26 dezembro 2006

Gloriosa década e meia

Não é a despedida de ano, ainda, mas só uma lembrança de Natal propositadamente atrasada mas a tempo de ser brindada com champanhe. Rica prenda!


2006-2007 volta a dar-nos campeonatos de 16 equipas. Mas o ano que está a findar significou o fim (por quanto tempo mais?) dos campeonatos de 18 clubes de primeira.

É verdade, foram 15 anos e 10 títulos nacionais do FC Porto, desde 1991-92 a 2005-2006.

Quinze anos para cimentar uma hegemonia ímpar que fez, ainda, o FC Porto ser o clube que mais títulos oficiais (29) ganhou em toda a Europa, com provas domésticas e eurotaças juntas.

Quinze anos inesquecíveis: do centenário em 1993, à Taça UEFA, única para Portugal, em 2003 e, claro, a confirmação de Viena em 2004, depois Yokohama.

Quinze anos de glórias sem par, desde a ultrapassagem, já em 1995, ao Sporting na tabela conjunta de todos os campeonatos nacionais, à contagem de mais do que os dois rivais de Lisboa juntos no total de títulos europeus conquistados pelo FC Porto.

Não é nostalgia, que outra fase hegemónica está a caminho. Ao único “penta” de 95 a 99, fugindo o hexa por razões extraordinárias, poderíamos sonhar já com outro penta não fosse mais o caso extraordinário do campeonato forjado de 2005…

Não só. Em 2003 o clube ganhou todos os campeonatos nacionais de futebol nos mais diversos escalões. 1999 não foi só o ano do penta, foi o da conquista de títulos nacionais em todas as competições desportivas, básquete, andebol, hóquei.

A afirmação do clube no panorama internacional, com 9 presenças na Liga dos Campeões (vamos na 10ª), mais a Taça UEFA, a própria Liga dos Campeões e a Taça Intercontinental/Toyota de que o FC Porto foi o último clube europeu a conquistar no Japão, provocou, em paralelo, a perda de 5 títulos nacionais. Não por força disso, mas em consequência. À excepção de 2005, os títulos não conquistados em 1994, 2000, 2001 e 2002 resultaram, e muito, de a equipa atingir sempre os ¼ final das provas europeias, 3 na Liga dos Campeões e 1 na Taça UEFA.


Os campeonatos de 18 clubes, com as suas 34 jornadas obrigatórias, permitiram ao FC Porto somar quase sempre 50 ou mais jogos oficiais por época. Só em 1991-92, 94-95, 2004-05 e 2005-06 o FC Porto não fez mais jogos do que qualquer das outras equipas portuguesas.


A amargura de perder o hexa, em 2000, resultou também de o FC Porto ter feito mais 13 jogos oficiais do que o Sporting! Equivale a quase meio campeonato, imagine-se! Já se sabe a razão de os leões esperarem na próxima Primavera um desgaste maior dos dragões na Europa para sonharem com a chegada à liderança da Liga.


A sério, e a brincar, feitas as contas (ver quadro em baixo), o FC Porto não fez só 15 campeonatos de 34 jornadas. Fez, no total, mais 73 jogos oficiais do que o Benfica e 97 do que o Sporting. Ora, isso significa fazer o correspondente a mais 2 campeonatos do que o Benfica e 3 campeonatos do que o Sporting. É obra. Acredito ser surpresa para todos, porque ninguém quis fazer contas e prestar o devido reconhecimento ao FC Porto.


Essa contabilidade, nunca feita pela Imprensa distraída, não afectou o FC Porto, antes contribuiu para o seu engrandecimento. Sem contar com a chamada aos jogos da Selecção, mais habituada a frequentar as fases finais de Europeu e Mundial, os jogadores portistas acumularam experiência, desgaste e arrelias também. Mas assim se cimentou, com a hegemonia, o carácter competitivo da equipa que contou com jogadores do calibre de Kostadnov e Timofte, Domingos e Jardel, Vítor Baía e Jorge Costa, João Pinto e Secretário, Bandeirinha e Semedo, Rui Jorge e Rui Filipe (autor do 1º golo da série do penta), Zahovic e Drulovic, João Manuel Pinto e André, Silvino, Hilário, Bino, Esquerdinha, todos e cada um que ajudaram a fazer a diferença que faz a marca dos campeões; mais os técnicos CAS, Robson, António Oliveira, Fernando Santos, Mourinho, Adriaanse e, agora, Jesualdo.


Bem hajam por muitos Natais felizes.


Legenda.: CN – campeonato nacional; TP – Taça de Portugal; ST – Supertaça de Portugal (em 2004 e 2005 com as supertaças extra a nível internacional no Mónaco e em Tóquio); EU – Provas europeias

À parte, está o Boavista campeão em 2001 para aferir-se a diferença para o FC Porto (-8 jogos disputados)

Como referência, o campeonato de 90-91, último com 20 equipas, também com mais jogos disputados na época em relação ao Benfica – e também com o FC Porto nos ¼ da Taça dos Campeões.


Isto sai em período festivo e sem afectar o convívio familiar. Para depois fica, a propósito, o que será proposto na semana que vem, para desmontar falácias postas a correr para diminuir as conquistas do FC Porto – farsas e farsolas, cobardes e mesquinhos, atrevidos e manhosos já encavalitados na onda de desacreditação das glórias portistas.

3 comentários:

  1. Foi uma década e meia que mudou a imagem do Porto !

    Temos que dar os parabéns ao Jorge Nuno Pinto da Costa, por ter ajudado e muito o nosso clube a crescer, e ter tornado o clube num dos melhor da europa/mundo.

    P.S - O Blog 'ta excelente ... ;)

    Saudações,
    www.contra-ataque-blog-blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. É com dados objectivos que devemos desfazer a corja que polula na comunicação social e os enganadores de serviço.
    Parabéns pelo post e viva o nosso Clube. Mainada...

    ResponderEliminar
  3. Obrigado Zé pela tua dedicação à nossa causa. Esta tabela significa muito para a nossa dignidade e amor clubístico. Um 2007 cheio de vitórias.

    ResponderEliminar