09 dezembro 2014

Estranha Champions... das equipas B

Não é da Youth League que se trata, mas parece. A solidificação deste modelo de Champions - aquele que, a 8 grupos de 4 equipas, mais tempo durou e pior fez à competição pelo acréscimo de jogos de significado nulo - só demonstra o risco, não direi perigo, de massificação desastrada da principal prova de clubes do mundo. Já não há muitos jogos decisivos na última jornada que hoje começa e parece-me ser este o ano, contas por alto, em que aumentam os jogos do tudo ou nada que... não valem nada.
 
Temos hoje o Benfica B, amanhã o FC Porto e até um Chelsea B, entre outros. Se isto não é descredibilizar a Champions... bem, temos a audiência de Ricardo Salgado principal DDT por mais de uma década mas que não sabia de nada de mais importante na trama GES/BES.
 
E nada como isto, inopinadamente, suceder no futebol ao Benfica B, que não joga para nada, nem para ganhar jogadores como diz Jesus que os ostracizou até à data, nem para dinheiro, que não precisa a avaliar pela desvalorização do impacto sem Europa nas contas como costumam negar a evidência na Luz, embora possa interferir, directamente, na definição do 1º lugar do grupo, à mercê do visitante Bayer Leverkusen que tem tudo a lucrar com o desinvestimento súbito do Benfica nesta ronda até à custa de uma receita substancial para despedida - ah, pois, o dinheiro não interessa, há aí aos montes em parcerias e projectos visionários.
 
Há dois anos era o Benfica que contestava o Barcelona por jogar em Glasgow com o Celtic com uma equipa sem muitos titulares e os escoceses ganharam 2-1. O mesmo Benfica que precisava de vencer em Camp Nou e defrontou um Barcelona sem 10 titulares mas que não se queixou do antidesportivismo catalão e o desinteresse seu que prejudicava terceiros, no caso o Celtic que só precisava de fazer o mesmo resultado em casa com o Spartak de Moscovo que o Benfica fizesse em Barcelona.
 
Mas não é só o Benfica que volta a ser apanhado em contrapé na moral e bons costumes. Não, o FC Porto amanhã não fará igual, porque já é 1º firme no grupo e o Shakhtar também está já apurado, o jogo do Dragão não interessa, isso sim, nem ao menino Jesus.
 
Já o Chelsea, apurado e seguro 1º lugar, pode apresentar uma equipa de recurso ante o Sporting. Sporting que precisa apenas de um empate para passar. Imagine-se o chinfrim que seria em comunicados e visitas a UEFA, FIFA e ONU se fosse o Schalke a beneficiar do potencial mais reduzido do Chelsea para lhe bastar um empate para a qualificação. Era a Gazprom, o árbitro, uma conexão qualquer casual e rara, enfim, baste ver as capas dos pasquins para se perceber que mesmo sem Champions em Lisboa a Champions está presente sem nunca estar presente.
 
Porque o Benfica já se poupa para domingo e porque o Sporting, bem, não interessa que o Chelsea jogue sem meia equipa titular, talvez, nem convém fazer ondas e questionar Mourinho sobre o assunto.
 
Por acaso até foi bom o Chelsea perder pela 1ª vez esta época, ou teríamos o sonho leonino de fazer a façanha primeiro, para mais vencendo em Stamford Bridge onde o nosso Zé não gosta de perder nem a feijões mas também é verdade que com o M. City a 3 pontos na Liga inglesa o feijão já começa a não caber no olhinho do Mourinho...
 
Em resumo, discutir a perda de interesse da Chanpions nesta fase não é importante. Pelo menos não se sente alguma reflexão sobre o assunto.
 
Coincide que eu também não terei tempo de ver os jogos, especialmente amanhã, pelo que a mim calha interessar-me pouco. A não ser esta chamada de atenção aos moralistas do costume que, como ´
e hábito, metem a viola no saco.
 
Domingo o chip mudou por completo. Ou talvez já a partir de amanhã nos dediquemos às coisas de mais doméstica e ordinária administração.

Sem comentários:

Publicar um comentário