18 dezembro 2014

Árbitro que não via os bloqueios do Benfica sabe já do exemplo de Jorge Sousa para usar só a seu favor

É isto, o despudor! O mote é lançado a Artur Soares Dias, nomeado para o jogo grande da Taça (julguei ter lido algures de que seria João Capela...).
"Em Lisboa isso não será permitido pelo árbitro", frisou Jorge Jesus. Coluna, num bate-papo na RTP, uma vez lembrou o seu tempo de jogador quando "o Benfica não tinha [anos 60] esse constrangimento dos árbitros"...

ASD costuma ter critério largo, mas só quando convém. Ficou conhecido como o árbitro que não via os bloqueios denunciados por Vítor Pereira - eis a importância de um treinador tuga que conheça as manhas todas e o historial desta gente. Contudo, convém avisar e de forma veemente. Jesus acendeu uma vela para o andor continuar erguido pelos sacristãos.
O Jorge Sousa já sabia, até pelo anterior clássico no Dragão, como agir em caso de faltas repetidas a truncar o jogo e deixar os adversários do Benfica sempre de costas para a baliza.
Com Jorge Sousa devia funcionar por sinais de fumo, estava longe, em Paredes.
Com outro portuense ASD, não vá o diabo tecê-las, mais vale dar um berro.
Este desplante não merecerá um ui, nem ai, nem ei, antes ii, dos editorialistas da bola tuga.
O regime é assim e por isso se fala dos Espírito Santo: Filho e tementes a Deus. E reforça: a catedral ajuda. Pois. O árbitro ajoelhará. Tudo isto é de bradar aos céus!

Ainda não tinha visto esta capa comovente, condigna com o Natal e o seu significado.
O exemplo da PROPAGANDA NO SÉCULO XXI
Acho que vou apenas tomar atenção ao que Sérgio Conceição dirá no fim do jogo. Isto se ninguém se meter com ele antes do túnel...

Sem comentários:

Publicar um comentário