acórdão da sentença de 1ª instância do Processo Casa Pia, as novidades, até aqui escondidas do público e salvo de olhares indiscretos dos pertinentes Órgãos de Informação, sem que a fundamentação do colectivo de juízes pudesse estar em causa não obstante as insinuações malévolas feitas ao arrepio das regras do bom senso que nenhum advogado respeita e o seu Bastonário incita a incumprirem flagrantemente, eis que as conclusões vão muito além do que podia imaginar-se. Com a indicação de Carlos Cruz ter sido "apanhado" em mais três actos de pedofilia cuja prescrição impediu a sua condenação acrescida além dos outros três actos dados como provados; com as relações de amizade e contactos telefónicos comprovados que desmentem que Ferreira Dinis e Jorge Ritto diziam não se conhecer (como entre nenhum dos implicados e sentenciados); com o dito "proteccionismo" de Manuel Abrantes ao pedófilo confesso Bibi - para quem ansiava por saber a fundamentação dos juízes tivemos muitas novidades para as primeiras horas de revelação do que o tribunal deu como provado. Obviamente, até sentença confirmada em última instância presume-se inocência, mas para quem duvidava que os juízes não tinham "certezas" dos factos e por isso, alegava-se, protelavam a entrega das 1770 páginas do acórdão deve calá-los por uns tempos, pelo menos até lerem atentamente o que seguramente demorou muitos dias a escrever.
DESMASCAROU-OS
Carlos Queiroz voltou ao ataque e só a posição defensiva da Judite desconhecedora do dossiê, desde a entrevista do ex-seleccionador ao Expresso às rocambolescas intervenções de uns pategos nesta estória de faca e alguidar, não permitiu que a entrevista desta noite fosse mais substancial. Quando se conhece pouco do que se fala há a tentação de fazer muitas perguntas, amiúde sem permitir que as respostas sejam dadas completamente e Judite de Sousa interrompeu, como é seu hábito e de muitos que julgam ser bem fazer assim, amiúde as explicações da vítima desta encrenca.
Mas CQ tinha anotados os factos anómalos de um processo movido, como sempre aqui denunciei, logo que o Mundial acabou para Portugal. E quando tínhamos a ideia de tudo ter começado, na ADoP, a 5 de Julho, com o depoimento dos seus médicos em inquérito interno, afinal o processo foi instaurado a 2 de Julho. Não foi no dia a seguir à derrota com a Espanha, ainda a 29 de Junho. A 1 de Julho chegou a selecção a Lisboa, depois de um dia de preparativos para o regresso e a última conferência em Magaliesburg. Tinha, entretanto, chegado o avião particular de uma comotiva para-oficial do "amigo Joaquim" que integrou governantes como Silva Pereira e o sec. Estado do Desporto Laurentino Dias que na Áf. Sul não se dignou visitar a selecção... O Jogo tinha trazido dessa viagem a manchete de que havia críticas a Queiroz, mas sem supor-se serem de matéria disciplinar. Ponto.
Queiroz suspeita de documentos/testemunhos forjados e aponta para eventual procedimento criminal, sabendo-se que os médicos que reportaram a "perturbação" do controlo antidoping só o confessaram depois de um primeiro inquérito, perguntando-lhes, posteriormente, se não tinham acontecido "perturbações" antes não relatadas. Já aqui tinha eu trazido essa versão.
De resto, com Laurentino Dias na frente do touro, Amândio de Carvalho é a extensão dessa força, um tentáculo do "polvo" que traiu o "amigo Madaíl" e envenenando os juízos da Direcção da FPF ao ponto de deixar o presidente isolado e o único apoiante de Queiroz por ter sido ele a empreender com o técnico a estratégia de reformulação do futebol das selecções.
Queiroz falou, de surpresa, numa multa a Deco pelo comportamento, que ninguém censurou na CS, na substituição no jogo inicial; disse não haver outro objectivo para além de, indo ao Mundial, superar a fase de grupos, confessando que se outra meta houvesse era como saber o "3º segredo de Fátima"; e enquanto a desatenta e mal preparada Judite entrava pelo facilitismo do diz que disse das relações do técnico com os jogadores, Queiroz promete prosseguir a sua luta nos tribunais enquanto o despediram sem sentenças transitadas em julgado.
Os idiotas de O Jogo, entretanto, fizeram esta capa, que eu na altura vi e registei mas só mais tarde acedi ao conteúdo. Para chegarem a uns 82% contra CQ entre os adeptos das coisas da bola que inadvertidamente pincha e aqui e ali tem desvios da mão de Deus e até do Diabo, somaram todas as componentes do inquérito: quem o achava só culpado, quem achava culpado só o presidente, quem achava culpados ambos e quem achava se era por ser sol ou por estar a chover.
A mesma edição, sem sequer uma chamadita de 1ª página em letras de prospectos da Banca e dos Seguros, trazia mais de 50% de benfiquistas só a rejeitarem por completo a compra do guardião Roberto, numa só opção em que, com Queiroz, contra si, nunca passou dos 38%. E se fossem somadas as vertentes negativas do inquérito no confronto com Roberto dava mais de 92%.
Depois da manchete do jornal do "amigo Joaquim" a afiançar na comitiva para-oficial as primeiras críticas a Queiroz, esta capa do dia do jogo em Oslo é elucidativa. A Imprensa do regime, a Imprensa atada aos compromissos com o Governo por causa de situações financeiras muito difíceis, como o DN e O Jogo, fizeram o trabalho oficial de explicar à Opinião Pública a razão de ser de muita opinião publicada.


















MASCARADOS
O Benfica reagiu com os tópicos já adiantados por A Bola hoje e, portanto, o veículo oficial nacional além do folheto propagandístico da caserna, nada de novo. Mascararam-se todos e o Carnaval ainda vem longe.

Nem é original o SIMULACRO DE TENTATIVA DE AMEAÇA de não competir na Taça da Liga, de resto umbilicalmente ligada à história recente de benefícios escandalosos ao clube.
Nem é surpresa fazer depender as negociações dos direitos televisivos com a Olivedesportos, do "amigo Joaquim" também, embora se pensasse estarem já concluídas com grandes proveitos para o Benfica (passando dos 9 para os 20ME anuais, dizia-se), de uma isenção da SportTV, já confrontada pelos ideólogos experts em egiptologia dos comentários da bola, que é um canal "fechado" e só para subscritores que não chega a muitos lares de Portugal.
Também o toque a reunir só na Luz, onde a coacção sobre árbitros é honra da casa e os adeptos visitantes podem ser metidos aos três mil em apenas mil cadeiras ou mesmo separados e misturados com os civilizados energúmenos locais que ostentam suásticas nas bandeiras e atiram foguetes e very-lights que matam, é ridículo, se compararmos as assistências do Benfica-Académica (49000) e Benfica-Setúbal (37000) com as do Porto-Beira-Mar (44000) e Porto-Braga (48000), como se o mundo nascesse e acabasse com as mães de vermelho que dão novos adeptos ao mundo da bola.

Agora, lata mesmo é falar da violência no Porto contra o autocarro do Benfica, com gente em tribunal por crimes como surrar adeptos adversários, deixar um hoquista às portas da morte, matar um adepto rival numa final, agredir um árbitro-auxiliar e, claro, incendiar autocarros de adeptos rivais como na imagem ao lado.
Quando se pensa que a patetice e o ridículo não podem ir mais longe, o Benfica, sim, preenche todos os requisitos para ter alarve gargalhada do pagode da bola que não se deixa intoxicar com clichés e manias de grandeza e perseguição, mailas dos defensores da verdade desportiva que o hoje contestado Olarápio lhes conferiu ainda no último Porto-Benfica e o João "Pode vir o João" Ferreira lhes garantiu na Supertaça, além do SLB Senhor Lucílio Baptista que decidiu os jogos Benfica-Naval e Benfica-Porto em meras 4 jornadas a separá-los.
Se não fosse triste ironia, quer a conquista da Taça da Liga em 2009 ainda com o SLB do seu lado, quer o proteccionismo do mesmo Olarápio no Benfica-Nacional na época passada na mesma prova, quer todo o campeonato passado tão fresco na memória enquanto fazem por esquecer, os paineleiros arregimentados pelo livrinho vermelho distribuído pelo arcanjo Gabriel, o infame título de 2004-2005, estaríamos perante a maior farsa da história recente.
Mas uma (ironia) ou outra (farsa) tem sempre a mesma cara de idiota e a águia depenada da grandeza que dizem possuir enquanto a diminuem no estrelato antes dado à sua camisola a que quiseram tirar o azul do patrocinador sem mexerem um dedo para mudar a Linha Azul do Metro que lhes pára à porta no Alto dos Moinhos, em Carnide.
Um dia exemplar. E digam lá se não é com coisas assim, a começar o ano lectivo, que se tem feito "escola" em Portugal...

14 comentários:

  1. Zé Luís já leste o acórdão da Casa Pia?...Onde o sacaste?...

    ResponderEliminar
  2. Zé Luis:
    Bem que eu tentei a leitura mas é mesmo intragável, parece um extenso Manual de Má Conduta...Pior que o Kama Sutra, muito pior e mais nojento...Já não quero ser Juiz de Direito Criminal.

    ResponderEliminar
  3. Não, obviamente limitei-me a apanhar os bocados a que os telejornais dedicaram a abertura nos respectivos jornais da noite. O da RTP referiu este aspecto das três situações. Meteu excertos textuais do acórdão, por isso dou-lhes credibilidade.

    Obviamente, não vou ler aquilo. Mas não faltarão, agora com tempo, pormenores na Imprensa por estes dias.

    ResponderEliminar
  4. 1. Nos Açores, já depois do inicio do Casa Pia, houve o Proceso Farfalha, onde tb havia gente "importante" inclusivé um ligado ao Governo Regional. A PJ organizou o Procº, apresentou videos, de todos a entrarem e a sairem, tirou impressões digitais, etc etc etc... Ah, e tb havia menores do sexo femenino no meio!!!
    Não tenho qualquer posição preconcebida, só acho que 10 milhões de Portugueses dizem que a Justiça não presta, excepto se punir o C Cruz, que não conheço, nem defendo, nem ataco...Gostava era de provas iguais às do Processo dos Açores, organizado por profissionais da PJ, e não por por juizes de 30 aninhos, tipo Ricardo Costa... E mais não digo, embora um dia talvez conte coisas que eu cá sei... Fui tropa em Lxa, fiz rondas de Jeep, etc etc etc...

    2. Portistas não é obrigatório apoiar o Queiroz, porque o Brasuca não gostava do Baía... Nem me venham dizer que o CQ foi o criador da geração de ouro... A geração de ouro é que criou o CQ, que desde aí tem um percurso de lata (em ambos os sentidos)e eles fizeram aquilo que a gente sabe...

    3. slb - não há pachorra... a literacia faz muita falta, muita mesmo.

    ResponderEliminar
  5. boa tarde! gostava de saber qual é o numero de acesso dos portistas de bancada para jogar no fantasy footbal

    ResponderEliminar
  6. Sobre o carnaval a coisa é divertida e coloca aquela dos Trabalhadores do Comércio novamente nos tops.

    Quando de bola pouco ou nada se joga aplica-se a máxima do quem não chora não mama (dai já o contra choro dos calimeros).
    Nada de diferente, ainda na vertente de dum tal de pragal mas em versão mais soft.
    Calhou ao Benquerença pois o Lucílio já está reformado e João não Pode Ser em todos os jogos( talvez o Vitor Pereira lá o arranje para o Sporting ou, em último caso, para o Braga) mas se fosse um outro qualquer levava por tabela.

    É por estas e porque para dizer asneiras qualquer um serve que não estou assim em tanto em desacordo com a politica de silêncio do nosso Clube.

    A referência ao MAI era desnecessária pois será apenas necessário esperar pela sua próxima presença no camarote Bip.
    Agora coisa nova é o envolver do Laurentino e da turma do Oliveira.

    Se estivesse por cá o saudoso bosta da liga ainda se poderia esperar a abertura de um inquérito por coacção ou coisa parecida mas como este agora se dedica a escrever coisas, na primeira pessoa do singular e que a maioria continua a não entender, no record bem podemos esperar sentados.

    Imagine-se agora o PdC, que se atravessar uma rua fora da passadeira tem logo uma brigada especial à perna, a dizer metade do que foi escrito.

    Eles que chamem a bófia, a moina e até a Polícia mas, por favor, deixem o Roberto defender...

    ResponderEliminar
  7. Estive a ler e são muitas páginas mil setecentas e tal que fui saltando...Este acórdão assenta para aí em 90%, nas matérias relacionadas com o Carlos Silvino.Depois aparecem correlacionadas outras personalidades, tendo em destaque o responsável directo de CSilvino o Provedor da própria Casa Pia, Domingos Abrantes...Todos os outros arguidos, são meros predadores oportunistas de uma situação criada dentro da Instituição Casa Pia e que tinha o CSilvino e algumas figuras que emergiram nas relações internas entre alunos, como Núcleo Duro...A partir desta associação, o caso sai para as Ruas e provoca a atracção dos predadores, primeiro nos Jardins próximos da Casa Pia e depois vai alargando a sua acção a outras zonas...O que eu pude constatar, foi que os Juizes partiram da forte convicção que todos os arguidos eram culpados e depois foi só arranjarem matéria incriminatória...E no caso do CCruz assentam em depoimentos de três/quatro pessoas -que por sinal, são esse tal "grupo duro" que eu mencionei- que até se contradizem entre si, mas espanto dos meus espantos, foi esse mesmo facto contraditório, considerado o factor credibilizador pelo Tribunal...Isto é, se todos os testemunhos batessem certo -segundo o trio de Juízes-, isso era um sintoma de concertação, portanto batendo errado, assumem aspecto confirmatório e credível!?!?...Depois outro facto considerado negativo, foi Carlos Cruz manter irredutibilidade nas suas posições, se ele aceitasse as responsabilidades que lhe eram imputadas já não havia problemas, melhor, haveria menor gravidade a ser-lhe assacável...A questão dos telefones é que não entendi mesmo, ele apresenta as relações dos telefonemas dos números que ele diz e assume possuir e então, surgem outros números que atingem as duas dezenas...Já não percebo nada.
    Ou ele era, é, um grande cínico e planeou tudo isto meticulosamente, fazendo chamadas de descartáveis, movimentos nas Auto Estradas em outras viaturas que não as descritas, fez pagamentos por interpostas pessoas para assim poder estar num local e ter depois consigo recibos, que comprovem eventualmente ter estado noutros sítios nas mesmas alturas, o que me parece muito rebuscado para um compulsivo pederasta...É muita maldade e cinismo que lhe é lançada sobre a sua personalidade...

    ResponderEliminar
  8. Fantástico o artigo, Parabéns!

    Quanto a "eles" eu acho que é desespero total!

    ResponderEliminar
  9. Quanto à incoerência gritante do befique deixo aqui duas pérolas.

    A 1ª é sobre a boneca chorosa brasileira do flash interview no fim do jogo de guimarães em que a choradeira pelos erros do arbitro contrariam o dito anteriormente. Ver aqui.

    A 2ª é sobre o agora maldito Vítor Pereira que na época passada até era usado pelo clube do bairro de benfica como piadola para gozarem com o Sporting, depois da famosa final da taça da liga ou da cerveja, como era mais conhecida. Ver aqui.

    Até proponho que de agora em diante se trate o befique por APAF em vez de slb. APAF não confundir com a associação dos árbitros apesar de ser isso que eles queriam, ter os árbitros sobre a sua alçada exclusiva. Mas não, não é essa APAF é outra. Era então em vez de slb, APAF de Associação Portuguesa de Autistas Portugueses.
    vivem num mundo só deles em que eles fazem as regras e os outros não têm importância nenhuma.

    PS: O vídeo da "2ª pérola" é todo ele interessante mas o preciosismo está entre o minuto 4:10 e 4:45, para o caso de se querer ir ao ponto fulcral, para mim pelo menos.

    PSS: Só tenho pena que nestes tipos de processos (pedofilia) os recorrentes não tenham de aguardar pelo recurso a cumprir a pena já estipulada em 1ª estância.

    ResponderEliminar
  10. meireles, eu não acho culpados de nada, quem acha são os tribunais e reitero que são inocentes até sentença transitada em julgado.

    Não atacou este ou aquele, simplesmente enfatizei a questão de o acórdão já estar cá fora depois do espectáculo triste à slb de advogados e condenados, o que é intolerável. E ao saber-se a fundamentação vamos agora perceber algumas coisas mais que só a versão de uma das partes não chega e eu não gosto de julgamentos mediáticos.

    Mas, por princípio, custa-me acreditar, sem ter preconceito contra alguém, que os "miúdos" todos tenham exagerado, manipulado e combinado opiniões e denúncias. Pior, o espectáculo pouco digno de querer desacreditá-los da forma como fizeram os mais credenciados advogados só me fez ficar de orelha alerta. Só isso, agora espero mais revelações, mas sempre sabendo que os recursos impõem que nada está sentenciado em definitivo ainda. E mesmo sem mais por onde apelar sabemos que se cometem injustiças.

    Contudo, levantam-se já algumas pontas e vai-se vendo o que o "ruído" não deixava...

    ResponderEliminar
  11. steve bracotelli, lembrei-me sempre do Processo Farfalha, que decorreu célere e sem ruído decretou sentenças, nem sei se houve apelos ou ñão, nunca mais se falou disso, nem lembro os implicados mas que houve, houve e foi tão nojento quanto o da Casa Pia. Era assim que devia ser, mas sabemos, ou fomos alertados, para a presença de gente muito importante, mesmo aquele candidato a PM que dizia "tou-me a cagar para o segredo de Justiça", o que diz bem do peso na consciência de serem descobertos que esta gentinha tinha com medo de si próprios. E essa convicção de que há criminosos, embora uns escapem pelas malhas largas que o Poder Político tece a proteger a sua escumalha, não mais a larguei.

    E, apesar de toda a intoxicação e insuportável pressão exterior (lá de dentro nem se imagina), os juízes decidiram. Bem? Mal? Decidiram e acredito que em consciência. E livremente. Como deve ser. Não invalida ter havido erros e mesmo má apreciação de certos factos (para o bem e para o mal). Mas acho que nunca se fez Justiça como agora, e ela ainda não se deu por concluída. Todos tiveram direito a todos os expedientes de defesa, é ilegítimo queixarem-se da... Justiça.

    O resto, aguardo serenamente.

    ResponderEliminar
  12. perdão, o último comentário é consonante com o Fernando B e não com o Steve Bracotelli.

    Steve, o benfique é o benfique e uma parte infeliz do gene que molda o ser Português. Não há volta a dar, conviver com isso, jogar melhor e ir ganhando.

    Eu gostava apenas que as tv's e os comentadeiros pegassem nas imagens da época passada e comparassem com as de agora. Como "eles" estranham, como era tudo tão diferente e tão diferente que o vi-te ó Pereira era uma maravilha e a Liga um sonho com o Bosta da Liga e o Ogre da Liga - aliás mencionados neste comunicado do ó tempo volta pra trás!...

    ResponderEliminar
  13. Zé Luís:
    Não esqueças que os "miúdos" foram trabalhados pela Comunicação Social muito antes de chegarem a Tribunal...E foram quase sempre os mesmos.Tem também em atenção o que aconteceu connosco Portistas, parece que quando a "Justiça" quer, a "Justiça" consegue...Adquiri esta visão lendo Victor Hugo, Alexandre Dumas, Dostoyevski...A Justiça, muitas vezes, é mesmo cega.
    Não posso esquecer que nos anos 2001/2002/2003 se vivia em Portugal um período revanchista destinado a vingar a queda do Cavaquismo...Surgiram inúmeros casos e escândalos, havia também um enorme preconceito relativamente ao Porto2001, ao Euro 2004 e às despesas entretanto assumidas com a construção de infraestruturas e dos Estádios...O País, a Oposição, clamava por Contenção, Juízo e Mudança...Tudo isto me cheira a poder estar interligado.-Carlos Cruz estava na Comissão que conseguiu o Europeu para Portugal!
    Pinto da Costa assumiu afrontar o Governo de Cavaco Silva com o caso da Retrete das Antas!
    O Norte foi a parte mais beneficiada nesse período e em relação às infraestruturas, nem se fala...Houve uma guerra na Cidade por causa das obras da Porto2001...Daqui emergiu Laura Rodrigues e Rui Rio.No País apareceu o PSD a querer acabar com o Crédito Bonificado, porque permitia que toda a gente tivesse casa própria...Não me esqueço.

    ResponderEliminar