19 janeiro 2015

Isla(r)mismo

 
Afinal, na estúpida República laica em espécie cadela com toda a horda de pervertidos, mais a ética canina que só dá jeito a quem segue a matilha, tanto se proclama a liberdade de expressão como a censura campeia nos queridos Órgãos de Cão municação Social.

E tal como me converti rapidamente ao liberalismo, ao contrário do obeso Carlos Abreu Amorim que não conseguia ver mais longe e andar mais depressa no seu rumo de vida, também aprecio cada vez mais a Monarquia, conhecendo o que a República da treta tem dado em 100 e poucos anos. Afinal, se o problema são as heráldicas e as transmissões por berço, vulgo fidalguias hereditárias, pois a merda da República tem tantas que deve corar de vergonha monarquia que se preze. E quanto a socialismo ignaro e para idiotas, até a Coreia do Norte tem menos piada que os bardamerdas dos boilivarianos tão amigos do paspalho socrático... Adiante.

 
Parece, como já escrevi, que os charlies charlots tugas já se esqueceram como era a vida entre 2007 e 2008, agora apenas muda o "jornalismo travestido" atribuído à TVI, hoje amordaçada, com o "jornalismo de campanha" que os sequazes atribuem ao CM.
 
De resto, este abaixo é um Editorial de coragem que raros em Portugal serão capazes de subscrever, porque denuncia a podridão dos Me(r)dia tugas e aponta nomes aos bois denunciando-os de forma clara e objectiva. A isto junta-se o episódio da tomada de poder do JN, como em tempos anunciei na entrada do Camões e os vermes socráticos que fazem do JN o antro de servidão política só comparável à manipulação comuna do PREC há 40 anos. Um nojo o Portugal de Mário Soares e seus acólitos maçónicos - atrevo-me a incluir até Pinto da Costa, que prefere também uma Imprensa sabuja e suja sendo incapaz de criar um título decente e promover Informação livre e plural. Não por acaso, o denunciado presidente do FC Porto tem assumido posições sócretinas e abjectas que dizem bem do seu perfil de manipulador e ameaça à liberdade de expressão.
Espero por mais notícias do Correio da Manhã que nesta matéria não está pelo alarmismo islamita que pretensamente é usado para acobardar a sociedade - foi assim, com esse pretexto, que até países de Imprensa livre como UK e USA manietaram, irremediavelmente?, a sociedade Free Press por excelência.


Estado de Direito
O fim era óbvio e já tentado anos antes – Sócrates precisava de matar a imprensa livre para não morrer politicamente.
 
Com o seu advogado na liderança de um importante grupo de Comunicação Social, José Sócrates mexia os cordelinhos dos seus fiéis para coartar a liberdade ao Correio da Manhã. O fim era óbvio e já tentado anos antes – Sócrates precisava de matar a imprensa livre para não morrer politicamente. Ensarilhado em conflitos de interesses vários, que vão do BES a Angola, em que ocultou informação relevante sobre a situação do grupo de Ricardo Salgado; de Sócrates à Altice; da Zon à TAP; também Proença de Carvalho e seus múltiplos clientes precisam do manto discreto da censura prévia para vender Portugal a retalho sem ética nem dano próprios.
Para o cidadão Proença, como para Sócrates, qualquer laivo de liberdade de imprensa é um perigo para a opacidade necessária aos seus negócios, que acabarão por fazer de Portugal um imenso campo de refugiados, sem orgulho nem esperança. É neste contexto que deve ser lida a notícia de hoje, e as que o CM avançará nos próximos dias, sobre o pântano que Proença tempera na sua enorme panela de feiticeiro das leis e das ordens. Para Proença, como para Sócrates, o nosso país só é viável se os procuradores tiverem medo, os juízes vergarem a cerviz aos novos ricos e os jornalistas não tiverem inquietações que vão além do estado do tempo e das ocorrências do acaso.
É cada vez mais necessário saber o que dizia Sócrates nas escutas ocultadas aos cidadãos, que portugueses dignos e juristas de qualidade classificaram como atentado ao Estado de Direito. Agora, a história repete-se com Proença de Carvalho, já detentor do controlo sobre dois importantes jornais e uma rádio, a visar o controlo da TVI e o amordaçar dos produtores de conteúdos independentes, com a compra da PT pelos franceses da Altice. É perante esta grave ameaça sobre a liberdade de expressão e de imprensa que, à semelhança do que aconteceu na Face Oculta, o CM irá constituir-
-se assistente no processo que agora corre contra o empobrecimento de Portugal, promovido por José Sócrates e os seus inúmeros títeres.
 
 
O CM é, maioritariamente, lixo informativo e abominável pasquim especulativo? É e ligo-lhe tanto como à Bola de Ouro ou os Óscares de Hollywood. Mas não tem só defeitos. Não há sequer homem virtuoso que não os tenha. Os pasquins também não.
 
E resistem os blogues inteiramente livres, pois é preciso ter colhões para escrever isto. Isto. E isto.

Sem comentários:

Publicar um comentário