24 março 2015

Orgulhosamente sós

Não estava a par do Congresso da UEFA por estes dias em Viena, onde Platini era reconduzido, sem oposição e por aclamação ordinária, na presidência e o importante Comité Executivo daria lugar a algumas eleições parcelares de membros em fim de mandato, como é normal. Fernando Gomes, da FPF, foi eleito para o CE, hoje, segundo li por aí, um posto já ocupado, sem relevo, por Madaíl à custa de concessões várias dando um passo atrás para depois Portugal receber o Euro-2004 com apoio da Alemanha para quem não saiba, mesmo tendo a Espanha como concorrente, além de Silva Resende que ficou também ligado à indiferença da UEFA que conduziu à tragédia de Heysel, e a um Cazal-Ribeiro, ao que li, de que nem tinha conhecimento mas num tempo de pioneirismo e de nenhuma afirmação portuguesa, era só para cumprir calendário.
 
Não é que seja uma eleição de importância por aí além, mas mais vale estar do que não estar mesmo que seja redundante o personagem e irrelevante a sua presença enquanto inspirador de alguma política, algo que Fernando Gomes não tem por não ter perfil para isso. É só mais um mas o cargo é relevante, para todos os efeitos. A ocasião em si é de monta, como tal, mesmo que a conquista do lugar seja muito inferior à dimensão que estas ocasiões têm. Dou como exemplo o falado mas esvaziado G18 e a presença exclusiva do FC Porto que não valia nada no contexto do grupo formado e dos objectivos a alcançar mas tornava relevante a presença de um português. Contudo, raramente a Imprensa tuga seguiu aquilo de perto e sei de quem seguiu que, burro e incompetente como sempre, era igual estar lá ou não porque não percebia puto daquilo e passava-lhe ao lado a relevância e oportunidade da informação a colher. Um asno que ainda por aí anda, irrelevante.
 
Entretanto, alertado por notícias avulsas nos jornais, percebi ainda que a ocasião era propícia para os candidatos à eleição da FIFA em Maio e entre os quais está Figo, como esteve no recente congresso da CONMEBOL sul-americana e tem de seguir os congressos de outras confederações continentais.
 
Seria interessante acompanhar a máquina que segue e suporta Figo mas este é uma ocasião perdida à partida para a grunhice da Imprensa tuga divulgar os meandros e os bastidores em que estas coisas ocorrem.
 
Pois nem por Fernando Gomes estar perto da entrada no CE nem por Figo estar em campanha para a FIFA vi, folheando nos escaparates, enviado-especial de O Jogo e de Record.
 
Diz tudo de si e do ponto a que chegaram. Não sei se A Bola mandou alguém a um/dois momento(s) importante(s) mas admito que sim porque esse raramente falhou o compromisso com a sua história.
 
E é isto. Daí que, em geral, haja que olhar para dentro e o que há dentro de portas são as pequenas misérias e as grandes confusões por tudo e nada. Oportunidades perdidas e o regresso a tempos não muito recuados.

EM TEMPO:
Orgulhosamente estúpido continua, enfiando a cabeça na areia para ficar com o rabo ao leu à mercê dos interesses, o JN: nem na capa fez referência a uma candidatura à PR e no interior remeteu para página irrelevante. Diz nada e diz tudo.

Sem comentários:

Publicar um comentário